Home / Animais / Tratamento Alternativo Para Câncer em Animais: O que Fazer?

Tratamento Alternativo Para Câncer em Animais: O que Fazer?

O câncer é uma neoplasia maligna, que, tal como nos humanos, também pode acometer animais. É caracterizado pela presença de um ou vários tumores malignos.

Entre os animais, cães e gatos são os mais acometidos. Há um alto índice, por exemplo, de câncer de mama em fêmeas de cães e gatos, estes tumores nas glândulas mamárias podem estar relacionados à não-castração precoce desses animais.

A boa notícia, é que caso o quadro seja detectado nas fases iniciais, o tumor poderá ser retirado cirurgicamente antes que ocorra a metástase, e como toda modalidade de tratamento tradicional, também há o tratamento alternativo (paliativo) direcionado ao alívio dos sintomas.

Neste artigo, você conhecerá algumas dicas de tratamento alternativo para câncer em animais.

Então venha conosco e boa leitura.

Definição de Câncer

De acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer), esta condição clínica é definida como um conjunto de 100 doenças que possuem em comum fatores como o crescimento desordenado de células, resultando em invasões a tecidos e órgãos.

Os tipos diferenciados de câncer correlacionam-se aos muitos tipos de células corporais. Um câncer que se origina em áreas com tecido conjuntivo (tais como ossos, músculo e cartilagem) recebe o nome de sarcoma; já quando a origem ocorre nos tecidos epiteliais (tais como a pele e as mucosas), a denominação atribuída é sarcoma.

Tipos de Câncer Mais Comuns em Animais

Em relação aos caninos e felinos, os tipos de câncer mais comuns são o câncer de mama (já citado na introdução deste artigo), o câncer de pele e o linfoma (ou seja, câncer ganglionar).

O câncer de mama pode se manifestar com maior frequência nas fêmeas após os 6 anos de idade, especialmente se estas não foram submetidas à castração precocemente. Durante os ciclos reprodutivos, a excreção dos hormônios estrógeno e progesterona podem estimular a transformação maligna do tecido mamário.

O câncer de pele, por sua vez, é mais comum em cães com mais de 8 anos de idade, assim como em gatos com a pelagem branca. Algumas raças caninas também apresentam predisposição genética à doença, como é o caso dos pit-bulls e weimaraners. Raças como os labradores, boxers e Golden retrivier, embora não possuindo tanta predisposição genética, também possuem elevada incidência desta condição clínica.

Cerca de 15 a 20% dos tumores em cães são de localização cutânea e subcutânea, os quais são classificados como mastocitomas, uma vez que se iniciam a partir da proliferação maciça de mastócitos (células envolvidas no processo de reação alérgica). Uma estratégia para evitar a ocorrência de câncer de pele é aplicar filtro solar (específico para animais, é claro), principalmente abaixo dos olhos e do focinho, bem como evitar exposição excessiva ao sol. Também é importante estar atento ao aparecimento de nódulos, feridas e manchas na pele do animal.

O linfoma é mais frequente em gatos, embora também acometa cães e outras espécies animais. Possui uma incidência mais elevada em zonas urbanas. No linfoma ocorre inchaço na região lateral da garganta de gatos e cães.

Sinais e Sintomas

Deformidades anatômicas, nódulos e aumento de volume em determinadas áreas podem ser indícios de atividade tumoral. Aliado ou independentemente desses fatores podem se manifestar sintomas inespecíficos tais como apatia, emagrecimento, diarreia, vômitos e febre contínua.

Câncer em Animais Sinais e Sintomas

Quando um tumor é de natureza cavitária (podendo ser abdominal ou torácico), há manifestação de sintomas como tosse com sangue, dor, distensão abdominal, dificuldade respiratória. A confirmação de câncer para esses casos ocorre através de exames de imagem, os quais identificam as delimitações do volume do órgão, assim como a presença de anormalidades anatômicas.

Modalidades de Tratamento Tradicional

O tratamento poderá ser paliativo ou curativo. No primeiro, não há perspectiva de cura e o foco terapêutico é aliviar as dores e desconfortos. Quando o tratamento paliativo não é capaz de minimizar as dores do animal, o veterinário poderá recomendar a eutanásia.

O tratamento curativo, por sua vez, pode ocorrer através de três modalidades: a cirurgia, a radioterapia, a quimioterapia, ou ainda uma combinação entre radioterapia e quimioterapia. A cirurgia não envolve apenas a retirada do tumor maligno, como também do tecido sadio ao redor do mesmo. Algumas cirurgias, no entanto, podem ser até mesmo mutilantes.

No caso do tratamento por quimioterapia, há necessidade de monitoramentos semanais através de exames de sangue.

Existe também outra modalidade de tratamento curativo para câncer em cães (embora não tão conhecida): a crioterapia, na qual há o congelamento de células neoplásicas, resultando em morte; no entanto, sua indicação é para as lesões a nível de mucosa e de pele.

Tratamento Alternativo para Câncer em Animais: O que Fazer?

Outras abordagens podem ser feitas de modo a substituir a terapêutica tradicional (de acordo com as recomendações do veterinário), são elas a acupuntura, a nutrição terapêutica, a fitoterapia e a homeopatia.

Esses tratamentos alternativos não geram os efeitos colaterais observados na quimioterapia, bem como não debilitam o sistema imunológico do animal.

A acupuntura consiste na aplicação de agulhas em locais específicos do corpo (conhecidos como meridianos). Ela auxilia a retardar o prognóstico de câncer, uma vez que estimula o sistema imunológico. Também pode ser aplicada para tratamento de distúrbios respiratórios, problemas na coluna, doenças neuromusculares, entre outros quadros.

A nutrição terapêutica é desenvolvida em conjunto à quimioterapia, de modo a manter sempre em dia a reserva de proteínas, vitaminas e minerais do animal, de modo que a quimioterapia não seja tão debilitante.

Em relação à fitoterapia, é importante ter em mente que a mesma não é tão potente quanto à terapêutica através de fármacos tradicionais. As ervas empregadas devem ser aprovadas pelo veterinário previamente. Normalmente, empregam-se ervas com propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e imunoestimulantes.

A homeopatia pode proteger o corpo dos danos causados pela quimioterapia e aumento da capacidade de autoregulação. O preparo das medicações envolve substâncias extraídas da natureza, sejam elas vegetais (tal como na fitoterapia), minerais e até mesmo animais.

Depois de conhecer importantes informações sobre câncer em animais, incluindo tratamentos alternativos; nossa equipe o convida a continuar conosco e visitar também outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Canal do Pet. Conheça os tratamentos alternativos para câncer em cães. Disponível em: < https://canaldopet.ig.com.br/cuidados/saude/2018-04-11/cancer-caes-terapias-alternativas.html>;

IdMedPet. Câncer: um mal que também assola os animais domésticos. Disponível em: < http://idmedpet.com.br/saude-de-a-z-caes-e-gatos/cancer-um-mal-que-tambem-assola-os-animais-domesticos.html#targetText=Assim%20 como%20os%20humanos%2C%20os,tipos%20de%20tumores%20dessa%20natureza.&targetText=O%20c%C3%A2ncer%20%C3%A9%20uma%20doen%C3%A7a%20temida%20e%20sin%C3%B4nimo%20de%20morte%20para%20alguns.>;

INCA. O que é câncer? Disponível em: < https://www.inca.gov.br/o-que-e-cancer#targetText=C%C3%A2ncer%20%C3%A9%20o%20nome%20dado,para%20outras%20regi%C3%B5es%20do%20corpo.>;

 

 

Veja também

Chihuahua Cores Raras – Quais São? Onde Encontrar?

A raça do cão Chihuahua tem muitos tamanhos e formas diferentes, mas o que mostra …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *