Home / Animais / Aranha Tarântula Filhotes e Reprodução

Aranha Tarântula Filhotes e Reprodução

As tarântulas correspondem às aranhas pertencentes à família taxonômica Theraphosidae, a qual possui 13 subfamílias. Essas aranhas possuem um aspecto assustador, o qual inclusive é muito enfatizado na literatura e no cinema, no entanto, o seu veneno não é letal para seres humanos, permitindo até que as mesmas sejam criadas como animais de  estimação.

O nome genérico desta aranha originou-se na cidade de Tarento (na Itália), na qual uma das espécies era particularmente abundante (Lycosa torentula).

As tarântulas possuem uma expectativa de vida fantástica, a qual pode alcançar até duas décadas, no entanto, esse número só é válido para as fêmeas. No caso dos machos, a expectativa de vida regride para 7 anos, em decorrência de frequentemente serem mortos após o acasalamento.

Neste artigo, você conhecerá algumas características referentes a essas aranhas, inclusive características sobre a reprodução e quantidade de filhotes.

Então venha conosco e boa leitura.

Aranha Tarântula Classificação Taxonômica

A classificação científica genérica para as aranhas tarântulas obedece à seguinte sequência:

Reino: Animalia;

Filo: Arthropoda;

Classe: Arachnida;

Ordem: Araneae;

Família: Theraphosidae.

Aranha Tarântula Listagem de Subfamílias

A listagem de subfamílias de tarântula é preenchida com :

Aviculariinae;

Aviculariinae
Aviculariinae

Acanthopelminae;

Acanthopelminae
Acanthopelminae

Harpactirinae;

Harpactirinae
Harpactirinae

Eumenophorinae;

Eumenophorinae
Eumenophorinae

Ornithoctoninae;

Ornithoctoninae
Ornithoctoninae

Ischnocolinae;

Ischnocolinae
Ischnocolinae

Selenocosmiinae;

Selenocosmiinae
Selenocosmiinae

Poecilotheriinae;

Poecilotheriinae
Poecilotheriinae

Spelopelminae;

Spelopelminae
Spelopelminae

Selenogyrinae;

Selenogyrinae
Selenogyrinae

Theraphosinae;

Theraphosinae
Theraphosinae

Stromatopelminae;

Stromatopelminae
Stromatopelminae

Thrigmopoeinae.

Thrigmopoeinae
Thrigmopoeinae

Aranha Tarântula Características Físicas

O comprimento é totalmente variável de acordo com a espécie de tarântula em questão, porém a média compreende os valores de 15 a 25 centímetros. Algumas espécies excepcionais podem chegar à marca de 30 centímetros, como é o caso da tarântula-gigante-comedora-de-pássaros (nome científico Theraphosa blondi), encontrada na América do Sul.

O corpo é revestido de pêlos de cor marrom. As patas são longas e é possível observar a presença de duas garras.

Aranha Tarântula Padrões Comportamentais/ Alimentação

Tarântula Devorando uma Cobra
Tarântula Devorando uma Cobra

Os hábitos da tarântula são noctívagos e solitários. Em decorrência dos hábitos noturnos, aqueles que criam esse tipo de aranha de modo doméstico devem evitar a disposição de seu terrário em locais que recebem iluminação solar, assim como espalhar alguns objetos no interior do terrário que sirvam de abriga e refúgio para a tarântula.

A alimentação é composta principalmente por insetos, destes a aranha e o grilo são os responsáveis pelo maior aporte proteico que a tarântula precisa. Não precisa se alimentar-se diariamente, aliás pode ficar vários dias sem comer quando atinge a fase adulta.

Durante o processo de troca de pele (ecdise), as tarântulas fazem jejum sete dias antes e sete dias depois.

As tarântulas mais jovens passam pela muda uma vez ao mês, ao passo que, para as tarântulas adultas, esse processo ocorre a cada dois anos.

Além de serem insetívoras, todas as tarântulas são canibais.

Em relação à construção de suas tocas, as tarântulas escolhem lugares próximos a pedras e raízes de árvores. O buraco da toca é cavado no chão e revestido com teia ao fundo, de modo que a temperatura fique adequada à sua sobrevivência.

Essas tocas podem atingir até 1 metro de profundidade, no entanto, não são uma regra dentre da família Theraphosidae, uma vez que algumas espécies são consideradas arbóreas e, portanto utilizam os buracos das árvores como toca, indo apenas ocasionalmente ao solo. As tarântulas terrestres também podem aproveitar tocas já confeccionadas por roedores e até mesmo outras tarântulas.

Possui um sistema de defesa contra predadores que consiste em liberar substâncias urticantes através dos pêlos, aliado a isso, liberem o veneno habitual (o que possui efeito muito leve no homem, exceto se o indivíduo possuir alguma alergia ao mesmo).

Aranha Tarântula Filhotes e Reprodução

Filhote de Tarântula

Essas aranhas demoram um tempo estimado em 2 a 5 anos para atingir a maturidade sexual.

A reprodução das tarântulas é semelhante à reprodução das demais aranhas, no entanto com a particularidade de que o macho possui ganchos para prender a fêmea durante o ato sexual. A verdade é que os pedipalpos do macho são adaptados para a cópula.

Apesar de praticamente ‘prender’ a fêmea durante o ato sexual, o macho foge imediatamente após o ato, pois conhece a fama de canibal da fêmea. Mesmo quando consegue fugir, costuma morrer poucos meses depois.

Os espermas vivos são armazenados em um órgão especial até o momento da postura dos ovos.

Ao todo, são depositados 50 a 200 ovos sob um saco de seda (confeccionado pela fêmea previamente). Esses ovos permanecem por um período de 6 semanas em incubação. Em razão do grande tamanho dos ovos, esse saco pode crescer de volume significativamente.

Em relação aos filhotes, estes já nascem com um tamanho considerável. Diferentemente do padrão comumente observados em animais mamíferos, por exemplo, os filhotes de tarântula não recebem os cuidados parenterais ao nascer, inclusive passam pouquíssimo tempo na toca e se dispersam em seguida.

Aranha Tarântula Criação em Cativeiro

A criação de tarântulas demanda um importante seguimento de passo-a-passo. O primeiro passo ao levar uma tarântula para casa é escolher uma habitat que seja confortável para ela, o que implica em adequado controle climático, alta umidade e bons esconderijos.

O terrário deve tampado na parte de cima, com perfurações para a alimentação e respiração. Em razão do comportamento canibal dessas aranhas, é altamente desaconselhável manter duas tarântulas em um mesmo terrário.

O terrário deve ser revestido no fundo com substrato de material apropriado.

É muito importante conhecer bem a espécie e os hábitos da tarântula escolhida, visto que é importante que espécies arborícolas tenham disposição de bambu, bem como plantas de seda no interior do terrário.

A temperatura no interior do terrário não pode ultrapassar os 30 graus. Em relação à umidade, uma dica para manter o terrário úmido o suficiente é utilizar um borrifador com frequência. Para medir a umidade, uma recomendação é utilizar um higrômetro na lateral do terrário.

Na hora do manuseio, é importante ter bastante cuidado, visto que essas aranhas são sensíveis (especialmente na região do abdômen). Retirar o animal do terrário sem motivo relacionado é desaconselhável.

*

Agora que você já conhece muitas informações sobre a tarântula, o convite é para que continue conosco e visite também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Toda Biologia. Aranha Caranguejeira (Tarântula). Disponível em: < https://www.todabiologia.com/zoologia/aranha_caranguejeira.htm>;

WikiHow. Como Cuidar de uma Tarântula. Disponível em: < https://pt.wikihow.com/Cuidar-de-uma-Tar%C3%A2ntula>;

Wikipédia. Tarântula. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Tar%C3%A2ntula>.

Veja também

Terrário para Jibóia Onde Encontrar? Qual o Tamanho Ideal?

A jibóia (nome científico Boa constritor) está entre os reptéis de estimação mais queridos. Mesmo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *