Home / Natureza / Tipos de Ecossistemas Terrestres

Tipos de Ecossistemas Terrestres

O conceito de ecossistema inclui as porções abióticas (ou não-vivas) e bióticas (ou vivas) de uma área, bem como as interações entre as duas. Matéria e fluxo de energia entre os componentes abióticos e bióticos do ecossistema.

Fatores abióticos que influenciam um ecossistema incluem temperatura, precipitação, elevação e tipo de solo. Os cientistas dividem os ecossistemas em terrestres e não terrestres.

Os ecossistemas podem ser ainda classificados pela sua região geográfica e tipo de planta dominante. As zonas aquáticas, marinhas e úmidas constituem os ecossistemas não terrestres, enquanto os cinco principais ecossistemas terrestres são o deserto, a floresta, a pastagem, a taiga e a tundra.

Ecossistemas do Deserto

A quantidade de chuva é o principal fator determinante abiótico de um ecossistema desértico. Eles recebem menos de 25 centímetros de chuva por ano. Grandes flutuações entre a temperatura diurna e noturna caracterizam os desertos. Os solos contêm alto conteúdo mineral com pouca matéria orgânica.

A vegetação varia de inexistente a incluir um grande número de plantas altamente adaptadas. O ecossistema do deserto de Sonora contém uma variedade de suculentas ou cactos, bem como árvores e arbustos.

Eles adaptaram suas estruturas foliares para evitar a perda de água. Por exemplo, o arbusto de creosoto tem uma camada espessa cobrindo suas folhas para evitar a perda de água devido à transpiração

Ecossistemas Florestais

Cerca de um terço da terra da Terra é coberta por floresta. A planta primária neste ecossistema é árvores. Os ecossistemas florestais são subdivididos pelo tipo de árvore que eles contêm e pela quantidade de precipitação que recebem.

Alguns exemplos de florestas são: floresta úmida temperada, floresta tropical temperada, floresta tropical seca e florestas de coníferas do norte. As florestas tropicais secas têm estações chuvosa e seca, enquanto as florestas tropicais têm chuva o ano todo. Ambas as florestas sofrem com a pressão humana, como a derrubada de árvores para dar lugar a fazendas.

Por causa da quantidade abundante de chuva e temperaturas favoráveis, as florestas tropicais têm alta biodiversidade.

Ecossistemas Taiga

Outro tipo de ecossistema florestal é a taiga, também conhecida como floresta conífera do norte ou floresta boreal. Abrange uma ampla faixa de terra que se estende pelo hemisfério norte.

Está faltando biodiversidade, tendo apenas algumas espécies. Os ecossistemas de Taiga são caracterizados por estações de crescimento curtas, temperaturas frias e solo pobre. Eles têm longos dias de verão e dias de inverno muito curtos. Os animais encontrados na taiga incluem linces, alces, lobos, ursos e roedores.

Ecossistemas de Pastagem

Pradarias temperadas incluem pradarias e estepes. Eles têm mudanças sazonais, mas não recebem chuva suficiente para suportar grandes florestas. Savanas são pastagens tropicais. As savanas têm diferenças sazonais de precipitação, mas as temperaturas permanecem constantes.

Pastagens em todo o mundo foram convertidas em fazendas, diminuindo a quantidade de biodiversidade nessas áreas. Os animais proeminentes nos ecossistemas das pastagens são pastores como a gazela e o antílope.

Tundra

Existem dois tipos de tundra: ártico e alpino. A tundra ártica está localizada no Círculo Ártico, ao norte das florestas boreais. As tundras alpinas ocorrem nos topos das montanhas. Ambos os tipos experimentam temperaturas frias ao longo do ano.

Porque as temperaturas são tão frias, apenas a camada superior do solo derrete durante o verão; o resto permanece congelado durante todo o ano, uma condição conhecida como permafrost.

As plantas na tundra são principalmente liquens, arbustos e arbustos. As tundras não têm árvores. A maioria dos animais que vivem na tundra migra para o sul ou para a montanha no inverno.

O Homem Fez Mudanças

Todos os ambientes naturais e ecossistemas agora têm um problema sem precedentes para lidar com a humanidade. Os humanos trouxeram mudanças profundas em alguns séculos, que de outra forma seriam esperadas ao longo de milhares ou milhões de anos.

O impacto total destes continua a ser estimado com precisão. Os principais impactos humanos nos ecossistemas incluem o seguinte:

Destruição e Fragmentação do Habitat

O impacto mais direto dos seres humanos nos ecossistemas está em sua destruição ou conversão. O corte raso (o corte de todas as árvores dentro de uma determinada área florestal) irá, obviamente, destruir um ecossistema florestal.

A exploração seletiva também pode alterar os ecossistemas florestais de maneiras importantes. A fragmentação – a divisão de um ecossistema outrora contínuo em vários pequenos fragmentos – pode interromper os processos ecológicos para que as áreas restantes não funcionem mais como antes.

Mudança Climática

Hoje é amplamente aceito que as atividades humanas estão contribuindo para o aquecimento global, principalmente por meio do acúmulo de gases “estufa” na atmosfera.

O impacto disso provavelmente aumentará no futuro. Como mencionado acima, a mudança climática é uma característica natural da Terra.

Anteriormente, no entanto, seus efeitos foram mitigados, já que os ecossistemas poderiam efetivamente “migrar” movendo a latitude ou a altitude à medida que o clima mudava.

Hoje, grande parte da superfície terrestre do mundo foi apropriada por pessoas que, em muitos casos, não há lugar para os ecossistemas naturais ou semi naturais restantes migrarem.

Poluição

A contaminação do ambiente natural por meio de uma variedade de poluentes — herbicidas, pesticidas, fertilizantes, efluentes industriais e resíduos humanos — é uma das formas mais perniciosas de impacto no meio ambiente natural.

Os poluentes são muitas vezes invisíveis, e os efeitos da poluição do ar e da poluição da água podem não ser imediatamente óbvios, embora possam ser devastadores em longo prazo.

Espécies Introduzidas

Os seres humanos foram responsáveis, deliberada ou acidentalmente, por alterar a distribuição de uma vasta gama de espécies animais e vegetais. Isso inclui não apenas animais domesticados e plantas cultivadas, mas pragas como ratos, camundongos e muitos insetos e fungos.

Espécies que se naturalizam podem ter um impacto devastador, através de predação e competição, em ecossistemas naturais, particularmente em ilhas onde espécies nativas evoluíram isoladamente.

Por exemplo, raposas, coelhos, sapos de cana, gatos selvagens e até mesmo búfalos e camelos causaram estragos em muitos ecossistemas na Austrália.

Búfalo
Búfalo

Plantas como a Lantana, um arbusto da América do Sul, invadiram florestas naturais em muitas ilhas tropicais e subtropicais, causando grandes mudanças nesses ecossistemas, enquanto o Eichhornia africano (conhecido no Brasil como mururé) aguçou similarmente os ecossistemas de água doce em muitas partes do mundo.

Excesso de Colheita

Remoção de um número excessivo de animais ou plantas de um sistema pode causar grandes mudanças ecológicas. O exemplo mais importante disso no presente é a pesca excessiva dos oceanos do mundo.

O esgotamento da grande maioria dos estoques de peixes acessíveis é, sem dúvida, uma causa de grandes mudanças, embora seu impacto de longo prazo seja difícil de avaliar.

Veja também

Onça-Parda

Tamanho do Território da Onça-Parda e da Onca Pintada

Com que freqüência as onças e pumas se encontram na natureza? Raramente nariz a nariz, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *