Home / Plantas / Alecrim de Vaqueiro: Características, Benefícios, Cultivo e Fotos

Alecrim de Vaqueiro: Características, Benefícios, Cultivo e Fotos

O Alecrim-de-vaqueiro, “do mato” ou “de tabuleiro”, é a Lippia grata, uma variedade típica do Cerrado e da Caatinga, com características (como vemos nessas fotos) benefícios, formas de cultivos e singularidades que são comuns numa espécie endêmica do Brasil.

Ele apresenta-se como um pequeno arbusto, com 1,8 a 2,1 m de altura, com galhos delicados e fáceis de quebrar, de onde pendem ramos frágeis, com folhas simples, bordas irregulares e que competem em originalidade com as suas belas flores brancas, em forma de tubo, com 1 ou 2 cm, na forma de inflorescências bastante espigadas.

Uma característica do Alecrim-de-vaqueiro é que ele não costuma distribuir-se na superfície de rochas, como é comum nesse gênero. O que ele prefere mesmo é distribuir-se abundantemente na base, em espécies de “tabuleiros”, onde no período outono/inverno surgem as suas flores belas e delicadas.

Elas não permanecem abertas por mais que 1 dia, mas já é o prenúncio de que durante esse período surgirão as suas frutificações, para logo após em janeiro ser a vez da sua folhagem, bela e viçosa, formando uma espécie de ciclo ininterrupto – desde que, obviamente, mantidas as melhores práticas de cultivo para esse tipo de cultivar.

As folhas do Alecrim-de-vaqueiro possuem um incrível poder antimicrobiano, bactericida e cicatrizante; por isso mesmo bastante utilizadas para a cura de ferimentos, arranhaduras, infecções, entre outros tipos de lesões de menor gravidade.

Na culinária ele também não decepciona, já que é uma típica erva aromática, capaz de conferir aroma, sabor e uma leve picância aos pratos – como aliás é a característica dos pratos típicos do Mediterrâneo, a sua terra de origem.

Alecrim-De-Vaqueiro: Características, Benefícios, Cultivo E Fotos

À parte as suas propriedades medicinais e farmacológicas, o Alecrim-de-vaqueiro ainda apresenta-se como uma excelente variedade ornamental, já que, após o florescimento, o que se tem é um arbusto vigoroso e exuberante, que se presta bem para a ornamentação de uma varanda, como cerca viva, ou mesmo para ser plantada em vasos.

A forma de cultivo mais indicada dessa espécie é pelo método da estaquia. E para tal, basta retirar um galho ou ramo do alecrim com cerca de 20 cm, forte, vigoroso, flexível e que não se quebre facilmente.

Caso esse ramo não seja utilizado de imediato, recomenda-se mantê-lo em uma jarra com água, a fim de preservar a sua hidratação e vivacidade até o momento do plantio.

Continue o processo retirando toda a folhagem até a metade desse galho – isso é importante pois tudo o que estiver enterrado no solo irá apodrecer e perder-se, mas não sem antes competir com as partes saudáveis por água e nutrientes.

Outra coisa importante a saber a respeito das características de cultivo do Alecrim-de-vaqueiro – a fim de que ele possa oferecer-lhe os seus formidáveis benefícios e adquirir esse aspecto que podemos observar nessas fotos e imagens – é que ele é uma variedade bastante exigente quando o assunto é água!

Portanto, recomenda-se a retirada desses ramos ou galhos durante os períodos chuvosos (entre os meses de junho e agosto); dessa forma a planta manterá as suas características e germinará adequadamente, no momento certo e com o vigor esperado.

Para a produção das estacas que darão origens às mudas, utilize sacos plásticos contendo um bom substrato, que pode ser cascas de arroz carbonizadas, terra preta e vermiculita. Mantenha o saco com as estacas em um local com sombra e não esqueça de regá-las todos os dias, tendo o cuidado apenas para não encharcar as mudas.  E ao final de 2 meses já será possível realizar o transplante dessas mudas para um local definitivo.

Porém deverão seguir as melhores técnicas de cultivo para a manutenção do Alecrim-de-vaqueiro, a fim de que ele desenvolva as suas principais características, como essas que não nos cansamos de observar nessas fotos e imagens; e possa também ser utilizado como uma das mais ricas e exuberantes ervas aromáticas da natureza.

Além Das Características, Formas De Cultivo, Fotos E Benefícios, Algumas Maneiras De Se Utilizar O Alecrim-De-Vaqueiro

O Alecrim-de-vaqueiro, como dissemos, é uma variedade abundante e extremamente valorizada nas regiões Nordeste e Centro-Oeste do país.

Mas, sem dúvida, é no Nordeste que o encontramos com maior abundância, especialmente na Bahia, onde costuma ser vendido seco ou em ramos, para ser utilizado em infusões, para conferir aroma e sabor aos alimentos, ou simplesmente como aromatizador de ambientes.

Isso demonstra a versatilidade da Lippia grata, o Alecrim-de-tabuleiro, ou simplesmente o Alecrim-de-vaqueiro, uma das especiarias trazidas diretamente do Mediterrâneo, e que, no Brasil, encontrou um verdadeiro abrigo.

O chã de alecrim-de-vaqueiro é preparado da seguinte maneira:

  • 1 colher de chá de alecrim;
  • 1 xícara de água.

Preparo:

Ferva a água, acrescente o Alecrim-de-vaqueiro, abafe por 10 minutos, coe, deixe amornar e tome 2 ou 3 xícaras ao dia.

O resultado virá no combate eficiente de distúrbios gástricos como úlceras, gastrites, azia, má-digestão, entre outros transtornos semelhantes.

Mas engana-se que pensa que terminam aí os benefícios dessa espécie! Somam-se a elas, um eficiente combate de gripes, resfriados, tosses, asma, além de regular a pressão arterial, atuar como coadjuvante no tratamento de dores reumáticas; sem contar o fato de que é um dos melhores diuréticos da natureza e o que há de melhor no combate a gases e cólicas intestinais.

Auxilia no tratamento de hemorroidas, contribui para a regularização do trânsito intestinal, para a melhora do humor, agindo como um revigorante natural, capaz de combater o stress, depressão, desânimo e apatia – desde que, obviamente, em concomitância com outras práticas para a manutenção de uma rotina saudável.

Mas do Alecrim-de-vaqueiro também pode ser extraído, por meio de hidrodestilação, um óleo essencial a ser misturado com água e álcool para uso tópico no tratamento de feridas, contusões, entre outras afecções semelhantes.

As folhas secas, diluídas em álcool e água, podem produzir esses mesmos efeitos, desde que o preparado seja utilizado de forma imediata – pois assim ele mantém as sua propriedades e característica intactas.

Por fim, das folhas do Alecrim-de-vaqueiro também é possível preparar uma espécie de maceração juntamente com água e álcool em partes iguais. Esse produto deverá ser coado após 2 ou 3 dias, para ser usado em gargarejos e bochechos, como um poderoso auxiliar no combate a aftas, lesões bucais e demais afecções da cavidade oral.

Gostou desse artigo? Deixe a resposta na forma de um comentário. E continue compartilhando os nossos conteúdos.

Veja também

Quais São os Principais Fungos Comestíveis?

Quando se fala em fungos, provavelmente a mente da maioria fará uma imediata associação com …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *