Home / Animais / Quantas Espécies de Macaco Existem No Mundo?

Quantas Espécies de Macaco Existem No Mundo?

Os macacos vivem em todo o mundo e têm várias formas, tamanhos e cores. Como animais considerados os mais semelhantes ao ser humano, esses mamíferos são muito inteligentes e têm polegares oponíveis, permitindo que usem ferramentas e joguem jogos. Porém, quanto s deles existem em todo o mundo?

Quantas Espécies De Macacos Existem No Mundo?

Existem mais de 260 tipos diferentes de macacos. Eles são separados em duas categorias principais: Novo Mundo e Velho Mundo. Os macacos do Novo Mundo vivem nas Américas, enquanto os macacos do Velho Mundo vivem na Ásia e na África. Uma diferença entre as duas categorias é que os macacos do Velho Mundo não têm caudas preênsil; Macacos do Novo Mundo sim.

Os macacos do Velho Mundo têm bolsas especiais na bochecha, onde podem armazenar alimentos. Os macacos do Velho Mundo têm almofadas de alcatra, mas os macacos do Novo Mundo não. Além disso, as narinas dos macacos do Velho Mundo são pequenas, curvas e juntas; a maioria dos macacos do Novo Mundo tem narinas redondas distantes.

Os macacos são tão variados em forma e tamanho quanto os humanos. O menor macaco do mundo é o sagui-pigmeu, pois ele pesa apenas cerca de 113 gramas e tem apenas 12,7 centímetros de altura. O maior macaco do mundo é o mandril, pois ele pesa cerca de 35 kg e tem 1 metro de altura.

Espécies De Macacos No Brasil

O fato de mais primatas viverem no Brasil do que em qualquer outro lugar não deveria surpreender. Sendo um país da América do Sul que é quase tão grande quanto os Estados Unidos, dentro de suas fronteiras tem 60% da floresta amazônica, responsável por mais da metade de toda a floresta tropical deixada na Terra. E exemplos de primatas que podem ser encontrados são: capuchinhos de crista, saguis anões, titis de barriga vermelha, sakis, uakaris, macacos da noite etc.

Infelizmente, o Brasil permitiu que as operações agrícolas e madeireiras derrubassem 114 milhões de acres desse habitat primordial de primatas entre 2001 e 2016. A maior perda de floresta nesse período entre os quatro grandes países (Brasil, Madagascar, Indonésia e República Democrática do Congo) que abrigam dois terços dos primeiros primatas existentes. Depois do Brasil é colocada a Indonésia que perdeu metade.

Ainda mais preocupante que a perda de floresta, o Brasil mudou recentemente para políticas governamentais mais ambientalmente exploradoras e leis de conservação mais frouxas, que os cientistas suspeitam levarem a ainda mais desmatamento.

A mineração também está ameaçando os primatas do Brasil, e não apenas porque está destruindo a terra. Um estudo de 2017 descobriu que o país tem pelo menos 126 barragens que retêm água contaminada por mineração e que essas estruturas são “vulneráveis a falhas nos próximos anos”. E quando essas barragens estouram, elas contaminam todas as hidrovias por centenas de quilômetros a jusante, uma onda de lodo tóxico.

O colapso das barragens de mineração também é perigoso para os primatas não ameaçados. Vinte pessoas morreram em 2015 quando uma grande barragem de rejeitos de minas desabou no rio Doce.

Barragem do Rio Doce
Barragem do Rio Doce

No entanto, para todos os problemas ambientais do Brasil, o país também está cheio de esperança. De acordo com o co-autor do novo estudo e presidente do grupo de especialistas em primatas da Comissão de Sobrevivência de Espécies da IUCN, o Brasil é o mais bem-sucedido entre os quatro grandes países na manutenção de sua diversidade de primatas. Ele atribui isso ao trabalho da grande comunidade de profissionais de conservação de primatas do país.

Pegue os muriquis do norte, os maiores macacos do Novo Mundo. Também conhecidos como macacos-aranha, eles podem crescer até mais de um metro e meio de altura, e as pessoas costumam caçá-los em busca de carne. Além disso, as grandes extensões de floresta atlântica em que habitavam foram cortadas e cortadas até o ponto em que só restam bolsões de macacos.

Mas nas últimas décadas, organizações como o Instituto Muriqui de Biodiversidade, o Instituto Pró-Muriqui e o Instituto Nacional da Mata Atlântica se formaram para dar um impulso a esses macacos. Embora os muriquis do norte ainda estejam criticamente ameaçados, uma população passou de apenas 22 indivíduos para pelo menos 354 a partir de 2015.

O Brasil também é capaz de interromper seus hábitos de desmatamento e já o fez no passado. De 2005 a 2012, o país reduziu sua taxa de perda de florestas em 80%.

Estado De Conservação Dos Macacos

Embora muitas espécies de macacos não estejam em perigo, há algumas que estão muito próximas da extinção. Por exemplo, existem apenas 150 macacos de nariz arrebitado de Tonkin.

Outro macaco da lista é o Colobus Vermelho do Rio Tana. Restam menos de 1.000 desses macacos no mundo. Ambos estão listados na lista dos 25 primatas mais ameaçados, publicada pelo grupo de especialistas em primatas da Comissão da União Internacional para Conservação da Natureza.

O Gibão de crista negra de Hainan é considerado uma das espécies mais ameaçadas de extinção. Restam apenas 20 desses macacos no mundo.

Outros Fatos Sobre Macacos

Se houver falta de comida, os macacos pararão de acasalar até que haja melhores circunstâncias para engravidar. Mesmo quando as condições são adequadas, a mãe só dá à luz uma vez a cada dois anos.

Macacos-narigudos comem apenas frutas verdes. Isso ocorre porque os açúcares das frutas maduras fermentam. A fermentação causa inchaço no estômago que pode matá-los.

Dois Macacos se Alimentando de uma Jaca
Dois Macacos se Alimentando de uma Jaca

Segundo a NASA, o primeiro ser vivo no espaço foi um macaco Rhesus chamado Albert I. Seu lançamento ocorreu no Novo México, em 11 de junho de 1948.

As cores azul e vermelha brilhantes no rosto de um mandril ficam mais brilhantes quando estão excitadas. Eles também têm bolsas nas bochechas, onde armazenam comida para lanches.

Quando uma tropa de macacos berradores grita, eles podem ser ouvidos por até cinco quilômetros.

Sorrir ou puxar o lábio é um sinal de agressão em macacos, além de bocejar, balançar a cabeça e sacudir a cabeça e os ombros para frente. Macacos expressam carinho e fazem as pazes com os outros, cuidando um do outro.

Os macacos Titi da América do Sul são raros entre os primatas porque acasalam por toda a vida. Eles demonstram afeição cuidando um do outro, entrelaçando suas caudas, dando as mãos, abraçando e batendo nos lábios.

Dois Macacos Sendo Carinhosos
Dois Macacos Sendo Carinhosos

Os capuchinhos são usuários qualificados de ferramentas. Eles podem esmagar nozes com pedras, inserir galhos nas fendas para capturar comida e usar galhos grandes para bater em cobras. Eles são frequentemente usados em experimentos de laboratório por causa de sua inteligência.

Um macaco-aranha tem o nome de sua cauda longa e membros arenosos longos. Esses macacos podem andar rapidamente com duas pernas sobre um galho de árvore.

Os macacos e humanos do Velho Mundo compartilham um ancestral comum. Os cientistas dizem que a divisão evolutiva pode ter ocorrido entre 20 e 30 milhões de anos atrás.

Veja também

Marreco de Pequim: Características, Hábitat e Nome Científico

O marreco de Pequim é considerado uma das principais raças atuais de marrecos, ao lado …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *