Home / Plantas / Tipos e Espécies de Orquídeas Com Bulbos Grandes

Tipos e Espécies de Orquídeas Com Bulbos Grandes

A família Orchidaceae abriga em torno de 25.000 espécies de orquídeas, entre as mais exóticas, singulares, originais, com bulbos grandes ou pequenos, com variegadas cores, diversos tipos de formas, entre outras características.

Os países localizados entre os Trópicos de Capricórnio e de Câncer são os que têm a honra de abrigar exemplares dessa espécie que, para algumas civilizações antigas, possuía um caráter quase mítico e repleto de lendas e mistérios.

As orquídeas caracterizam-se pela beleza das suas constituições, formadas por inflorescências de cores variadas, nas quais destacam-se o branco, o amarelo e alguns tons de rosa, porém com variações em tons azuis, esverdeados, violetas – e até mesmo algumas “celebridades”, como as que apresentam belíssimos tons arroxeados, púrpura e vermelho-escuro.

Poucas espécies florais na natureza possuem tamanha variedade de formas, por isso elas arrastam multidões de admiradores, encantados com o aspecto místico das suas estruturas e com o formato das suas flores.

Mas o objetivo desse artigo é bastante específico: fazer uma lista apenas com algumas das principais espécies de orquídeas com bulbos grandes presentes na natureza.

São espécies consideradas à parte nessa imensa família Orchidaceae, tão caracterizada pelo tamanho diminuto dos seus botões florais.

1.Cattleya Aclandiae

A C. aclandiae é uma das mais vigorosas e imponentes espécies de orquídeas da natureza.

Um exemplar da planta costuma ter bulbos com cerca de 20 cm e apresentar folhas uniformes, firmes, encurvadas, além de flores em belíssimos tons de verde-claro e verde-musgo – e ainda com algumas manchas em tons mais escuros.

É uma espécie típica do bioma da Mata Atlântica e considerada endêmica da Bahia, especialmente da região sul, onde espalha-se por trechos de matas, grutas, escarpas, florestas arbóreas, entre outras formações vegetais.

Ela não é indicada para o cultivo em vasos ou canteiros. O seu habitat favorito (e onde desenvolve-se adequadamente) são os troncos e cascas de árvores, em regiões com bastante calor de dia (+/- 34°C), frias à noite (+/- 20°C) e com uma umidade relativa do ar entre 60 e 70%.

2.Dama da Noite (Cactus Orquídea)

Uma das mais curiosas espécies de orquídeas com o bulbo relativamente grande, é a excêntrica “Dama da noite”.

Essa espécie possui a singular característica de não apreciar muito o sol, preferindo mesmo desenvolver-se, comodamente, à sombra de uma grande árvore.

O seu nome científico é Epiphyllum oxipetalum, mas pode ser chamada simplesmente de “cacto orquídea”, em referência ao fato de pertencer ao gênero Cactaceae, – uma comunidade que abriga um sem-número de espécies de arbustos, ervas, trepadeiras, entre outras variedades que apresentam sempre a característica de desenvolverem-se trepadas em árvores.

Para se ter uma ideia da singularidade dessa espécie, ela é considerada uma das que possuem a maior variedade de cores e de formas (coloridas e chamativas), sem contar a particularidade de, misteriosamente, abrir as suas flores somente à noite, enquanto, durante o dia, prefere apenas insinuar o mistério das suas formas.

3.Dendrobium Nobile (Olhos de Boneca)

Essa espécie é originária do continente asiático, mais especificamente da China. É uma variedade herbácea, que cresce trepada em árvores (sem parasitá-las), na forma de touceiras bastante volumosas, nas quais se pode observar as suas vistosas flores em vários tons de verde, com pseudobulbos grandes e com fendas que percorrem toda a sua estrutura.

O curioso na Dendrobium é que as suas flores nascem nos pseudobulbos, juntamente com as folhas – folhas geralmente delicadas, suaves, flexíveis, delgadas, com 5 ou 6cm de comprimento e com cores variadas.

Já as suas flores (da mesma forma exóticas) oferecem a sua beleza apenas durante o período de 1 mês (geralmente no mês de setembro), deixando o restante do tempo apenas para cultivar a ansiedade pelo seu ressurgimento majestoso.

4.Amor Perfeito

A Miltonia flavenscens é outra singularíssima espécie de orquídeas que apresentam bulbos grandes e vistosos. Ela possui hastes florais com até 42cm e cerca de 11 flores em cada haste, que surgem, fascinantes, entre os meses de setembro e março, com florações que duram em torno de 3 semanas.

A Amor-Perfeito é uma espécie endêmica de todo o território brasileiro, desde Pernambuco até os estados do sul do país, e possui as características de uma variedade herbácea, trepadeira, que constitui-se em grandes touceiras, com flores de tamanho diminuto e em tons amarelo-claros e brancos.

Mas como se tudo isso não bastasse, ela ainda nos oferece um delicioso perfume – algo não tão comum entre essas espécies de orquídeas.

A Miltonia ainda possui a particularidade de suportar diversas condições climáticas – altas e baixas temperaturas -, além de poder ser plantada em vasos, troncos, canteiros, entre outros locais.

Na verdade ela só exige mesmo um ambiente iluminado, onde possa proteger-se do calor dos períodos mais quentes e com pouca umidade.

5.Cattleya Meristema

A Cattleya meristema é uma orquídea com bulbos grandes, de porte mediano, afeita a um clima tropical, endêmica do Brasil e que costuma oferecer a beleza das suas flores geralmente no período entre junho e setembro, quando mantém a sua floração por um período de 2 semanas.

Talvez a característica mais marcante dessa espécie seja a de ser bastante apreciada para elaboradas manipulações genéticas; manipulações que costumam resultar em híbridos belíssimos, com características de rusticidade, tolerância a diversos tipos de adubações e alta resistência às mais diversas condições climáticas.

Só é necessário que se tenha cuidado com a rega exagerada quando do surgimento dos primeiros botões florais, pois isso pode facilmente destruir as inflorescências.

6.Cattleya Walkeriana

Por fim, essa outra espécie de orquídea, que apresenta a característica de possuir bulbos grandes e bastante vistosos.

Ela também é famosa pela sua capacidade de hibridização, assim como por ser encontrada nos quatro cantos do Brasil, onde quer que elas encontrem árvores, grutas, paredões, fendas, entre outros locais próximos de lagoas, rios, brejos, córregos, mananciais, etc.

São espécies facilmente cultivadas, que aceitam bem vários tipos de fertilizantes, podem ser plantadas em vasos de cerâmica, fibras de coco, sisal, cascas de árvores, muros – enfim, elas definitivamente não oferecem a menor dificuldade para o seu cultivo.

Diferentemente da Cactus orquídea (a Dama da Noite) – que prefere esconder-se, misteriosamente, dos vigorosos raios do sol -, a walqueriana tem bastante apreço por essa companhia (de forma não tão direta), em ambientes iluminados, oxigenados e que a façam florescer, esplendidamente, no mês de maio.

Agora fique à vontade para nos dar as suas impressões sobre esse artigo. E continue compartilhando, discutindo, questionando, refletindo e aproveitando-se das nossas publicações.

Veja também

Flor de Pessegueiro: Época de Florada, Características e Fotos

O Brasil é um país com uma grande variedade de espécies quando nos referimos à …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *