Home / Plantas / Gabiroba do Cerrado: Característica, Muda, Nome Científico e Fotos

Gabiroba do Cerrado: Característica, Muda, Nome Científico e Fotos

Também conhecida do guavira, a gabiroba é uma fruta que possui diversidade de espécies, tais como a gabiroba-da-Amazônia ou gabiroba açu (nome científico Campomanesia lineatifolia), a gabiroba do campo (nome científico Campomanesia adamantium), a gabiroba do litoral (nome científico Campomanesia guaviroba), a gabiroba arbórea (nome científico Campomanesia xanthocarpa), e, é claro, a gabiroba do cerrado, ou gabiroba miúda (nome científico Campomanesia laurifolia).

A fruta pode ser empregada no preparo de doces, sorvetes, sucos e licores. O consumo in natura não é recomendado, uma vez que a casca e as sementes possuem substâncias consideradas relativamente tóxicas ao organismo. Suas propriedades nutricionais, bem como utilizações na medicina popular são bastante famosas.

Contudo, a gabiroba do cerrado, assim como a vegetação característica deste bioma, corre o risco de desaparecer. A ameaça reside no avanço das lavouras para pastagem de gados e plantio de soja, assim como pela ocupação humana e construção de habitações.

Neste artigo, você conhecerá importantes características desta fruta, assim como observações referentes ao seu plantio.

Então venha conosco e boa leitura.

Gabiroba do Cerrado: Classificação Botânica

A classificação científica para a gabiroba do cerrado obedece à seguinte estruturação:

Reino: Plantae;

Divisão: Magnoliophyta;

Clado: Eucotyledoneae/ eucotiledóneas nucleares/ Rosids / Eurosids II;

Classe: Magnoliopsida;

Campomanesia Adamantium

Ordem: Myrtales;

Família: Myrtaceae;

Gênero: Campomanesia

Espécie: Campomanesia laurifolia.

A família Myrtaceae possui 132 gêneros e mais de 5.950 espécies registrada. Essas espécies se caracterizam pelo porte arbóreo ou arbustivo, comportamento pernifólio e grande poder medicinal e aromático.

Gabiroba do Cerrado: Característica, Muda, Nome Científico e Fotos

A gabiroba do cerrado (nome científico Campomanesia laurifolia) é uma fruta arredondada, cuja casca assume coloração verde-amarelada, ou simplesmente amarelada, e a polpa assume coloração esverdeada. Produz flores pequenas de coloração creme-esbranquiçada, as quais são hermafroditas, e portanto, possuíam capacidade de auto-fertilização.

O vegetal é considerado um arbusto silvestre de pequeno porte, uma vez atinge a média de 50 a 80 centímetros de altura.

Seu hábitat natural são os campos e paisagens do cerrado, sendo considerado o vegetal mais comum nos cerrados do Sudeste e Centro-Oeste.

A gabiroba do cerrado não é exigente com os níveis de fertilidade do solo, uma vez que sendo típica do cerrado é considerada um vegetal rústico.

No plantio com sementes, é importante que estas sejam semeadas imediatamente após a sua extração, de modo que não sequem excessivamente e percam a sua capacidade germinativa. As sementes devem ser removidas de frutos maduros e saudáveis, lavadas e deixadas para secar durante 2 horas, sendo posteriormente inseridas em um substrato rico em matéria orgânica. Este processo dá origem a mudas que serão posteriormente transplantadas para o solo.

Gabiroba do Cerrado: Mais Alguns Detalhes Sobre o Plantio

Este vegetal é bastante resistente a longos períodos de estiagem. Deve ser plantado em pleno sol e não é favorável a encharcamentos.

Além da confecção de mudas e do plantio direto no solo, também pode ser plantada em vasos com medidas de 50 centímetros de altura e 30 de largura. Nestes casos, a recomendação é que o substrato seja composto por 50% de terra vermelha, 20% de matéria orgânica e 30% de areia.

A produtividade inicia-se somente após o terceiro ano de plantio.

Gabiroba do Cerrado: Benefícios Nutricionais

Essa fruta possui grande quantidade de fibras, assim como baixo teor calórico. Entre os minerais, estão presentes o Ferro e o Cálcio.

A fruta possui a capacidade de reduzir os níveis de colesterol e triglicerídeos no sangue. Para obter esse benefício, recomenda-se preparar um chá com suas folhas. Através do chá também é possível obter outros benefícios, tais como a melhora da memória, a eliminação de determinadas secreções da bexiga e do útero, a regulação do intestino, o combate à gripe e o tratamento alternativo para casos de disenteria.

O chá das folhas empregado na forma de banho corporal é um ótimo relaxante muscular.

A medicina indígena tem o hábito de empregar folhas secas de gabiroba, assim como as cascas do tronco, para tratar dores de dente, feridas e infecções orais, contusões, assim como para induzir o parto.

Quando o chá é preparado aproveitando a casca da árvore, os benefícios são outros. Neste caso, ocorre um alívio de problemas urinários. Este mesmo chá empregado em banhos de assento pode aliviar quadros de hemorroidas.

Exemplos de Outras Espécies Botânicas Características do Cerrado

O cerrado é o segundo maior bioma do país, ocupando cerca de 24 % do território brasileiro. Este bioma é considerado o mais rico em espécies vegetais: ao todo, são aproximadamente 11 mil.

Além da gabiroba, existe a bocaiúva (nome científico Acrocomia aculeata), também conhecida como coco baboso, coco de espinho e macaúba. O vegetal pode atingir 20 metros de altura, sendo que as folhas podem alcançar o incrível valor de 5 metros de comprimento.

O pequi (nome científico Caryoca brasiliensi), consumido em várias partes do Brasil, também é característico do cerrado.

Uma das espécies botânicas com altas taxas de antioxidantes é a laranjinha de pacu (nome científico Pouteria glomerata). Já no quesito concentração de ômega 9tipos 6 e 9), o Baru ou cumbaru (nome científico Dipterix alata), fruto lenhoso com única amêndoa comestível, é um componente importante.

Outras espécies incluem o jatobá (nome científico Hymenaea courbaril), vegetal de amadurecimento lento que, no entanto, pode alcançar 40 metros de altura; o jenipapo (nome científico Genipa americana), fruta cuja polpa em contato com o ar oxida e produz coloração preta ou azul escura; e a mangaba (nome científico Hancornia speciosa).

Agora que você já conhece muitas características sobre a gabiroba do cerrado, nossa equipe o convida a continuar conosco e visitar também outros artigos do site.

Aqui há muito material de qualidade nos campos da botânica, zoologia e ecologia de um modo geral.

Caso tenha interesse em algum tema específico, bastar digitá-lo na lupa de pesquisa, localizada no canto superior direito. Se o tema não constar na nossa ‘biblioteca’, você poderá sugeri-lo no comentário de algum artigo, ok?

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

BRANCO, A. Green Me. Gabiroba- Delícia de fruta nativa! Veja *Aqui* Para que Serve. Disponível em: < https://www.greenme.com.br/usos-beneficios/5081-gabiroba>;

KAREN, E. Ecoa. Frutos do Pantanal e Cerrado. Disponível em: < https://ecoa.org.br/frutos-do-pantanal-e-cerrado/?gclid=CjwKCAjwkqPrBRA3EiwAKdtwk7dV2F1RMTTNro6T3TbZ5b26boycQlbhjWpHxnwfnCnwzOBF06t2NBoCwIwQAvD_BwE>;

OLIVEIRA, E. Green Me. Como Fazer Mudas de Gabiroba. Disponível em: < https://www.greenme.com.br/como-plantar/7127-como-fazer-mudas-de-gabiroba>;

Portal São Francisco. Gabiroba. Disponível em: < https://www.portalsaofrancisco.com.br/alimentos/gabiroba>.

Veja também

Como Usar a Canela Para Emagrecer?

A canela, assim como o cravo, noz-moscada, gengibre, açafrão, pimenta-do-reino, cúrcuma e outros, é considerada …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *