Home / Animais / Tudo Sobre a Raça Buldogue: Características e Fotos

Tudo Sobre a Raça Buldogue: Características e Fotos

A história dessa raça de cães buldogue (ou buldogue-inglês) é uma das mais singulares dentro dessa não menos singular comunidade dos canídeos.

Basta saber, por exemplo, que, ao que tudo indica, a intenção inicial com a criação desse animal foi a de obter uma raça capaz de participar de um antigo jogo, bastante sangrento, que consistia na perseguição de cães a diversos touros, até que conseguissem abatê-los, e, dessa forma, levar ao êxtase uma plateia ensandecida.

No entanto, as origens dos buldogues ainda são cercadas por inúmeras polêmicas e controvérsias; e por isso não se pode afirmar com 100% de certeza até onde elas remontam.

Porém, o que parece ser um consenso é que a partir do séc. XIII uma raça de cães de pequeno porte, baixinha, atarracada e com cara de poucos amigos, era utilizada na Inglaterra como atração principal de um jogo apelidado de “bull-baiting”, que consistia num embate entre cães e touros, até que esses últimos (por mais incrível que possa parecer) fossem subjugados pelos cães.

O que se diz é que as apresentações eram um deleite! Um verdadeiro sucesso de público! As pessoas se acotovelavam para contemplar o espetáculo! E ainda com a vantagem, segundo consta, de adquirirem, ao final do evento, a carne do animal morto convenientemente amaciada e preparada para o consumo.

O tempo passou e esse costume foi sendo deixado de lado. No entanto, os buldogues-ingleses, muito por conta das características que podemos observar nessas fotos, acabaram caindo definitivamente no gosto popular.

Raça Buldogue

E hoje em dia eles constam nessa lista onde estão as raças de cães mais apreciadas como companhia, devido ao seu porte discreto, personalidade brincalhona, temperamento afável, entre outras características consideradas essenciais em um cão para esse fim.

Uma Raça com uma Origem das mais Singulares

Como dissemos, tudo o que se sabe sobre as origens da raça de cães buldogue é que elas são um verdadeiro mistério.

Porém, a versão mais aceita dá conta de que os seus ancestrais mais próximos seriam os “Alanos” ou “Alaunts”; uma raça de grande porte, originária da Europa e da Ásia Central, e que era bastante utilizada para a caça e captura de animais de grande porte.

Ursos, porcos-do-mato, javalis, entre outras espécies nem um pouco fáceis de dominar, eram perseguidas tenazmente por esses alanos, que acabavam configurando-se como um dos principais pesadelos desses animais quando os cães eram postos em ação.

Mas foi somente após vários processos de cruzamentos que surge, finalmente, os famosos “buldogues-ingleses”; uma forma aportuguesada para “cães touros”; um apelido que eles receberam, obviamente, em função da sua antiga profissão e dos seus aspectos físicos dos mais singulares dentre todas as raças atualmente descritas.

Consta que essa função para a qual os buldogues foram criados foi extinta por volta dos anos 30 do séc.XIX; e a partir de então, o destino desses animais foi o do mais total e completo esquecimento.

Não havia mais touros para combater, feras indomáveis para derrubar e nem mais os aplausos e gritos enlouquecidos de uma plateia que os tinha como verdadeiras celebridades.

Agora os buldogues não passavam de cães comuns perambulando de um lado para o outro, e de um lado para outro, sem a menor serventia.

Desprestigiados, quase foram levados à completa extinção se não fossem os famosos concursos e exposições de cães em meados do séc. XIX na Inglaterra, que trataram de resgatar o seu prestígio e novamente erguê-los ao patamar de uma espécie de “celebridade canina”.

No entanto, para que se adequassem melhor a essa nova realidade, os buldogues-ingleses tiveram que passar por novas e elaboradas fases de cruzamentos e manipulações, que resultaram na criação de uma raça bem menor, com um tórax mais avantajado, e já com o focinho (e o rosto em geral) com as características que os tornaram famosos no mundo todo.

O Destino Como Cães de Companhia

Só que, nem de longe, a história desses buldogues resume-se ao seu sucesso e fracasso como combatentes.

Na verdade, como dissemos, eles tiveram que passar por diversos processos de cruzamentos que foram determinantes para que atingissem a altura máxima atual de não mais do que 30 ou 40 cm.

Porém esse foi um trabalho cercado por inúmeras polêmicas e controvérsias, já que acabou por dificultar até mesmo a execução dos processos reprodutivos desses cães; algo que só pôde ser corrigido com a ajuda de criadores apaixonados; indivíduos verdadeiramente abnegados e dispostos a ajudá-los durante a cópula e as demais fases dos seus períodos reprodutivos.

Até hoje algumas características dos buldogues os impedem de viver uma rotina 100% saudável.

Já se sabe, por exemplo, que a constituição dos seus focinhos dificulta consideravelmente a respiração desses animais; e até mesmo o adequado resfriamento dos seus corpos.

Enquanto isso, por parte das fêmeas, o problema sempre esteve ligado às dificuldades (hoje corrigidas) que elas apresentavam durante o parto, pois as suas constituições físicas impediam a adequada movimentação das suas estruturas ósseas para a passagem do filhote.

Era uma dificuldade que costumava resultar em uma baixíssima taxa de natalidade entre os buldogues-ingleses até o início do séc. XX; algo que só foi finalmente resolvido (mais uma vez) a partir de cruzamentos e de manipulações genéticas para fins de melhoramento da raça.

A Natureza de um Combatente

Sem dúvida, desde o início, a intenção dos criadores sempre foi a de produzir uma raça de cães forte, resistente, insensível à dor, com uma estrutura óssea capaz de resistir a todo o tipo de abalo, além de ágeis, persistentes e corajosos – como um verdadeiro “caçador de touros” deveria ser.

E ao que tudo indica o objetivo foi alcançado, pois até meados dos anos 30 (do séc. XIX) os buldogues-ingleses eram considerados caçadores incomparáveis, chegando ao ponto de serem utilizados também para o combate a ursos; como uma das principais curiosidades que só mesmo no seio dessa comunidade dos buldogues podemos encontrar.

Só que o tempo passou, e, como dissemos, tornou-se algo condenável a utilização desses animais em combates; e por isso o destino teria que reservar outras funções para esses animais.

E tudo o que se sabe sobre as funções dos buldogues-ingleses a partir dali, é que eles ainda teriam que passar por novos e elaborados processos de manipulações genéticas ao longo de suas trajetórias.

E o objetivo era bem simples: por meio desses cruzamentos, eliminar ao máximo essa característica de ferocidade dos cães, e deixar apenas os seus aspectos físicos (considerados extravagantes), que se tornariam a marca registrada desses animais.

Felizmente o empreendimento acabou dando certo! Os buldogues-ingleses acabaram adquirindo todas as características de um típico cão de companhia!

Eles tornaram-se dóceis, afáveis, espertos, brincalhões…de feroz mesmo só sobrou a fisionomia carrancuda.

E o restante da história todos já conhecem! Eles tornaram-se espécies de símbolos da Inglaterra (devido à rigidez da sua postura) e um dos cães de companhia mais exóticos e admirados em todo o mundo.

E ainda como uma das raças favoritas no universo dos desenhos animados, das produções cinematográficas, do segmento dos quadrinhos, e onde quer que se quisesse aproveitar-se dos aspectos mais exóticos que podem brotar do seio dessa comunidade dos canídeos.

Tudo Sobre o Temperamento dos Buldogues

Como explicamos até aqui, uma das principais características dos buldogues, como podemos observar nessas fotos, é esse seu aspecto extravagante e não comparado ao de nenhuma outra raça dentro dessa imensa família que abriga as mais singulares e exuberantes raças de cães.

Mas eles também não deixam de chamar a atenção pelas suas personalidades! E com relação a elas, o que se sabe é que eles estão entre as raças mais brincalhonas e amáveis dentre todas as que conhecemos nos quatro cantos do mundo.

Mas a coisa não fica só nisso! Os buldogues também estão entre os mais possessivos, geniosos e teimosos! Isso sem contar a preguiça, outra das suas marcas registradas, que faz com que as sessões de adestramentos devam fazer parte da rotina desse animal desde os primeiros meses do seu nascimento.

Porém, à parte essas peculiaridades, o que podemos afirmar é que essa é uma raça das mais sociáveis que existem. Eles convivem facilmente com crianças e idosos. Toleram bem a presença de estranhos e visitas. E ainda são bastante silenciosos e nem um pouco afeitos a uma jornada inteira de uivos e latidos, como é tão comum em outras raças de cães de pequeno e médio porte.

Características

Na verdade a história dos buldogues é de transformações constantes em sua personalidade. Por isso poucas raças apresentam diferenças tão marcantes entre a sua origem e o seu estado atual como esses cães.

O que se diz é que a ferocidade era a grande marca dos cães buldogues; algo que tornou-se impensável nos dias atuais, já que agora a amabilidade talvez seja a sua principal característica.

Os buldogues já tiveram que combater, como dissemos, contra touros, ursos e contra eles mesmos (em rinhas sangrentas). Mas chega a ser curioso notar a capacidade dos processos de cruzamentos de produzir raças totalmente novas em seus aspectos biológicos.

Basta saber, por exemplo, que os buldogues não toleram viver em canis – um ambiente que era a principal casa desses animais lá pelos idos do séc. XIX.

Buldogues Características

E de uma raça extremamente avessa a invasores, agora o que temos é um animal incrivelmente tolerante a outros cães (e a outros animais domésticos) – uma qualidade apreciadíssima num cão de companhia, e que faz os buldogues serem ainda mais amados e admirados em todo o mundo.

Realmente chama bastante atenção nos buldogues, além das características que podemos observar nessas fotos, o fato de que os inúmeros processos de cruzamentos pelos quais eles passaram foram capazes de produzir um animal tão diferente do seu original.

É incrível notar como uma raça outrora agitada, disposta, capaz de passar horas e mais horas em uma exigente caminhada nos ambientes mais hostis, além de ansiosa por um duro combate com os rivais mais assustadores do planeta, acabou por tornar-se preguiçosa e indisposta como poucas!

Saiba que o seu buldogue não terá nenhuma disposição para acompanhá-lo em disputas esportivas, em longas caminhadas, torneios, passeios, trilhas e maratonas! Tudo o que ele irá desejar mesmo será uma boa jornada de descanso; e esteja certo de que um bom sofá, macio e convidativo, será tudo de que ele precisará para ser feliz em sua companhia.

É, verdadeiramente, uma das trajetórias mais incríveis proporcionadas pelos processos de cruzamentos aos quais se submete uma raça. Que foi capaz de alterar completamente a sua personalidade, mas sem, curiosamente, alterar em praticamente nada os seus aspectos físicos mais característicos.

Uma Raça Cheia de Peculiaridades!

Sim, essa é uma raça repleta de peculiaridades! Sabemos, por exemplo, que a sua constituição facial (especialmente a das suas narinas) a tornou extremamente propensa a problemas de ordem respiratória, especialmente em épocas mais quentes e com alta umidade, quando a resistência desses animais diminui acentuadamente.

E tudo o mais que se sabe sobre essas especificidades da raça buldogue, é que eles também não toleram o calor excessivo. Eles agradecem por não serem exigidos em investidas no ambiente externo da casa nesses períodos; e se o interior for bastante ventilado eles não precisarão de mais nada para serem felizes.

Como uma curiosidade acerca da personalidade desses buldogues, chama bastante a atenção o fato de eles, apesar das transformações pelas quais passaram, ainda guardarem algumas reminiscências ancestrais, como o gosto por morder, rasgar e mastigar tudo o que veem pela frente.

E se essa é uma característica que você, obviamente, não aprecia em um cão, saiba que terá que, desde cedo, abastecê-los com objetos e brinquedos que possam morder, mastigar e fazer em pedaços; e com isso você evita que os pés de mesas e cadeiras, bases de sofás, plantas, entre outros objetos, sejam tão atraentes.

Descrição

A raça de cães buldogue encontra-se entre aquelas que são consideradas inconfundíveis logo à primeira vista.

Na presença de um buldogue ninguém precisará perguntar de que raça se trata, graças àquele seu porte atarracado, cara de “poucos amigos”, bochechas caídas, queixo levantado, entre outras características não encontradas em nenhuma outra raça.

Mas, como um padrão, sabemos que um buldogue deverá possuir narinas de cor preta e bastante destacada. O focinho deverá ser, necessariamente, achatado, amplo, voltado para cima, e ainda com dentes proeminentes em relação ao conjunto do rosto.

Um buldogue padrão geralmente apresenta uma pelagem fina, curta e lisa. E a cor dessa pelagem pode ser fulva, amarronzada, malhada, fuligem, entre outras colorações que formem um todo único – sem variações muito aparentes.

Um macho da raça buldogue geralmente pesa entre 20 e 25kg, enquanto uma fêmea dificilmente ultrapassa os 18 ou 22kg. E com realação à altura, o que se sabe é que uma raça de buldogues-ingleses pode atingir entre 30 e 40 cm de altura na cernelha.

Tudo Sobre a Saúde dos Buldogues

Dentre as principais características dos buldogues, além das que podemos observar nessas fotos, está o fato de eles serem animais bastante suscetíveis a distúrbios respiratórios, muito por causa da conformação das suas narinas, resultado dos diversos processos de cruzamentos pelos quais eles foram submetidos.

Esses processos resultaram, entre outras coisas, no visível achatamento dos seus focinhos; o que acabou por torná-los vulneráveis a transtornos como a “hipertermia” – um distúrbio caracterizado pela elevação da temperatura do organismo devido à precariedade da sua ventilação e da dissipação do calor.

Buldogues Saudaveis

Displasia coxofemoral e de cotovelo, problemas durante o parto (devido à conformação da estrutura óssea da região dos quadris), transtornos nas articulações, doenças de pele e olhos (ressecamento), problemas nos joelhos, patas e ombros também estão entre as principais doenças que acometem os cães buldogues, especialmente quando atingem a velhice.

E tudo isso acaba por torná-la uma das raças que mais requerem cuidados com relação à atividades físicas, higiene, visitas regulares ao veterinário, alimentação, entre outros cuidados que, negligenciados, tornam essa raça uma das mais propensas ao desenvolvimento de doenças.

Cuidados Específicos

Por ser uma raça, como dissemos, bastante propensa a doenças, recomenda-se bastante atenção sobre algumas das principais afecções que a acometem, entre as quais:

1.Distúrbios Respiratórios

Os distúrbios respiratórios estão entre os principais transtornos que podem atingir essa raça de cães. E aqui, o “transtorno braquicéfalo” (uma anomalia das vias respiratórias) está entre os distúrbios mais comuns.

A doença geralmente manifesta-se por meio de uma respiração ruidosa, com roncos constantes, dificuldades de respiração e alterações na coloração das mucosas (que costumam adquirir uma tonalidade meio azulada).

E isso é o resultado de anomalias nas vias respiratórias do animal, muito por conta da sua conformação, volume e distribuição dentro de uma caixa craniana já suficientemente grande.

O tratamento geralmente é feito por meio de broncodilatadores, anti-inflamatórios e cirurgias. E no caso de demora no reconhecimento e tratamento da doença, o animal deverá apresentar seríssimos danos no seu organismo em função da má oxigenação dos seus órgãos internos.

2.Problemas de Visão

Outra característica marcante dos buldogues-ingleses são os problemas oculares que os acometem, especialmente durante a fase de idosos.

A sensibilidade que eles apresentam nesse órgão faz com que possam ser acometidos de transtornos como o “ectrópio”, que consiste na exposição da parte interna das pálpebras do animal; o que acaba resultando no ressecamento dos olhos e em outros problemas.

Outro distúrbio de visão também bastante comum em cães buldogues idosos é o “entrópio”.

Este, diferentemente do ectrópio, consiste no contato dos cílios com o globo ocular; o que acaba provocando irritação, vermelhidão e processos inflamatórios que só podem ser debelados por meio de uma cirurgia.

Buldogue com Problemas de Visão

E tudo o mais que se sabe sobre as principais doenças oculares nessa raça de cães buldogues é que eles também são bastantes propensos a desenvolver uma moléstia conhecida como “ceratoconjuntivite”.

A doença é uma lesão do globo ocular, com consequente inflamação de diversas partes do órgão.

Córnea, glândulas lacrimais e a conjuntiva costumam ser as partes mais suscetíveis a inflamações, que manifestam-se por meio de ressecamento, vermelhidão, secreções, e até mesmo da formação de feridas na córnea.

Detectado o transtorno, o veterinário geralmente recomenda a administração de colírios, anti-inflamatórios, antibióticos, ou, nos casos mais graves, a cirurgia.

3.Problemas de Cotovelo e Quadril

Além das características que podemos observar nessas fotos, os cães buldogues também são conhecidos por apresentarem distúrbios de quadril e cotovelo com o avançar da idade.

A displasia coxofemoral, por exemplo, é bastante comum. E ela caracteriza-se por uma degeneração das articulações que unem o quadril e o fêmur; o que geralmente faz com que o cão comece a coxear com a idade, além de sofrer com muitas dores nessa região.

Esse, como se sabe, é um daqueles transtornos resultantes dos inúmeros processos de cruzamentos pelos quais algumas raças são submetidas ao longo das suas existências; e, diferentemente do que se imagina, não está necessariamente ligado ao porte avantajado de um cão.

Outra coisa importante a saber sobre a saúde dos buldogues, é que, assim como ocorre com os quadris, a estrutura óssea dos cotovelos também pode degenerar com o passar do tempo; e nesse caso, as diversas fases de crescimento do animal é o que acaba por acentuar essa deformidade, geralmente debelada por meio de tratamentos ortopédicos, e até mesmo uma cirurgia.

Por isso, 10 entre 10 veterinários recomendam a prática diária (ao menos 1 hora por dia) de exercícios físicos na rotina desses cães buldogues. Exercícios que podem consistir em uma simples caminhada, ou mesmo atividades mais intensas, elaboradas por treinadores e adestradores de cães reconhecidamente profissionais.

4.Distúrbios de Pele

A raça de cães buldogue também costuma se ver às voltas com problemas de pele. E aqui, o distúrbio está geralmente relacionado com deficiências imunológicas, às quais essa raça costuma ser bastante suscetível.

Como resultado, um desencadeamento de respostas imunológicas na forma de alergias, que manifestam-se por meio de feridas, erupções, coceira, vermelhidão, entre outros sintomas que precisam ser combatidos a tempo.

O tratamento desses transtornos de pele, por razões de deficiência imunológica nos cães, costuma ser feito à base de anti-inflamatórios, anti-histamínicos, analgésicos, corticoides, entre outras intervenções prescritas pelo veterinário, que é o profissional capaz de determinar o tipo de alérgeno causador do distúrbio.

A Personalidade da Raça de Cães Buldogue

Sem dúvida, uma das principais ferramentas das quais todo e qualquer criador dessa raça deverá lançar mão são os treinos e sessões diárias de adestramentos.

Isso porque estamos falando de uma das raças de cães mais geniosas de que se tem notícia; um tipo que dificilmente irá aceitar comandos e receber ordens, a menos que sejam disciplinados desde a fase de filhotes.

Eles não são agressivos. Na verdade um buldogue-inglês chama a atenção logo de cara pelo seu temperamento brincalhão e tolerante.

No entanto, como uma reminiscência de um passado onde eles eram terríveis combatentes de feras com até 20 vezes o seu peso, pode acontecer de eles apresentarem um comportamento arredio, especialmente com estranhos.

Portanto, os treinos diários e em períodos curtos serão indispensáveis para a manutenção dessa raça nas melhores condições possíveis, além de torná-los mentalmente saudáveis e dispostos, como dever ser o normal nessa raça de cães.

Um Cão e as Suas Singularidades!

A raça de cães buldogue é cheia de singularidades! Basta lembrarmos, por exemplo, que eles são os melhores amigos das crianças.

Na verdade elas os fazem de “gato e sapato”; enquanto eles, impassíveis, apenas se submetem aos pequenos, que se divertem com o aspecto originalíssimo desses animais.

Apesar disso, saiba que os cães buldogues não são daqueles que costumam correr, saltar e pular durante praticamente um dia inteiro – como é comum com algumas raças; especialmente as de grande porte.

Pelo contrário! O mais certo é que eles se mostrem bastante preguiçosos e indispostos a brincadeiras durante o dia; o que acaba sendo uma vantagem em alguns casos, principalmente pelo fato de também não serem afeitos a longos períodos de latidos insuportáveis.

Outra coisa a saber sobre tudo que diz respeito ao temperamento da raça de cães buldogue, é que eles podem, em alguns casos, demonstrar uma fúria incontrolável sobre tudo o que se assemelhe a um pé de mesa ou cadeira, vasos de plantas, brinquedos, almofadas e todo o tipo de artefato que pareça convidativo.

Por isso, mais uma vez, recomenda-se o adestramento desde cedo. Assim, você evita, por exemplo, chegar em casa e deparar-se com móveis mastigados, colchões dilacerados, plantas estraçalhadas e tudo o mais que possa ser vítima do seu instinto ancestral típico de um “derrubador de touros” sem igual!

Principais Diferenças Entre os Tipos de Buldogues

Muitos se dizem surpresos ao saber que o buldogue-inglês é apenas uma das diversas variedades dessa raça. E no Brasil podemos encontrar com maior facilidade as variedades buldogue-inglês, francês, americano e campeiro – com um especial destaque para as duas primeiras; as mais populares e mais apreciadas como companhia.

1.Buldogue Francês

Sim, há também um representante dessa raça buldogue vinda diretamente da terra de Napoleão Bonaparte.

São os buldogues-franceses; uma variedade com as mesmas características do inglês (focinho achatado, corpo atarracado e robusto, pelo liso e fino), no entanto, com um diferencial bastante marcante na conformação das suas orelhas, que são eretas, pontudas e bastante volumosas.

O buldogue-francês costuma ser mais agitado, cheio de energia e bastante afeito a fazer dos móveis da casa deliciosas refeições.

Buldogue Francês

Mas nada que não possar ser evitado caso você leve a sério as sessões de adestramento desde o período de filhotes; que é o que garante que eles não desenvolvam tais características.

Na verdade, criados com sessões diárias de adestramentos, eles irão desenvolver características apreciadíssimas, como o hábito de realizar as suas necessidades fisiológicas no local correto; atender a comandos de sentar, levantar, seguir, parar, etc.; e até mesmo algumas acrobacias e peripécias que costumam surpreender até mesmo os já bastante familiarizados com essa raça.

2.Buldogue Inglês

Esse é o clássico entre os buldogues! Para muitos, o original! Mas, para outros, apenas e tão somente uma das variedades mais apreciadas como pet e animal de companhia.

Como dissemos, são alguns detalhes físicos que o diferenciam dos demais. E talvez o mais marcante esteja nas suas orelhas que, diferentemente das do buldogue-francês, são diminutas e bastante arqueadas.

Mas os buldogues-ingleses também podem ser identificados por possuírem um crânio mais quadrado e um rosto composto por várias dobras. Isso sem contar o fato de ser mais preguiçoso e indisposto – o que ele gosta mesmo é de exercitar-se durante o dia inteiro num belíssimo sofá macio, confortável e acolchoado.

3.Buldogue Campeiro

Mais uma vez, as características físicas tratam de diferenciar as diversas variedades de cães buldogues.

E no caso do campeiro, o que chama a atenção é o seu porte físico (maior do que o dos outros dois citados acima), além de possuir um crânio mais arredondado, orelhas arqueadas e olhos bem mais discretos.

Buldogue Campeiro

E tudo o mais que se sabe sobre essa raça de cães buldogue, é que ela é mais disposta, valente e corajosa. Por isso o buldogue-campeiro costuma ser apreciado também como um excelente cão de guarda (uma verdadeira singularidade), capaz de assustar logo de cara pela sua expressão de “poucos amigos”

4.Buldogue Americano

Como podemos observar nessas fotos, as características do buldogue-americano se assemelham bastante à das demais variedades citadas até aqui.

Mas ele torna-se inconfundível mesmo é quando o assunto é tamanho, já que é o maior dentre todos, além de também possuir um rosto mais para o arredondado, maxilar bastante destacado, muito mais dobras na pele e orelhas com um tamanho mediano e arqueadas.

Essa é outra daquelas variedades mais dispostas e energéticas. E diferentemente do inglês, costuma ser uma excelente companhia para atividades físicas, passeios, jogos, trilhas, caçadas, entre outras atividades que requeiram uma companhia bastante ativa e agitada.

Principais Curiosidades da Raça de Cães Buldogue

Ninguém duvida que os aspectos físicos são o que mais chamam a atenção nessa raça.

Fruto de diversos processos de cruzamentos com o objetivo de retirar-lhes os aspectos de ferocidade, os buldogues chegaram até os nossos dias como uma das raças mais exóticas e incomuns dentre todas as que são atualmente conhecidas.

E dentre as suas principais curiosidades, podemos destacar:

1.Foi um exímio “derrubador de touros”

Consta que os buldogues foram produzidos para objetivos nem um pouco louváveis.

A intenção era a de criar animais que fossem capazes de derrubar touros em terríveis competições, que eram o deleite para uma plateia da Inglaterra do séc. XIII.

Buldogue Derrubador de Touros

Muito tempo passou, mas, ao que tudo indica, a sina desses cães buldogues continuou sempre a mesma; e na falta de touros, foram os ursos que se tornaram os inacreditáveis adversários desses cães; logo após substituídos por cães de outras raças; até serem utilizados em rinhas de buldogues que, felizmente, não duraram muito tempo.

2.Um dos Mais Inusitados Processos de Cruzamentos Entre as Raças de Cães

Mas não há como negar que os diversos processos de cruzamentos pelos quais esses cães passaram ao longo de séculos tornaram-se uma das principais curiosidades acerca dessa raça.

Isso porque, de um cão que, inicialmente, possuía as características de uma fera, os buldogues acabaram constituindo-se como verdadeiros cães de companhia, meigos, brincalhões e discretos como poucos; e em nada lembrando aquelas feras praticamente imbatíveis em uma arena contra touros e ursos.

Na verdade esses processos de cruzamentos foram capazes de constituir uma raça quase totalmente nova, com características físicas e psicológicas únicas.

Mas as controvérsias acerca desses processos de cruzamentos não resumem-se às transformações que eles impuseram aos aspectos físicos e mentais desses cães.

Eles também os “presentearam” com uma série de predisposições genéticas a doenças; em especial as respiratórias; como uma das principais controvérsias acerca desses inúmeros cruzamentos aos quais praticamente todos os cães de raça são submetidos ao longo de suas existências.

3.Não são nem um Pouco Afeitos ao Ambiente Aquático

De tudo o que nos referimos até aqui sobre essa raça de cães buldogue, chama a atenção o fato (curiosíssimo) de ela estar entre aquelas que não possuem nenhuma habilidade em ambiente aquático – na verdade o que se diz é que um buldogue não consegue nadar como a maioria dos cães.

Ao que tudo indica, a sua conformação física, associada às dificuldades respiratórias, acabaram servindo como um empecilho para que eles desenvolvessem essa habilidade; e por isso mesmo é bastante comum acidentes (e até mesmo a morte) resultantes do total desconhecimento dessa deficiência nos cães buldogue.

4.Eles têm Problemas com Avião

Ao que parece, a característica de um cão braquicefálico (com narinas estreitas e morbidez do palato) faz com que os voos de avião não sejam tão recomendados para eles.

E as razões para isso estão no fato de que esses animais não toleram temperaturas muito elevadas – algo que é bastante comum nos compartimentos reservados para os cães nos aviões.

Buldogue Problemas com Avião

Por esse motivo, já existem inúmeras companhias aéreas que rejeitam a presença desses animais em seus voos, muito por conta de diversas mortes ocorridas em várias partes do mundo; na maioria das vezes de cães braquicefálicos e bastante sensíveis à falta de estrutura das aeronaves.

5.São os Preferidos para Inseminações Artificiais

Devido à conformação da sua estrutura óssea, que resulta na dificuldade de acesso do macho à fêmea e em um parto bastante traumático, a raça de cães buldogue tornou-se uma das que mais se reproduzem por intermédio de inseminações artificiais.

De acordo com os criadores dessa raça, os buldogues já estiveram até mesmo em risco de extinção devido a essa dificuldade nos seus processos reprodutivos; algo que só foi contornado com a ajuda de abnegados admiradores da raça, que acompanhavam todo o processo até os seus estágios finais.

O problema é que, um dos resultados desse prática, são os altos preços de um cão buldogue.

Buldogue Inseminações Artificiais

No Brasil, por exemplo, ele pode sair pela “bagatela” de até R$10.000,00 reais! O que o coloca repetidamente em quase todas as listas dos 10 cães mais caros do mundo.

6.Eles Vivem Pouco

Dentre as várias características dessa raça de cães buldogue – como essas que podemos observar nas fotos e imagens desse artigo – , também chama a atenção o fato de esses cães não viverem por muito tempo; especialmente quando comparados com raças como o Chihuahua e o Lhasa Apso, por exemplo, que podem chegar aos incríveis 18 ou 19 anos!

Ao contrário destes, um cão buldogue dificilmente ultrapassa os 9 ou 10 anos de vida; e por isso mesmo cada segundo em companhia desses cães deverá ser aproveitado da maneira mais intensa possível; cercando-os de todos os cuidados que lhes garantam uma vida plena, alegre e feliz.

Como dissemos, uma das principais características dos buldogues é justamente o fato de estarem entre as raças mais propensas a desenvolver doenças com o avançar da idade; o que, mais uma vez, nos chama a atenção para a necessidade de incorporar os treinos, passeios e adestramentos como parte essencial das suas rotinas.

7.É uma das Raças mais Preguiçosas do Mundo!

Apesar da maior disposição das variedades americana e campeira, não há dúvidas de que estamos falando aqui de uma das raças de companhia mais preguiçosas e menos dispostas dentre todas as que se conhece.

Talvez por isso mesmo eles sejam considerados verdadeiros “cães de apartamento”; capazes de passar longos períodos do dia cômoda e confortavelmente sobre um sofá macio ou num cantinho agradável; apenas vendo o tempo passar entre uma ida e outra até o comedouro.

Buldogue Preguiço

Por isso, se o seu objetivo é ter um companheiro de aventuras, escolha uma outra raça; e somente os privilegie se o seu interesse for por uma companhia calma, dócil, brincalhona, silenciosa e pouco exigente quando o assunto é atenção.

Os Cuidados com os Filhotes

Com base em tudo o que vimos até aqui sobre essa raça de cães buldogue, conclui-se que estamos tratando de um tipo cheio de singularidades, repleto de especificidades, e que, por isso mesmo, exige cuidados específicos com relação à alimentação, higiene e atividades físicas.

Mas em uma coisa eles não diferem das demais raças: nas vacinas. As famosas V10 e V8 são indispensáveis. E elas geralmente são aplicadas de acordo com as prescrições de um bom veterinário.

De um modo geral, aplica-se a primeira dose de cada uma delas após 45 dias de nascimento do animal, com reforço a cada 20 ou 25 dias, para um total de 3 doses.

Mas também é possível que o profissional recomende duas doses de uma vacina específica para a gripe canina, e outras duas para a giárdia, além de 3 doses para o combate à Leischmaniose – esta última, de acordo com determinados critérios adotados pelo veterinário.

Já com relação à alimentação de um buldogue, caso queira que ele adquira as características que podemos observar nessas fotos, o recomendado é fornecer-lhe uma ração típica para filhotes, em 4 porções ao longo do dia, totalizando entre 90 e 120 gramas – a depender das características do animal.

Mas uma coisa importante a saber com relação à alimentação de filhotes de buldogues, é que eles são realmente “bons de prato”; e por isso recomenda-se não manter o comedouro o tempo todo à disposição.

O ideal é que você retire-o após perceber que eles alimentaram-se adequadamente, a fim de evitar que, no futuro, tenha em casa um animal obeso e ainda mais suscetível a uma série de doenças.

Fontes:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Buldogue

https://www.petlove.com.br/buldogue-ingles/r

https://tudosobrecachorros.com.br/buldogue-ingles/

https://maedebulldog.com.br/2016/03/11/como-cuidar-do-meu-filhote-de-bulldog-parte-1/

https://canaldopet.ig.com.br/curiosidades/racas/2019-05-05/buldogues-diferenca.html

https://www.portaldodog.com.br/cachorros/voceamigo/14-fatos-sobre-buldogue-frances/

https://www.cachorrogato.com.br/racas-caes/bulldog-ingles/

https://www.peritoanimal.com.br/doencas-mais-comuns-no-bulldog-ingles-21172.html

Veja também

Cores do Buldogue: Tigrado, Fulvo, Branco, Chocolate Com Fotos

Os cachorros podem ter cores muito diferentes entre si, o que torna os animais ainda …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *