Home / Plantas / Acerola Não se Desenvolve? O que Fazer?

Acerola Não se Desenvolve? O que Fazer?

A acerola (nome científico Malpighia emarginata) é uma fruta cítrica vermelha e pequena, amada pelos brasileiros. Sua origem remete às Antilhas, América Central e porção norte da América do Sul.

A acerola é uma fruta riquíssima em vitamina C, assim como em vitaminas A, B1, B2, B3 e minerais como o Ferro, Cálcio, Magnésio e Fósforo. Ela também possui uma importante concentração de antioxidantes, possibilitando combate aos radicais livres com mais facilidade. Outras propriedades incluem a redução dos níveis de açúcar no sangue, aumento da produção de colágeno e melhora da saúde cardíaca.

Esta fruta é comercializada para consumo in natura, ou na forma de sucos ou sorvetes. A sua crescente importância comercial vêm contribuindo para que o cultivo também venha crescendo, seja em larga escala, seja na agricultura familiar.

Para aqueles que cultivam a fruta pode ser frequente a dúvida sobre por que a acerola não se desenvolve? O que fazer?

Venha conosco e descubra suas dúvidas serão respondidas.

Boa leitura.

Acerola Classificação Taxonômica

A classificação científica da acerola obedece à seguinte ordem:

Reino: Plantae

Ordem: Malpighiales

Família: Malpighiaceae

Gênero: Malpighia

Espécie: Malpighia emarginata

Acerola Características

O pé de acerola é um arbusto que pode atingir até mesmo 3 metros de altura. O tronco começa a se ramificar desde a base. A copa costuma ser densa, e as folhas são pequenas, brilhantes e de coloração verde-escura. As flores se dispõem em cachos e estão evidentes durante todo o ano; a coloração é rosa-esbranquiçada. Após 3 a 4 semanas após a floração, inicia-se a frutificação.

Malpighia Emarginata
Malpighia Emarginata

Frutos de acerola em estágio maduro apresentam tonalidade que varia entre o alaranjado, vinho e vermelho, a qual é decorrente da presença de substâncias chamadas antocianinas.

Acerola Considerações Sobre o Plantio

As mudas de acerola comercializadas são produzidas através do processo de sementes ou estaquias. No entanto, adquirindo mudas oriundas de estaquias selecionadas de plantas matrizes com grande qualidade é possível ter um cultivo mais otimizado.

Quando a muda atinge de 30 a 40 centímetros, o cultivo já pode ser realizado.

Quem preferir pode cultivar a acerola em vasos, sendo que nesse caso não será necessário a utilização de estacas para manter o pé de acerola bem posicionado.

O clima do Brasil é extremamente propício ao cultivo de acerola, no entanto, é importante considerar que o país possui ampla área geográfica e que também há estados cujo clima é mais frio. Nesses casos, o plantio deve ser realizado nas estações de primavera e verão.

As regas devem ser frequentes, caso o plantio não seja realizado na época das chuvas, no entanto, o encharcamento do solo não é favorável ao desenvolvimento do vegetal.

O solo mais propício a este vegetal é de textura média a argilosa, com bastante aporte de matéria orgânica, a qual pode ser obtida através de estercos e outros resíduos. Para adubação, os estercos e compostos orgânicos são extremamente favoráveis, outra dica é utilizar uma mistura nas proporções 10-10-10 para os minerais Nitrogênio, Fósforo e Potássio. Essa mistura pode ser aplicada a cada dois ou três meses, e sua quantidade varia entre 10 a 500 gramas, dependendo se a acerola é cultivada em vasos ou diretamente no solo.

É importante realizar podas frequentes, de modo que o desenvolvimento do vegetal seja favorecido, uma vez que a remoção de determinados ramos favorece a ventilação interna. Um arbusto muito denso pode ter restrição ao crescimento de novos ramos.

Outra recomendação importantíssima é estar atento para prevenir e erradicar a infestação por pragas, que no caso das aceroleiras incluem os pulgões, cochonilhas, cigarrinhas, moscas das frutas e outros nematoides de modo geral. As raízes são as partes mais atingidas, tal acometimento dificulta a absorção de nutrientes e de água, gerando enfraquecimento geral do vegetal.

Em áreas de plantio comercial, uma solução é utilizar defensivos para o controle da praga; no entanto, quando a cultura é caseira, a melhor estratégia é utilizar produtos naturais tais como extratos vegetais de poder repelente, inseticidas de baixa toxicidade e calda de sabão de coco.

Em relação à colheita, esta deve ser diária, visto que o fruto deve ser consumido imediatamente após a retirada do pé ou conservado congelado de modo que não perca os seus nutrientes.

Acerola Não se Desenvolve? O que Fazer?

O primeiro passo é observar se as etapas de cultivo estão sendo religiosamente cumpridas, após isso verificar se há uma quantidade frequente de regas, de luminosidade recebida, e de aporte nutricional. As pragas também prejudicam as raízes e com isso dificultam a chegada de nutrientes ao vegetal de modo satisfatório.

É necessário avaliar se a adubação orgânica, realizada com esterco de galinha ou de gado, está sendo suficiente para suprir as necessidades nutricionais do solo; assim como a adubação química (que deve ser realizada complementarmente), com Potássio, Fósforo e calcário dolomítico. Sintomas de carência nutricional devem ser investigados e atendidos, de preferência através da consulta a um especialista da área. Em alguns casos, pode ser necessário a adubação a nível foliar (pela folha).

Para que a acerola dê frutos, ela precisa ser polinizada. O pé de acerola deve estar em uma boa localização que permita com que abelhas e outros agentes polinizadores possam encontra-lo.

Em algumas circunstâncias, é comum encontrar em um mesmo pomar aceroleiras com padrões de crescimento diferenciados, produzindo frutos de modo isolado ou em cachos, assim como com formatos, tamanhos e colorações diferentes. Nesse caso, se as etapas estiverem de cultivo estiverem sendo seguidas e todos os vegetais recebam o mesmo quantitativo de nutrientes e elementos afins, pode ser que existam muitas variedades diferentes sendo cultivadas em um mesmo espaço.

*

Agora que você já conhece algumas importantes dicas referentes ao plantio de acerola, e porque, em determinados casos, a acerola não se desenvolve; continue conosco e visite também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

CHAVES, F. Green me. Acerola: 15 surpreendentes benefícios para a saúde. Disponível em: <https://www.greenme.com.br/usos-beneficios/4454-acerola-beneficios-para-a-saude>;

Cursos CPT- Centro de Produções Técnicas. Produção de acerola- tipos de irrigação e de adubação. Disponível em: <https://www.cpt.com.br/cursos-fruticultura-agricultura/artigos/producao-de-acerola-tipos-de-irrigacao-e-de-adubacao>;

Embrapa. Acerola. Disponível em: <https://www.embrapa.br/mandioca-e-fruticultura/cultivos/acerola>;

Mãos à obra. Aceroleira não dá fruta, Saiba o motivo (Abelhas). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=fnHDJRKUVr8>;

SILVA, J. M. Cultura Mix. Como Cultivar Acerolas: Frutas Ricas em Vitamina C. Disponível em: <http://flores.culturamix.com/flores/naturais/como-cultivar-acerolas-frutas-ricas-em-vitamina-c>.

Veja também

Como Fazer e Preparar Chá de Guabiroba de Folha

É hora do chá! Deixe a velha Camomila de lado e venha conferir uma dica …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *