Home / Animais / Pepino do Mar Anatomia: Como Funciona Seu Corpo?

Pepino do Mar Anatomia: Como Funciona Seu Corpo?

Os pepinos do mar, também conhecidos como holotúrias, são animais equinodermos, pertencentes à classe taxonômica Holothuroidea com cerca de 1.250 espécies conhecidas. São invertebrados, logo não possuem espinha dorsal.

O formato do corpo cilíndrico e com presença de protuberâncias é uma das características físicas mais marcantes.  A anatomia dos pepinos do mar, em geral possui muitos elementos que diferenciam estes animais dos demais equinodermos.

Neste artigo em particular, você conhecerá um pouco mais sobre esses animais tão peculiares, com destaque para informações como as suas características anatômicas.

Então venha conosco e boa leitura.

Pepino do Mar Hábitat

O pepino do mar é classificado como um animal bentônico, ou seja, que vive no fundo do mar, mais precisamente no substrato de ambientes aquáticos e que não possuem capacidade plena de natação. Os organismos bentônicos de um modo geral foram citados pela primeira vez no ano de 1834 por um naturalista alemão chamado Ernst Haeckel.

Os animais bentônicos não devem ser confundidos com os animais demersais, uma vez que estes últimos também vivem no fundo do mar, porém possuem capacidade plena de natação.

No caso do pepino do mar, este passa boa parte do tempo semi-enterrado na areia, próximo às rochas na beira-mar; no entanto, também podem ser encontrados nos oceanos profundos.

Pepino do Mar Comportamento

Estes animais se alimentam de algas e lama rica em nutrientes, os quais são sugados pelos tentáculos presentes na região oral.

Em relação ao comportamento reprodutivo, os pepinos do mar podem adotar a reprodução sexuada ou assexuada. A reprodução sexuada ocorre de modo externo, uma vez que a fêmea libera milhões de ovos no oceano, os quais são fecundados pelas células sexuais do macho. Após a fecundação, os ovos se desenvolvem sozinhos. A modalidade assexuada, por sua vez, ocorre geralmente na fase larval, quando um pepino do mar se divide em dois.

A incrível capacidade regenerativa do pepino do mar permite que o mesmo manifeste um comportamento no mínimo inusitado na presença de um predador. Quando se sente ameaçado, o pepino do mar expele parte das suas vísceras, as quais se reconstituem um tempo depois. Outra estratégia de defesa é expelir uma substância pegajosa e até mesmo toxinas que podem confundir o inimigo e até mesmo matar pequenos animais.

Pepino do Mar Anatomia

Estes animais possuem entre 2 a 200 centímetros de comprimento, e espessura estimada entre 1 a 20 centímetros.

Diferentemente da maioria dos equinodermos (tais como estrela-do-mar e ouriço-do-mar) que possui simetria radial, os pepinos do mar possuem simetria bilateral.

Uma das características mais marcantes destes animais é o corpo vermiforme ou cilíndrico e achatado. Em uma das extremidades está presente a cavidade oral, a qual é formada por tentáculos (simples ou ramificados) e na cavidade oposta, encontra-se o ânus.

Normalmente, a face ventral costuma ser achatada e receber o nome de trívio, uma vez que contém três zonas ambulacrais. Os pés ambulacrais do trívio possuem ventosas e são transformados em papilas ambulacrais.

O corpo das holotúrias é revestido por um tegumento espesso e coriáceo, o qual contém corpúsculos calcários muito pequenos denominados escleritos. Esses escleritos caracterizam de certa forma o esqueleto do animal, o qual, como se pode notar, é bastante reduzido. Dentro da estrutura do esqueleto, também é possível encontrar um coroa perifaríngea formada por cinco lâminas radiais e cinco lâminas inter-radiais, as quais e conectam entre si.

Uma das vantagens referentes à redução do esqueleto calcário, é que a parede corporal manifesta maior flexibilidade. Tal como ocorre com os vermes, o tegumento de um pepino do mar se associa com a musculatura resultando em um tubo dermo muscular.

Sistema Digestivo

O tubo digestivo de um pepino do mar possui comprimento de 3 a 4 vezes superior ao comprimento do próprio corpo. Este tubo digestivo se posiciona enrolado e suspenso pelo mesentério. O diâmetro deste tubo digestivo é relativamente uniforme, e neste se distinguem uma faringe musculosa, um esôfago curto, um estomago ovoide, um longo intestino enrolado e uma coacla (porção terminal).

Em relação à coacla do animal, nesta encontram-se túbulos ramificados responsáveis por acumular água para realizar as trocas gasosas. Estes túbulos recebem o nome de hidropulmões ou árvores respiratórias.

Pepino do Mar na Mão de um Homem
Pepino do Mar na Mão de um Homem

Sistema Ambulacral

O sistema ambulacrário da holotúria é formado por um conduto circular, posicionado atrás do anel calcário. Deste conduto anular partem uma grande vesícula de Poli e cinco canais radiais.

Respiração, Excreção e Sistema Circulatório

A fisiologia respiratória ocorre ao nível do sistema ambulacrário. Em relação à excreção, não há nenhum órgão especializado para desempenha-la. A fisiologia excretória consiste na condução dos catabólitos pelos amebócitos, ao nível dos pés ambulacrais, hidropulmões ou outras estruturas expostas à água. A eliminação desses catabólitos ocorre por difusão.

O sistema circulatório não conta com a presença de coração, e sim com um sistema de canais pseudohemais dispostos radialmente.

Pepino do Mar Curiosidades Finais

O pepino do mar é amplamente empregado na culinária asiática, principalmente de países como a China, Malásia e Japão.

Existe um prato tradicional na China denominado bêche-de-mer, no qual a parede exterior do animal é separada e fervida. O nome atribuído a este prato também é o mesmo utilizado para se referir a algumas espécies de holotúria em particular, estas espécies sofreram uma considerável redução populacional em todo o mundo, principalmente em razão da comercialização ilegal.

Além da aplicação culinária, os pepinos do mar também são empregados na confecção de produtos farmacêuticos e de higiene pessoal, tais como xampu e creme dental.

As holotúrias também apresentam importantes propriedades nutricionais, uma vez que contém elevado teor de sulfato de condroitina, considerado o principal componente da cartilagem. A perda de sulfato de condroitina resulta em artrites e dores articulares.

Além das dores articulares, outros quadros como fadiga e impotência também são tratados na medicina tradicional chinesa a partir do consumo de pepino do mar com arroz branco. Convém lembrar que as holotúrias, assim como os demais equinodermos, também são ricas em carboidratos complexos.

*

Depois de conhecer a anatomia do pepino do mar, nossa equipe o convida a continuar conosco para visitar também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Britannica Escola. Pepino-do-mar. Disponível em: <https://escola.britannica.com.br/artigo/pepino-do-mar/605933>;

Ciências Resumos. Pepino do Mar- Anatomia e características do equinodermo. Disponível em: <https://www.cienciasresumos.com.br/animais-marinhos/pepino-do-mar/>;

Veja também

Mulher Cuidando do seu Cachorro Com Convulsão

O Que Provoca Convulsão Em Cachorro? O Que Fazer Na Crise?

Se existe um animal que conseguiu cativar o carinho dos humanos, esse animal é o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *