Home / Animais / Pepino Do Mar É Comestível? É Legume Ou Animal?

Pepino Do Mar É Comestível? É Legume Ou Animal?

Muita gente nem acredita que certos animais serve de alimento (e até mesmo como uma iguaria cara) em certas partes do mundo. É o que acontece com o pepino do mar, amplamente consumido em diversos países.

Vamos saber mais a respeito disso? Então, prepare o estômago (ou não) para descobrir se, de fato, o pepino do mar, pode servir de alimento.

Algumas Características Básicas Do Pepino Do Mar

Apesar do nome popular, o pepino do mar é um animal, e não um legume. Faz parte do grupo dos equinodermos, que é o mesmo das estrelas do mar e dos ouriços do mar. São animais que compõem um bom número de espécies ao redor do mundo, possuindo, no total, cerca de 1250 tipos de pepinos do mar.

E, na verdade, esses bichos compõem uma classe muito antiga de seres vivos, cujos membros atuais resultaram de antepassados de 540 milhões de anos trás, mais ou menos. São animais que podem ser encontrados, desde as zonas intertidais dos litorais, até o mais profundo das fossas oceânicas, habitando em praticamente tosos os mares do mundo.

Esses bichos se alimentam basicamente de material orgânico que se encontra em suspensão ou depositados nos substratos onde o pepino do mar se movimenta. E, falando em movimentação, esse animal se locomove através de pequenos membros chamados de pés ambulacrários, e o seu corpo é recoberto por minúsculos tentáculos retráteis.

Os pepinos do mar possuem um crescimento muito lento, atingindo a maturidade somente a partir dos 5 anos de idade. Além disso, a depender da espécie, variam bastante de tamanho, podendo ir de apenas 1 cm a incríveis 5 metros de comprimento. Como vivem rastejando no leito dos oceanos, tamanho, de fato, não é problema, com as espécies podendo ter variações enormes de tamanho.

É Verdade Que Esses Tais Pepinos Do Mar São Comestíveis?

Sim, é verdade. Durante séculos e séculos esses animais um tanto estranhos serviram de alimento para povos no Japão, na China e na Coreia. Além da parte culinária, os pepinos do mar também foram bastante usados nessas regiões devido à crença em suas propriedades curativas e até mesmo afrodisíacas.

E, pode parecer incrível, mas, o pescado de pepinos do mar faz parte de um negócio multimilionário no mundo, onde está envolvida até mesmo a Yakusa (a máfia japonesa), acredite se quiser! Porém, é bom destacar que nem todas as espécies são comestíveis, e as que são, precisam ser previamente preparadas. Isso porque esses animais produzem uma toxina como forma de defesa, que precisa ser devidamente neutralizada para consumo.

Pepinos Do Mar  na Mão de um Mergulhador
Pepinos Do Mar na Mão de um Mergulhador

Esses pepinos do mar podem ser consumidos de forma crua ou a seco. Nesse ultimo caso, são conhecidos pelo nome de Trepang (que é uma palavra de origem Malaia) ou pela denominação de Bêche-de-mer (uma adaptação francesa do nosso bicho-do-mar). Nesses lugares, é considerada uma verdadeira delícia gastronômica, sendo usada tanto em sopas, quanto em pratos especiais.

Depois de devidamente cozido, o pepino do mar apresenta uma textura bem suave e cartilaginosa, quase transparente. O mais interessante é que ele acaba absorvendo os sabores de todos os molhos colocados, o que acaba meio que neutralizando o seu próprio gosto.

Na questão medicinal, esse animal é usado há tempos pelos asiáticos no combate à artrite, a leões nos tendões, ligamentos e articulações, além de dores e inflamações musculares, e até mesmo no tratamento à hipertensão. Somente nas últimas décadas que a medicina ocidental e cientistas de um modo geral passaram a investigar as propriedades do pepino do mar para combater artrites e problemas nas articulações em geral.

Propriedades Nutritivas Do Pepino Do Mar

Não é à toa que os pepinos do mar, segundo relatos, são tão bons no combate à doenças e problemas de saúde em geral. Pra começar, eles são ricos em vitaminas A, C e do complexo B, e mais alguns minerais. No entanto, as substâncias em maior abundância nesse animal são os mucopolissacáridos e as GAGs (sigla para glucosaminoglicanas).

Como destaque entre as glucosaminoglicanas, podemos citar o sulfato de condroitina, que é uma combinação de sulfato de glucosamina com açúcares. Acredita-se que a glucosamina tenha papel fundamental na formação e reparação de cartilagens.

Importante destacar ainda que tais substâncias têm sido extraídas, nos últimos anos, de esqueletos externos de lagostas, caranguejos e camarões. Inclusive, a glucosamina retirada de certos tubarões já é usada para a fabricação de suplementos alimentares e dietéticos.

Qualidade Premium Pepino Seco Do Mar
Qualidade Premium Pepino Seco Do Mar

Já as toxinas fabricadas por algumas espécies de pepinos do mar possuem interessante farmacológico, sendo que alguns dos seus compostos isolados agem como anti-inflamatórios e anti-coagulantes, por exemplo.

Pescadores que vivem nas ilhas do Pacífico usam essa toxina do pepino do mar para atrair peixes e polvos, e muitas dessas substâncias são inibidoras respiratórias, o que facilita a pesca.

Risco de Extinção

Justamente por ser uma iguaria apreciada na culinária, e ter propriedades medicinais, os pepinos do mar veem passando por dificuldades devido à pesca excessiva de suas espécies. Pra se ter uma ideia, ele é vendido a preços exorbitantes, e a demanda crescente resultou numa pesca ilegal generalizada.

E, o desaparecimento desses animais já resultou em prejuízos ecológicos em algumas áreas. Isso porque os pepinos do mar funcionam como verdadeiros “faxineiros” do mar, limpando a área de sedimentos e resíduos orgânicos. Como consequência da pesca indiscriminada, em alguns locais, as águas de algumas partes costeiras passaram a ficar mais sujas e poluídas.

Recifes de corais inteiros também sofrem com o desaparecimento dos pepinos do mar, pois eles auxiliam na minimização dos efeitos da acidificação da água. E, como quanto mais ácida a água, pior para a sobrevivência dos corais, imagine o tamanho do desastre ambiental.

Governos de alguns países têm se esforçado para evitar a pesca e a exportação indiscriminada desse animal, mas, por enquanto, o pepino do mar continua correndo risco de extinção, e se isso acontecer, não apenas muitos ficarão sem essa iguaria em seus pratos, como os impactos negativos ambientais poderão ser irrefreáveis.

Mas, e então? Depois de saber dessas histórias todas, teria coragem de comer um delicioso prato à base do mais saborosos pepino do mar?

Veja também

Ciclo do Muar Manejo dos Muares e Cruzamentos

Os burros, muares fruto de cruzamento, foram supostamente domesticados há cerca de 5000 anos, no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *