Home / Animais / O Que a Tarântula Come? Como é a Sua Alimentação?

O Que a Tarântula Come? Como é a Sua Alimentação?

As tarântulas são aranhas pertencentes à família taxonômica Theraphosidae. Ao todo são cerca de 700 espécies, distribuídas em 13 subfamílias e com origem na América Central.

Na atualidade, estas aranhas podem ser encontradas em zonas temperadas e tropicais de continentes como a Ásia, África e as américas.

As tarântulas são aranhas peludas e de grande porte. O comportamento é naturalmente agressivo, podendo ser suavizado ou não com a domesticação.

Muitos pessoas criam tarântulas como PETs, e nestes casos, é importante seguir um passo-a-passo básico de recomendações, referente ao manuseio do animal, ao espaço ideal de criação, ao acompanhamento regular de um veterinário e à alimentação.

As tarântulas são as aranhas mais criadas em cativeiro, no entanto, também estão ameaçadas em decorrência da destruição de seu hábitat e caça (ironicamente) destinada à própria criação em cativeiro.

Caso você tenha alguma dúvida referente à criação da tarântula, mais precisamente em relação aos cuidados com sua alimentação, este artigo é para você. Aqui, você também conhecerá outras informações valiosas sobre o animal.

Então venha conosco e boa leitura.

Tarântula: Classificação Taxonômica

A classificação científica para estas aranhas obedece à seguinte sequência:

Reino: Animalia;

Filo: Arthropoda;

Classe: Arachnida;

Ordem: Araneae;

Família: Theraphosidae.

Nesta mesma família, estão agrupadas 13 subfamílias.

Tarântula: Características Físicas

O comprimento médio das tarântulas varia entre 2,5 a 10 centímetros. Como características físicas, estão os pêlos distribuídos ao longo do corpo, assim como a coloração escura (a qual pode vir acompanhada de manchas avermelhadas distribuídas nas patas e abdômen, de acordo com a subespécie).

O corpo está dividido em abdômen e cefalotórax. As patas são em número de oito, e os olhos também.

Tarântula: Padrões de Comportamento

As tarântulas possuem hábitos notívagos (noturnos) e solitários. Em meio à natureza, gostam de se refugiar em tocas subterrâneas, geralmente confeccionadas por roedores e outras aranhas. Essas tocas podem atingir até 1 metro de profundidade e normalmente se localizam próximas às pedras e raízes de árvores; são revestidas por teias, as quais compõem uma textura semelhante à seda.

Apesar das tocas subterrâneas, há espécies que são arbóreas, logo utilizam como toca os buracos e espaço oco das árvores.

Essas aranhas possuem uma expectativa de vida compreendida entre 15 e 20 anos (podendo se estender até 25 anos, quando criadas em cativeiro), todavia, para a maioria dos machos, essa expectativa pode ser de apenas 5 a 7 anos.

 Tarântula: Padrão Reprodutivo

Em relação ao padrão reprodutivo, estas aranhas demoram de 2 a 5 anos para atingir a maturidade sexual. Uma curiosidade é que os machos possuem uma expectativa de vida menor o que as fêmeas, visto que normalmente morrem após o acasalamento.

Durante a cópula, o macho utiliza ganchos especializados (pedipalpos) para prender a fêmea. Após o ato, o esperma fica armazenado ‘vivo’ no interior de uma estrutura especializada no corpo da fêmea até que chegue o momento de botar os ovos.

Filhote de Tarântula nas Mãos de Um Homem
Filhote de Tarântula nas Mãos de Um Homem

A fêmea libera em média de 50 a 200 ovos, os quais são depositados em um saco de seda e incubados por um período de aproximadamente 6 semanas. Esses ovos são bem grandes, fato que também influencia no aumento de tamanho do saco de seda, o qual pode atingir até mesmo o tamanho de um limão.

Os filhotes não recebem cuidados parenterais ao nascerem. Eles permanecem algum tempo na toca e em seguida se dispersam em meio à natureza.

Tarântula: Criação em Cativeiro

As principais recomendações em relação à criação de tarântulas estão relacionadas ao manuseio do animal. Convém lembrar que a maioria das espécies é agressiva (com exceção das mexicanas), e caso não sejam manipuladas com calma e cuidado, podem se sentir ameaçadas.

As espécies mais agressivas frequentemente são as tarântulas africanas e asiáticas.

Também é importante evitar quedas, pois estas podem machucar o abdômen do animal. A visita regular ao veterinário é imprescindível para avaliar o estado geral deste animal.

Em relação ao espaço no qual a tarântula deve ser criada, existem 3 elementos importantes que precisam ser obedecidos: a existência de um aquário (sem água), forrado com barro ou outro substrato; um espaço dentro deste aquário que atue como esconderijo; e um recipiente com água. Caso as aranhas comecem a fazer teias, um quarto elemento deve ser adicionado: pequenos galhos e troncos de vegetais.

A temperatura do ambiente de criação das tarântulas deve estar compreendida entre 20 e 27 °C, ao passo que a umidade deve estar em torno de 70%. Não é recomendável criar mais de uma aranha no mesmo aquário.

Apesar do aspecto tenebroso desta aranha, e da má fama que conquistou no mundo da literatura e do cinema, o veneno da tarântula não é letal para seres humanos, apesar de que em algumas espécies há presença de grande dor no local e urticária (coceira). Mesmo sem risco fatal, é importante procurar atendimento médico em caso de picada.

O Que a Tarântula Come? Como é a Sua Alimentação?

As tarântulas são animais predominantemente insetívoros. Entre os insetos, há uma grande preferência por grilos, moscas, larvas e cupins. As tarântulas de maior porte também podem consumir camundongos. É frequente encontrar na natureza grandes tarântulas ingerindo até mesmo pequenos pássaros, roedores e anfíbios; comportamentos de canibalismo também são  frequentes.

No caso da dúvida em relação à alimentação das tarântulas domesticas, recomenda-se padronizar a dieta com insetos.

Em relação à frequência alimentar, no caso dos insetos, há a quantidade de 3 a 4 ingeridos por semana; ao passo que, no caso dos camundongos, a ingestão é de um a cada mês. Essa frequência alimentar só é válida após a idade adulta, uma vez que antes dessa fase a alimentação deve ser diária (respeitando-se o jejum de dez dias antes e sete dias após cada troca de pele).

É possível encontrar em PET shops misturas prontas de grilos e insetos para consumo de aranhas domésticas.

*

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a alimentação da tarântula, assim como outras informações sobre o animal, continue conosco e visite também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Canal do Pet. Tarântula. Disponível em: < https://canaldopet.ig.com.br/guia-bichos/exoticos/tarantula/57a246110b63f68fcb3f72a7.html>;

Portal São Francisco. Tarântula. Disponível em: < https://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/tarantula>;

Wikipédia. Tarântula. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Tar%C3%A2ntula>.

Veja também

Ouriço do Mar Roxo: Características, Nome Cientifico e Fotos

O ouriço do mar roxo é um ouriço-do-mar europeu da família toxopneustidae, e do gênero …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *