Home / Natureza / Lince Euroasiático: Fotos, Características e Nome Científico

Lince Euroasiático: Fotos, Características e Nome Científico

O lince euroasiático (Lynx lynx) é um felino nativo da Europa e da Ásia, e apesar da extensão da Eurásia ser colossal, o lince não está presente por toda a sua área de mais de 50 milhões de metros quadros, abstendo-se às áreas Norte e Central da Europa e Centro da Ásia, assim como também vive na Sibéria, no Planalto do Tibete e no Himalaia.

Estima-se que exista, apenas na Europa, cerca de 10 mil exemplares de lince euroasiáticos, e como a reprodução da espécie é estável, os mesmos não são considerados como possível ameaça de risco de extinção.

O lince euroasiático habita áreas gélidas e não compõe o habitat de outros felinos, adentrando florestas densas, por exemplo. No entanto, são felinos aptos a passarem por severas mudanças de temperatura, e podem facilmente viver em regiões quentes, principalmente os que vivem em florestas temperadas próximos às encostas, onde o vento forte está em constante presença e o clima em constante mudança.  Suas principais presas são roedores, raposas e aves que compartilham as mesmas características de habitat, estando aptas aos climas amenos e aos climas severos, com ou sem elevação de neve.

O lince euroasiático é um felino sorrateiro, e ataca suas presas através de movimentos surpresas, não dispendendo de longas corridas ou empregando longas caçadas atrás de suas presas, pois são criadores de emboscadas.

Lince Euroasiático: Fotos, Subespécies e Nome Científico

Confira algumas subespécies do lince euroasiático:

  • Lince do Norte (L. l. lynx)

  • Lince de Turquestão (L. l. isabellinus)
Lince de Turquestão
Lince de Turquestão
  • Lince caucasiano (L. l. dinniki)
Lince Caucasiano
Lince Caucasiano
  • Lince da Sibéria  (L. l. wrangeli)
Lince da Sibéria
Lince da Sibéria
  • Lince das Bálcãs (L. l. balcanicus)
Lince das Bálcãs
Lince das Bálcãs
  • Lince dos Cárpatos (L. l. carpathicus)
Lince dos Cárpatos
Lince dos Cárpatos
  • Lince de Altai (L. l. wardi)
Lince de Altai
Lince de Altai
  • Lince de Baikal (L. l. kozlovi)
Lince de Baikal
Lince de Baikal
  • Lince de Amur (L. l. stroganovi)
Lince de Amur
Lince de Amur
  • Lince de Sardenha (L. l. sardiniae)
Lince de Sardenha
Lince de Sardenha

Curiosidades e Alcance do Lince Euroasiático

  • Rússia

Até 2013, a estimativa era de que havia cerca de 22.510 exemplares de lince euroasiático na Rússia.

  • Ásia

– Ásia Central: nativos de Xinjiang, Gansu, Qinghai, Sichuan e Shaanxi, e no norte na Cordilheiro Elbruz, Mongólia, Cazaquistão, Uzbequistão, Turquemenistão, Quirguistão, Tajiquistão e Afeganistão.

– Índia: Ladaque da Caxemira, Himachal Pradexe e maior parte das regiões do Himalaia.

– Nepal: Toda a área norte do País.

– Paquistão: Gilgit-Baltistão e Khyber Pakhtunkhwa.

– Turquia: Montes Tauros, onde existe a reserva Natural de Ciglikara, que abrigava, até 2014, 15 exemplares de lince euroasiático, que levou a uma reprodução natural na cidade de Sarikamish.

Existe, ainda, indícios de que o lince euroasiático viveu no Japão, e isso se dá através de fósseis encontrados, que indicam que o lince euroasiático viveu lá no período Jömon. 

  • Europa

Até metade do século 19, o lince euroasiático era muito comum na Europa, mas assim como ocorreu com os tigres, grande parte da população desses felinos foi extirpada, e hoje o lince euroasiático se destina a viver em regiões centrais e no Oeste da Europa, e felizmente os biólogos tem conseguido reintroduzir o lince euroasiático nas sua florestas.

– Montanha dos Cárpatos: cerca de 2,800 exemplares do lince euroasiático vivem nos alcances da República Tcheca, Polônia, Romênia, Eslováquia, Bósnia e Herzegovina e Hungria. Essa é a região que mais concentra a população de lince euroasiático na borda oeste da Rússia.

– Romênia: Cerca de 2.000 linces euroasiáticos vivem lá, incluindo parte vinda dos Cárpatos. A população do lince euroasiático é tão proeminente que existem épocas em que a caça é liberada.

– Península Balcânica: Nessa região vive a subespécie lince das Bálcãs, encontrados na Croácia, Montenegro, Albânia, Kosovo, Macedônia do Norte, Bulgária e Grécia. O lince é considerado o símbolo oficial da Macedônia do Norte e está presente na moeda de 5 centavos do País. É lá, também, que vive uma tribo chamada Lynkestis, que significa “terra dos linces”.

Na Bulgária, houve um tempo, por volta de 1985, em que o lince fora considerado extinto, mas em 2006, áudios foram captados nas montanhas de Istranca

– Grã-Bretanha: Há, hoje em dia, um grande esforço de reintrodução do lince euroasiático nas terras anglo-saxônicas, pois estudos apontam que o lince viveu naquela área há cerca de 5 mil anos atrás, mas foram devastados pelas mudanças climáticas repentinas da região. Esse esforço de reintrodução se dá ao fato de que há um crescimento exponencial de cervídeos em florestas britânicas que não possuem predadores naturais. Os mesmos esforços tem sido aplicados na Escócia e Nortúmbria. 

– República Tcheca: O lince fora extinto de Boêmia e de Morávia nos anos de 1850, mas esforços tem sido provados desde 1945, onde linces euroasiáticos vindos da Eslováquia tem se reproduzido novamente nessas áreas que já demonstrou ser apta para abrigar os linces, que hoje em dia se estimam em 100 exemplares.

– Alpes Dináricos: A Eslovênia, a Croácia e a Bósnia e Herzegovina são lares para mais de 200 lince euroasiáticos. Até o século 20, essas regiões não tinham nenhum exemplar desse animal, mas a reintrodução com linces da Eslovênia em 1973 mudou esse cenário, e tudo começou na floresta Kocevski Rog. O alcance do lince euroasiático tem sido tão grande, que os mesmos também estão se reproduzindo nos Alpes Julianos.

Na Croácia, é possível ver muitos casais de lince no Parque Nacional dos Lagos de Plitvice, porém, apesar de possuírem estabilidade e conservação, existe a caça predatória, e é crime matar o lince euroasiático nessas regiões.

– Estônia: Estima-se que haja cerca de 900 linces euroasiáticos na Estônia.

– Fino-Escandinávia: o lince euroasiático foi considerado extinto nessas regiões no ano de 2010, mas graças aos protetores e biólogos, ainda existe um pequeno número de linces protegidos pelo governo.

Na Finlândia, por exemplo, o número de lince euroasiático chega perto dos 3 mil exemplares, pois sua população  vem crescendo desde 1991.

Na Noruega, em 2007, foi registrado o nascimento de cerca de 70 linces euroasiáticos, e estima-se que haja cerca de 400 indivíduos adultos.

Na Suécia, apesar de haver um número relativamente alto de lince euroasiático, em 2011 a sua população diminuiu, pois de 1400 linces que existiam em 2006, restam apenas 1250. Atualmente a estimativa chega perto dos 3 mil exemplares.

Nos Países Escandinavos, principalmente na Suécia, existe a temporada de caça de animais, e em algumas regiões onde o crescimento do lince euroasiática ultrapassa o número de 300 filhotes por ano, o governo permite que 50 linces sejam abatidos, e isso gera muito confronto com a Sociedade Suéca de Conservação da Natureza, que exige um controle absoluto do abatimento do lince euroasiático.

– França: No começo do século 20, os linces foram exterminados dos Alpes Franceses, mas foram reintroduzidos na Suíça nos anos 70 e no final dessa década, foram vistos novamente nos Alpes da França e na Cordilheira Jura.

– Alemanha: Considerados extintos no ano de 1850, o lince euroasiático foi reintroduzido no Parque Nacional da Floresta da Bavieira em 1990, e apenas em 2002 o primeiro filhote de lince euroasiático foi registrado na Alemanha, no Parque Nacional de Harz.
Lince Euroasiático da Suécia
Lince Euroasiático da Suécia
– Letônia e Lituânia: Até 2005, estimava-se que 700 linces euroasiáticos habitassem as áreas da Curlândia e Vidzeme. Na Lituânia estima-se o número de 100 linces euroasiáticos. 
– Bélgica: Apenas recentemente o lince euroasiático apareceu nas bordas da Bélgica, pois por 300 anos o lince foi considerado extinto no País, e eles provavelmente vieram de regiões da Alemanha ou da França.
– Polônia: Segundo o Relatório Central de Estatísticas da Europa, em 2011, existia cerca de 285 exemplares de lince euroasiático na Polônia, vivendo no Parque Nacional Bialowieza e nas Montanhas dos Cárpatos. Também são vistos nas regiões de Roztocze, Floresta de Solska, Polésia e as Montanhas de Karkonosze, além do Parque Nacional de Kampinos.

Fatos Interessantes Sobre o Lince Euroasiático

  • O lince euroasiático é o maior gato selvagem que existe.
  • O nome “lynx” tem origem do inglês arcaico provido do Latim “leuk”, que significa brilho, se referindo aos olhos do lince, que brilham no escuro.
  • O lince euroasiático é a espécie de lince mais bem distribuída e em maior quantidade que existe.
  • O lince euroasiático é marcado pelo tufo negro que acima suas orelhas e pela sua cauda curta.

Veja também

Óleo de Soja na Pele

Quais os Benefícios do Óleo de Soja Para a Pele?

Óleo de soja  é o óleo vegetal extraído das sementes da soja. Ele contém altas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *