Home / Animais / Qual a Diferença Entre Hipismo e Equitação?

Qual a Diferença Entre Hipismo e Equitação?

O cavalo é um animal cuja domesticação e processo de ‘socialização’ com os seres humanos iniciou-se a milhares de anos. Os cavalos já foram empregados em batalhas e como meio de transporte (cenário que se modificou com a chegada do motor), contudo, um contexto particular, e também quase tão antigo quanto, é a utilização dos cavalos em competições esportivas.

O esporte proporciona uma relação de aproximação maior entre cavalo e cavaleiro, os quais podem competir inclusive em modalidades olímpicas.

Alguns exemplos de modalidades esportivas incluem o hipismo, turfe, adestramento, polo equestre, seis balizas, dentre outros.

Neste artigo em particular, você conhecerá um pouco mais sobre as modalidades de hipismo e equitação e as principais diferenças entre elas.

Então venha conosco e boa leitura.

Origem Histórica do Hipismo

O hipismo é uma modalidade esportiva tão antiga que inclusive já chegou a ser disputado nos jogos olímpicos da Grécia Antiga.

Outras literaturas mencionam que o hipismo teria surgido na Inglaterra, no início do século XVII, sendo que o rei Jaime I teria realizado a construção dos primeiros hipódromos. Apesar desta teoria, é importante considerar que no restante da Europa (desconsiderando a Grécia), o esporte teria se consolidado a partir das atividades da nobreza de caça às raposas, na qual os cavalos precisavam saltar entre obstáculos como riachos e pequenos troncos.

As regras para competição da modalidade, que estão em vigência até os dias de hoje, surgiram nos Estados Unidos, no ano de 1883.

O hipismo no formato que conhecemos hoje começou nos Estados Unidos no ano de 1883. Em 1912, em Estocolmo, o esporte foi incorporado oficialmente ao programa olímpico. Nos jogos Pan Americanos, teria estreado no ano de 1951, em Buenos Aires.

No Brasil, a primeira competição de hipismo (embora ainda não oficial) ocorreu no século XVII, mais precisamente no ano de 1641, sob coordenação de Maurício de Nassau, em Recife, contando com a participação de brasileiros, franceses e holandeses. Contudo, a modalidade só se consolidou no país posteriormente.

Na primeira metade do século XX, foi realizada no Brasil uma missão militar francesa, a qual utilizou cavalaria e proporcionou melhorias na modalidade, em termos de organização e de técnica. Os primeiros clubes hípicos foram fundados no ano de 1911, são eles o Clube Esportivo de Equitação do Rio de Janeiro e a Hípica Paulista.

Atualmente, o país já conta com a Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), assim como diversas federações estaduais. Em termos olímpicos, uma grande referência no Brasil e no mundo é o atleta Rodrigo Pessoa.

A CBH foi fundada em 19 de Dezembro de 1941 e é responsável pela coordenação, regulamentação, promoção e fomento das oito modalidades de hipismo praticadas no país; assim como também é responsável pela formação de delegações destinadas aos campeonatos, competições, seletivas e cursos internacionais. Outro campo de atuação desta confederação está relacionado à captação de verbas do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), assim como dos órgãos governamentais.

Qual a Diferença Entre Hipismo e Equitação?

Embora em muitos dicionários as palavras “hipismo” e “equitação” sejam referidos como termos sinônimos, cujo significado designa atividade de esporte, lazer e arte envolvendo cavalos; há algumas peculiaridades que precisam ser consideradas.

Em outras traduções, a palavra “hipismo” aparece como “a arte de montar”; ao passo que, “equitação” seria a “arte de cavalgar”, a qual abre caminho para práticas posteriores, tais como o salto e o adestramento.

Diferença Entre Hipismo e Equitação

A equitação vem sendo empregada como modalidade terapêutica para o tratamento de patologias psicológicas, emocionais e até mesmo físicas (através da melhora do estado emocional).

Requisitos Para se Tornar um Praticante de Hipismo

Aqueles que têm interesse no esporte como hobby, podem começar a praticá-lo em qualquer idade, contudo, quem deseja participar de competições oficiais e olímpica deve começar cedo. O ideal é iniciar aos 2 anos de idade com a equoterapia e evoluir para saltos, aos 7 anos de idade.

O cavalo utilizado no hipismo é o inglês, pois é excelente velocista e conseguir saltar os osbstáculos com facilidade.

As vestimentas utilizadas no esporte costumam ser bastante elegantes. Itens básicos incluem o cap (capacete específico para hipismo), as luvas (também específicas para hipismo), botas de montaria, calça específica para montaria (chamada de culote), o blazer (ou casaca); e, nos casos das competições oficiais, as gravatas de crochê.

Equoterapia: Equitação Terapêutica

A equoterapia é a equitação aplicada para fins terapêuticos, também pode ser chamada pelos nomes de hipnoterapia e equiterapia.

Esta atividade utiliza cavalos para estimular o desenvolvimento mental e corporal; podendo, inclusive, complementar o tratamento de indivíduos com Síndrome de Down, derrame, paralisia cerebral, hiperatividade, esclerose múltipla, autismo, dificuldade de concentração e outros quadros.

É importante considerar que esta terapia deverá ser realizada em um local especializado, uma vez que o cavalo precisa ser manso e bem treinado. Além do treinador, cada sessão também deve contar com a presença de especialistas como o fisioterapeuta e o fonoaudiólogo ou psicomotrista, de modo que a realização dos exercícios ocorra com as orientações devidas.

Equitação Terapêutica

Sessões de equoterapia tem duração média de 30 minutos, 1 vez na semana.

Até agora, esta opção terapêutica tem demonstrado vários resultados benéficos, dentre os quais estão a melhora do tônus muscular, melhora da postura e do equilíbrio; melhora do tônus muscular; estímulo às sensibilidades auditiva, visual e tátil; melhora da percepção motora e capacidade de percepção dos movimentos; aumento da autoestima e capacidade afetiva.

No caso dos pacientes com autismo, a equoterapia ainda possui benefícios adicionais, uma vez que há melhora na linguagem, na interação social e melhora de muitos aspectos emocionais, com os quais a criança autista tem dificuldade de lidar. No campo emocional, auxilia a superar os medos; melhorar a expressão facial; desenvolver a capacidade de olhar nos olhos, de acenar dizendo tchau e de desenvolver novas amizades.

Agora que você já conhece muitas informações referentes a essas duas modalidades esportivas, nossa equipe o convida a continuar conosco para visitar também outros artigos do site.

Aqui há muito material de qualidade nos campos da zoologia, botânica e ecologia de um modo geral.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Marketing Rodeo West. Tudo o que você precisa saber sobre o hipismo. Disponível em: < https://blog.rodeowest.com.br/selaria/tudo-sobre-o-hipismo/>;

Medium. Qual a diferença entre hipismo e equitação? – Por Maria Basile Palermo. Disponível em: < https://medium.com/@educacaoehipismo/qual-a-diferen%C3%A7a-entre-hipismo-e-equita%C3%A7%C3%A3o-por-maria-basile-palermo-d0765d601b06>;

Portal São Francisco. Hipismo. Disponível em: < https://www.portalsaofrancisco.com.br/esportes/hipismo>;

Tua Saúde. Equoterapia: o que é e benefícios. Disponível em: < https://www.tuasaude.com/equoterapia/>.

Veja também

Meu Cachorro Avança nas Pessoas na Rua: E Agora?

Os cães são sem dúvida os animais de estimação mais amados e estimados em todo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *