Home / Plantas / Tudo Sobre A Flor Hibisco: Características E Nome Científico

Tudo Sobre A Flor Hibisco: Características E Nome Científico

Tudo o que puder ser dito sobre essa flor, o hibisco, ou Hibiscus rosa-sinensis (seu nome científico), ainda será pouco para que se possa ao menos fazer uma ideia das características de uma das espécies mais comuns e ao mesmo tempo mais versáteis da natureza.

Em uma dessas inúmeras paragens e rincões brasileiros você certamente deve conhecê-la como graxa, graxeira, graxa-de-estudante, mimo-de-vênus, entre outras denominações que o hibisco recebe em alusão à secreção que desprende-se das suas folhas (uma espécie de mucilagem); e que, de acordo com o que se sabe, já chegou a ser utilizada até mesmo para “engraxar” ou lustrar sapatos.

O Hibiscus rosa-sinensis é uma espécie de arbusto mediano, capaz de atingir entre 4 e 6 metros de altura como uma planta lenhosa, com crescimento abundante, e que atualmente distribui-se por boa parte do planeta graças às antigas viagens de exploração feitas pelas ricas e exuberantes florestas tropicais e subtropicais da Ásia e do Havaí – os seus habitats naturais.

E o hibisco espalhou-se por quase todo o planeta como uma típica espécie ornamental, com flores grandes lisas (ou ásperas), largas, delgadas (ou estreitas), delicadas e com características de rusticidade.

Por isso mesmo essa espécie popularizou-se no Brasil como “cerca viva”; como uma bela espécie ornamental para compor a paisagem de jardins, praças, passeios, calçadas, e onde quer que que o seu aspecto chamativo e resistência às mais variadas condições climáticas possam ser úteis.

Apesar de tamanha versatilidade, chama a atenção o fato de ser essa uma das espécies menos badaladas entre as variedades ornamentais brasileiras – e por muitos tratada como uma espécie do “2º time” quando o assunto são as plantas rústicas e ornamentais do país.

No entanto, muitos não sabem, mas o hibisco guarda características e propriedades valiosíssimas, capazes de surpreender até mesmo os que garantem ser bastante familiarizados com essa espécie considerada uma das mais comuns e abrangentes de toda essa incrível flora brasileira.

Tudo Sobre as Flor Hibisco: Características, Nome Científico E as Singularidades Dessa Espécie

No ano de 1753 o Hibiscus rosa-sinensis foi descrito pelo médico e botânico sueco Carl Nilsson Linnæus. E o que ele descreveu foi a “Rosa-da-China” (rosa sinensis, em latim científico); uma espécie que já àquela altura chamava a atenção pela sua semelhança com as rosa; essa outra variedade ainda mais apreciada em todo o planeta.

Juntava-se, agora, às demais espécies até então conhecidas, esse arbusto perene, com porte mediano, uma altura que dificilmente ultrapassa os 3, 4 ou 5 metros; além de possuir folhas de um verde bastante reluzente e flores que se destacam, solitárias, dessa sua exuberante folhagem de que a planta se constitui.

E essas flores se destacam, simples e solitárias, porém bastante chamativas, com 5 pétalas com cerca de 9 ou 10 cm de diâmetro, tonalidades que variam entre o vermelho e o alaranjado; e que entre os meses setembro a abril surgem, magníficas, e impossíveis de não serem notadas já à distância.

Nessa lista com tudo o que diz respeito à flor hibisco, com suas características, nome científico e outras particularidades, cabe ainda destacar a sua estrutura, na forma de um caule ereto, em forma de cilindro, aéreo, bastante ramificado, com folhas simples, pecioladas, alternadas, obovoadas, com bordas serrilhadas, entre outras características não menos notáveis nesse arbusto.

E o que mais dizer sobre as suas flores – os seus cartões de visita –, com formatos pentâmeros, actinomórficas (com simetria radial), pediceladas, além de surpreendentemente comestíveis e saborosíssimas, na opinião de muitos?

E ainda com uma pequena acidez bastante característica, que torna essa espécie, curiosamente, uma variedade ideal para compor saladas, refogados, guarnições; e até mesmo para a produção de patês, geleias, sucos, doces, entre outras iguarias que só exigem mesmo uma boa dose de criatividade e apreço pelos produtos que são obtidos de espécies florais.

Ecologia E Genética Da Planta

O Hibisco rosa-sinensis não é daquelas espécies conhecidas por serem disputadas por comunidades de pássaros, vespas, abelhas, entre outras espécies consumidoras do néctar contido nas flores.

Hibisco Rosa-Sinensis
Hibisco Rosa-Sinensis

Mesmo assim, algumas variedades parecem encontrar no hibisco uma espécie de porto seguro e um verdadeiro parque de diversões.

Como é o caso do “Bico-reto-de-banda-branca” (o Heliomaster saquamosus – um tipo de beija-flor) e a Papilio homerus (uma singular variedade de borboleta).

Essas são espécies encontradas no Brasil e na América Central (respectivamente), e que encontram no Hibisco rosa-sinensis um excelente parceiro nas suas lutas pela sobrevivência; enquanto, por sua vez, ajudam a espalhar a planta por diversas regiões próximas.

Mas uma curiosidade interessante sobre o hibisco diz respeito às características do seu material genético. A sua original combinação de vários grupos de cromossomos, entre outras coisas, produzem efeitos curiosíssimos quando o assunto são os diversos tipos de cruzamentos que podem ser feitos com espécies florais.

É o caso, por exemplo, da produção de plantas com características e aspectos físicos bastante diferentes das mudas utilizadas; o que na verdade torna o hibisco uma espécie ainda mais singular e difícil de ser comparada com outras variedades florais conhecidas no continente.

Não por outro motivo o hibisco tornou-se um dos “queridinhos” dos especialistas em cruzamentos e hibridizações de espécies florais em todo o mundo, já que dele é possível criar novas variedades com características únicas e totalmente originais.

Uma Espécie E as Suas Singularidades!

Tudo o que pudemos perceber até aqui sobre essa flor, o hibisco, diz respeito às suas características, nomes científicos, ecologia e genética. Mas essa variedade ainda possui inúmeras outras singularidades, como as suas várias denominações, por exemplo.

Se para alguns ela é a Graxa-de-estudante, e para outros é a Mimo-de-vênus, há quem só a conheça como “vinagreira”, ou “capilé”, ou mesmo “Caruru-azedo”, “Quiabo-azedo”, além de várias outras denominações que ele recebe por esses rincões do país.

E muitos desses apelidos, como podemos facilmente perceber, estão relacionados com essa característica do hibisco de eliminar uma espécie de secreção ou mucilagem, que, a depender de como for manipulada, pode tornar-se útil para os mais diversos fins.

Pé de Mimo-de-Vênus
Pé de Mimo-de-Vênus

Curioso também é o fato de que inúmeras outras espécies dessa comunidade costumam ser conhecidas simplesmente como hibisco. É o caso, por exemplo, da Hibiscus esculentus L., Hibiscus sabdariffa, Hibiscus acetosella, Hibiscus lime, além de inúmeras outras variedades.

No entanto, os especialistas no assunto garantem: hibisco de verdade é a “rosa-sinensis!” A única da qual, segundo eles (e há controvérsias), é possível extrair todas as incontáveis propriedades dessa espécie – e de uma só vez!

É, sem dúvida, uma variedade ornamental por natureza! E que surpreende quando o assunto são os vários usos que se pode fazer de uma espécie floral encontrada com tamanha facilidade.

Tudo Sobre as Características, Nome Científico E Os Usos Da Flor Hibisco

Apesar de apresentar as características de uma espécie rústica e resistente, o hibisco é uma planta que costuma sofrer com temperaturas muitos baixas (ou mesmo geadas).

E é justamente por essa razão que as regiões norte e nordeste do país são os territórios onde o Hibiscus rosa-sinensis desenvolve-se em toda a sua plenitude.

Nesse trecho do país o hibisco costuma ser apreciado de diversas formas, e em várias possibilidades, principalmente in natura, em saladas, infusões das suas flores e como um ingrediente de pratos salgados, como o “arroz de cuxá”, que também utiliza-se dos excelentes predicados da planta para a sua elaboração.

Mas em outras regiões, como no sul e sudeste, por exemplo, não se surpreenda ao encontrar essa espécie cuidadosamente mantida em conserva.

É assim que ela costuma ser apreciada em diversos redutos de tradição japonesa na cidade de São Paulo; onde o hibisco, obviamente, também tornou-se popular como uma espécie floral comestível.

Mas há também quem simplesmente bata algumas flores de hibisco no liquidificador com água, gelo e açúcar. Enquanto outros preferem mesmo é extrair as excelentes propriedades da sua infusão.

E os mais ousados e criativos simplesmente descobriram uma maneira de utilizar as flores dessa espécie para a produção de um originalíssimo refrigerante natural.

E tudo isso ainda aproveitando-se do excelente potencial emagrecedor da planta. Uma grata novidade! E que em combinação com uma dieta saudável e práticas de exercícios físicos, pode auxiliar um indivíduo a manter bem longe a sombra nefasta das toxinas e das gorduras no seu organismo.

Isso sem contar o fato de que estará ingerindo um excelente digestivo, regularizador do trânsito intestinal, capaz de diminuir consideravelmente a retenção de líquidos, entre outros inúmeros benefícios que só mesmo a “mãe natureza”, com seus diversos, variados e surpreendentes produtos, é capaz de nos oferecer.

Principais Forma De Utilizar O Hibisco

Tudo o que se sabe sobre as características e propriedades farmacológicas e medicinais do Hibisco, ou Hibiscus rosa-chinensis (seu nome científico), é o resultado de uma longa tradição passada de pai para filho durante séculos de existência dessa espécie entre nós.

E o que se descobriu é que essa é uma daquelas espécies riquíssimas em antioxidantes, em especial os flavonoides, que agem como combatentes incansáveis dos radicais livres – espécies de “vilões” que, como se sabe, estão entre os principais responsáveis pelos mais diversos tipos de danos às células do organismo.

Hibiscus Rosa-Chinensis
Hibiscus Rosa-Chinensis

Mas engana-se quem pensa que as suas qualidades nutritivas são novidades dos tempos atuais! Na verdade o hibisco há muito é apreciado por povos de antigas ilhas da região do Pacífico, que também já conheciam as propriedades da sua mucilagem, que hoje já se sabe que pode ser utilizada até mesmo para indicar o nível de pH da água.

Em comunidades na região da Indonésia essa mucilagem é bastante apreciada como um excelente produto para lustrar sapatos.

É o “kembang sepatu”, que não opinião dos nativos é incomparável quando o assunto é dar vida nova a calçados com um custo praticamente zero.

Na Tailândia, Myanmar, Laos, Vietnã, entre outras regiões do Sudeste Asiático, é o chá do hibisco que possui um status de quase “celebridade” entre os povos nativos.

Enquanto na China, Mongólia, entre outras regiões da Ásia Central, o Hibiscus rosa-sinensis pode ser consumido in natura, em saladas, e até mesmo para a extração das suas fibras para a confecção de inúmeros artefatos.

Uma Espécie Surpreendente!

O hibisco é, verdadeiramente, uma espécie surpreendente! Haja vista o fato de que, para muitos, ela é apenas e tão somente uma das milhares de variedades de espécies florais brasileiras encontradas facilmente em touceiras como se até fora um simples mato imprestável.

Mas, para outros, ela é uma preciosidade! E tudo o que puder ser dito sobre o hibisco (características, nome científico, ecologia, genética, etc) ainda será pouco para descrever essa que é uma daquelas espécies consideradas “1001 utilidades” entre as variedades florais conhecidas.

Os seus cálices, por exemplo, são as partes preferidas para a produção do chá; e são essas partes também que se prestam melhor à produção de um saboroso refresco, feito com bastante água, gelo, açúcar (ou mel), hortelã, entre outras combinações da mesma forma refrescantes.

Mas e se além desses usos você pudesse produzir algum tipo de refrigerante com as partes aéreas do hibisco? A resposta é sim, isso é possível! E na verdade esse é outro dos inúmeros “segredos” dessa planta.

E o processo para a fabricação desse “refrigerante” é também muito simples.

Na verdade o que acontece é que plantas ou qualquer outro vegetal como o Hibiscus rosa-sinensis, quando mantidos em um processo de fermentação, produzem bactérias que alimentam-se do açúcar ali contido.

E, como resultado dessa ação, produz-se uma exuberante quantidade de gás carbônico, que confere à bebida características únicas; além de também produzir álcool; como uma das mais singulares atividades que podem ser observadas de forma totalmente natural entre as espécies vegetais do planeta.

E aqui é o que também ocorre com o nosso hibisco; a partir do qual é possível produzir essa bebida; que melhor seria definida como um “fermentado”, que além de refrescar ainda atua positivamente por meio das propriedades farmacológicas da planta.

Para preparar a bebida proceda da seguinte maneira:

Ingredientes:

  • 4 colheres de sopa de açúcar (ou 1 xícara de mel);
  • 2 litros de infusão de hibisco;
  • 2 colheres de café de sal (não iodado);
  • O suco de 1 limão;
  • 2 colheres de sopa de soro de leite.

Preparo:

Em uma garrafa pet (de 2,5 ou 3 litros) coloque todo o conteúdo e tampe bem. Isso é importante porque durante o processo de fermentação grande quantidade de gás carbônico é produzido, e por isso é necessário que haja espaço suficiente para ele durante o processo.

O recomendado é que você deixe essa garrafa acondicionada em um lugar fresco, seco e à sombra por um período entre 3 e 5 dias.

E em regiões mais ao sul do país esse tempo poderá ser ainda maior, já que a fermentação é beneficiada pelas temperaturas mais elevadas, um clima abafado e por uma umidade relativa do ar também elevada.

Se tudo ocorrer bem, ao final desse período você irá perceber uma certa rigidez na garrafa. E esse é o sinal de que as pequeninas bactérias fizeram bem o seu trabalho! E ainda, de quebra, distribuem-se na bebida na forma de lactobacilos vivos.

Outros Usos

O que parece mesmo é que não existe limites para o uso dessa planta! E tudo o mais que se possa dizer sobre a flor hibisco, além das suas características, aspectos ecológicos, nome científicos, entre outras peculiaridades, é que a partir dela ainda é possível obter inúmeros outros subprodutos.

Uma bebida alcoólica, por exemplo, é obtida quando o “refrigerante” de hibisco continua fermentando sem ir à geladeira. E se por acaso esquecer por um tempo ainda maior, o resultado será a produção de um curioso vinagre caseiro – o que inclusive lhe dá um dos seus apelidos, a “Vinagreira”.

Isso sem contar o seu aspecto, uma cor rosada bastante característica, que combinada com o seu sabor, levemente ácido, torna a bebida uma das mais originais produzidas com espécies florais brasileiras.

Esse refrigerante de hibisco, graças ao auxílio poderoso das bactérias que alimentam-se do açúcar contido na planta, torna-se uma bebida leve, agradável ao paladar, refrescante, e que ao tocar a garganta produz uma reação quase tão intensa quanto o de outras bebidas gaseificadas.

O Suco De Hibisco

Suco De Hibisco
Suco De Hibisco

O suco de hibisco é uma dessas “novidades” trazidas diretamente do seio da nossa “mãe natureza”. Com apenas duas folhas da planta, mais 2 ou 3 folhas de hortelã e 2 rodelas de abacaxi, é possível preparar um refresco dos mais exóticos e incomuns dentre todos os que existem.

E para prepará-lo basta acrescentar as folhas de hibisco em 300 ml de água fervida, abafar por cerca de 5 minutos, coar e bater esse conteúdo com as rodelas de abacaxi e o hortelã.

Coe novamente, coloque algumas pedras de gelo, e assim estará ingerindo um verdadeiro manancial de antioxidantes, vitaminas, sais minerais, entre outras substâncias que são incorporadas enquanto ingere uma bebida refrescante e com um custo mínimo – especialmente para os que cultivam a planta em casa.

Além Das Características E Nome Científico, Tudo O Mais Sobre O Chá Da Flor De Hibisco

O chá das flores de hibisco deve ser preparado a partir do seu cálice, de preferência seco, já que assim é possível obter grandes quantidades dos seus princípios ativos com menor volume de plantas.

O resultado será a produção de uma bebida deliciosa, e que, além disso, é um verdadeiro manancial de antioxidantes; em especial as antocianinas e os flavonoides, que, entre outras coisas, atuam como verdadeiros parceiros do nosso sistema cardiovascular.

Chá Da Flor De Hibisco
Chá Da Flor De Hibisco

Isso porque essas substâncias também atuam como excelentes vasodilatadoras, eliminam toxinas, quebram moléculas de gorduras, entre outras ações que fazem com que o coração, e todos os músculos que compõem esse sistema, não sejam tão exigidos.

Já a quercetina, outro importante oxidante abundantemente encontrado no hibisco, atua como um poderoso anti-inflamatório natural, capaz de preservar as funções normais do aparelho urinário – sobretudo os rins.

Sem contar as quantidades razoáveis de tiamina, riboflavina, niacina, entre outros componentes da família das vitaminas do complexo B.

Estas, entre outras coisas, promovem um importantíssimo relaxamento das paredes das artérias e dos vasos sanguíneos e contribuem para manter bem longe o fantasma da hipertensão.

Mas um poderoso grupo de ácidos orgânicos presentes numa infusão das flores do hibisco também atuam como verdadeiros “faxineiros” do organismo.

Eles eliminam toxinas, quebram moléculas de gordura, protegem as células de falhas em seus processos metabólicos, entre outras ações que ainda ajudam a prevenir as terríveis formações de tumores malignos em diversos órgãos do corpo humano.

As Características Do Chá De Hibisco

O Hibiscus sabdariffa costuma ser o mais utilizado numa infusão com essa planta. Mas a variedade Hibiscus acetosella disputa com afinco o lugar de preferida entre os milhões de apreciadores dessa espécie em praticamente todos os continentes (com exceção da Antártida).

O cálice do hibisco é a parte utilizada na infusão. E ele deve ser colhido enquanto ainda não estiver totalmente maduro; e ainda deverá deixá-lo secar para que possa extrair com maior facilidade os seus princípios ativos.

O resultado dessa infusão é uma bebida com uma original tonalidade avermelhada, um gosto bem marcante, levemente ácido, com baixos níveis de cafeína, pouquíssimas calorias, e que ainda pode ser consumida gelada – para os que apreciam as suas qualidades refrescantes.

Há alguns anos o chá com os cálices do hibisco tornou-se quase como uma verdadeira febre em várias partes do mundo, muito por conta da presença de determinadas enzimas que são capazes de inibir essa acelerada transformação dos aminoácidos em glicose.

E o resultado disso é que o chá tornou-se também o preferido dos diabéticos (e de quem desja evitá-la), bem como dos praticantes de dietas, ou mesmo daqueles que brigam diariamente com a balança.

Para estes o chá de hibisco, por ser ainda um excelente termogênico, tornou-se quase como uma verdadeira celebridade entre as espécies florais.

Tudo Sobre Os Benefícios Do Chá Da Flor De Hibisco, Além Das Suas Características, Nomes Científicos E Demais Peculiaridades

1.Pressão Sanguínea

Pressão Sanguínea
Pressão Sanguínea

O journal of Nutrition, periódico americano especializado em assuntos ligados ao tema da nutrição, mantido por membros da American Society for Nutrition, descobriu, com a ajuda de mais de 60 voluntários, que algumas enzimas contidas numa infusão com os cálices de hibisco são capazes de reduzir essa pressão exercida pelo sangue sobre as veias e artérias.

No mesmo sentido, a Associação Americana de Saúde (a American Public Health Association) também divulgou recentemente um estudo que aponta para os benefícios do uso periódico e moderado do chá de hibisco em portadores de hipertensão (ou pré-hipertensos).

E a conclusão foi a de que a planta possui diversas substâncias cardioprotetoras, anti-hipertensivas e vasodilatadoras; muitas delas capazes de realizar uma importantíssima ação de relaxamento das paredes dos vasos, veias e artérias; além de fortalecer as suas estruturas, e com isso prevenir o surgimento de um quadro hipertensivo.

2.Um Excelente Redutor Dos Níveis De Colesterol

Colesterol
Colesterol

Tudo o que foi dito até aqui sobre os benefícios da flor de hibisco, além, obviamente, das suas características genéticas e diferenças entre os seus vários nomes científicos, identifica essa espécie como um importante aliado dos indivíduos que desejam manter equilibrados os níveis de glicose e de gorduras no organismo.

Basta saber, por exemplo, que ele está entre aquelas variedades que são capazes de reduzir drasticamente os níveis desse assustador LDL (o colesterol ruim) no sangue, mas preservando os níveis do bom colesterol (o HDL).

E estes, muitos não sabem, executam funções indispensáveis no organismo. Como, por exemplo, a produção (e conservação) de diversos hormônios, a formação das membranas de que se constituem as células, além de enviar todo o excesso de colesterol para o fígado – o local correto para o seu processamento e eliminação.

3.Um Aliado Dos Diabéticos

Diabéticos
Diabéticos

O chá de hibisco também é conhecido por ser um parceiro dos indivíduos que sofrem com hipoglicemia (baixos níveis de glicose no sangue) e hiperglicemia (altos índices). E ele faz isso graças a um conjunto de enzimas que atuam protegendo e regulando as funções do pâncreas.

Com isso, evita-se a diminuição brusca (ou aumento acentuado) dos níveis de insulina no organismo; o que ajuda diabéticos e indivíduos saudáveis a manterem bem longe os riscos dessa doença.

4.Protege o Fígado

Fígado
Fígado

O fígado é, sem dúvida, uma peça-chave para a manutenção de um organismo saudável. É ele que recebe boa parte da glicose do sangue e evita que ela torne-se uma verdadeira toxina no organismo.

Ele também cumpre um importante papel no metabolismo da amônia no sangue, faz quase todo o processamento dos lipídeos, a síntese das proteínas e o processamento das drogas e dos remédios ingeridos (o que impede que eles se transformem em agentes tóxicos).

O fígado é quem produz a bílis, substância responsável por metabolizar as gorduras e apanhar os nutrientes que são consumidos durante a alimentação; além de inúmeras outras funções impossíveis de serem descritas em tão poucas linhas.

E um chá com os cálices de hibisco oferece um conjunto de enzimas capazes de preservar a estrutura desse tão importante órgão do corpo humano; e ainda ajuda a potencializar as suas funções e a garantir o funcionamento normal de praticamente todos os outros órgãos do corpo.

5.Um Poderoso Anticâncer Natural

De tudo o que dissemos até aqui sobre a flor de hibisco (nome científico, características, ecologia, etc.), o que chama bastante a atenção são as quantidades generosas de antioxidantes da planta.

E o que esses antioxidantes fazem, entre outras coisas, é proteger as células da oxidação precoce; um dos principais responsáveis pelos danos ao seu material genético, principalmente no que diz respeito ao crescimento, divisão e multiplicação.

Substâncias como os flavonoides e as antocianinas, por exemplo, ajudam a prevenir esses erros ou falhas no crescimento das células, e ainda lhes ajudam a executar corretamente os seus diversos metabolismos.

Além disso, o ácido protocatecoico age como uma excelente substância antitumoral por natureza, já que é capaz de provocar uma “morte programada das células”; o que, por razões óbvias, evita com que elas se proliferem.

6.Um Anti-Inflamatório Natural

Já chamamos a atenção aqui para as excelentes propriedades anti-inflamatórias do chá de hibisco. Mas os seus predicados vão mais além!

Ele também possui ação antimicrobiana, bactericida e contribui para o fortalecimento do nosso sistema imunológico – nesse último caso, graças as suas quantidades generosas de vitamina C.

Rins, pâncreas, útero, bexiga, além de alguns outros órgãos dos sistemas reprodutor, endócrino e urinário masculino e feminino, também beneficiam-se sobremaneira desse potencial da planta; que ainda acaba adquirindo as características de um poderoso diurético natural.

7.Transtornos Menstruais

Transtornos Menstruais
Transtornos Menstruais

Até mesmo aqui um chá de hibisco pode atuar de maneira formidável. Algumas substâncias da bebida são capazes de dar um fim às terríveis cólicas menstruais, equilibram os níveis hormonais, melhoram o humor, regularizam o sono, entre outros transtornos ligados a esse período.

8.Um Antidepressivo Natural

Já são mais de 11 milhões de indivíduos com depressão no Brasil e cerca de 322 milhões no mundo. Juntamente com a ansiedade e a síndrome do pânico, ela será a principal causa de afastamento do trabalho nos próximos 10 anos! – e o pior é que ela costuma surgir silenciosamente e sem que sequer nos demos conta.

Pois bem, para esse tipo de transtorno uma infusão de hibisco, juntamente com a adoção de hábitos saudáveis de vida, a prática de exercícios físicos e uma alimentação equilibrada, produz resultados surpreendentes!

Especialmente pelo fato de ser uma planta rica em flavonoides (um poderoso antidepressivo); substância reconhecidamente capaz de produzir um estado de relaxamento e sedação muito bem vindos para quem sofre com esses tipos de distúrbios.

9.Um Excelente Digestivo

Tudo o que se sabe sobre as propriedades digestivas da flor de hibisco, à parte as suas demais características, nomes científicos e outras peculiaridades, dizem respeito à presença de enzimas capazes de auxiliar a digestão dos alimentos.

E essas enzimas também contribuem para aumentar os movimentos peristálticos e para manter bem longe alguns transtornos intestinais como a constipação.

Uma xícara de chá de hibisco após as refeições é capaz de produzir efeitos “milagrosos”; enquanto acalma, relaxa e contribui para que o organismo realize tranquilamente os seus processos metabólicos.

10.Um Isotônico Natural

Chá de Hibisco de Caixinha
Chá de Hibisco de Caixinha

Ao que parece as variedades Hibiscus lime e Hibiscus sabdariffa são as mais ricas em clorofila, sais minerais, antioxidantes, vitaminas, entre outras substâncias que podem ser encontradas no chá dessa planta. Dessa forma, elas refrescam como poucas infusões conhecidas, enquanto nutrem e alimentam o corpo.

Isso sem contar o fato de serem diuréticos dos mais potentes, o que ajuda a diminuir a retenção de líquidos, estimula a micção e elimina as toxinas do organismo.

Seja na forma de um chá gelado, ou de um suco batido no liquidificador com abacaxi, hortelã e gelo, a bebida possui uma capacidade sem igual de hidratar, refrescar e acrescentar mais energia durante as sessões de exercícios de força ou aeróbicas.

11.O Chá De Hibisco Para O Emagrecimento

O chá de hibisco é um emagrecedor natural. E ele apresenta essa característica pelo fato de ser uma bebida termogênica e por inibir as enzimas responsáveis pela metabolização dos açúcares e dos carboidratos, com consequente transformação em glicose no organismo.

Portanto, indivíduos que possuem o hábito de consumir alimentos ricos em carboidratos irão beneficiar-se sobremaneira com a capacidade dessa planta de diminuir a sua metabolização; e ainda, de quebra, garantir proteção ao pâncreas, que terá menos trabalho em produzir insulina suficiente para metabolizar toda essa glicose produzida.

12. Um Excelente Diurético

Uma pesquisa levada a cabo por membros da comunidade internacional Society for Medicinal Plant and Natural Product Research concluiu que o chá de hibisco age sobre alguns hormônios produzidos pelas glândulas suprarrenais; e ele age potencializando esse hormônios e equilibrando os níveis eletrolíticos do corpo.

Isso sem contar o fato de que a bebida, como foi dito até aqui, é um verdadeiro manancial de antioxidantes, em especial os flavonoides e a quercetina, que são substâncias reconhecidamente protetoras dos órgãos do aparelho urinário, principalmente dos rins, que encontram nelas algumas das suas mais importantes parceiras.

Também os ácidos málico, cítrico, tartárico, ascórbico, entre outros, atuam como excelentes substâncias anti-inflamatórias, que da mesma forma contribuem para manter rins e demais órgãos do aparelho urinário em perfeito estado de funcionamento.

Tudo Sobre Os Riscos Do Consumo, O Cultivo, Nome Científico E as Demais Características Da Flor De Hibisco

Cultivo de Hibisco Branco
Cultivo de Hibisco Branco

Como acontece com toda e qualquer espécie vegetal, os riscos associados à ingestão do hibisco estão relacionados com o seu consumo excessivo.

Como sabemos, o Hibiscus rosa-sinensis é um dos mais poderosos diuréticos naturais que existem. E por isso mesmo o seu consumo excessivo poderá fazer com que você perca quantidades exorbitantes de sais minerais.

Entre eles estão o cálcio, magnésio, cromo, potássio, manganês, entre outras substâncias fundamentais para o funcionamento normal do organismo.

Mas é preciso ter em mente, também, que essa é uma daquelas espécies que acabam sendo prejudicadas em sua constituição quando produzidas de forma industrial.

Nesse caso, ele acaba recebendo doses exageradas de açúcar; o que, obviamente, retira-lhes um dos seus principais trunfos: a capacidade de inibir a produção exagerada de glicose no sangue.

Outra coisa importante a saber sobre o consumo do chá de hibisco é que grávidas e lactantes podem correr riscos ao fazer dele uma companhia diária.

Isso porque determinadas enzimas do hibisco podem comprometer a adequada formação de um embrião no útero, além de produzirem alterações bastante significativas no leite que será oferecido à criança.

O Cultivo Do Hibisco

Pelo mundo afora o hibisco é cultivado como uma espécie rústica, resistente, ornamental e para a extração das suas excelentes propriedades farmacológicas e medicinais.

Por isso mesmo não se espante se em uma dessas aventura pelos demais continentes do planeta não encontrar um exemplar de hibisco com as mais singulares e originais denominações.

Nessas paragens ele poderá ser o Jia pushpa, o sambathoo, o yaloyalo, a china-rose, o jorba, o gudhal, entre centenas de outras denominações que ele recebe em função das suas características físicas, genéticas e biológicas.

Na Malásia, por exemplo, o hibisco é uma flor símbolo do país; da mesma forma como acontece no Havaí, que tem no hibisco um dos símbolos nacionais e uma das mais caras representantes da flora daquele trecho do planeta.

Com relação ao seu cultivo, é bom saber que o hibisco é um arbusto perene, que prefere um cultivo a meia sombra ou a sol pleno; e por isso mesmo é uma das espécies mais comuns (se não a mais) em jardins, praças, canteiros e parques de todo o Brasil.

A planta costuma propagar-se melhor de forma vegetativa; seja pelo método da alporquia ou estaquia; bem como através de mudas que devem ser adquiridas em estabelecimentos bem avaliados e especializados nesse tipo de variedade.

Já o solo para o plantio do hibisco deve ser rico em matéria orgânica, corretamente adubado, facilmente drenado e não tão rígido.

Hibiscos no Vaso
Hibiscos no Vaso

Quanto à irrigação, recomenda-se regas moderadas (mais frequentes nas primeiras semanas do cultivo); ou até mesmo a sua completa suspensão, caso ele tenha sido plantado em regiões onde os regimes de chuvas são abundantes.

Também deve-se evitar o plantio de hibisco em regiões sujeitas a geadas, chuvas muito intensas ou de granizos, temperaturas muito baixas, entre outras condições que certamente comprometerão o desenvolvimento normal da planta.

E outra coisa interessante é que é possível cultivar esses hibiscos por meio de híbridos. Na verdade essa é uma das especialidades dessa variedade de plantas, que é uma das que melhor se prestam à formação de híbridos, pela sua capacidade de dar origem a novas espécies com características bastante diferentes da matriz.

Esses híbridos chamam a atenção pela variedade das suas colorações, formatos bastante originais, além das diferenças de tamanho com as quais eles podem ser encontrados.

Outro detalhe importante são as podas. Como toda espécie arbustiva, são elas que garantem um crescimento saudável e mais vigoroso, além de uma melhor oxigenação, um aspecto saudável e a eliminação de possíveis focos de parasitas e demais micro-organismos patológicos.

Cuidados Com a Planta

Sem dúvida, uma das principais características do hibisco é a sua capacidade de prestar-se bem como “cerca-viva”, renques, maciços, formações arbustivas, entre outras maneiras de servir-se do vigor e da abundância do crescimento dessa planta.

Isso sem contar o fato de que ela floresce durante quase todos os 12 meses do ano, sempre com as suas flores destacadas, dispostas solitariamente em diversos pontos dos ramos; e por isso mesmo bastante apreciada por paisagistas e decoradores de todo o país.

O hibisco geralmente atinge uma altura entre 3 e 5 metros e constitui-se como um arbusto com caules eretos e bastante ramificados, de onde pendem folhas simples, presas por pecíolos, ovaladas, dispostas alternadamente e com uma coloração verde-musgo.

O hibisco não costuma exigir muitos cuidados. Na verdade os poucos cuidados que ele exige é o que configura-se como uma de suas principais características.

No entanto, recomenda-se uma aplicação bimestral de um composto à base de torta de mamona e farinha de osso ao redor da planta. Além de regas diárias durante o verão, e mais espaçadas nos períodos mais frios e chuvosos.

E no mais é só aproveitar o potencial paisagístico e ornamental de uma das espécies mais exuberantes da natureza! Um representante clássico da família das Malvaceaes! E que abriga outras preciosidades, como a malva, o cacau, a paineira, o quiabo, entre inúmeras outras espécies tão ou mais singulares.

Todas elas famosas pelas suas propriedades farmacológicas e alimentícias. Apreciadas em cada rincão de norte a sul, leste a oeste do Brasil. E que impressionam pela facilidade de cultivo e pela forma como espalham-se em abundância quando cultivadas de forma adequada.

Fontes:

https://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/17082-cha-de-hibisco

https://pt.wikipedia.org/wiki/Hibiscus_rosa-sinensis

https://minutosaudavel.com.br/hibisco/

http://www.jardimdeflores.com.br/sinergia/S21hibiscus.htm

http://www.matosdecomer.com.br/2016/05/qual-o-verdadeiro-cha-de-hibisco.html

https://www.jardineiro.net/plantas/hibisco-hibiscus-rosa-sinensis.html

http://www.aplantadavez.com.br/2016/02/hibisco-hibiscus-rosa-sinensis-l_81.html

Veja também

Quais os Males que a Chia Pode Causar?

A chia (nome científico Salvia hispanica L.) é uma semente que vem se tornando bastante …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *