Home / Animais / História da Pulga e Origem do Animal

História da Pulga e Origem do Animal

Os insetos podem ser muito maléficos para as pessoas, já que são capazes de produzir muitos problemas para os humanos de inúmeras maneiras. Portanto, em geral a presença de insetos não é muito bem tolerada, seja em plantações, como pragas, ou em ambientes urbanos. As baratas, por exemplo, são simplesmente detestadas pelas pessoas, que odeiam esse animal. Há também o caso da pulga, que pode infestar casas inteiras, bairros ou prédios completos e gerar uma série de preocupações.

Isso porque as pulgas atacam os animais, mas logo se proliferam para outros ambientes ao redor, passando para outros animais e, com o tempo, rapidamente já tomaram quase todo o cenário. Por isso é tão importante realizar o trabalho de prevenção contra as pulgas, fazendo manutenções frequentes nos animais de estimação.

Contudo, de forma ainda mais específica, quem mais sofre com as pulgas são os animais de pelagem alta, que proporcionam o ambiente ideal para que o inseto possa se esconder. Dessa maneira, se você possui um cão com pelo alto e fofo, tenha o dobro de atenção em relação às pulgas. Veja abaixo mais detalhes sobre a pulga, como ela aparece e como evitar o problema.

Origem da Pulga

É realmente complicado apontar a origem,da pulga, já que esse inseto é muito pequeno e não apresenta detalhes marcantes da sua evolução de forma tão clara. De toda maneira, certamente a pulga é um inseto muito antigo, já que se encontra em todo o planeta Terra, desde a Antártica até o Ártico.

Contudo, é complicado precisar com exatidão onde surgiu a pulga e qual é exatamente a história desse inseto tão comum e tão mal visto em todo o planeta Terra.

Como Surgem as Pulgas

As pulgas podem chegar aos animais por meio do ambiente, livres na natureza. Ou, então, a partir do contato com outro animal. Tudo isso é bastante relativo e se torna muito complicado saber ao certo qual é a fonte principal de origem das pulgas. Em todo caso, o certo é que, uma vez em contato com o pelo do animal, as pulgas colocam ovos naquela pelagem.

Assim, conforme o animal de estimação anda, corre e pula, os ovos podem cair no chão. Depois de algum tempo, nascerão a partir dali muitas outras pulgas, capazes de infectar outros gatos ou cachorros. Portanto, dentro de tudo isso há aquele ambiente que é o ideal para as larvas sobreviverem e crescerem: em geral, elas gostam de locais pouco úmidos, com sombra e algum grau de calor.

Pulgas

Camas, carpetes e assoalhos podem ser, assim, um prato cheio para as larvas de pulgas se desenvolverem como gostam. Uma única pulga pode, ao longo do seu pouco tempo de vida, produzir cerca de 2 mil ovos, sendo 300 ao dia. Esse número faz com que seja muito duro acabar com as pulgas depois da sua instalação em alguma casa ou apartamento.

A Multiplicação das Pulgas

As pulgas são animais de fácil e rápida multiplicação, capazes de crescer e se desenvolver muito rapidamente. Esses animais conseguem atingir a maturidade em pouco tempo, gerando problemas para quem deseja acabar com eles. Assim, como uma pulga pode gerar 2 mil ovos ao longo da vida, a sua multiplicação é rápida. Para acabar com o inseto, portanto, é necessário ser ainda mais veloz.

Um detalhe interessante é que muitas vezes as pulgas caem de um animal e ficam no chão à espera de uma outra chance de voltar àquele mesmo animal ou, então, a qualquer outro. As pulgas não costumam gostar muito das pessoas, já que a temperatura corporal dos animais costuma ser muito mais adequada para o seu desenvolvimento pleno.

Uma grande maneira de acabar com as pulgas é fazer uso de remédios receitados pelos profissionais da área, algo fundamental para que o inseto rapidamente seja extinto da sua casa. Contudo, há outras medidas a tomar para manter as pulgas muito afastadas de casa, como manter o jardim sempre cuidado, ter atenção ao pelo do cão e evitar carpetes sujos, por exemplo. Dessa maneira, adotando as medidas preventivas corretas, rapidamente as pulgas deixarão de ser um problema.

Ciclo de Vida da Pulga e Espécies no Brasil

A pulga é um animal com ciclo de vida bastante simples, tendo as fases de ovo, larva, pupa e adulta. Todas essas fases acontecem de forma rápida, com uma pulga passando alguns dias na fase adulta antes de morrer.

O grande problema é que, nesse período de tempo, o animal é capaz de gerar cerca de 300 ovos novos a cada dia, espalhando-os pela sua casa. Portanto, é muito importante ter atenção aos detalhes que as pulgas deixam pela casa, como vestígios que podem ser encontrados. Ademais, em relação às espécies, as pulgas possuem cerca de 59 delas apenas no Brasil; dentro disso, 36 dessas espécies estão presentes apenas no estado de São Paulo.

Ciclo de Vida da Pulga

Como parasitas que são, as pulgas causam muitos problemas para os animais que as hospedam, sugando sangue desse animal, o que pode causar inúmeros problemas de saúde; a anemia, por exemplo, é um dos possíveis problemas. Além disso, a pulga ainda é um grande vetor de vermes e bactérias, que podem, com o tempo, causar doenças quando em contato com o organismo animal. Dessa maneira, a grande dica contra a pulga é evitar a sua proliferação inicial.

Curiosidades Sobre as Pulgas

As pulgas possuem patas feitas para o salto, o que permite que esse tipo de animal possa dar saltos até 200 vezes maiores que o comprimento do seu corpo. Dessa forma, as pulgas conseguem se movimentar muito mais rapidamente do que o corpo pequeno pode aparentar. Além disso, as pulgas também possuem na saliva uma espécie de anticoagulante que permite a sua alimentação constante, sendo isso o que leva o inseto a sugar tanto sangue dos animais que parasita.

Ademais, as pulgas são capazes de transmitir doenças para os animais e para as pessoas, embora seja mais comum que os animais sofram com tais problemas. Isso porque o sistema de defesa animal é menos complexo do que o sistema de defesa humano, causando problemas.

Veja também

Marreco Pompom: Características, Hábitat e Nome Científico

O marreco pompom (crested duck) é uma ave ornamental considerada uma variação genética do marreco …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *