Home / Natureza / Ciclo de Vida do Caranguejo-Uça

Ciclo de Vida do Caranguejo-Uça

O ciclo de vida do caranguejo-uçá (Ucides cordatus) possui pouca diferença em relação aos demais tipos de caranguejos ao redor do mundo.

Inclusive, o caranguejo-uçá é proeminentemente brasileiro, mas sua distribuição vai de Norte ao Sul nas Américas.

É possível encontrar o caranguejo-uçá nas margens de praias e regiões de pantanais da costa da Flórida, assim como em rios, brejos e mangues do Uruguai e na fronteira Norte da Argentina.

Não obstante, o caranguejo-uçá é nativo dessas regiões, o que se faz crer que o mesmo consiga se reproduzir através de toda a costa Leste do Oceano Atlântico.

No Brasil, o caranguejo-uçá também possui outros nomes, dependendo da região.

A espécie Ucides cordatus também pode ser chamada, no Brasil, de Uçá, Catanhão, Caranguejo-Verdadeiro e Uçaúna.

Na América do Norte, o caranguejo-uçá é chamado de caranguejo-fantasma-do-brejo ou de caranguejo-peludo.

Ucides Cordatus
Ucides Cordatus

Além disso, no Brasil, o caranguejo-uçá é um dos caranguejos em maior número, e isso faz com que eles movimentem a economia do País e garantam, também, o sustento de muitas famílias, tanto com as vendas quanto com o consumo.

Assim como outros caranguejos, o caranguejo-uçá possui duas patas adaptadas em forma de pinça, também chamadas de garras.

Tais pinças são dentadas e afiadas, e possuem vários usos.

Na verdade, a pinça esquerda é mais robusta, e ela é mais forte e afiada, e é usada para caçar, cortar e destruir alimentos ou objetos.

A pinça esquerda, apesar de também funcionar como uma garra, possui a função de manejar alimentos e levar comida à boca do caranguejo-uçá.

No mais, o caranguejo-uçá macho também se diferencia do caranguejo-uçá fêmea, onde as fêmeas são mais arredondadas e suas patas são mais curtas, apesar de possuírem quase o mesmo tamanho.

Conheça o Ciclo de Vida do Caranguejo-Uçá

Antes de mais nada, o caranguejo-uçá só começará a se reproduzir quando atingir um nível de maturidade suficiente para que suas gônadas fiquem plenamente desenvolvidas.

Nas fêmeas, esse desenvolvimento é um pouco mais lento, ou seja, elas atingem a maturidade sexual depois do macho.

O caranguejo-uçá fêmea tem a capacidade de produzir cerca de 100 mil ovos, porém, a maioria deles é consumido em forma de plâncton por outras criaturas marinhas.

A reprodução do caranguejo-uçá ocorrerá quando a fêmea estiver apta e um caranguejo macho conquista-la, ato esse que pode levar alguns dias.

Apesar do macho conseguir conquistar a fêmea, o ato sexual só ocorrerá quando a fêmea está em fase de mudança, onde seu exoesqueleto, ou sua casca, está sendo renovada.

É possível que nesse período o macho fique atrelado à fêmea até ela completar a mudança da carapaça.

Os casal de caranguejo-uçá escolhe um lugar seguro para se reproduzirem, e a fêmea, percebendo que o local é seguro, pode depositar seus ovos no mesmo local.

Esse ato não é unânime, pois grande parte das fêmeas carregam o esperma do macho por algum tempo até soltá-lo em cima de seus óvulos.

Os ovos irão chocar e a larva do caranguejo, chamada de Megalopae, se desenvolverá até ficarem juvenis, fase essa que leva o maior período de vida dos caranguejos, antes de se tornarem adultos.

Os caranguejos-juvenis se alimentam de organismos microscópicos por anos, até que suas gônadas se desenvolvam e os mesmos possam se reproduzir.

O relacionamento do caranguejo-uçá é estritamente solitário, e o casal só fica junto durante a época de reprodução.

Cadeia Alimentar que Sustenta o Clico de Vida do Caranguejo-Uçá

A existência do caranguejo-uçá é um determinante equilíbrio para a vida marinha dos habitats em que está presente.

De fato, o caranguejo-uçá é um crustáceo herbívoro, e por isso é considerado um animal primário, isto é, um animal que se alimenta de plantas e algas, tornando-se, principalmente, o alimento exclusivo de animais consumidores, como peixes, raias, tubarões, povos e tartarugas.

Em suas primeiras semanas de vida, o caranguejo-uçá se alimenta de poliquetas e organismos microscópicos achados nos sedimentos aquáticos.

Quando cresce, o caranguejo-uçá sai de suas tocas para buscar folhas em decomposição, da qual se alimentam por meses.

O caranguejo-uçá, apesar de ser de importância estritamente aquática, é um caranguejo que também vive parte da vida em solo, onde passa todo o tempo procurando por comida.

A opção de procurar comida em solo se dá ao fato de não haver presença constante de predadores.

Na maioria das vezes, o caranguejo-uçá se alimenta de decomposições de material orgânico, e é por isso que eles sempre estão presentes nas encostas com manguezais, que são filtros naturais e fornecem alimento suficiente para os mesmos e todas as outras espécies de caranguejos existentes.

Foi constatado que o caranguejo-uçá tem forte preferência pela folha do mangue-avermelhado, ou mangue-vermelho (Rhizophora mangle).

O caranguejo-uçá, além de comer, ele leva grande parte de seus alimentos para suas tocas, para não ter que sair das mesmas, exceto quando o alimento acaba ou acaba se decompondo.

Além disso, o caranguejo-uçá também enterra suas folhas, para evitar que sejam levadas por possíveis ondas que cheguem às suas tocas.

Informações Sobre o Comportamento do Caranguejo-Uçá

Todo o tempo que o caranguejo-uçá passa no solo, ele passa se alimentando ou procurando por alimento.

Os mesmos comem fora das tocas, mas preferem levar seus alimentos para dentro das mesmas.

São caranguejos de hábitos vespertinos, e durante a noite tentam se camuflar por entre as pedras, ou dormem em suas tocas quando a maré está baixa.

Quando a maré sobe, o caranguejo passa o dia se alimentando da folha dos mangues e vivem trepados nas raízes das árvores, momento esse em que ficam muito vulneráveis a predadores aéreos, como as gaivotas e aves de rapinas, especialmente durante o período noturno, onde as corujas os caçam durante as cheias.

O caranguejo-uçá não é um predador, e apesar de ter fortes e robustas garrafas afiadas, o mesmo somente as suas para confrontos e defesa, assim como para manejar seu alimentos e cortá-los, se necessário.

A importância do caranguejo-uçá para os mangues e habitats em geral é conspícua, por isso existe um controle absoluto por entidades de proteção que proíbem a caça durante o período de reprodução.

Por fim, o caranguejo-uçá pode viver de 1 até 8 anos de vida.

Veja também

Camelo Australiano: Características, Nome Cientifico, Extinção e fotos

Você sabia que a Austrália possui um grupo de imigrantes que estão no país desde …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *