Home / Natureza / Anemona Morrendo ou Doente: O Que Fazer?

Anemona Morrendo ou Doente: O Que Fazer?

Os animais aquáticos podem se destacar muito em relação ao modo de vida. Dessa forma, ainda que criados em aquário, é possível localizar uma série de questões interessantes ligadas aos hábitos de um ser vivo do tipo. Um bom exemplo disso é a anêmona, um animal bastante comum em aquários de todo o mundo. Apesar de ser semelhante a uma planta, a anêmona-do-mar, como é chamada, é um animal e possui diversas características bastante interessantes.

O ser vivo pode ser encontrado em lhas ou recifes de corais, em geral áreas em que a oferta de alimentos e nutrientes é muito mais ampla. Vale lembrar que as proximidades de um recife de corais costuma ser um dos espaços mais movimentados de ambiente marinho. Além do mar e dos aquários, a anêmona também pode ser vista em manguezais, se mostrando capaz de suportar as altas taxas de salinidade dessas regiões.

Porém, caso você queira criar uma anêmona-do-mar ou já tenha uma, como saber se o animal está doente? Como localizar um risco de morte? Na verdade, por mais que pareça complicado, há algumas maneiras de identificar quando a anêmona está doente. Ademais, é importante também saber o que fazer nesses casos.

Sinais de Que a Anêmona Está Morrendo: Pés e Boca

A anêmona é um animal e, como tal, possui uma rotina. Logo, a melhor maneira de saber quando o a animal está sofrendo de alguma maneira é localizar as variações a essa rotina.

No caso, uma forma muito eficiente de fazer isso é se manter atento à boca da anêmona. Isso mesmo, pois a boca pode ser um ótimo indicativo em relação ao estado de saúde do ser vivo. Em geral, o mais comum é que uma anêmona correndo risco de vida passe a inverter a boca, colocando a parte de dentro para fora. Se isso acontecer, saiba que há algo muito errado. Além disso, os pés também podem oferecer sinais de que a anêmona corre algum risco de vida.

Anemona Morrendo

Caso a base do animal esteja se soltando da superfície na qual ele está ligado, há um sinal claro e óbvio de que algo não está bem. Se mantenha atento a isso e tenha em mente que buracos ou desgaste ao redor da anêmona-do-mar podem ser um indicativo claro da situação. Porém, essas não são as únicas maneiras de entender quando uma anêmona está doente, como será possível ver logo adiante.

Tentáculos e Tamanho Ajudam a Localizar Doenças na Anêmona

A anêmona é um animal que, embora não possa se comunicar diretamente com as pessoas, envia uma série de sinais de diversas formas. Dessa maneira, é muito comum que uma anêmona, antes de morrer, encolha. Porém, tenha atenção a esse ponto. Pois as anêmonas sempre reterão água e depois de algum tempo expulsarão essa água, então é natural que o animal fique menor ou maior de acordo com a quantidade de água que possui em seu corpo.

Todavia, caso o ser vivo passe mais de 2 dias murcho, há algo de errado. O mais natural é que o animal sequer passe mais de um dia sem reter água em seu interior. Outro indicativo interessante é o tentáculo da anêmona. Ou melhor, os tentáculos, já que uma anêmona possui vários.

Tentáculos murchos por mais de três ou quatro dias indicam que o animal não está bem no seu trabalho de retenção de líquidos, o que pode gerar uma série de consequências muito negativas e, com o tempo, gerar a morte. Portanto, o tamanho da anêmona-do-mar é uma das questões mais importantes a considerar quando se pretende analisar a saúde do animal.

O Que Fazer Caso a Anêmona Esteja Morrendo?

Caso a sua anêmona esteja em um momento de vida negativo, já à beira da morte, é importante manter a calma. Por mais que seja difícil controlar a emoção, alguns passos em falso podem acelerar a morte do animal. Uma dica válida é trocar a água do aquário, já que isso pode fazer com que a anêmona tenha a acesso a nutrientes novos.

Além disso, algo pouco comentado a esse respeito é a questão da iluminação. Lembre-se de que as anêmonas podem não reagir tão bem a luzes mais fracas, então pode ser interessante adotar iluminação um pouco mais forte. Iluminação de LED é a melhor opção quando se trata da criação de anêmonas, até mesmo para que o animal se sinta mais confortável.

Todavia, é importante saber que, em alguns casos, não há muito o que fazer em prol da sua anêmona. Por vezes, o animal entra na fase final do seu tempo de vida e nenhuma ação emergencial será capaz de salvá-lo. O mais importante, nesses casos, é estar atento às sinalizações da anêmona para tentar prever os problemas, pois isso pode aumentar o tempo de vida do ser vivo.

Características da Anêmona-do-Mar

A anêmona é um animal e não uma planta, como muitos podem pensar a partir do seu corpo. Dessa maneira, é muito comum que esse ser vivo habite áreas próximas aos recifes de corais, absorvendo nutrientes necessários para o seu modo de vida. Por outro lado, as anêmonas podem ajudar peixes pequenos no trabalho de fugir dos predadores maiores.

A altura de uma anêmona varia entre os 10 centímetros e 1 metro, embora o mais comum seja que o animal não tenha tamanho tão elevado. A grande maioria das anêmonas se prende a superfícies, que podem ser pedras ou qualquer outra. Em alguns casos, há a possibilidade de o animal flutuar sobre a água sem morrer, mas são exceções. O fato de a anêmona-do-mar ser muito fixa se deve ao conjunto de músculos do animal, ligado a um sistema nervoso primitivo e bastante básico.

Anêmona Características

Portanto, a movimentação da anêmona se torna muito mais complicada nessas condições. O animal é tido como solitário, apesar de muitas vezes viver em recifes. Porém, mesmo nesses recifes, uma anêmona não necessariamente precisa de outras para ter uma vida mais tranquila. Já quanto ao método de reprodução, a anêmona não precisa do contato sexual para gerar filhotes, sendo assexuada.

Veja também

Ácido Linoleico

Quais os Benefícios do Ácido Linoleico Para a Saúde?

Quando se fala em ácido linoleico, se fala em ômega-6, e provavelmente você já ouviu …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *