Home / Natureza / Raiz Da Pitangueira: Profundidade E Tipo De Caule

Raiz Da Pitangueira: Profundidade E Tipo De Caule

A pitangueira (Eugenia uniflora L.) é uma árvore de origem brasileira e seu fruto, a pitanga, é extremamente apreciado pelos brasileiros, muito devido ao seu delicioso sabor cítrico e adocicado, que cai muito bem de muitas outras formas, como sucos e chás.

Ter uma pitangueira no Brasil é muito fácil, pois a planta se desenvolve perfeitamente em climas tropicais, com bastante sol e calor e bastante chuva, além de não apresentar climas frios severos, apenas amenos.

Apesar de ser uma planta tropical, ela ainda vive em regiões mais gélidas como o Canadá e os EUA, além de regiões da Eurásia, já que a pitangueira é altamente apreciada pelos orientais que seguem a cultura do bonsai.

O frio apenas faz com que a pitangueira cresça mais lentamente e dê menos frutos, e por isso ela é criada simplesmente por ser uma árvore linda mais do que por intenções monetárias e comercialização.

Aproveite e aprenda mais sobre as pitangueiras acessando:

Qual é a Profundidade Da Raiz Da Pitangueira?

A pitangueira (Eugenia uniflora L.) tem uma raiz que é considerada pivotante, o que quer dizer que ela cresce de forma vertical e não no sentido horizontal.

Essa característica faz com que a raiz não se distribua para os lados, e sim para baixo.

No entanto, a raiz pivotante não exclui o fato de possuir segmentos chamados de raízes capilares, que são ramificações da raiz central (pivotante) que se distribuem para os lados para captar alimento.

Para que a pitangueira cresça mais rápida e também venha a ter mais pitangas e pitangas maiores e mais saborosas, muitos agricultores indicam a poda das raízes.

Portanto, quando uma raiz de pitangueira cresce normalmente, a raiz pivotante pode alcançar até cerca de 1 metro de profundidade, podendo ficar um pouco maior que isso dependendo da espécie.

Porém, como na maioria das vezes a poda é realizada, a profundidade da raiz se abstém em cerca de 20 a 30 cm de profundidade, onde as raízes capilares são as que crescem mais proeminentemente, se estendendo por cerca de 50 centímetros para os lados.

Qual é o Tipo de Caule da Pitangueira?

Primeiramente, na hora de plantar ou replantar uma pitangueira, é necessário fazer com que o caule fique enterrado até o meio.

Quando cresce, o caule apresenta forma irregular, podendo seguir padrões ou não, e isso depende muito do lugar.

Nota-se, também, que as principais doenças da pitangueira sempre atacam os caules mais do que outras partes da planta.

Algumas espécies de pitangueiras possuem um caule acima do solo devido ao fato da raiz se sobressair à camada do solo, mas é mais comum que os caules adentrem o solo.

O caule da pitangueira é um tipo de caule médio, com circunferência de 30-45 cm, e cresce no máximo por 2 metros de altura, se espalhando em ramificações palmares.

Caule da Pitangueira
Caule da Pitangueira

É preciso prestar bastante atenção e ter um conhecimento prévio do tipo de pitangueira que será plantada, pois o caule das mesmas varia bastante.

Existe pitangueira com caules com circunferência de 7-15 cm, que são pitangueiras que podem até mesmo ser plantadas em vasos.

A pitangueira demora muito tempo para crescer, e geralmente as pessoas comprar uma já plantada ao invés de começar com a semente.

Através da pitangueira já plantada, é possível reconhecer o tipo de caule que a mesma virá a ter, e assim concluir se é um tipo de pitanga que pode ser plantada em vaso ou se tem que ser plantada no solo.

Informações Importantes Sobre a Pitangueira

A pitanga é uma planta nativa da América do Sul, exclusivamente do Brasil em regiões da Mata Atlântica, e também é altamente apreciada pelos brasileiros.

No entanto, pelo fato de ter um crescimento demorado, ser uma fruta de estações e dar frutos temporariamente (geralmente de agosto a novembro), a pitanga não é uma fruta comercializada amplamente, como as outras.

Fora do Brasil, a pitanga é chamada de cereja (berry), pelo fato de se assemelhar com outros tipos de cereja.

Inclusive, a cereja pode ser usada para várias finalidades, como a apreciação em natura, sucos, doces, receitas, saladas, drinks, chás e mais.

A pitangueira é reconhecida por ser conter muitos nutrientes importantes ao bom funcionamento e desempenho do corpo humano, fornecendo minerais e vitaminas essenciais.

Minas Gerais é o Estado onde mais há criação de pitangueiras no Brasil, mas se sabe que ela é uma planta que pode crescer em qualquer região do Brasil, mas não aguenta climas de frio severo, e no Sul sua criação é menor do que no Norte devido a esse fato.

A pitangueira é uma planta que precisa de calor e luz solar constante, assim como regas diárias, já que absorve bastante água por vez.

Características da Raiz e do Caule da Pitangueira

  • A pitangueira possui uma raiz pivotante, que cresce verticalmente (cada vez mais para baixo) e possui ramificações para os lados, chamadas de raízes capilares, que se estendem por cerca de 50 cm (no máximo).
  • A raiz da pitangueira pode alcançar até cerca de 1 metro de profundidade em espécies grandes que chegam até 2 metros de altura acima do solo.
  • Dependo da pitangueira, as mesmas podem ser criadas em vasos, o que significa que suas raízes não serão tão grandes quanto as outras.
  • Algumas espécies de pitangueiras forma trabalhadas até mesmo para virar modelos de bonsai, que são miniaturas de árvores.
  • O caule da pitangueira é irregular, podendo crescer em uma ramificação ou em várias ramificações, além de possuir tamanhos diferentes.
  • Os tipos de pitangueiras de vaso possuem caules finos, e que na maioria das vezes se adequam melhor a uma madeira de sustentação, para dessa forma crescerem com mais facilidade e mais regularmente.
  • A pitangueira leva cerca de quatro anos para desenvolver seu caule o suficiente para que suas sementes possam consumir a quantia ideal de nutrientes para começar a se desenvolver, o que significa que leva mais ou menos 4 anos para a pitangueira começar a reproduzir.

Veja também

Mangostão, Benefícios e Malefícios Da Fruta

A fruta Mangostão já mencionada nos posts deste site, é proveniente de uma planta exótica …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *