Home / Animais / O Polvo Serve De Alimento Para Outros Animais? Quais?

O Polvo Serve De Alimento Para Outros Animais? Quais?

Os seres humanos são classificados como seres onívoros, ou seja, podem metabolizar uma lista infindável de alimentos. Por isso, sua dieta alimentar é bastante diversificada: podem comer seres como fungos e vegetais, como a cana-de-açúcar. Mas, além disso, somos consumidores de carne, e ainda que não sejamos considerados predadores, muitos animais enxergam em nós humanos, uma ameaça. Um deles é o Polvo. Mas, o polvo serve de alimento para outros animais? Quais?

Habilidades Defensivas dos Polvos

Os polvos apresentam várias técnicas e habilidades de defesa para enganar seus predadores. Um delas é a capacidade de jorrar tinta para que a vista do possível predador seja dificultada e ele consiga fugir (com seus tentáculos e jato branquial, conseguem se movimentar com bastante rapidez). Podem também utilizar de objetos para se defender e atacar, como rochas ou conchas.

Outra impressionante habilidade desses animais, é o seu poder de camuflagem. Diferente de outras espécies com esta mesma capacidade (como cobras ou camaleões que demoram a atingir outra cor), no caso dos polvos acontece de forma quase instantânea, conseguindo camuflar-se de acordo a aparência do que está em sua área de visão. Isso acontece, pois, a pele dos polvos é constituída de células neuromusculares chamadas cromatóforos, que contém também, células pigmentosas (como a melanina nos seres humanos).

A Quais Animais o Polvo Serve de Alimento?

Estas habilidades são bastante eficientes, pois, esses animais são presas para inúmeros animais, dentre eles:

  • Raias
  • Tubarões
  • Moreias 
  • Garças
  • Leões-marinhos
  • Lobo-marinho

Além desses animais, o mais curioso é que o próprio polvo pode comer sua mesma espécie. Porquê? Veja abaixo e descubra o porquê dessa e de outras características importantes sobre os Polvos!

Características Gerais dos Polvos

Moluscos

Antes de nos aprofundarmos com as características dos Polvos, devemos falar sobre seu filo, os Moluscos. Estes animais têm o corpo mole (ou seja, fazem parte do grupo dos invertebrados), podem ou não ter a presença de conchas (externas ou internas) e tem a estrutura corporal simples: formada pela cabeça, pernas e vísceras (onde se encontram todos os órgãos internos).

Moluscos
Moluscos

São divididos em dez classes, sendo as três principais os Gastropoda (Gastrópodes), Bivalvia (Pelecipódes ou Bivalves) e Cephalopoda (Cefalópodes, classe dos Polvos). Dentre as principais espécies (além dos Polvos) se encontram:

  • Ostras (Bivalve)
  • Mariscos (Bivalve)
  • Caracóis (Gastrópode)
  • Caramujos (Gastrópode)
  • Lesmas (Gastrópode)
  • Lulas (Cefalópode)
  • Náutilos (Cefalópode)

Apresentam sistema digestivo completo, com a presença de boca, estômago, intestino e ânus. No caso da boca, têm uma estrutura chamada rádula (um tipo de língua), com a presença de diversos “dentes pequenos”, que servem para que o animal corte ou raspe os alimentos.

Além disso, possuem sistema nervoso central ou ganglionar. Por isso apresentam estruturas sensoriais avançadas para um invertebrado, como visão e tato (que ajudam no equilíbrio do animal). Geralmente vivem em ambientes aquáticos (tanto de água salgada, quanto de água doce) ou na terra, quando úmida.

Espécies de Polvo

O Polvo é conhecido cientificamente por (Octopus vulgaris). Como já sabemos,  é um molusco que faz parte da classe dos Cefalópodes, mas diferente das outras classes, é da ordem dos Octópodos (Octopoda) e da família dos Octopodídeos. De acordo com biólogos e pesquisadores, são estimadas mais de 700 espécies de Polvos espalhadas pelo mundo, onde se destacam:

  • Polvo-comum (Octopus vulgaris vulgaris)
  • Polvo-gigante-do-Pacífico (Enteroctopus dofleini)
  • Polvo-do-coco (Amphioctopus marginatus
  • Polvo Dumbo (Grimpoteuthis umbellata)
  • Polvo Telescópio (Amphitretus pelagicus)
  • Polvo Argonauta (Argonauta Linnaeus)
  • Polvo-véu (Tremoctopus violaceus)

Morfologia

Como todo molusco cefalópode, apresentam oito pernas (ou tentáculos) grudadas à cabeça (tal qual o significado do nome da classe), que no total, podem medir de 2 cm a 9 m de altura e comprimento. Cada perna apresenta um conjunto de ventosas – com grande poder de sucção – que lhes permitem locomoção, agarrar seus alimentos e identificar o gosto de tudo o que encostam. 

Isso acontece, pois, na ponta de cada perna, estão seus neurônios. São cerca de meio bilhão de neurônios distribuídos em cada perna, fazendo com que cada uma, tenha uma função diferente. Apesar disso, entre seus olhos, existe o “cérebro central”, que apesar de menos neurônio, emite sinais para as pernas.

Ainda que tenha olhos de visão binocular, conseguem detectar poucas cores e a intensidade diferente da luz. Apesar disso, a estrutura ocular de todo cefalópode se assemelha muito a dos seres humanos, pois tem o mesmo funcionamento de uma câmera fotográfica: no caso dos polvos, a visão se junta ao tato no momento de locomoção e captura das presas.

Recentemente, pesquisadores constataram que os polvos utilizam seus seis tentáculos da frente como braços e os dois de trás, como pernas. Segundo eles, isso ocorre devido à posição de seus olhos na cabeça.

Morfologia do Polvo
Morfologia do Polvo

Sistema Circulatório e Respiratório

O Polvo possui três corações, sendo que dois são responsáveis por bombear o sangue que não contém oxigênio para suas brânquias – uma pequena abertura lateral localizada abaixo de seus olhos, que funciona como uma porteira para a água chegar às guelras (órgãos que são responsáveis por absorver o oxigênio da água). Após a absorção, a água é expelida por esta mesma abertura.

Já o outro coração, é responsável por levar com oxigênio ao resto do corpo, através hemocianina, proteína que retém o oxigênio no sangue. A coloração azulada no sangue dos polvos é devido à quantidade de cobre presente na proteína (no caso dos humanos, é vermelho, pois a proteína hemoglobina é rica em ferro).

Habitat e Comportamento dos Polvos

São animais de vida solitária que costumam viver no fundo do mar, variando de profundidade entre uma espécie e outra.

Como dissemos acima, este cefalópode é o mais inteligente entre o grupo dos invertebrados. Por isso, diversas pesquisas foram realizadas para testar a esperteza desses animais, resultando em descobertas surpreendentes. Por serem muito inteligentes, são animais curiosos com o que está ao seu redor e conseguem memorizar muito bem. Por isso são animais que aprendem fácil.

Polvo Com um Mergulhador
Polvo Com um Mergulhador

Alguns estudiosos afirmam, que além de ter uma ótima memória, polvos têm também temperamentos diferentes, sendo que alguns deles se sentem incomodados com certas presenças ou situações. Um polvo de laboratório, por exemplo, aprendeu a apagar uma lâmpada de luz intensa de um dos tanques, lançando um jato d’água pela saída de suas brânquias.

Alimentação dos Polvos

Mas apesar de camuflar-se ser uma importante ferramenta de defesa, é também imprescindível para que se alimentem. São considerados animais carnívoros, logo se alimentam de peixes, crustáceos e várias espécies de animais também invertebrados. Seu modo de ataque é pegar a presa com seus tentáculos e os matam com sua boca.

Entre os polvos, o canibalismo é muito comum. 

Reprodução dos Polvos

Reprodução dos Polvos
Reprodução dos Polvos

A reprodução desse cefalópodes é sexuada, sendo um macho a fecundar a fêmea através de um de seus tentáculos que liberam uma espécie de espermatozoide, no caso, os espermatóforos. Antes do coito, a fêmea solta um feromônio sexual a seu redor, para que os machos se sintam atraídos. Após o coito, os machos morrem pouco tempo depois. 

Após ser fecundada, a fêmea deposita cerca de 200 000 os ovos em esconderijos, em forma de ninhos ou fileiras. Enquanto se desenvolvem, a mãe solta jatos de água em cima dos ovos, para que tenham oxigênio e os protege de prováveis ameaças. Nesse meio tempo, a fêmea não se alimenta até que os filhotes ecludam dos ovos, por isso morre logo depois por fraqueza.

Os filhotes por sua vez, se  dirigem à superfície para se alimentarem de plâncton, larvas de caranguejos ou estrelas-do-mar. Quando crescem, se dirigem para o fundo do mar.

Veja também

Quanto Tempo Após o Nascimento Pode Dar Banho no Cachorro?

Ter um filhote canino em casa é sinal de bagunça, brincadeira e correria. Por conta …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *