Home / Natureza / Bambu Negro: Características, Como Cultivar e Fotos

Bambu Negro: Características, Como Cultivar e Fotos

O bambu negro é uma espécie de bambu nativa do Oriente, mais especificamente da China e do Japão, onde é usado amplamente no mercado industrial para produção de variados itens de uso humano, como mesas, cadeiras, bengalas, cabo de guarda-chuvas, instrumentos musicais e inúmeros outros móveis e acessórios.

O bambu negro também é amplamente cultivado em jardins e quintais no intuito de ornamentação, pois sua beleza é única e confere um ar único ao ambiente, com seu caule largo, alto e retilíneo, sem contar com a cor, incomum quando se trata de espécies de bambus.

O bambu negro, apesar do nome, muda de cor tenuamente ao decorrer de sua velhice. Enquanto está crescendo, o bambu é inteiramente verde, e o preto se torna predominante na juventude da planta, mas quando adquire cerca de 10 anos de vida, o bambu começa a possuir tons de roxo e azul-escuro, fator esse que se torna determinante para distinguir um bambu novo e um bambu velho.

O bambu negro também é uma espécie de bambu muito comum em quintais e jardins do Oriente pelo fato dele ser uma espécie de bambu menos invasiva, diferente de outras espécies, que precisam ter seus rizomas e raízes controladas de forma árdua para não invadirem áreas além dos limites possíveis de um jardim ou quintal, sendo possível até mesmo de provocar alterações na elevação do solo.

Principais Características do Bambu Negro

O bambu negro (Phyllostachys nigra) é um bambu que pode crescer até 25 metros de altura e é muito mais comum na China e no Japão, porém, a espécie tem sido amplamente cultiva nas Américas, principalmente na América do Norte. Existe uma variação de sua espécie que cresce menos e pode ser usada até mesmo dentro de casa, assim como o bambu-mossô.

As folhas do bambu são inteiramente verdes, mas elas podem ficar mais escuras pendendo para o marrom se não forem cuidadas propriamente, o que pode acontecer através do excesso de água ou de um solo impróprio para o desenvolvimento do mesmo.

A coloração da folha é um fator crucial para identificar o estado de saúde da planta, que pode ser recuperado a tempo.

O bambu negro faz parte do gênero Phyllostachys, fazendo parte de uma lista de 49 espécies conhecidas.

  1. Phyllostachys acuta 
Phyllostachys Acuta
  1. Phyllostachys angusta
Phyllostachys Angusta
  1. Phyllostachys arcana
Phyllostachys Arcana
  1. Phyllostachys atrovaginata
Phyllostachys Atrovaginata
  1. Phyllostachys aurea
Phyllostachys Aurea
  1. Phyllostachys aureosulcata
Phyllostachys Aureosulcata
  1. Phyllostachys bambusoides
Phyllostachys Bambusoides
  1. Phyllostachys bissetii
Phyllostachys Bissetii
  1. Phyllostachys carnea
Phyllostachys Carnea
  1. Phyllostachys circumpilis
Phyllostachys Circumpilis
  1. Phyllostachys dulcis
Phyllostachys Dulcis
  1. Phyllostachys edulis
Phyllostachys Edulis
  1. Phyllostachys elegans

  1. Phyllostachys fimbriligula
Phyllostachys Fimbriligula
  1. Phyllostachys flexuosa
Phyllostachys Flexuosa
  1. Phyllostachys glabrata
Phyllostachys Glabrata
  1. Phyllostachys glauca
Phyllostachys Glauca
  1. Phyllostachys guizhouensis
Phyllostachys Guizhouensis
  1. Phyllostachys heteroclada
Phyllostachys Heteroclada
  1. Phyllostachys incarnata
Phyllostachys Incarnata
  1. Phyllostachys iridescens 
Phyllostachys Iridescens
  1. Phyllostachys kwangsiensis
Phyllostachys Kwangsiensis
  1. Phyllostachys lofushanesis
Phyllostachys Lofushanesis
  1. Phyllostachys mannii
Phyllostachys Mannii
  1. Phyllostachys meyeri
Phyllostachys Meyeri
  1. Phyllostachys nidularia
Phyllostachys Nidularia
  1. Phyllostachys nigella
Phyllostachys Nigella
  1. Phyllostachys nigra
Phyllostachys Nigra
  1. Phyllostachys nuda
Phyllostachys Nuda
  1. Phyllostachys parvifolia 
Phyllostachys Parvifolia
  1. Phyllostachys platyglossa
Phyllostachys Platyglossa
  1. Phyllostachys prominens
Phyllostachys Prominens
  1. Phyllostachys propingua
Phyllostachys Propingua
  1. Phyllostachys rivalis
Phyllostachys Rivalis
  1. Phyllostachys robustiramea 
Phyllostachys Robustiramea
  1. Phyllostachys rubicunda
Phyllostachys Rubicunda
  1. Phyllostachys rubromarginata
Phyllostachys Rubromarginata
  1. Phyllostachys rutila
Phyllostachys Rutila
  1. Phyllostachys shuchengensis
Phyllostachys Shuchengensis
  1. Phyllostachys stimulosa
Phyllostachys Stimulosa
  1. Phyllostachys sulphurea
Phyllostachys Sulphurea
  1. Phyllostachys tianmuensis
Phyllostachys Tianmuensis
  1. Phyllostachys varioauriculata
Phyllostachys Varioauriculata
  1. Phyllostachys veitchiana
Phyllostachys Veitchiana
  1. Phyllostachys verrucosa 
Phyllostachys Verrucosa
  1. Phyllostachys violascens
Phyllostachys Violascens
  1. Phyllostachys virella
Phyllostachys Virella
  1. Phyllostachys viridiglaucescens
Phyllostachys Viridiglaucescens
  1. Phyllostachys vivax
Phyllostachys Vivax

Aprenda a Como Cultivar o Bambu Negro

Bambus são plantas extremamente cultuadas e por esse motivo são cultivadas em todas as partes do mundo, pois são formidáveis em qualidade, oferecendo inúmeras possibilidades de usos, que vão desde a culinária, passam pela construção civil e chegam até mesmo na medicina.

Além de tudo, o bambu é uma planta que oferece a maior taxa de crescimento de toda a natureza, por isso seu cultivo se torna prático e de bastante retorno.

O bambu também é tão maleável e forte que, dependendo da espécie, pode ser plantado em vasos e canteiros, assim como podem ser criados em larga escala em milhares de metros quadrados.

O bambu é um tipo de planta que prefere climas temperados como o do Brasil, mas ainda assim consegue se desenvolver em áreas de clima frio e até mesmo com temperaturas negativas agressivas, onde muitas outras plantas não são capazes de crescer.

Abaixo, aprenda os principais passos para que o bambu negro cresça e se desenvolva:

  • Solo e local: o bambu negro é um tipo de planta que precisa de um solo seco e muito bem nutrido, pois ele necessita de muitos elementos para poder se desenvolver plenamente. Evite áreas onde haja muita sombra e umidade, principalmente áreas que ficam alagadas em temporadas de chuva, pois isso facilmente apodrece o caule.
  • Represas: o bambu é um tipo de planta que pode se tornar invasivo. Isso ocorre pelo fato de que seu crescimento pode fugir do controle, onde suas raízes podem crescer sem parar, pois o rizoma leptomorfo possui essa características. Com isso em mente, ao se plantar o bambu negro, é necessário criar barreiras resistentes por dentro da terra, para dessa forma limitar a expansão futura do rizoma e assim controla-lo para o mesmo não fugir para locais indevidos e acabar até mesmo prejudicando o quintal ou o jardim.
  • Proteção: o broto de bambu é um grande aperitivo para ratos, e no Oriente, por exemplo, as plantações de bambus são constantemente atacadas pelo mesmo, e em tais locais existem expedições só para caçar e eliminar tais ratos, onde muitos são ainda aproveitados na culinária de alguns Países asiáticos. Portanto, é necessário usar venenos naturais ao redor do bambu para evitar que ratos cheguem perto.
  • Manutenção: o bambu negro é um tipo de bambu que não exige regas constantes, por isso é indicado que haja a rega apenas duas vezes na semana. Lembre-se de que não é indicado molhar a planta toda, apenas o solo e a base dos troncos.
  • Exposição: o bambu negro pode ser plantado em áreas bastante ensolaradas ou à meia-sombra, onde exista uma intermitência durante os períodos de sol, não abstendo-o a áreas com sombras densas e constantes.
  • Tempo: o tempo estimado de crescimento do bambu é cerca de 1 a 2 metros por ano, e o mesmo se espalha e cresce sua raiz para os lados por cerca de 2 metros por ano também. Por isso a demanda por um controle manual.
  • Poda: a poda do bambu negro não é indicada, mas muitas pessoas realizam para que o mesmo fique em tamanhos menores e se adequem a viver em vasos. A poda pode ser realizada, mas se for feita de maneira errada pode levar a planta à morte.

Acompanhe alguns outros posts aqui no site Mundo Ecologia sobre os bambus e suas curiosidades:

Veja também

Qual a Importância dos Corais para o Meio Ambiente?

Famosos nos documentos de vida marinha, os corais são animais cnidários, pertencentes à classe taxonômica …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *