Home / Animais / Felinos Raros e Exóticos (Com Fotos)

Felinos Raros e Exóticos (Com Fotos)

Hoje iremos citar algumas informações sobre alguns felinos raros e exóticos do mundo.

Esses animais foram escolhidos por possuírem comportamentos curiosos, serem escassos na natureza, possuírem aparência curiosa ou ter uma origem interessante.

Muitos desse felinos estão ameaçados de extinção e alguns deles estão situados entre os animais mais ameaçados de todo o mundo, o que é uma pena, levando em consideração o quão imponente alguns desse animais são para o equilíbrio da natureza

Acompanhe a lista abaixo:

Felinos Exóticos de Grande Porte

Lince-Ibérico (Lynx Pardinus)

Estado de conservação: Em perigo crítico

O lince-Ibérico é considerado o felino mais ameaçado de extinção do mundo, com uma população reprodutora com menos de 150 indivíduos.

A perca de seu habitat, o número reduzido de presas, incêndios florestais e construções de estradas e demais infraestruturas são algumas das causas responsáveis pelo o estado crítico de preservação da espécie.

Lynx Pardinus

O lince-Ibérico é natural da península Ibérica (Portugal e Espanha) e tem como principal presa o coelho-bravo, também conhecido como coelho-europeu.

Caracal (Caracal Caracal)

Estado de conservação: Pouco preocupante

Também conhecido como lince-do-deserto, lince-persa ou lince-Africano, mas não possui relações com os demais linces, pois apesar da aparência esse felino é parente próximo do serval.

Considerado rápido e ágil até mesmo para os padrões felinos, consegue saltar até 3 metros no ar, o que o possibilita pegar aves em pleno o voo, e já foram encontrados carcaças de avestruzes com marca de dente de caracal, o que mostra o quão notável é esse felino como predador, que apesar de sua envergadura pequena, possui força e velocidade necessária para derrubar um animal grande.

É um animal fácil de ser domesticado e costuma ser usado por humanos em atividades de caça.

Leopardo-Nebuloso (Neofelis Nebulosa)

Estado de conservação: Em perigo

Também conhecido como pantera-nebulosa, possui relativamente os maiores caninos entre todos os carnívoros terrestres, sendo o exemplar mais próximo que existe de um tigre-dente-de-sabre, apesar de sua aparência menor.

Possui, também, um padrão de manchas muito distinto em sua pelagem.

Sua população é estimada com menos de 10.000 indivíduos, e é dependente de regiões de áreas florestais, o que se relaciona ao fato de serem ótimos escaladores, capazes de subir em árvores e até mesmo se segurar em ramos utilizando somente as patas.

Leopardo-das-Neves (Panthera Uncia)

Estado de conservação: Em perigo

Também chamado de irbis, são animais bem adaptados ao frio extremo, possuem uma coloração esbranquiçada que serve como camuflagem na neve.

Possuem uma longa cauda que os dá balanço, indispensável para as montanhas do continente asiático, onde costumam a habitar montanhas a 6.700 m acima do mar.

São animais extremamente discretos e raramente são vistos, além de sua camuflagem natural, esses animais ao pressentir a presença de outros seres acabam se escondendo ou voltando para seus abrigos garantido a proteção de olhos curiosos.

Por essa dificuldade de observação é difícil fazer uma contagem de indivíduos, e assim se presume que existam por volta de 4000 indivíduos atualmente.

Leopardo-Siberiano (Panthera Pardus Orientalis)

Estado de conservação: Em perigo crítico

Mais um dos animais mais ameaçados de extinção do mundo com apenas 35 indivíduos na natureza.

Também é conhecido como leopardo-de-Amur, esses animais habitam a Rússia, especialmente na região leste da Rússia, onde as alterações climáticas costumam ser extremas, desde invernos rigorosos e enormes camadas de neve até um verão relativamente quente.

Devido ao seu habitat, os pelos do leopardo-Siberiano mudam de tamanho durante as mudanças nas estações, variando de 2,5 cm durante o verão a 7 cm quando inverno se torna rigoroso.

Em 2012, um leopardo-Siberiano foi fotografado na China pela primeira vez, e atualmente se estima que haja de 7-12 indivíduos vivendo na China.

Chita (Acinonyx Jubatus)

Estado de conservação: Vulnerável

Também conhecido como guepardo, a chita é o animal terrestre mais veloz do mundo, e esses grandes velocistas possuem características únicas.

É a única espécie vivente de Acinonyx.

O segredo de sua velocidade é uma anatomia desenhada para alcançar altas velocidades. Possuem as almofadas das patas dura e com ranhuras; patas relativamente grande; uma cabeça pequena e aerodinâmica; focinho curto e plano; uma cauda para estabilizar as curvas; corpo estreito e leve; coluna extremamente flexível; um coração robusto com artérias largas; uma estrutura muscular e ossos resistentes.

São predadores ativos, conseguindo alcançar de 0 a 100 km em 3 segundos de corrida, porém não conseguem manter esse ritmo por muito tempo devido a quantidade de energia gasta e a temperatura do corpo que sobe rapidamente.

Por conta disso, não insistem em uma presa, pois se o animal demora mais de 20 segundos para ser capturado em seu sprint (arrancada), elas preferem desistir e descansar.

Apesar das características incríveis, elas não são consideradas predadores fortes, vendo que quando outro predador as causa problema elas preferem perder um animal capturado do que ganhar possíveis ferimentos em um combate, já que dependem da sua velocidade, e o risco de perder mobilidade pode significar a sua morte.

Tigre-Siberiano (Panthera Tigris Tigris ou Panthera Tigris Altaica)

Estado de conservação: Em perigo

Também conhecido como tigre-de-Amur.

Esse é o maior felino desta lista e por sinal o maior do mundo, sendo maior que os seus parentes tigres normais, podendo chegar a 3 m de comprimento

Panthera Tigris Altaica

Além de serem grandes, são caçadores poderosos e astutos, ao ponto de obterem sucesso caçando animar grandes como ursos.

São animais raros, e acredita-se que exista cerca de apenas 500 espécimes na natureza.

Nos anos 40 quase chegou a extinção, com um número de apenas 30 espécimes, mas em 1947 passou a ser protegido pela lei soviética.

Felinos Exóticos de Pequeno Porte

Gato-Bravo-de-Patas-Negras (Felis Nigripes)

Estado de conservação: Vulnerável

Habitantes da região sudoeste da África, são um dos menores felinos do mundo.

Um dos motivos de sua ameaça de extinção é a caça de suas presas, dificultando o alimento.

Felis Nigripes

São animais discretos e noturnos, passando o dia escondido em coberturas densas ou qualquer lugar em que possam encontrar refúgio.

Costumam viver em ambientes secos com pouca vegetação, como os desertos da África e da Ásia, e aparentemente conseguem todo o líquido que precisam das presas que eles devoram, mas também bebem água (se disponível).

Diferente da maioria dos felinos, são escaladores ruins e ignoram árvores ou galhos.

Gato-Chileno (Leopardus Guigna ou Oncifelis Guigna)

Estado de conservação: Vulnerável

É o menor felino das Américas, e são naturais da cordilheira-dos-Andes, onde sua população estimada é de cerca de 10.000 indivíduos.

Seu habitat são florestas temperadas, mas costumam preferir ambientes perto de água, e também são tolerantes a habitats alterados.

São animais extremamente discretos e esguios, sendo ativos tanto de noite quanto de dia.

São ótimos escaladores, escalando árvores facilmente, já que é o local onde passam boa parte da sua vida.

Gato-de-Pallas (Otocolobus Manul)

Estado de conservação: Quase ameaçado

É um animal de hábitos noturno e arisco com humanos, apesar da aparência adorável.

São considerados um dos felinos modernos mais antigos da terra.

Se alimentam de pequenos roedores e pássaros que capturam através da emboscadas.

O gato-de-Pallas era considerado um animal em extinção, pois era caçado com frequência para ser vendido como animal de estimação, e hoje em dia essa prática é ilegal e proibida (exceto pela Mongólia), mas até mesmo onde é proibido ainda há caçadores ilegais capturando essa espécie.

Gato-Vermelho-de-Bornéu (Catopuma Badia)

Estado de conservação: Em perigo crítico

Esse gato é considerado em extinção devido ao pouco número de exemplares encontrados.

Eles são extremamente esguios, e tudo que se sabe sobre esses fatos foi descoberto estudando apenas 12 espécimes capturados desde 1855, quando foi descoberto por um explorador que abateu um desses animais.

Através do sangue desse animais foi descoberto o quão raro eles são, pois não há nenhuma subespécie conhecida.

Há a hipótese de que haja vários desses animais, já que muito poucas pessoas os vêem e muito menos pessoas os abatem, porém o fato deles não serem vistos também adiciona para ideia de haver poucos deles, isto é, ou eles são muito poucos ou eles são praticamente invisíveis, por via das dúvidas eles são considerados ameaçados de extinção.

Felinos Exóticos Domésticos

Ashera (?)

Esse felino é o gato doméstico mais exótico do mundo, pois ele é feito em laboratório pela empresa “Lifestyle pets“, que trabalha com biotecnologia.

Esse animal é dito como uma mistura de serval, gato leopardo e gato doméstico, e custa cerca de 40 mil reais.

São dóceis, inteligentes e requerem cuidados como qualquer outro animal, além de ser um gato com Ashera GD (que é dito ser um gato não alogênico), porém muitas pessoas acabam o mimando demais.

Esse animal caríssimo tem direito até a escândalos na mídia, e a autenticidade desse animal foi contestada, e exames de DNA apontavam que ele era um Savannah, uma cruza que já existe entre gatos domésticos e leopardos asiáticos, e apesar disso, ele não deixa de ser um um gato leopardo.

Gato-Elfo (?)

Essa raça foi criada em 2006, quando foi cruzado um American Curl com um Sphynx. O resultado foi o gato Elfo.

A ideia de Karen Nelson e Kristen Leedom quando criaram esse animal, era a de criar um gato sem pelos como um sphynx, porém com as orelhas características do American Curl, e no final, funcionou.

Esse foi o post falando um pouco sobre felinos exóticos, mas caso queira saber mais sobre os felinos siga os links:

Veja também

Ciclo de Vida do Pepino-do-Mar: Quanto Tempo Ele Vive?

Os pepinos-do-mar são os principais representantes da comunidade conhecida como Holothuroidea. Essa é uma comunidade …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *