Home / Plantas / Toxina da Carambola Mito, Intoxicação e Nefrotóxica

Toxina da Carambola Mito, Intoxicação e Nefrotóxica

Um dos alimentos que é muito popular na infância das pessoas, especialmente quem foi criado em sítios ou lugares com quintais grandes, era a carambola. Com seu formato peculiar e gosto bem azedinho e gostoso, não havia ninguém que conseguisse desviar da vontade de comer essas frutas. Como bem sabemos, a maioria das frutas trazem benefícios inigualáveis para a nossa saúde, e a carambola não é diferente.

O único problema, é que assim como benefícios, ela também tem consigo um malefício bem sério. No post de hoje iremos contar a relação da toxina presente na carambola, como é a sua intoxicação e mais sobre a nefrotoxina que existe nela.

Mais Sobre a Carambola

A fruta carambola é muito conhecida por todo o Brasil, e é normalmente vista nos sítios, fazendas e até quintais grandes. Essa fruta é originada da árvore caramboleira, que possui o nome científico de Averrhoa carambola. Faz parte da família das Oxalidaceae, e apesar de poder alcançar um bom tamanho em altura, não é considerada uma árvore de porte grande, e sim médio. É originária da Índia, no qual junto com o Brasil e a China, são os países que mais a consomem

A árvore da carambola possui um crescimento bem lento, perene, e o máximo que conseguem alcançar de altura é 15 metros, mas somente depois de 25 anos. Suas folhas decíduas ficam dispostas em espiral, e junto estão suas flores que são brancas e purpúreas. Apesar de gerar fruto, também é muito utilizada como árvore ornamental e também como planta de arborização.

Os frutos, logo, a parte que comemos são o que realmente chamam a atenção. Eles são vistosos, e de um formato oblonga, parecendo uma estrela. Sua pele é fina, quando ainda não está madura, sendo de coloração verde. Mas quando está madura, de coloração amarela. Ao chegar na coloração amarela, sabemos que está perfeita para o consumo. A principal característica desse fruto é seu gosto, que consegue ser azedo e doce ao mesmo tempo.

Essa fruta é chamada de fruta de quintal, já que seu cultivo não é feito em escala. Somente depois de quatro anos ela começa a produzir frutos, mas quando dá, é uma quantidade gigantesca de carambolas. Podendo ultrapassar 200 frutos. Ela foi introduzida aqui no Brasil em 1817, e desde então já faz parte da nossa alimentação, principalmente na região Nordeste. Além de comermos pura, também fazemos geleias, sucos e conservas da fruta. O que muitos não sabem, é que assim como benefícios essa fruta pode trazer um sério malefício para nosso corpo.

Toxina da Carambola Mito, Intoxicação e Nefrotóxica

Para saber mais sobre os grandes benefícios que a carambola traz, você pode ler aqui: Carambola: Benefícios e Malefícios

Entretanto, apesar dos benefícios, recentemente pesquisas foram feitas e descobriram que a carambola possui uma toxina muito ruim para o nosso organismo. Isso porque muitas pessoas acabavam divulgando que a carambola era um ótimo remédio natural, porém não exatamente.

No começo da década de 90, começaram a surgir diversos casos de pessoas que tinham insuficiência renal, e apresentavam sintomas físicos e neurológicos subitamente após consumir carambola. Nesses casos, de 20% a 40% resultava em morte. Logo, estudos começaram a ser feitos para entender o que realmente causava aquilo. Foi então que descobriram uma neurotoxina, chamada de caramboxina. Essa substancia tóxica age diretamente no nosso sistema nervoso central, e causa a hiperexcitabilidade do cérebro. O que basicamente faz com que a pessoa fique muito agitada, em casos mais graves, tendo até convulsões.

Mas você não precisa parar de comer completamente a carambola. Isso ocorre mais com pessoas que possuem insuficiência renal. Ou seja, a caramboxina que deveria ser eliminada pelos rins através da urina, não é eliminada e fica acumulada no sangue. Quem não sofre desse mal, pode comer carambola sem nenhum problema, mas nunca em doses exageradas. Nos anos recentes, descobriram que a intoxicação pode ocorrer até em pessoas que não tem problemas renais. Assim como quem tem problemas renais, a nefropatia por oxalato pode ocorrer.

A nefropatia por oxalato é uma conhecida causa de insuficiência renal, que não é exclusiva dos pacientes com intoxicação por carambola. O primeiro sintoma da intoxicação costuma ser soluços, que não cessam hora nenhuma. Logo depois outros sinais vão aparecendo. Em uma ordem até o pior seriam:

Carambola Pronta
Carambola Pronta
  • Vômitos.
  • Dor lombar.
  • Fraqueza muscular.
  • Perda da sensibilidade nos membros.
  • Insônia.
  • Agitação psicomotora.
  • Confusão mental.
  • Crise convulsiva
  • Hipotensão arterial.
  • Insuficiência respiratória
  • Coma
  • Morte.

Pacientes que estejam sofrendo com intoxicação apresentando esses sintomas devem ir imediatamente ao médico. Normalmente quem possui problemas renais rapidamente consegue dar o diagnostico do que está acontecendo. Quem não sofre desses problemas, costuma demorar um pouco mais. Para o tratamento, no momento só existe um único que é efetivo, e feito tanto para quem tem problemas renais quanto para quem não tem. No caso, é a hemodiálise, que deve ser feita em sessões diárias. Quanto mais grave o caso, mais sessões de hemodiálise são precisas.

Quem os sintomas ainda são mais leves e não atingiu o sistema nervoso central, normalmente em até 3 sessões de hemodiálise os casos já melhoram. Os mais graves costumam levar até 7 dias. O quanto antes você for ao médico, maior a chance de você conseguir se livrar da intoxicação.

Esperamos que o post tenha te ajudado a entender um pouco mais sobre a carambola e tudo em relação a sua intoxicação. Não esqueça de deixar um comentário nos contando o que achou e também deixar suas dúvidas. Ficaremos felizes em ajuda-los. Você pode ler mais sobre carambola e outros assuntos de biologia aqui no site!

Veja também

Curiosidades Sobre a Ameixa e Fatos Interessantes

A ameixa é um membro da família das rosas e é um parente próximo de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *