Home / Animais / Leão Preto: Fotos, Melanismo e Características

Leão Preto: Fotos, Melanismo e Características

O leão (nome científico Panthera leo) é considerado o segundo maior felino do mundo, perdendo no ranking apenas para o tigre. É um mamífero carnívoro considerado em situação de vulnerabilidade, e que além das populações remanescentes encontradas na natureza, também está presente em algumas reservas ambientais.

O leão é conhecido pela sua juba e pelagem clássica em tom castanho, no entanto, uma imagem de um belíssimo leão negro circula na internet. O animal teria sido flagrado em seu hábitat natural. Esse fato intrigou a muitos, visto que o melanismo é um fenômeno comum entre os felinos, porém, até o presente momento, não haviam sido encontrados registros de leões com essa característica.

O questionamento que fica no ar seria: essa imagem é real ou manipulada?

Neste artigo, essa duvida será respondida.

Boa leitura.

O que é o Melanismo?

Uma das Imagens do Leão Preto Que Circula na Internet
Uma das Imagens do Leão Preto Que Circula na Internet

O melanismo é caracterizado pela produção em larga escala de um pigmento chamado melanina, o que contribui para trazer à pele ou à pelagem um aspecto escurecido. Nos animais, o melanismo está intimamente relacionado às mutações genéticas.

O melanismo é um fenótipo (manifestação visível ou detectável de um genótipo, ou seja, característica) que pode se manifestar de forma completa ou parcial (concentrado em determinada área). Quando o melanismo ocorre parcialmente, frequentemente é chamado de pseudo-melanismo.

A causa genética (no caso, a existência de genes recessivos) possui um grande impacto, mas a mesma também é influenciada/otimizada por fatores exteriores (ou exógenos), tais como o aumento da temperatura ambiente durante o período gestacional, pois esse fator ativa os genes.

O melanismo animal também pode ser obtido por interferência humana, como foi o caso de algumas mariposas no Reino Unido. A ciência chama esse mecanismo de melanismo industrial.

O Extremo Oposto do Melanismo: o Albinismo

O albinismo também está relacionado os genes recessivos e, no caso, dos seres humanos, atinge entre 1 a 5% da população mundial.

No albinismo, há deficiência de uma enzima envolvida no processo de produção da melanina, contribuindo para a ausência completa ou parcial deste pigmento na pele, ou em estruturas tais como as unhas, cabelos e olhos.

Nos animais, essa característica é mais comum aos predadores, pelo fato de se destacarem no meio ambiente.

Melanismo em Seres Humanos

A presença do pigmento melanina nos seres humanos está mais concentrada de acordo com fenótipos conhecidos popularmente como raças.

A melanina possui como função proteger a pele contra a radiação ultravioleta emitida pelo sol. Pessoas com a pele mais morena tendem a possuir um nível de proteção maior.

Evidências arqueológicas indicam que a história da humanidade teria iniciado na África, local no qual a radiação solar é intensa. Logo, pessoas negras teriam muito mais vantagens relacionadas à luta pela sobrevivência. Ao migrar para zonas menos ensolaradas, como a Europa, a falta de radiação solar (embora em excesso seja prejudicial à pele), prejudicou de certa forma a absorção de Cálcio e síntese de vitamina D.

Dessa forma, ocorreu o processo de seleção natural, quem possuía mais melanina estava mais apto a habitar locais quentes, ao passo que quem possuía menos melanina adaptou-se com mais facilidade às regiões relativamente frias.

O termo “raça”, para designar variedades de fenótipos humanos (em sua maioria, relacionados à cor da pele, características do cabelo e traços faciais), ainda pode ser controverso dentro da própria biologia. Isto ocorre, porque o termo implica que haja diferenças genéticas significativas, fator que não ocorre com os seres humanos, principalmente em face da grande miscigenação encontrada na atualidade.

Melanismo em Felinos

O melanismo em felinos é bastante comum. Um estudo científico constatou que o fenômeno é resultado de pelo menos 4 mutações genéticas diferentes, as quais podem ocorrer de modo independente entre os membros da família Felidae.

Esse fenômeno é visualizado em espécies como o leopardo (nome científico Panthera pardus), cuja variação melânica recebe o nome de pantera-negra; a onça (nome científico Panthera onca) e até mesmo no gato doméstico (nome científico Felis silvestres catus). No entanto, há cerca de 12 espécies de felinos nas quais o melanismo é possível.

Melanismo em Outros Animais

Além dos felinos, características de melanismo já foram vistas em animais como os lobos (os quais frequentemente apresentam pelagem de cor cinza, marrom ou branca), girafas, flamingos, pinguins, focas, esquilos, cervos, elefantes, borboletas, zebras, jacarés, cobras e até mesmo em peixes ‘dourados’.

O melanismo também já foi encontrado em cães domésticos, como é o caso da raça lulu da pomerânia.

Leão Preto Existe?

Há duas fotos de leão preto em plena circulação na internet, inclusive nas redes sociais.

Essas imagens exóticas são um verdadeiro sucesso, no entanto, são criações de Photoshop de um artista chamado Pavol Dovorsky, que também é conhecido pelo nome “Paulie SVK”.

Imagem de Um Suposto Leão Preto
Imagem de Um Suposto Leão Preto

No mês de Março de 2012, a primeira foto foi postada; já a segunda, no mês de Junho. ´

Na segunda imagem, o artista inseriu a sua assinatura.

Mas, Isso Significa Que Não Existem Leões Pretos?

Bem, encontrar um leão totalmente negro, conforme o padrão apresentado nas fotos encontradas na internet, é um fato bem improvável, ou impossível. Todavia, na Etiópia, alguns leões pertencentes ao zoológico Adis Adeba apresentam algumas peculiaridades, as quais já foram registradas por alguns naturalistas. Esses leões apresentam acúmulo de melanina em áreas específicas. Outros leões, embora raríssimos, podem apresentar juba de cor negra.

Alguns registros verbais sobre a existência de leões pretos adveio de pessoas que o avistaram a uma distância considerável, ou durante a noite (período no qual é muito difícil distinguir com precisão as cores).

Apesar disso, os leões albinos existem e são considerados animais belíssimos.

*

Agora que você já conhece o veredito sobre o famoso leão preto, continue conosco e visite também outros artigos do site.

Aqui há muito material de qualidade sobre zoologia, botânica e ecologia de modo geral.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Brasil de Fato. Coluna Ciências- É correto falar em raças humanas? Disponível em: <https://www.brasildefato.com.br/2018/11/28/coluna-ciencias-or-e-correto-falar-em-racas-humanas/>;

FERNANDES, E. Hypeness. Conheça os 20 animais albinos mais fantásticos do planeta. Disponível em: <https://www.hypeness.com.br/2013/04/conheca-os-20-animais-albinos-mais-fantasticos-do-planeta/>;

Incrível. 17 animais que são da cor da noite. Disponível em: <https://incrivel.club/admiracao-animais/17-animais-que-sao-da-cor-da-noite-214810/>;

SCHREIDER, A. P. Leão negro: imagem circula na internet. Disponível em: <https://www.boatos.org/mundo/leao-negro-imagem-que-circula-na-internet-e-falsa.html>;

Wikipédia. Melanismo. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Melanismo>;

Wikipédia. Melanismo em felinos. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Melanismo_em_felinos>;

Veja também

Ouriço do Mar Roxo: Características, Nome Cientifico e Fotos

O ouriço do mar roxo é um ouriço-do-mar europeu da família toxopneustidae, e do gênero …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *