Home / Natureza / Como se Formam as Pedras? De Onde Elas Vêm?

Como se Formam as Pedras? De Onde Elas Vêm?

As pedras estão por todo o caminho da vida, como bem aponta o memorável poema de Carlos Drummond de Andrade. Portanto, é preciso aprender a lidar com essas pedras, que podem ser muito menos perigosas e danosas do que se imagina. Na verdade, as pedras que podem ser vistas nas ruas, em pequenas quantidades, são sempre originadas das grandes rochas de todo o mundo.

Essas rochas se formam de três maneiras diferentes, podendo ter origem metamórfica, sedimentar ou magmática. Dessa maneira, o tipo de origem da rocha depende do tipo de rocha em questão, além do local em que ela se desenvolve. Portanto, para que seja possível entender a origem das pedrinhas que se apresentam por todo o Brasil, em suas pequenas porções, é necessário entender o surgimento das grandes rochas.

Assim, com o avanço da análise, será possível chegar até o momento em que a pedrinha, essa que se pode ver nas ruas ou até mesmo nas construções, terá a sua origem revelada. Dessa maneira, se você deseja aprender mais sobre a origem das pedras, veja abaixo tudo sobre os diferentes tipos de formação possíveis para uma rocha, entendendo como se dá o seu funcionamento.

Formação das Rochas

As rochas podem ser de origem magmática, metamórfica e sedimentar. Assim, essas são três maneiras diferentes de dar origem a uma rocha. As magmáticas, como era se se imaginar pelo nome, se formam a partir do magma resfriado. Esse magma, cheio de minerais e substâncias, permanece aquecido abaixo do solo, onde a temperatura é muito alta. Quando chega à superfície, o magma resfria em razão da temperatura mais baixa e, dessa maneira, se forma a rocha que pode ser vista por todos.

Já no caso das rochas de origem sedimentar, o que acontece é que pequenas partes de outras rochas vão se soltando e se juntando em outras partes, dando origem a um novo tipo de rocha. Essa nova pedra recebe o nome de rocha sedimentar, formando-se a partir dos sedimentos das outras. Por fim, há ainda as rochas metamórficas, que são aquelas ligadas ao processo de alteração de uma rocha já existente.

Formação das Rochas

No caso, pressão, umidade e temperatura podem fazer com que as propriedades de certa rocha sejam alteradas, originando uma nova estrutura rochosa. Esse tipo de rocha depende muito da ação da natureza para ser formada, sendo o segundo tipo mais antigo de toda a humanidade, atrás apenas das rochas formadas a partir do magma.

Como Rochas Viram Pedras?

As rochas são muito grandes, ao menos em sua fase inicial. Pois, com o tempo e diversos fenômenos da natureza, as rochas vão perdendo as suas partes para que, no fim das contas, já não sejam mais tão grandes.

Esse processo pode acontecer por fatores como o vento, a força da água ou mais alguns outros tipos de fenômenos. Logo, o tempo faz com que as rochas maiores se partam em rochas menores, que, com mais tempo, vão se dividindo em rochas ainda menores.

Todo esse processo é gradual, mas acaba por ser finalizado naquelas pedrinhas minúsculas que podem ser vistas na rua. Em geral, as rochas mais fáceis de quebrar são as sedimentares, já que elas são apenas uma grande união de outras rochas. Já as magmáticas e metamórficas costumam criar mais dificuldades ao longo do processo de quebra.

Em todo caso, é importante entender como rochas tão grandes podem, com o tempo e o poder da natureza, chegar a tamanhos tão reduzidos. Ainda que muitas vezes o processo seja induzido pelo homem, como se pode constatar com as pedreiras, a grande verdade é que a própria natureza possui a força necessária para diminuir de tamanho aquilo que ela mesmo criou.

Mas Como se Formam as Pedras Preciosas?

O processo de formação das pedras preciosas é muito debatido pelas pessoas no dia a dia, seja em conversas com os outros ou até mesmo na própria cabeça. A grande verdade, no fim das contas, é que o processo de produção e formação das pedras preciosas é igual ao processo de formação de qualquer outro tipo de pedra.

Nesse caso, ainda há as três possibilidades para a formação da pedra preciosa, como as outras rochas. Assim, pedras preciosas nada mais são do que pedras mais raras e bonitas. Por isso esse tipo de pedra passa a ter tanto valor comercial, embora o seu processo de maturação e formação não seja nada diferente em relação a outros.

https://www.youtube.com/watch?v=quPJjLwAZSA

Logo, as pedras preciosas apenas são tão preciosas pelo fato de as pessoas enxergarem valor nelas, algo que não é visto em outros tipos de pedras por todo o mundo. Até pode acontecer de uma pedra preciosa ser mais resistente ou forte, mas os grandes diferenciais delas estão em sua beleza acima da média e no fato de não serem tão comuns.

O Intemperismo

O intemperismo é o grande responsável pelo processo que acaba por diminuir o tamanho das pedras, moldá-las ou parti-las em muitas. Assim, o intemperismo pode ser físico, químico ou até mesmo biológico. O intemperismo químico se dá quando provocado pela água, capaz de desgastar os materiais que compõem uma pedra.

Logo, com o tempo a rocha se torna mais frágil e até diminui de tamanho. Já o intemperismo físico é aquele em que há a alteração da rocha em função da variação de estado físico ao seu redor.

Por conseguinte, temperaturas mais altas ou mais baixas costumam fazer com que haja a quebra das rochas, tornando-as também menores. Já o intemperismo biológico é aquele em que os seres vivos causam a decomposição da rocha. Esse último caso de intemperismo pode ser causado por pessoas, animais, bactéria ou qualquer outro tipo de ser vivo.

Por mais que não seja o mais comum na natureza, o intemperismo biológico se mostra cada vez mais constante em todo o mundo, já que a intervenção das pessoas sobre o ambiente ao redor também cresce. Em todo caso, o intemperismo, seja qual fora sua forma, é o responsável por fazer com que haja a transformação da rocha, grande e imponente, em pedra pequena.

Veja também

Mulher ao Lado das Bananas

Quantas Bananas se Pode Comer por Dia?

Se você adora comer bananas e esse título chamou a sua atenção, fique conosco até …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.