Home / Plantas / Pé de Árvore Chorão: Para Que Serve?

Pé de Árvore Chorão: Para Que Serve?

Pergunte a qualquer jardineiro ou paisagista esta questão sobre o plantio de um salgueiro-chorão e você terá algumas respostas variadas. Estas belas árvores trazem fortes opiniões nas pessoas!

Pé de Arvore Chorão para que Serve?

O pé de árvore chorão, salix babylonica, é nativo da China, mas foi introduzido em todo o mundo como ornamental e para o controle da erosão. Os salgueiros podem se espalhar vegetativamente e também via sementes, e podem facilmente invadir riachos, rios e zonas úmidas, bem como outras áreas intactas.

A formação de seus galhos faz com que os pés de árvore chorão sejam uma atração pra crianças, sendo fáceis de escalar, transformando num refúgio, criando cenários e fazendo brilhar a imaginação. Em função de sua dimensão, da configuração de seus ramos e a intensidade de sua folhagem, a árvore chorão nos fazem imaginar um oásis no deserto, a sensação que isso daria.

O pé de árvore chorão é mais do que uma planta linda, mas também de grande utilidade para fazer várias coisas. Em vários países pessoas usam itens dessa árvore de diversas formas. Galhos, folhas e ramos, e até a casca criam ferramentas, móveis, instrumentos musicais, etc.

A madeira da árvore chorão é usada na fabricação de bastões, móveis e caixotes de críquete, para cestos e madeira utilitária, na Noruega e no norte da Europa é usado para fazer flautas e outros instrumentos de sopro. As pessoas também podem extrair corante da árvore chorão que podem ser usados para curtir couro. Galhos da árvore chorão e casca também são usados por pessoas que vivem da terra para fazer armadilhas para peixes.

Valor Medicinal de Árvores Chorão

Dentro da casca e a seiva leitosa da árvore chorão há uma substância chamada ácido salicílico. Pessoas de várias épocas e culturas descobriram e aproveitaram as propriedades eficazes da substância para tratar dores de cabeça e febre.

  • Febre e redução da dor – Hipócrates, um médico que viveu na Grécia antiga no quinto século AC, descobriu que a seiva [?] da árvore chorão, quando mastigado, poderia reduzir a febre e reduzir a dor.
  • Alívio da dor de dente – Os nativos americanos descobriram as propriedades curativas da casca do salgueiro e usaram-na para tratar febre, artrite, dores de cabeça e dores de dente. Em algumas tribos, a árvore chorão era conhecida como “árvore de dor de dente”.

  • Aspirina sintética inspirada – Edward Stone, um ministro britânico, fez experimentos em 1763 sobre casca e folhas da árvore chorão e identificou e isolou o ácido salicílico. O ácido causou muito desconforto estomacal até ser amplamente utilizado até 1897, quando um químico chamado Felix Hoffman criou uma versão sintética que era suave para o estômago. Hoffman chamou sua invenção de “aspirina” e produziu para sua empresa, a Bayer.

A Árvore Chorão em Contextos Culturais

Você encontrará a árvore chorão em uma variedade de expressões culturais, seja nas artes ou na espiritualidade. Os salgueiros geralmente aparecem como símbolos de morte e perda, mas também trazem magia e mistério para a mente das pessoas.

Os pés de árvore chorão aparecem como símbolos poderosos na literatura moderna e clássica. As interpretações tradicionais associam o salgueiro à dor, mas as interpretações modernas às vezes mapeiam um novo território para o significado da árvore chorão.

A mais famosa referência literária a árvore chorão é provavelmente Willow Song, de William Shakespeare, em Otelo. Desdêmona, a heroína da peça, canta a música em seu desespero. Muitos compositores criaram versões e interpretações dessa música, mas a versão da Digital Tradition é uma das mais antigas. O primeiro registro escrito de The Willow Song é de 1583 e foi escrito para o alaúde, um instrumento de cordas como uma guitarra, mas com um som mais suave.

William Shakespeare também usa o simbolismo triste da árvore chorão em Hamlet. Ofélia condenada cai no rio quando o ramo da árvore chorão em que ela está sentada se rompe. Ela flutua por um tempo, impulsionada pela roupa, mas afunda e afoga-se.

O pé de salgueiro chorão também é mencionado na Noite de Reis, onde simbolizam o amor não correspondido. Viola está insistindo em seu amor por Orsino quando ela, vestida como Caesario, responde à pergunta da Condessa Olivia sobre se apaixonar dizendo “me faça uma cabana de salgueiro em seu portão, e chame minha alma dentro de casa”.

Nas famosas séries de fantasias que inclusive saíram dos livros para as telonas de cinema do mundo inteiro e tornaram-se grandes campeões de bilheteria, ‘O Senhor dos Anéis’ (de JRR Tolkien) e também ‘Harry Potter’ (de JK Rowling), a árvore chorão também é prestigiada com grande destaque em diversas passagens.

A Árvore Chorão

Árvores chorão são literalmente usados para arte. Desenhar carvão é freqüentemente feito de casca de árvores chorão processadas. Como as árvores chorão têm galhos que se curvam no chão e parecem chorar, eles são freqüentemente vistos como símbolos da morte. Se você olhar atentamente para pinturas e jóias da era vitoriana, às vezes você pode ver uma obra de funeral comemorando a morte de alguém pela ilustração de uma árvore chorão.

Religião, Espiritualidade e Mitologia

A árvore chorão é destaque em espiritualidades e mitologias em todo o mundo, tanto antigos quanto modernos. A beleza, a dignidade e a graça da árvore evocam sentimentos, emoções e associações que vão da melancolia à magia e ao fortalecimento.

Judaísmo e Cristianismo: na Bíblia, o Salmo 137 se refere aos salgueiros nos quais os judeus que foram mantidos em cativeiro na Babilônia penduraram suas harpas enquanto lamentavam por Israel, seu lar. Acredita-se, no entanto, que essas árvores possam ter sido álamos. Os salgueiros também são vistos na Bíblia como precursores de estabilidade e permanência quando um profeta no livro de Ezequiel planta uma semente “como um salgueiro”.

Grécia Antiga: na mitologia grega, a árvore chorão anda de mãos dadas com magia, feitiçaria e criatividade. Hécate, uma das figuras mais poderosas do submundo, ensinava feitiçaria e era a deusa do salgueiro e da lua. Os poetas foram inspirados por Heliconian, a musa do salgueiro, e o poeta Orpheus viajou para o submundo carregando galhos de uma árvore chorão.

China Antiga: os pés de árvore chorão não só crescem até 2,5 metros por ano, mas também crescem com grande facilidade quando você coloca um galho no chão, e as árvores prontamente recuam mesmo quando suportam cortes severos. Os antigos chineses tomaram nota dessas qualidades e viram a árvore chorão como um símbolo de imortalidade e renovação.

Espiritualidade nativa americana: as árvores chorão simbolizavam várias coisas para as tribos nativas americanas. Para o Arapaho, os árvores chorão representavam longevidade por causa de sua capacidade de crescimento e rebrota. Para outros nativos americanos, árvores chorão significavam proteção. Os Karuks fixaram ramos de árvores chorão em seus barcos para protegê-los das tempestades. Várias tribos no norte da Califórnia levaram os ramos para protegê-los espiritualmente.

Mitologia celta: os salgueiros eram considerados sagrados pelos druidas e, para os irlandeses, eles são uma das sete árvores sagradas . Na mitologia celta: as árvores chorão estão associados ao amor, à fertilidade e aos direitos de passagem das jovens.

Veja também

Qual é a Flor Símbolo da Amizade? Do Amor Platônico?

Ao escolher uma flor que simboliza a amizade, até mesmo os amigos mais tímidos podem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *