Home / Natureza / O Que É Ômega 3, 6 E 9? Para Que Serve? Benefícios Para Saúde

O Que É Ômega 3, 6 E 9? Para Que Serve? Benefícios Para Saúde

Talvez, você já tenha ouvido falar em nomes como ômega 3, 6 ou 9, não é verdade? Sabe quais os benefícios deles para a nossa saúde? Se não, no texto a seguir, explicaremos como.

O Que É Ômega 3, 6 E 9?

Também conhecidos como ácidos graxos essenciais, tanto o ômega 3, quanto o 6 e o 9 são importantes gorduras, cujo objetivo é fazer o nosso organismo funcionar melhor. No entanto, uma das características desses elementos é que não são produzidos pelo nosso corpo. Ou seja, temos que buscar co consumo deles por meio da alimentação.

Biologicamente, falando, abordaremos cada um deles. Começando com o ômega 3, este se trata de um ácido carboxílico que podemos encontrar em certas espécies de peixes, além de óleos vegetais. Está dividido em duas categorias. A primeira delas é a de cadeia longa (considerada a boa gordura), e a de cadeia curta (a gordura ruim). Por ser de fácil oxidação, o ideal é ingerir a substância junto com vitaminas C, E e selênio, que são antioxidantes.

O ômega 6 também é um ácido graxo que pode ser encontrado em peixes e óleos vegetais, além de algumas verduras de folha mais escurecida. Grande combatente do colesterol, e de níveis alto de glicose, essa substância em excesso, contudo, pode provocar problemas, como o mal de Alzheimer. O seu uso deve ser restrito e com recomendação de um especialista (médico ou nutricionista).

Por fim, o ômega 9 é o único desses ácidos graxos que, efetivamente, pode ser produzido pelo nosso corpo. No entanto, o nosso organismo precisa ter o ômega 3 e o 6 para realizar essa produção. Também podemos encontrar esse tipo de gordura sendo comercializada separadamente, por meio do azeite de oliva, do óleo de gergelim ou de azeitonas.

E, lembrando que esses compostos devem ser consumidos com cuidado, mesmo que façam bem à saúde, a princípio.

Principais Benefícios

Ômega 3
Ômega 3

Esses ácidos graxos trazem muito benefício para o nosso organismo, a começar pelo ômega 3, que ajuda no sistema circulatório, diminuindo a formações de coágulos que são responsáveis por derrames e infartos em geral.

Também atua auxiliando as funções do cérebro, tralhando melhor a memória, além de diminuir as concentrações de colesterol e de triglicerídeos do organismo.

O ômega 3 é considerado o mais poderoso dos três, sendo capaz também de combater problemas como a diabetes, e ainda prevenir alguns tipos de câncer. Controla a pressão arterial, diminuindo a possibilidade de entupimento de veias e artérias.

Com relação ao ômega 6, ele é mais conhecido por ajudar a combater problemas ósseos, como a osteoporose. Tanto a ausência desse composto, quanto do cálcio, provocam enfraquecimento ósseo contínuo, atingindo até mesmo os dentes. Também é indicado para se ter uma pele mais saudável, indicado em tratamentos de dermatite e eczema.

O ômega 6  também consegue combater alergias, além de controlar alguns sintomas da TPM, como inchaços e irritabilidade. Contudo, é bom ressaltar que essa substância precisa ser consumida com moderação.

E, pra terminar, temos o ômega 9, que, além de controlar o colesterol, ainda auxilia no fortalecimento do sistema imunológico, conseguindo também proteger contra o avanço de determinados tipos de tumores. Combate os níveis elevados de triglicerídeos, e auxilia na perda de peso e de gordura abdominal.

Quais Os Principais Alimentos Com Esses Compostos?

A desvantagem, aqui é que a lista de alimentos com esses ácidos graxos é bastante restrita, porém, são produtos fáceis de serem encontrados por aí. Só não tem muita variedade.

O ômega 3, por exemplo, está presentes em peixes como salmão, atum, bacalhau e sardinha. Também é encontrado em verduras de folhas escuras, tipo: couve, espinafre e brócolis. Óleos vegetais de canola, girassol, milho e soja possuem uma boa quantidade de ômega 3, bem como azeite de oliva extra virgem, nozes e sementes de linhaça.

Linhaça
Linhaça

O ômega 6, por sua .vez, pode ser encontrado em óleos vegetais, como os de nozes, trigo, linhaça, soja, milho, e por aí vai. Ovos também possuem esse ácido graxo, além das carnes de frango, peru, porco, bovino e de cordeiro. Nozes, avelãs, amêndoas e amendoins, assim como sementes de girassol, de abóbora  ou cereais, como gérmen de trigo, são ricos em ômega 6.

E, o ômega 9 tem uma lista de alimentos ainda menor, sendo encontrado em azeites de oliva, azeitonas, castanhas, amêndoas e nozes. Abacates, óleos de gergelim, de avelã e de coco são mais alguns dos limentos em que esse composto pode ser consumido.

Existe Algum Efeito Colateral Ou Contra-Indicação?

Praticamente toda substância natural pode ser algum efeito colateral. Aqui, não é muito diferente. Como se tratam, basicamente, de gordura, em algumas ocasiões, a pessoa pode ganhar peso muito rápido. Contudo, já foi provado que o seu consumo feito de maneira restrita não acarreta esse tipo de problema. Ao contrário, nas doses certas, podem até mesmo ajudar a emagrecer (claro, junto de uma dieta balanceada e de exercícios físicos).

O ômega 3 pode ser consumido por meio de cápsulas de gel, ou mesmo líquidas, o que pode acarretar mau hálito em algumas pessoas, ou mesmo gosto forte na boca, indigestão e refluxos ácidos. Pelo fato de ser gordura, pode provocar diarreia, ou então a presença de gordura nas fezes. Como age na pressão arterial de maneira direta, o ômega 3 pode aumentar o risco de hemorragias caso seja consumido em altas doses.

E, quanto ao consumo exacerbado de ômega 6 e 9, é precioso ficar atento, pois sua ação anti-inflamatória pode acabar tendo efeito reverso. Ou seja, causar inflamações, e até mesmo causar artrite, derrame, câncer e aterosclerose. Ou seja, é necessário que o consumo dessas substância seja controlado de alguma forma.

Conclusão

Com cada vez mais informações à disposição, nós acabamos sabendo de muitas substâncias naturais que podem ajudar na preservação da nossa saúde em muitos níveis. É o caso dos ômegas 3, 6 e 9, que, até bem pouco tempo atrás, eram desconhecidos, e que agora estão sendo bastante falados por quem busca qualquer coisa natural para o que quer que seja (como perda de peso, por exemplo).

Mas, como vimos também, o consumo dessas substâncias precisa ser feito com cautela para que, ao invés de boa saúde, você não fique doente. Cabe sempre procurar um médico quando se decide incluir na alimentação comidas que ainda não fazem parte do seu cardápio. Assim, não correrá riscos desnecessários.

Veja também

Ácido Linoleico

Quais os Benefícios do Ácido Linoleico Para a Saúde?

Quando se fala em ácido linoleico, se fala em ômega-6, e provavelmente você já ouviu …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *