Home / Plantas / Lavandin e Lavanda: Qual a Diferença Entre Elas?

Lavandin e Lavanda: Qual a Diferença Entre Elas?

Antes de analisarmos as principais diferenças entre as variedades lavanda e lavandin, não custa realizarmos uma pequena incursão nesse gênero: o gênero Lavandula.

Essa é a chamada “comunidade das alfazemas” (seu nome popular ou como são conhecidas em algumas regiões da Europa). Uma família que abriga um grupo de espécies tipicamente ornamentais e aromáticas, no qual destacam-se preciosidades como a Lavanda angustifólia, Lavanda inglesa, Lavanda pedunculata, Lavanda viridis, entre outras inúmeras variedades.

Estas configuram-se como espécies arbustivas, perenifólias, que distribuem-se como um verdadeiro “mar de cor lilás”; e de cujas flores, folhas e caules é possível extrair um apreciadíssimo óleo essencial com características antissépticas, bactericidas, aromáticas, entre outras características que as tornam verdadeiras celebridades no universo do segmento de cosméticos.

Porém, no original e exótico segmento da aromaterapia elas também possuem grande representatividade, graças ao seu potencial de levar a estados de sedação, relaxamento e alívio como poucas espécies conseguem fazer nesse cada vez mais surpreendente e enigmático Reino Vegetal.

E é justamente nesse universo que surgem as variedades lavanda e lavandin. A primeira, a nossa tão conhecida alfazema ou Lavandula angustifólia, caracterizada como “Lavanda fêmea”, enquanto a segunda, a Lavanda hybrida, é o resultado de um curioso e providencial processo de polinização.

Lavanda e Lavandin: Principais Diferenças

Nesse universo das lavandas existe também uma variedade conhecida como Lavandula latifólia – a“Lavanda macho”; uma variedade que diferencia-se da angustifólia pelo seu porte mais avantajado, por oferecer um aroma mais encorpado, apresentar arbustos mais imponentes, além de desenvolver-se em regiões de baixa altitude, o que a torna uma variedade bem mais fácil de ser cultivada.

Por meio do essencial e quase mágico processo de polinização efetuado por diversas espécies de pássaros, abelhas, vespas, entre outras comunidades, ambas as variedades (angustifólia e latifólia) unem-se, e dessa união surge o que convencionou-se chamar de “Lavandin” ou Lavandula hybrida.

Uma variedade que caracteriza-se pela sua maior robustez, hastes mais alongadas, resistência a variações de temperatura, alto rendimento, caules, flores e folhas bem mais firmes e resistentes, além da facilidade que demonstra em desenvolver-se em altitudes mais baixas e em pequenas propriedades.

Lavanda e Lavandin Principais Diferenças

O resultado é a produção de um óleo essencial bem mais vigoroso, e que por isso mesmo rende mais; e dessa forma torna-se bem mais viável economicamente.

Isso sem contar a qualidade dos produtos por ela fabricados; variedades de sabonetes, perfumes, hidratantes, sabonetes líquidos, entre diversos outros produtos que, na opinião dos admiradores dessa espécie, em nada deixam a desejar aos fabricados com a lavanda tradicional.

Mas uma forma de diferenciar logo de cara a lavanda do lavandin, é pela observação da estrutura da planta. A lavanda tradicional possui flores mais delicadas, de um lilás característico, além de serem bem menores.

Enquanto o lavandin tem todo o aspecto de uma variedade mais rústica, com tonalidade azul-escuro, visivelmente maior, além de oferecer um perfume bem mais intenso, o que lhe confere ainda mais singularidade.

Além das Diferenças, os Usos que se Pode Fazer da Lavanda e do Lavandin

A principal diferença entre o lavandin e a lavanda parece estar mesmo nas suas características físicas. Um caráter mais rústico e resistente faz com que o óleo essencial da primeira possa ser extraído com maior abundância, além de apresentar-se mais encorpado e com perfume bem mais exuberante.

No mais, elas oferecem praticamente os mesmos benefícios:

1.Um Antisséptico Natural

Ambas constituem-se como excelentes antissépticos naturais, comumente utilizadas para o combate a caspas, piolhos, seborreias, eczemas, entre outras moléstias que possam ser combatidas por essas suas propriedades.

E para tal, basta fazer um uso tópico do seu óleo natural e aguardar pelos resultados, que geralmente ocorrem em poucos dias.

2.Uma “Estrela” da Aromaterapia

O que se diz é que o termo “aromaterapia” teria surgido a partir da descoberta que se fez dos benefícios de um tratamento à base do aroma específico das lavandas, e que só depois esse termo passou a designar um conceito mais amplo – da especialidade propriamente dita.

Por meio da inalação, massagens, banhos, entre outra técnicas, é possível, de acordo com os especialistas, estimular determinadas regiões do cérebro ligadas à dor, memória, emoções, entre outras.

3.O Setor de Cosméticos

O setor de cosméticos talvez seja o que mais se beneficia com a capacidade da lavanda e do lavandin (à parte as suas diferenças) de conferir um perfume às composições, em especial aos sabonetes, shampoos, sabonetes líquidos, hidratantes, e onde quer que se deseje conferir um perfume inconfundível.

Diversos estudos ainda comprovam a importância das fragrâncias para a compra de um determinado produto; fragrâncias que muitas vezes remetem à infância ou a determinados períodos da vida cuja “trilha aromática” tem nas lavandas um dos seus principais personagens.

4.Um Chá de Lavanda

Ambas as variedades (lavandin e lavanda ) também são bastante apreciadas na forma de infusões. E aqui, mais uma vez, entram as suas excelentes propriedades antissépticas, bactericidas, cicatrizantes e antimicrobianas, que vão bem no combate a distúrbios respiratórios, para a eliminação de catarros, combate a transtornos digestivos, entre outras ações.

Para aproveitar-se dos excelentes benefícios do chá de lavanda, proceda da seguinte maneira:

Ferva um litro de água, acrescente 1 colher de sopa de flores, caules ou folhas secas de lavanda e abafe por 10 minutos. Deixe amornar, coe e beba duas xícaras por dia.

5.Um Cicatrizante e Anti-Inflamatório Natural

Como pudemos perceber até aqui, a lavanda e o lavandin possuem mais semelhanças do que diferenças entre elas. Um exemplo disso é a capacidade que ambas possuem de acelerar o processo de cicatrização de pequenos cortes e ferimentos apenas com a aplicação diária do seu óleo essencial sobre o trauma.

Já a infusão das ervas é capaz de combater diversos tipos de inflamações das vias respiratórias. Enquanto as massagens dos seus óleos essenciais têm demonstrado ótimos resultados no combate à alopecia, bem como no tratamento de acnes, manchas, espinhas, entre outras afecções que possam ser combatidas com a ajuda das suas propriedades anti-inflamatórias.

Por fim, e não menos importante, sabe-se que a capacidade que ambas as variedades (lavandin e lavanda) possuem de agir sobre a química cerebral lhes confere um potencial estimulante da libido, capaz de dar mais cor a um relacionamento, ativar determinadas regiões cerebrais adormecidas, entre outros benefícios do potencial estimulante apresentado pelos seus óleos essenciais.

Esse artigo foi útil? Tirou as suas dúvidas? Tem algo que queira acrescentar? Faça-o por meio de um comentário. E nos ajude a aprimorar, ainda mais, os nossos conteúdos.

Veja também

Como Fazer Máscara de Abacate Para o Rosto? Para Que Serve?

Enquanto muitas pessoas sabem sobre os benefícios de saúde do abacate, uma máscara facial de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *