Home / Plantas / Acerola Nativa ou Exótica, Quais as Diferenças?

Acerola Nativa ou Exótica, Quais as Diferenças?

A acerola (nome científico Malpighia emarginata) é uma fruta riquíssima em vitamina C, cuja concentração que pode ser até 80 vezes superior à concentração encontrada na laranja e no limão, dependendo da variedade cultivada. Além de outras vitaminas tais como a vitamina A, vitamina B1 (tiamina), vitamina B2 (riboflavina); minerais como o Cálcio, Fósforo e Ferro; e substâncias antioxidantes conhecidas como antocianinas. Sua origem remonta às Antilhas, América Central e Norte da América do Sul.

O cultivo de acerola vem crescendo significativamente no Brasil, mais precisamente nos últimos 20 anos e, principalmente, na Região Nordeste, fator que tem impulsionado significativamente a indústria de polpa de fruta congelada. Ao todo, nove estados do Nordeste se dedicam ao plantio da fruta, totalizando 800 hectares. No Nordeste, o destaque vai para os estados da Bahia e Pernambuco. Outras regiões brasileiras também cultivam a acerola, no entanto, nas regiões sul e sudeste, esta prática é menos intensa, visto que as baixas temperaturas durante o inverno dificultam esse processo.

O cultivo no Brasil foi introduzido primeiramente pelo estado de Pernambuco, no ano de 1955, por iniciativa de uma universidade federal, que se utilizou de sementes trazidas de Porto Rico.

Entre as variedades comerciais, há algumas de sabor mais doce e outras de sabor mais azedo. Aquelas que possuem sabor azedo detém uma concentração maior de vitamina C. A acerola é comercializada para o consumo in natura, ou para o preparo de sucos.

Neste artigo, você conhecerá algumas características sobre esta fruta, e quais são as diferenças entre a acerola nativa e entre a acerola exótica.

Então venha conosco e boa leitura.

Classificação Taxonômica da Acerola

A acerola pertence ao Reino Plantae, Ordem Malpighiales, Família Malpighiaceae, Gênero Malpighia e Espécie Malpighia emarginata.

A família botânica Malpighiaceae compreende 75 gêneros e aproximadamente 1.300 espécies, as quais estão distribuídas nos trópicos, com destaque para a América do Sul. No Brasil, há 38 gêneros, cujas espécies estão distribuídas em maior número na Região Centro-Oeste.

O termo Malpighia foi designado pelo botânico zoólogo e médico Carolus Linnaeus com a finalidade de fazer uma homenagem ao biólogo e professor italiano Marcelo Malpighi.

Características da Acerola

O pé de acerola possui comprimento que varia entre 2 e 3 metros de altura, possui ramos densos e espalhados, com folhas opostas e de pecíolo curto. As flores são formadas em pencas pedunculadas e axilares; possuem formato ovalado e lanceloado, são pequenas brilhantes e de cor verde-escura. As margens das folhas podem apresentar textura lisa ou ondulada, e frequentemente possuem pêlos que provocam irritação na pele.

Geralmente há de três a cinco flores, cujas cores variam do vermelho ao rosa esbranquiçado. O formato dos frutos pode apresentar discreta diferenciação entre uma variação e outra; suas cores podem transitar entre o vermelho, alaranjado, amarelo ou até mesmo roxo. Os frutos quando estão isolados adquirem um tamanho maior do que os frutos que estão dispostos em cachos.

No geral, há 3 sementes de acerola por fruto, característica que, associada ao fator de abortamento do embrião, torna o índice de germinação bastante baixo.

Plantio de Acerola

O plantio é realizado através da disseminação das sementes, ou do sistemas de mudas. O ideal é que as mudas atinjam entre 30 e 40 centímetros antes do plantio. Cada muda plantada é amarrada a um suporte que orientará o seu crescimento. O ideal é realizar esta amarração através de uma fita com área de contato larga, visto que fios ou barbantes poderiam causar o estrangulamento da planta. Após o plantio, é recomendável realizar regas frequentes e leves.

O tempo estimado entre o florescimento e a colheita é de três a quatro semanas. Sob condições de irrigação e adubação adequadas, um pé de acerola pode apresentar de quatro a seis floradas durante um ano, dependendo também de outros fatores tais como o clima da região de plantio.

Recomenda-se realizar aração e gradeamento do solo antes do plantio. Esta aração poderá ser realizada através de grandes maquinários como tratores, no caso de pequenos fruticultores, é realizada a tração animal.

Acerola Variedades Comerciais Mais Comuns

Dentre as variedades com sabor doce, as mais conhecidas comercialmente incluem a Manoa Sweet, indicado para plantio doméstico, cujos frutos maduros assumem coloração amarelo-avermelhada; a Tropical Ruby; e a Hawaiian Queen.

Variedades ácidas incluem a J. H. Beamound, cujos frutos são de coloração laranja avermelhada e a ramagem é densa, frequentemente resultando em um arbusto de tronco único; a C. F. Rehnborg; a F. Haley, com facilidade de adaptação a climas mais secos, cujos frutos são de tamanho médio e coloração vermelho-púrpura; a Red Jumbo, variedade que forma um arbusto baixo, com fruto de tamanho grande e coloração vermelho-cereja, que passa para o vermelho-púrpura quando está maduro; e a Manauwii, variedade de fácil manejo, com crescimento rápido e eficácia de plantio em áreas chuvosas.

Propriedades Medicinais da Acerola

Esta fruta é indicada no tratamento de escorbuto, fadiga, infecções recorrentes, flacidez, cegueira noturna, recuperação de pós-operatório, doenças ósseas ou do tecido conjuntivo, reumatismo, anemia, desnutrição, doenças gengivais, rinite alérgica e envelhecimento precoce.

Além das vitaminas e sais minerais, os antioxidantes presentes na acerola são importantíssimos na atuação contra os radicais livres, e na ação imunoestimulante, estimulando a produção de colágeno, o qual é importantíssimo para a mucosa oral, diminuindo a permeabilidade das endotoxinas.

Acerola Nativa ou Exótica, Quais as Diferenças?

Muitas variedades de acerola são produzidas por meio de clonagem, estas variedades são consideradas exóticas, cujos frutos possuem tamanho mais acentuado do que as espécies nativas, embora a coloração seja muito semelhante.

A Embrapa vem se dedicando ao melhoramento genético da acerola, assim como à criação de novos clones. As variedades obtidas apresentam como vantagem uma maior concentração de vitamina C, assim como uma maior acidez, caracterizada por um menor pH.

Acerola Nativa
Acerola Nativa

Agora que você conhece mais sobre este fruto tão apreciado, continue conosco para conhecer também outros artigos do site e ficar por dentro das curiosidades do mundo animal e vegetal.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Curso CPT- Centro de Produções Técnicas. Produção de acerolas- principais variedades comerciais. Disponível em: < https://www.cpt.com.br/cursos-fruticultura-agricultura/artigos/producao-de-acerola-principais-variedades-comerciais>;

Embrapa. Acerola. Disponível em: < https://www.embrapa.br/mandioca-e-fruticultura/cultivos/acerola>;

O bem das frutas & dicas de saúde. Origem das acerolas. Disponível em: < https://as19frutas.wordpress.com/2009/09/20/origem-da-acerola/>.

Veja também

Alecrim Orégano: Benefícios Para a Saúde e Emagrecimento

Fazer as pazes com a balança é um desejo de muita gente. Mas, às vezes, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *