Home / Animais / Reprodução do Cachorro: Filhotes e Tempo de Gestação

Reprodução do Cachorro: Filhotes e Tempo de Gestação

O processo reprodutivo dos cachorros envolve um período de cio, acasalamento, tempo de gestação e criação dos filhotes.

O cio, por exemplo, representa a fase em que a fêmea está pronta para a cópula; e nos cachorros ele ocorre por volta dos 6 meses de vida (nos cães de pequeno porte) ou a partir de 1 ano (nas fêmeas de raças mais avantajadas).

Ele pode ser dividido entre os períodos “anestro” e “proestro”. O anestro representa a fase entre o primeiro e o segundo cio, que geralmente dura entre 6 meses e 1 ano, a depender do porte da fêmea. Enquanto o segundo, o proestro, corresponde à fase seguinte ao anestro, que dura no máximo 15 dias, e que se manifesta por algumas alterações na vulva da fêmea.

Seguem as fases conhecidas como “estro” (cio verdadeiro) e “diestro” – e é nessa última fase que ocorre a atração dos sexos.

Se tudo ocorrer a contento, em um período de no máximo 60 dias, já é possível perceber alterações no abdômen da fêmea, produção de leite nas mamas, entre outras características.

Lembrando que, apesar do cio apresentar-se entre 6 meses e 1 ano, o ideal é que o acasalamento seja estimulado na idade entre 8 e 10 meses (para os machos) e entre 10 e 12 meses (para as fêmeas) – podendo estender-se até a idade de 10 e 9 anos, respectivamente.

A importância dessa precaução está no fato de que raças especiais podem não ter reconhecida a validade do pedigree de filhotes nascidos de pais com menos idade.

Reprodução Canina: Filhotes e Tempo de Gestação

Após o cio e o acasalamento, você deverá aguardar em torno de 20 ou 25 dias para saber se a fêmea está prenhe. Um ultrassom é a forma mais fácil de detectar a presença de filhotes, inclusive a sua quantidade.

Já a partir dos 30 ou 40 dias, por meio de uma apalpação abdominal, o veterinário também poderá fazer essa detecção – e certamente ele lhe aconselhará a produzir um calendário de gravidez para a cadela, além de redobrar os cuidados com relação à ração (que deverá ser duplicada e do tipo “especial”) e às visitas ao veterinário, que também deverão ocorrer de acordo com o calendário.

Outra coisa importante diz respeito às atividades físicas. Por questões relativas à biologia dessa espécie, a partir do 1º mês de gravidez (ou prenhez) a fêmea demonstrará uma menor disposição para movimentar-se – isso é o instinto de maternidade avisando-lhe que deverá poupar energia e já procurar um lugar para dar à luz.

E esse lugar escolhido deverá ser o mais tranquilo e silencioso possível. Deve também ser seguro, limpo e escuro. O mais comum é que ela mesmo o encontre, no entanto, nada impede que você mesmo o escolha, em um canto da casa, ou mesmo numa casinha construída especialmente para ela.

No processo de reprodução dos cachorros, o tempo de gestação costuma durar 2 meses, e logo nascem os filhotes, com não mais do que alguns centímetros, olhos fechados, sem pelos, e que ainda podem não sobreviver ao parto.

Cuidados com os Filhotes Após o Tempo de Gestação no Processo de Reprodução dos Cachorros

Como qualquer ser vivo, os filhotes exigem cuidados que vão além do carinho, água e alimentação. Eles possuem cada qual as suas características, que serão determinantes para que a convivência seja sadia ou torne-se em uma grandessíssima dor de cabeça.

Nunca é demais lembrar que os cachorros não serão filhotes para sempre, por isso, antes de qualquer coisa, é preciso conhecer as características da raça: o tamanho a que podem chegar, quantidade de alimentação requerida, volume da pelagem, entre outras características físicas e de personalidade. Só então decida-se por qual raça é a mais adequada ao seu estilo de vida.

Os filhotes deverão visitar um veterinário capacitado assim que completar 45 dias – ou no máximo 2 meses. O objetivo dessa visita é que eles recebam a primeira dose da vacina – que geralmente funciona em um esquema de uma dose a cada 30 dias, até completar 3 doses.

Essa última dose deverá ser administrada juntamente com a chamada vacina “antirrábica”. E sobre a raiva, não custa abrir um parêntese para falar desta que é a mais temida e letal entre as antropozoonoses ( doenças transmitidas de animais para os homens) que acometem animais de estimação.

Para se ter uma ideia do seu perigo, a doença possui uma taxa de letalidade que beira os 100%. Mordidas, lambeduras em locais lesionados e arranhões (menos comum) podem inocular o vírus do cão no homem. E se um cão não resiste mais do que 1 semana à doença, poucos humanos também conseguem escapar quando acometidos por esse mal, que por enquanto ainda é considerada uma doença incurável.

Outros Cuidados Com os Filhotes

A essa altura, o filhote, juntamente com a primeira dose da vacina, recebeu também um vermífugo, que deverá ser administrado de acordo com a bula. Esse vermífugo, para a sua melhor eficácia, deverá ser administrado em quatro doses (a cada 90 dias), ou de acordo com a prescrição do veterinário.

Nesse processo de reprodução dos cachorros, especialmente no que diz respeito ao tempo de gestação e cuidados com os filhotes, a preocupação maior deverá ser com as visitas ao veterinário, pois esse é o profissional capaz de administrar as vacinas e orientar sobre outras afecções que geralmente ocorrem nessa fase.

Os filhotes também deverão tomar a vacina contra a gripe. Ela será capaz de mantê-lo imune a uma ameaça que desde 2004 vem assombrando os criadores de animais: a famigerada H3N8 ou a “gripe canina”.

A “gripe canina” é uma doença respiratória hoje bastante comum em cães, mas no início do seu desenvolvimento afetava preferencialmente os cavalos, como uma variação do nosso conhecido vírus “Influenza”, que, de acordo com análises científicas, sofreu mutações suficientes para contagiar cães e gatos.

Felizmente, não há risco de que um ser humano contraia a gripe, mas para os cães ela pode ser fatal! Por isso, mais uma vez, o recomendado é a administração de 2 doses, com um intervalo de 1 mês após a última dose da antirrábica.

E para finalizar, escolha uma ração de qualidade para filhotes e alimente-o pelo menos 4 vezes por dia, até ele completar os 4 meses – período em que poderá receber 2 ou 3 porções diárias de uma ração que contenha pelo menos 40% de proteínas, 20% de carboidratos, 20% de vegetais e 20% de fibras.

E no mais, é só bastante amor e carinho, passeios diários, um local limpo onde ele possa dormir; e a partir de então poder contar com um companhia que, sem dúvida, será de extrema importância nos momentos mais solitários e difíceis da sua vida.

Gostou desse artigo? Deixe a resposta na forma de um comentário. E continue compartilhando os nossos conteúdos.

Veja também

Top 10 Raças de Cachorros Mais Cheirosos Que Existem?

Há ocasiões em que os cães amados emitem odores desagradáveis, e isso é especialmente verdadeiro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *