Home / Animais / Qual a Melhor Tilápia para Criar em Cativeiro?

Qual a Melhor Tilápia para Criar em Cativeiro?

As tilápias são peixes de água doce nativos da África, que forma posteriormente introduzidos na América Latina e América do Norte. No Brasil, mais precisamente, este processo iniciou-se na década de 50 e, atualmente, a tilapicultura é uma atividade econômica de bastante relevância.

Entre os anos de 2005 a 2015, a produção deste peixe teve um aumento de aproximadamente 223%. Dessa forma, apenas no ano de 2015, a produção de tilápia correspondeu a 219 mil toneladas.

Tal crescimento como atividade econômica, implicou no aumento da criação de tilápia em cativeiro e, obviamente, maior interesse sobre o assunto.

Tilápia em Cativeiro
Tilápia em Cativeiro

Talvez, você já tenha se perguntado, qual a melhor tilápia para criar em cativeiro ?

Pois bem, continue conosco para conhecer mais sobre o assunto.

Boa leitura.

Classificação Taxonômica das Tilápias

A classificação científica para as tilápias obedece à seguinte estruturação:

Reino: Animalia;

Filo: Chordata;

Classe: Actinopterygii;

Ordem: Perciformes;

Família: Cichlidae;

Subfamília: Pseudocrenilabrinae.

A classe Actinopterygii abrange os peixes cujas nadadeiras são suportadas por raios ou lepidotríquias. Ao todo, possui mais de 27 mil espécies.

A ordem Perciformes contém cerca de 40% de todas as espécies de peixes ósseos. No total, possui cerca de 160 famílias e 7.000 espécies.

Os peixes da família Cichlidae possuem o corpo comprimido lateralmente, assim como outras características peculiares (tais como presença de espinhos nas nadadeiras dorsal e anal). Este grupamento inclui 227 gêneros e 27.977 espécies- das quais, estima-se que 3.000 estejam presentes na América Central e América do Sul. No Brasil, estão presentes 81 espécies.

Existem 8 gêneros correspondentes às tilápias, dentre eles o gênero Oreochromis (no qual está a tilápia do Nilo).

Quais As Espécies de Tilápia Mais Populares no Brasil?

Atualmente, já foram descobertas cerca de 20 espécies de tilápia, das quais 4 são bastante famosas no Brasil.

Oreochromis Niloticus
Oreochromis Niloticus

A espécie tilápia do Nilo (nome científico Oreochromis niloticus) é a espécie favorita pro psicultores, uma vez que possui uma carne de boa qualidade e sabor. Suas características incluem coloração verde-prateada, assim como listras verticais escuras nas laterais do corpo e na nadadeira caudal.

Oreochromis Urolepis Hornorum
Oreochromis Urolepis Hornorum

Machos adultos da espécie tilápia de Zanzimbar (nome científico Oreochromis urolepis hornorum) possuem uma coloração muito escura- quase negra. Apesar desta tonalidade, é possível perceber nuances de vermelho, laranja ou rosa nas nadadeiras.

Oreochromis Mossambicus
Oreochromis Mossambicus

A espécie tilápia Moçambique (nome científico Oreochromis mossambicus) possui uma coloração azul-acinzentada ao longo do corpo; enquanto que o ventre possui cor branca ou cinza claro. Também possui muitas listras sutis de cor mais escura ao longo do corpo.

Oreochromis Mossambicus
Oreochromis Mossambicus

No caso da espécie tilápia azul (nome científico Oreochromis aureus), a mesma também pode ser conhecida pelo nome de tilápia aurea. Sua coloração é azul-acinzentada no corpo e mais clara no ventre. As listras também são ligeiramente sutis.

Tópicos Importantes na Criação de Tilápias

Fatores como a temperatura e o pH da água constituem (juntamente com a alimentação) os pilares para o sucesso na criação de tilápias.

A temperatura ideal deve estar compreendida entre 26 a 30 °C. Temperaturas acima desta faixa podem implicar em menor resistência a doenças e ao manejo; assim como implicar em redução do apetite. Temperaturas inferiores também acarretam consequências desagradáveis: temperaturas entre 26 a 20 °C geram perda de apetite e crescimento lento; no caso de temperaturas inferiores a 20 °C, as consequências envolvem diminuição no ritmo de crescimento, assim como pouca resistência a doenças e ao manejo.

No caso de temperaturas extremas (tais como acima de acima de 38 °C e abaixo de 14°C), as consequências podem ser até mesmo fatais.

Em relação ao pH, o ideal é que esteja neutro (ou seja, em 7). Quando o pH está muito baixo (ou seja, ácido), as tilápias podem morrer de asfixia pelo excesso de muco acumulado no corpo e nas brânquias. Na situação contrária, um pH muito alto (ou seja, alcalino) pode favorecer a formação de amônia e, consequentemente, gerar intoxicação nos peixes.

Qual a Melhor Tilápia para Criar em Cativeiro?

A preferência pela espécie tilápia do nilo não é justificada apenas pelo sabor e qualidade de sua carne, mas também ao bom desempenho dentro da criação em cativeiro, apresentando bom manejo e resistência.

Essa espécie também possui alevinos (isto é, peixes ‘filhotes’) com maior facilidade de serem encontrados à venda. Possui certa resistência à salinidade da água e até a mudanças sutis na temperaturas (desde que não sejam brucas).

De modo geral, as tilápias são consideradas um dos melhores peixes para criação em tanque, sendo a alta capacidade reprodutiva um dos fatores que mais atraem os piscicultores.

Quais os Melhores Peixes Para Criar em Cativeiro?

Com certeza, as tilápias (principalmente a tilápia do Nilo) estão entre os peixes favoritos para criação em cativeiros; porém é importante considerar que peixes como as carpas, o tambaqui, o dourado, o pacu e o pintado também são bastante procurados para esta finalidade.

Tambaqui
Tambaqui

O tambaqui (nome científico Colossoma macropomum) é um peixe amazônico que possui cerca de 110 centímetros de comprimento e pode pesar até 45 quilos. Possui coloração diferenciada entre a metade superior e a metade inferior do corpo (uma vez que há variação entre tons mais claros e mais escuros). O grande diferencial do tambaqui dentro da piscicultura é que a espécie possui grande adaptação ao policultivo (ou seja, criação de mais de uma espécie); no entanto, tal cenário não se aplica quando é a espécie predominante.

A carpa comum (nome científico Cyprinus carpio) é uma espécie que possui até 100 centímetros de comprimento; assim como coloração que varia entre o cinza e o prateado. É uma espécie originária da China. Também pode ser criada juntamente a outras espécies.

Salminus Brasiliensis
Salminus Brasiliensis

O dourado (nome científico Salminus brasiliensis) é um peixe bastante prevalente no Brasil e América Latina. Pode apresentar até 130 centímetros de comprimento e pesar até 25 quilos. Sua coloração é amarelo-ouro, apresentando listras pretas nas laterais. As barbatanas exibem certa nuance alaranjada. Possui uma grande velocidade de crescimento e ganho de peso. Apesar de ser uma espécie carnívora, adapta-se com facilidade à alimentação artificial. Também pode ser criado junto a outras espécies.

*

Gostou das dicas ?

Este artigo foi útil para você ?

O seu feedback é sempre bem-vindo por aqui.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

CPT. Tilápias: Manual Prático de Criação. Disponível em: <http://cptstatic.s3.amazonaws.com/pdf/cpt/piscicultura/tilapias-cursos-cpt.pdf>;

Intrunsul. 7 espécies para criar em tanques. Disponível em: <http://blog.instrusul.com.br/peixes-para-criar-em-tanques/>;

SPONCHIATO, D. Veja Saúde. Tilápia, o peixe que dominou o Brasil. Disponível em: <https://saude.abril.com.br/alimentacao/tilapia-o-peixe-que-domina-o-brasil/>;

Wikipédia. Tilápia. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Til%C3%A1pia>;

Veja também

Hábitat do Iaque

Hábitat do Iaque: Onde Eles Vivem?

Os iaques ou yaks (nome científico Bos grunniens) são bovídeos encontrados em áreas de levadíssima …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *