Home / Plantas / Pé de Araçá: Tempo Para Dar Frutos, Raiz e Características das Folhas

Pé de Araçá: Tempo Para Dar Frutos, Raiz e Características das Folhas

O tempo para que um pé de araçá dê frutos, além das características das suas raízes e folhas, são fatores relacionados com as origens dessa fruta tipicamente brasileira.

Logo, um clima tropical, com temperaturas médias entre 25 e 35°C, umidade relativa do ar entre 70 e 80%, solo fértil, entre outras características semelhantes, é tudo de que ela precisa para desenvolver-se com todas as suas principais singularidades.

O araçazeiro possui uma copa com folhas sem penugem, com mais ou menos 8 ou 10 cm, lisas, coriáceas (com textura que lembra o do couro), além de compor uma folhagem perenifólia (cujas folhas não caem no outono).

Suas raízes são delicadas, não ultrapassam 30 ou 40 cm, e caso encontrem um solo fértil, úmido e bem drenado, o resultado será uma árvore forte e vigorosa, que em no máximo 1 ou 2 anos já começará a dar frutos.

O araçá é a Psidium Cattleianum, uma planta da família das Myrtaceas, cujas origens são bastante controversas. Há quem seja capaz de jurar que elas são originárias da África, onde se desenvolviam em áreas abertas, e em muito beneficiadas pela polinização – o melhor método de propagação da espécie.

Mas há também quem garanta que estão na Ásia as suas origens, nas distantes e quase insondáveis regiões do Sudeste Asiático, em países como Vietnã, Camboja, Laos, Singapura, entre outros países desse trecho do continente.

Pé de Araçá Boi

E há, por fim, quem afirme que o Brasil é a pátria da Psidium Cattleianum, ou simplesmente araçá! É daqui que elas partem para o mundo! É aqui que elas encontram as condições ideias de sobrevivência – e na região sudeste, o seu verdadeiro porto seguro.

Além do Tempo para dar Frutos, Raízes e Características das suas Folhas, o que mais Saber Sobre o Cultivo do Araçá?

Talvez o mais importante a saber sobre o cultivo do araçá é que essa espécie não tolera, de maneira alguma, solos encharcados. Portanto, o ideal é que você possa oferecer-lhe um solo arenoso, com pH entre 4 e 6, bastante rico em material orgânico, em um ambiente com umidade relativa do ar entre 70 e 80%, entre outras características.

Mas o surpreendente é saber que, caso lhe seja oferecida determinadas condições, a espécie pode desenvolver-se a contento até mesmo em regiões com temperaturas que aproximem-se de 0°, o que faz com que brasileiros moradores da Europa agora possam também aproveitar-se dos seus excelentes predicados.

Como uma técnica de cultivo, recomenda-se a utilização das suas sementes – técnicas como alporquia e eustaquia podem ser utilizadas, mas uma das características do araçazeiro é justamente propagar-se com maior facilidade com a ajuda de aves e insetos, que espalham, por polinização e dispersão, a Psidium Cattleianum desde a Bahia até o Rio Grande do Sul.

Após retirar as sementes, seque-as, e as introduza (3 ou 4 sementes) em buracos com até 1 cm de profundidade, em um vaso com no mínimo 40 L (ou 20 cm de diâmetro), enriquecido com um bom substrato à base de esterco de galinha, de caprino ou suíno, mais areia, cascalho, ou qualquer outro material que lhe permita uma boa drenagem.

Se tudo ocorrer bem – e mantidas as regas diárias – , o araçá deverá começar a germinar em no máximo 30 dias. Quando notar que a planta já atingiu cerca de 50 cm, transporte-a para uma área externa, com bastante sol e espaço.

Abra uma cova com 40 ou 50 cm de profundidade, acrescente um adubo e terra vegetal de qualidade, e aí então é só aguardar o tempo necessário para que o seu pé de araçá comece a dar frutos, desenvolva corretamente as suas raízes e exiba as belas características das suas folhas e flores.

Araçazeiro: uma Espécie com Raízes Superficiais, Folhas com Características Perenes e que Exige um Bom Tempo para dar Frutos

Essa espécie é realmente formidável! Após atingir a sua maturidade (por volta dos 3 ou 4 meses), ela pouco ou quase nenhum cuidado exige.

Em um quintal, o araçazeiro se desenvolverá a contento, só exigindo mesmo um espaço amplo, arejado, ensolarado e bastante ventilado.

Mas isso não impede que, durante o inverno, você reforce a adubação com esterco de galinha e um bom composto vegetal apenas ao redor da planta, a fim de que ela possa repor a quantidade de nutrientes consumidos durante o desenvolvimento das suas raízes e partes aéreas.

Uma quantidade razoável de cinzas de troncos e de madeiras consegue fornecer à planta boas quantidades de potássio, necessário para o desenvolvimento das raízes.

Terra vegetal e areia grossa também podem ser acrescentadas, como forma de melhorar a drenagem e evitar que a raiz encharque.

Aqui é necessário abrir um parêntese para falar sobre a poda. Esse é talvez o cuidado mais importante quando assunto é a diminuição do tempo para que um pé de araçá dê frutos, bem como para a garantia de folhas com as suas belas características, além de também garantir que as raízes possam distribuir melhor os nutrientes absorvidos do solo.

A maioria dos técnicos em agronomia recomendam a “poda de formação”, como uma técnica capaz de fazer com que a Psidiu cattleianum desenvolva-se a contento.

Para tal, basta que você retire tudo o que for galhos mortos, ramos fracos, frutos doentes, e tudo o mais que impeça o arejamento da planta.

Essa prática é o que impede que ela gaste boa parte das suas reservas nutritivas com partes aéreas que não se desenvolverão adequadamente, e que da mesma forma exigirão maiores gastos com adubação e demais cuidados.

Dessa forma, você fará com que sobre mais energia para o que realmente importa (ao menos para muitos): os seus frutos! Doces e suculentos frutos! Verdadeiro manancial de vitamina C! Capazes de produzir um suco dos mais refrescantes e saborosos dentre todas as espécies frutíferas brasileiras.

E capazes também de produzir doces que são quase como patrimônios culturais em diversas regiões do país, especialmente na região sudeste, de onde elas saem para diversas regiões do Brasil e agora também do mundo.

Agora gostaríamos que nos dissesse o que achou desse artigo por meio de um comentário, logo abaixo. É por meio dele que conseguimos aprimorar, ainda mais, os nossos conteúdos. E continue compartilhando, questionando, discutindo e refletindo sobre as informações do blog.

Veja também

Curiosidades Sobre a Ameixa e Fatos Interessantes

A ameixa é um membro da família das rosas e é um parente próximo de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *