Home / Animais / Ficha Técnica do Pica-Pau: Peso, Altura, Tamanho e Imagens

Ficha Técnica do Pica-Pau: Peso, Altura, Tamanho e Imagens

Os pica-paus são aves cuja nomeação deriva de uma prática comum: o ato de tamborilar, ou melhor, bater com o bico em um tronco de madeira, com a finalidade principalmente de obter alimento. No caso, estes alimentos são as larvas presentes nas lacunas dos troncos as árvores. O som produzido pelo ato pode também ser utilizado para atração sexual, defesa de território e comunicação entre as espécies.

Falando em espécies, existem aproximadamente 239 espécies de pica-paus, dentre as quais, mais de 50 são encontradas no Brasil. Estas aves estão distribuídas dentro da família taxonômica Picidae.

Também podem ser conhecidas pelos nomes de ipecu, carapina, peto e pinica-pau.

Neste artigo, você conhecerá um pouco mais sobre essas aves, através de informações como suas características físicas, comportamento, e outros fatores.

Então venha conosco e boa leitura.

Ficha Técnica do Pica-Pau: Classificação Taxonômica

A classificação científica para os pica-paus obedece à seguinte estruturação:

Reino: Animalia;

Filo: Chordata;

Classe: Aves;

Ordem: Piciformes;

Família: Picidae.

Ao todo, são 4 subfamílias: Jynginae; Nesoctitinae; Picinae e Picumninae.

Jynginae

Ficha Técnica do Pica-Pau: Peso, Altura, Tamanho e Imagens

As patas apresentam 2 dedos voltados para frente e outros 2 voltados para trás. Esta disposição os auxilia a agarrar o tronco das árvores com mais facilidade.

O comprimento varia de acordo com a espécie, porém a média observada corresponde a 33 centímetros. Todavia, algumas literaturas admitem a faixa e variação entre 15 a 46 centímetros.

Assim como a altura/ comprimento pode variar de acordo com a espécie, o mesmo raciocínio é válido para o peso. É possível encontrar espécies de pica-pau que possuam desde 21 gramas até 570 gramas (como é o caso od pica-pau-bico-de-marfim, recentemente considerada extinta).

Ficha Técnica do Pica-Pau: Alimentação

A alimentação é composta basicamente pelas larvas presentes no tronco das árvores, as quais, o pica-pau tem acesso através das bicadas e do uso da língua comprida. Estudos apontam que um pica-pau possui a capacidade de dar 100 bicadas por minuto.

Curiosamente, mesmo que as bicadas gerem certo impacto sobre o bico, a presença de uma articulação entre a maxila superior e o crânio possibilita que o músculo presente no local possa absorver o impacto e dissipá-lo.

Mesmo que a alimentação por larvas seja a predominante, existem muitas espécies insetívoras, além de que frutos também podem compor o cardápio. Outras espécies, por exemplo, podem se alimentar da seiva das plantas.

A alimentação por larvas desempenha um grande papel ecológico, uma vez diminuem a quantidade de pragas nocivas ás plantas hospedeiras.

Ficha Técnica do Pica-Pau: Padrão Reprodutivo e Cuidado Com os Filhotes

Pica-paus utilizam-se do bico e das garras afiadas para criar escavações significativas (no caso, maiores do que as escavações criadas apenas pelas bicadas), de modo a abrigar nestas o ninho dos seus filhotes. Há preferência na escolha de locais elevados, de modo a conferir certa proteção contra predadores.

As fêmeas são capazes de botar de 4 a 5 ovos de uma única vez, os quais são chocados durante o período de 20 dias- em parceria com os machos.

Os filhotes costumam abandonar os ninhos quando ainda não são capazes de voar. Todavia, nos primeiros dias após o afastamento, costumam estabelecerem-se em galhos próximos ao ninho.

Pica-Pau Filhotes

O ninho ‘confeccionado’ pelos pica-paus acaba servindo como um grande legado para outras espécies incapazes de construírem seus próprios ninhos, como é o caso dos araçaris, periquitos, saguis, micos-leões e, em casos excepcionais, até mesmo reptéis e pequenos anfíbios.

Espécies Brasileiras de Pica-Pau: Pica-Pau-Amarelo

O pica-pau-amarelo (nome científico Celeus flavus) é uma espécie bastante famosa, mesmo que indiretamente, na literatura nacional. A coleção de livros “O Sítio do Pica-Pau-Amarelo”, de Monteiro Lobato funciona como uma espécie de certificado de sua regionalidade.

A espécie também pode ser conhecida pelo nome de ipecutauá. Mede aproximadamente 25 centímetros de comprimento.

Possui o bico na cor amarela e penugem amarela em quase toda a extensão do corpo- sendo que, nas asas, é possível notar uma coloração negra que se destaca. Há um discreto dimorfismo sexual para o macho, caracterizado pela presença de uma faixa vermelha nas laterais da cabeça, bem próximo ao bico.

Sua distribuição geográfica envolve toda a Amazônia Brasileira, além de áreas do nordeste (no caso, de Alagoas ao Espírito Santo). Não é uma ave exclusivamente brasileira, uma vez que também pode ser encontrada nos demais países latinos que também abrigam parte da Amazônia.

O hábitat característico da ave são as florestas ralas, plantações de cacau, florestas em áreas pantanosas, zonas de capoeira e florestas de várzea.

Em relação aos hábitos comportamentais, esta ave pode viver de modo solitário ou ser encontrada em bandos de até 3 a 4 indivíduos.

A alimentação é composta basicamente por formigas, sendo que, muitas vezes, a espécie quebra os formigueiros localizados no alto das árvores para ter acesso a estas. Também é frequente que desçam até o chão para capturar insetos.

Espécies Brasileiras de Pica-Pau: Pica-Pau-do-Campo

O pica-pau-do-campo (nome científico Colaptes campestres) tem bém pode ser conhecido pelos nomes pica-pau-malhado, pica-pau-de-manga, chanchã e chanchão.

Não é encontrado apenas no Brasil, uma vez que também está presente em alguns dos vizinhos latinos, como é o caso da Argentina, Bolívia, Uruguai, Paraguai e Suriname. O seu hábitat é constituído pelas zonas de pastagens, savanas e matagal.

Em relação às características físicas, a ave mede aproximadamente 32 centímetros de comprimento.

A coloração de sua penugem é caracterizada pelo tom marrom em suas costas e asas, juntamente com algumas listras na cor branca. No peito e nas alterais do pescoço, a cor amarela se faz presente. O topo da cabeça (área conhecida popularmente como “boné”) possui coloração negra. De acordo com a localização geográfica, a área da garganta pode apresentar coloração preta ou branca.

Colaptes Campestres

Depois de conhecer um pouco mais sobre os pica-paus, que tal continuar conosco para visitar também outros artigos do site.

Se você, assim como nós, é um grande curioso e ávido por novos conhecimentos, tenho certeza que está no lugar certo.

Aqui há muito material nas áreas de zoologia, botânica e ecologia de um modo geral.

Até as próximas leituras.

Britannica Escola. Pica-Pau. Disponível em: < https://escola.britannica.com.br/artigo/pica-pau/482876>;

FIGUEIREDO, A. M. Infoescola. Pica-pau. Disponível em: < https://www.infoescola.com/aves/pica-pau/>;

Fiocruz. Pica-pau. Disponível em: < http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/infantil/picapau.htm>;

Wikipédia. Pica-pau-amarelo. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Pica-pau-amarelo>;

Wikipédia. Pica-pau-do-campo. Disponível em: < https://pt.wikipedia.org/wiki/Pica-pau-do-campo>;

Veja também

Animais que Começam com a Letra O: Nome e Características

Em linhas gerais, os animais são classificados como seres vivos multicelulares, eucariontes e com padrão …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *