Home / Animais / Alimentação dos Patos: O que Eles Comem?

Alimentação dos Patos: O que Eles Comem?

Os patos são aves aquáticas que podem ser encontradas tanto em água doce, quanto em água salgada. Possuem a peculiaridade de serem um dos poucos animais da natureza com capacidade para realizar razoavelmente o voo, o nado e a caminha em terra (apesar de serem cambaleantes neste quesito).

Ao todo, existem mais de 90 espécies de patos, sendo qu algumas espécies são consideradas aves migratórias.

Ainda em relação às habilidades, o nado é excepcional, visto que já forma encontrados registros de patos capazes de mergulhar em até 17 metros de profundidade. Curiosamente, as penas não encharcam no processo, uma vez que são revestidas por uma espécie de ‘cera’ impermeabilizante produzida pela glândula uropigial na cauda.

Os patos pertencem à família taxonômica Anatidae, a qual também abrange outras aves, tais como os gansos, cisnes e marrecos. Estes últimos são os mais semelhantes aos patos, e por negligência de características específicas, podem ser frequentemente confundidos com estes.

Neste artigo, você conhecerá importantes informações e curiosidades sobre os patos, dentre elas características referentes ao comportamento e dieta.

Então venha conosco e boa leitura

Domesticação de Patos

A domesticação dos patos tem por finalidade o consumo de carne e ovos, ou ainda a utilização das penas para confecção de edredons e travesseiros.

A carne do pato não é tão popular quanto a carne de frango, e os custos da criação em cativeiro são maiores. Outro ponto fundamental é que o frango possui maior concentração de carne branca, fato que representa uma gigantesca vantagem comercial.

Domesticação de Patos

Mesmo não sendo maciçamente consumida dentro da culinária, a carne de pato é ingrediente chave de algumas receitas específicas, como é o caso da receita francesa “pato com laranja”, ou da receita regional (consumida do Norte do Brasil) “pato no tucupi”.

Patos e marrecos vem sendo criados a milhares de anos, provavelmente a partir do Sudeste Asiático. Aqui na América Latina, antes mesmo do descobrimento, os índios já domesticavam certas espécies de pato.

Caracterizando Patos, Gansos, Cisnes e Marrecos

Dentro dos integrantes da família Anatidae, os gansos são aqueles que apresentam maior preferência em permanecer no meio terrestre. Atualmente, existem dois gêneros de gansos, os quais também possuem coloração específica e diferenciada. O gênero Anser abriga gansos de plumagem cinza; ao passo que, no gênero Branta, estão presentes gansos de plumagem negra. A espécie mais numerosa das Américas é o ganso do Canadá (nome científico Branta canadensis). Essa popularidade, inclusive, contribuiu para que a espécie fosse retratada na nota de 100 dólares canadenses.

Os gansos são capazes de viver por até 50 anos, quando mantidos em cativeiro. Em meio silvestre, a maioria dos gansos são encontrados no Hemisfério Norte. Frequentemente são criados como aves ornamentais, mas também possuem a peculiaridade de serem excelentes animais de guarda. Isto ocorre pois, quando a ave percebe a presença de estranhos no local onde está instalada, costuma emitir ruídos estridentes.

A carne de ganso dificilmente é consumida, porém as suas vísceras (mais particularmente o fígado) são bastante famosas dentro da culinária. O tradicional prato francês “foie gras”, por exemplo, é preparado com fígado gordo de ganso.

Em relação aos marrecos, estes costumam ser menores do que os patos. O formato e a disposição do corpo também podem diferir sutilmente, todavia, a diferença mais notável entre essas duas aves está no bico. Patos possuem carúnculas (frequentemente vermelhas) no bico, mais precisamente próximo ás narinas; enquanto que, no caso dos marrecos, o bico é liso. O marreco pode não ser tão popular assim na culinária, de um modo generalista; mas na região sul do Brasil (principalmente no Rio Grande do Sul e Santa Catarina), ele é bastante apreciado. Existe um prato típico de origem alemã, particularmente, que consiste em marreco recheado com repolho roxo.

Agora, em relação aos cisnes, estes são considerados as maiores aves da família taxonômica, assim como as mais bonitas e elegantes- razão pela qual são frequentemente utilizados como aves decorativas. Podem pesar mais de 20 quilos, chegando a medir até 1,70 metros de comprimento (valores que podem exceder uma pessoa de comprimento médio, por exemplo). O pescoço longo é a marca registrada da ave. As únicas espécies encontradas na América do Sul são a capororoca (nome científico Coscoroba coscoroba) e o cisne de pescoço negro (nome científico Cygnus melanocoryphus). É comum que na natureza, os cisnes voem com uma formação em “V”.

Atualmente, é raríssimo o consumo de cisne na culinária. Porém, tal cenário não era encontrado até meados do século XIX na Inglaterra, época na qual cisne assado era um prato obrigatório na ceia de natal da Rainha Vitória.

Cygnus Melanocoryphus

A alimentação dos patos é formada por vegetação aquática, bem como pequenos invertebrados e moluscos. No caso da criação em cativeiro, é importante fornecer uma ração rica em grãos e insetos.

O conhecimento popular acredita que os patos podem ser alimentados com migalhas de pão. Todavia, o alimento possui um valor nutricional muito deficiente, e, para patos mais jovens, sua ingestão pode ser até mesmo letal.

Dicas Básicas Para Criar Patos

Os patos podem ser mantidos ao ar livre, bem como podem ser confinados em gaiolas, celeiros e baterias. É fundamental garantir acesso à água no local.

Espécies específicas, tais como o pato-mudo e alguns marrecos devem ser submetidos à monitoração frequente para gripe aviária, isto porque, tais espécies possuem uma maior predisposição natural ao quadro.

Há um fato muito curioso a ser levado em consideração dentro da criação dos patos: em muitas raças, as fêmeas não são confiáveis para incubação dos ovos e criação dos filhotes. Neste caso, a criação sofre um custo adicional com o consumo de energia e compra de uma chocadeira elétrica. Uma opção alternativa e mais barata consiste em colocar galinhas para realizar esta incubação. Apesar destas opções, os filhotes de pato ainda dependem de suas mães em quesitos específicos, tais como fornecer óleo que irá impermeabilizar as suas penas (uma vez que tais glândulas não estão plenamente desenvolvidas).

Gostou das dicas?

Agora, o que você acha de continuar navegando pelo site?

Tenho certeza, que você vai encontrar por aqui outros artigos de seu interesse. Nosso foco são temas nas áreas de zoologia, botânica e ecologia de um modo geral.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

FIGUEIRED, A. C. Infoescola. Pato. Disponível em: < https://www.infoescola.com/aves/pato/>;

Super Interessante. Qual a diferença entre pato, ganso, marreco e cisne? Disponível em: < https://super.abril.com.br/mundo-estranho/qual-a-diferenca-entre-pato-ganso-marreco-e-cisne/>;

Wikipédia. Pato. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Pato#>.

Veja também

Animais que Começam com a Letra O: Nome e Características

Em linhas gerais, os animais são classificados como seres vivos multicelulares, eucariontes e com padrão …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *