Home / Plantas / Como Aumentar a Proteína da Farinha de Trigo?

Como Aumentar a Proteína da Farinha de Trigo?

A farinha de trigo é um ingrediente muito utilizado na culinária brasileira para a preparação de uma grande infinidade de pratos, principalmente porque ela é extremamente útil para dar liga a diversas receitas e também possui muitos nutrientes.

Apesar disso, nem todo mundo gosta de consumir farinha. Apesar do trigo ser uma fonte de fibras, a farinha pode acabar nem sempre sendo tão benéfica e rica em proteínas assim, o que faz com que muitas pessoas acabem trocando a farinha de trigo por outras que exercem a mesma função.

Porém, sabemos que a farinha de trigo é uma das que possuem menor valor nos mercados, e por isso ela é tão utilizada na culinária e nem sempre conseguimos substituí-la; logo, uma boa ideia é trocar o tipo de farinha de trigo que você utiliza por uma mais proteica.

Portanto, continue lendo esse artigo para entender bem quais são os tipos de farinha de trigo existente, como essas farinhas são classificadas e como aumentar a proteína da farinha de trigo, sabendo também qual a função dessas proteínas!

Os Tipos de Farinha de Trigo

Muitas pessoas não sabem, mas não existe apenas um tipo de farinha de trigo no mundo, mas sim três. Para entendermos como essa classificação funciona, precisamos primeiro entender quais são as 3 partes da divisão do trigo.

  1. Farelo: o farelo do trigo é a parte externa dele (que vemos em fotos, por exemplo), essa parte é extremamente rica em fibras alimentares;
  2. Endosperma: é a camada do meio do trigo, ela essa parte é rica em proteínas alimentares;
  3. Gérmen: é a camada de dentro do trigo, essa parte é rica em gorduras e diversas vitaminas alimentares.

Logo, podemos perceber que o tipo de farinha irá mudar de acordo com o tipo de parte de trigo que vai para moagem. Logo, 3 partes de divisão do trigo e 3 tipos de farinha de trigo. Vamos ver agora quais são os tipos de farinha existentes.

  • Farinha branca: essa farinha é a que temos como resultado da moagem do endosperma, ou seja, a parte rica em proteínas. Essa farinha é mais rica em glúten e possui um sabor mais neutro, ela é a mais utilizada em receitas por conta da facilidade e preço;
Farinha de Trigo Branca
  • Farinha integral: essa farinha é a que temos como resultado da moagem do trigo inteiro, o que significa que são levados em consideração o farelo, o endosperma e o gérmen. Por isso, essa farinha é rica em tudo o que o trigo possui: vitaminas, fibras, proteínas, gorduras etc. Ela é mais pesada do que a farinha branca, já que não passa pela moagem;
Farinha de Trigo Integral
  • Farinha de semolina: essa farinha é feita do Triticum durum e é mais grossa do que as ourtas que citamos. Ela é excelente para o preparo de massas frescas.
Farinha de Trigo Semolina

Logo, esses são os 3 tipos de farinha de trigo que temos disponíveis para consumir.

Como as Farinhas são Classificadas

Agora você deve estar se perguntando como saber qual o nível de proteína de uma farinha, já que a sua intenção é justamente obter uma farinha com um nível maior de proteína.

A farinha de trigo é classificada pelo Ministério da Agricultura Brasileiro em 3 tipos: tipo 1, tipo 2 e integral. Essa classificação é feita de acordo com o nível de proteína que as farinhas possuem.

Nesse caso, a farinha de tipo 1 possui no mínimo 7,5% de proteína em sua composição, o que já é um número bom. Já a farinha de tipo 2 e a integral devem ter no mínimo 8% de proteína na comeposição, o que não é uma diferença muito grande no fim das contas.

Portanto, agora você já tem uma maior ideia de como funciona a classificação das farinhas no Brasil e como a proteína é levada em consideração para essas classificações.

Função das Proteínas

Você deve estar se perguntando por que as proteínas são tão importantes assim para o ser humano a ponto de serem levadas em consideração na hora de classificar as farinhas de trigo.

A verdade é que as proteínas são um dos 3 macronutrientes essenciais para o corpo humano (carboidrato, proteína e gordura), o que significa que ela é essencial para o corpo humano como um todo e principalmente para a formação dos músculos.

Após a quebra de fibras musculares (como por exemplo com os exercícios físicos) a tendência é que as proteínas reconstruam o músculo, fazendo-os crescer de maneira mais saudável.

Por isso que pessoas que fazem academiam consomem tanto frango: ele é um alimento rico em fibras e ajuda a reconstruir os músculos dos seres humanos, dando maior estabilidade ao corpo e fortalecendo todo o sistema locomotor, já que o sistema muscular faz parte dele.

Aumentar a Proteína da Farinha de Trigo

Caso você já tenha percebido como a proteína é importante para a saúde e queira aumentar o nível de proteína de sua farinha de trigo, saiba que de forma caseira você apenas poderá optar por farinhas mais proteicas, como ensinaremos.

Isso significa que será muito difícil aumentar o nível de proteína da sua farinha, já que ela já vem pronta; mas você pode sempre escolher a opção mais proteica no mercado.

No caso, a opção mais proteica seria a farinha branca de tipo 2 ou a farinha integral, já que ambas possuem mais de 8% de proteína na composição. Caso você queira uma farinha proteica leve, utilize a branca; caso você queira uma farinha proteica mais consistente, utilize a integral.

Além disso, você pode adicionar um pouco de proteína em pó às receitas que for fazer, assim você diminui um pouco a quantidade de farinha e adiciona um pouco de proteína. Essa é uma excelente maneira de dar consistência para a receita e torná-la muito mais protéica.

Quem diria que até com as farinhas existiriam tantas classificações e regrinhas, não é mesmo? Mas essas classificações são essenciais para que a gente consiga medir a quantidade de proteínas existentes na farinha!

Quer saber um pouco mais de informações sobre o trigo de uma maneira mais geral? Leia também em nosso site: Trigo de Inverno e Primavera – Qual a Diferença?

Veja também

Congea Tomentosa

História da Flor Congeia, Origem da Planta e Estaquia

O gênero congea de plantas é uma espécie pertencente à família das lamiáceas, anteriormente em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *