Home / Natureza / Animais Em Extinção No Mato Grosso

Animais Em Extinção No Mato Grosso

O Mato Grosso é uma região com mais de 900 mil metros quadrados, sendo o terceiro maior Estado do Brasil, o que significa que sua região consome uma grande parte do território brasileiro.

Sendo de uma extensão tão grande, a biodiversidade presente no Mato Grosso superar até mesmo a de vários Países ao redor do mundo.

Quando se fala na biodiversidade do Mato Grosso, estamos, consequentemente, falando sobre a biodiversidade da Floresta Amazônica, que compõe quase todo o território do Mato Grosso.

Não obstante, a parte norte do Estado tem a total presença da Amazônia Legal, que é uma delimitação da floresta dentro do território nacional, já que a mesma adentra 8 outros Países.

Historicamente, o Mato Grosso se tornou conhecido pelo fato de ser uma fonte para mineração de ouro, o que vem sido feito até os dias atuais.

Essa corrida do homem fez com que grandes regiões fossem devastadas e muita biodiversidade perdida, e os resultados estão presentes atualmente, com vários animais em risco de extinção devido a atividades que começaram ainda no século 19.

Acompanhe mais a seguir, uma lista com os principais animais em extinção no Estado do Mato Grosso, que se localiza da região Centro-Oeste do Brasil, onde grande parte desse Estado é consumido pela Floresta Amazônica.

Animais Em Extinção No Mato Grosso

1. Nome Comum: Cobra-Dormideira

Nome Científico: Sibynomorphus mikanii
Estado de Conservação: DD (Carente de Informações)

Cobra-Dormideira
Cobra-Dormideira

2. Nome Comum: Ararinha-Azul

Nome Científico: Cyanopsitta spixii
Estado de Conservação: CR (Em Perigo Crítico)

Ararinha-Azul
Ararinha-Azul

3. Nome Comum: Guariba-de-mão-Ruiva

Nome Científico: Alouatta belzebul
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Guariba-de-mão-Ruiva
Guariba-de-mão-Ruiva

4. Nome Comum: Ariranha

Nome Científico: Pteronura brasiliensis
Estado de Conservação: EN (Em Perigo)

Ariranha
Ariranha

5. Nome Comum: Boto-Cachimbo

Nome Científico: Pontoporia blainvillei
Estado de Conservação: EN (Em Perigo)

Boto-Cachimbo
Boto-Cachimbo

6. Nome Comum: Macaco-Aranha-Preto

Nome Científico: Ateles paniscus
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Macaco-Aranha-Preto
Macaco-Aranha-Preto

7. Nome Comum: Onça-Pintada

Nome Científico: Panthera onca
Estado de Conservação: NT (Quase Ameaçada)

Onça-Pintada
Onça-Pintada

8. Nome Comum: Mico-Leão-Dourado

Nome Científico: Leontopithecus rosalia
Estado de Conservação: EN (Em Perigo)

Mico-Leão-Dourado
Mico-Leão-Dourado

9. Nome Comum: Morcego-Cinza

Nome Científico: Myotis Grisescens
Estado de Conservação: NT (Quase Ameaçada)

Morcego-Cinza
Morcego-Cinza

10. Nome Comum: Rato-do-Cacau

Nome Científico: Callistomys pictus
Estado de Conservação: EN (Em Perigo)

Rato-do-Cacau
Rato-do-Cacau

11. Nome Comum: Peixe-Boi-da-Amazônia

Nome Científico: Trichechus inunguis
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Peixe-Boi-da-Amazônia
Peixe-Boi-da-Amazônia

12. Nome Comum: Tamanduá-Bandeira

Nome Científico: Myrmecophaga tridactyla
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Tamanduá-Bandeira
Tamanduá-Bandeira

13. Nome Comum: Tatu-Canastra

Nome Científico: Priodontes maximus
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Tatu-Canastra
Tatu-Canastra

14. Nome Comum: Tucano-de-Bico-Preto

Nome Científico: Ramphastos vitellinus
Estado de Conservação: EN (Em Perigo)

Tucano-de-Bico-Preto
Tucano-de-Bico-Preto

15. Nome Comum: Guaruba / Ararajuba

Nome Científico: Aratinga guarouba / Guaruba guarouba
Estado de Conservação: EN (Em Perigo)

Guaruba
Guaruba

16. Nome Comum: Uacari-Branco / Macaco Inglês

Nome Científico: Cacajao calvus
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Uacari-Branco
Uacari-Branco

17. Nome Comum: Sauim-de-Coleira

Nome Científico: Saguinus bicolor
Estado de Conservação: EN (Em Perigo)

 Sauim-de-Coleira
Sauim-de-Coleira

18. Nome Comum: Cachorro-Vinagre

Nome Científico: Speothos venaticus
Estado de Conservação: NT (Quase Ameaçada)

Cachorro-Vinagre
Cachorro-Vinagre

19. Nome Comum: Anta-Brasileira

Nome Científico: Tapirus terrestris
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

 Anta-Brasileira
Anta-Brasileira

20. Nome Comum: Peixe-Boi-Marinho

Nome Científico: Trichechus manatus
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

 Peixe-Boi-Marinho
Peixe-Boi-Marinho

21. Nome Comum: Pintassilgo-do-Nordeste

Nome Científico: Carduelis yarrellii / Spinus yarrellii
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Pintassilgo-do-Nordeste
Pintassilgo-do-Nordeste

22. Nome Comum: Gavião-Real

Nome Científico: Harpia Harpyja
Estado de Conservação: NT (Quase Ameaçada)

 Gavião-Real
Gavião-Real

23. Nome Comum: Macaco-Noturno

Nome Científico: Aotus Lemurinus
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Macaco-Noturno
Macaco-Noturno

24. Nome Comum: Tartaruga-Tigre

Nome Científico: Trachemys dorbigni
Estado de Conservação: NT (Quase Ameaçada)

Tartaruga-Tigre
Tartaruga-Tigre

25. Nome Comum: Tartaruga-da-Amazônia

Nome Científico: Podocnemis Expansa
Estado de Conservação: NT (Quase Ameaçada)

Tartaruga-da-Amazônia
Tartaruga-da-Amazônia

26. Nome Comum: Queixada

Nome Científico: Tayassu pecari
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Queixada
Queixada

27. Nome Comum: Gato-Maracajá

Nome Científico: Leopardus wiedii amazonica
Estado de Conservação: NT (Quase Ameaçada)

 Gato-Maracajá
Gato-Maracajá

28. Nome Comum: Arara-Azul-Grande

Nome Científico: Anodorhynchus hyacinthinus
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Arara-Azul-Grande
Arara-Azul-Grande

29. Nome Comum: Jacu-de-Barriga-Castanha

Nome Científico: Penelope ochrogaster
Estado de Conservação: VU (Vulnerável)

Jacu-de-Barriga-Castanha
Jacu-de-Barriga-Castanha

Biodiversidade Do Mato Grosso

Além da região norte do Mato Grosso ser inteiramente composta por parte da Floresta Amazônica, o sudeste do Mato Grosso é quase que inteiramente composto pelo Cerrado, ou seja, os dois maiores biomas do mundo dividem essa mesma região do mapa, o que faz com que o Mato Grosso seja extremamente rico quando se trata da natureza.

Além de dividir esses dois biomas, um terceiro pode, ainda, ser adicionado ao Estado do Mato Grosso, que é o Pantanal Matogrossense, pegando parte do sul do Mato Grosso e fazendo parte, inteiramente, do Mato Grosso do Sul.

Todos esses fatores fazem com que a região Centro-Oeste onde o Mato Grosso se encontra, seja uma das regiões com maior biodiversidade do País.

Como uma consequência para tamanha biodiversidade, a exploração das terras ricas que essa região proporciona faz com que muitas atividades ilegais ocorram, seja por agentes internos (isto é, brasileiros), seja por bolivianos (fronteiriços).

Principais Motivos Que Levam Os Animais À Extinção No Mato Grosso

Quando se fala em Mata Atlântica, por exemplo, o Estado de São Paulo e Rio de Janeiro são os principais fatores que culminam na disseminação de áreas enormes em nome do desenvolvimento turístico e populacional da região Sudeste.

O mesmo ocorre com o Mato Grosso, pois a região Centro-Oeste do Brasil é a maior produtora e exportadora de milho do País, sendo a campeã número um, também, na criação de gados.

Apesar dessas informações serem características importantes para o desenvolvimento da região e do País, efeitos colaterais surgem, assim como na região Sudeste, citada acima.

O fato do Mato Grosso ser campeão na produção de milho faz com que a monocultura se expanda cada vez mais.

Lembrando que a monocultura é o ato de dizimar áreas quilométricas de uma região para a implantação de terrenos para cultivo de um único tipo de plantação ou pastoreio.

Ou seja, a cada ano que passa, as regiões verdes e ricas do Estado do Mato Grosso vêm sido devastadas para dar lugar a um único tipo de alimento, que nesse caso é o milho.

Como forma de respaldo, muitos ecossistemas artificiais vêm sido criados para abrigar a fauna e flora que vão perdendo o espaço na natureza.

Muitos animais citados na lista desse artigo possuem a maior parte da espécie dentro de cativeiros.

Veja também

Sapo Flamenguinho é Venenoso? Ele pode Matar?

Além de muitos terem ojeriza a sapos, muitas vezes, devido à sua aparência, é certo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *