Home / Animais / Tudo Sobre O Camaleão: Características Nome Científico E Fotos

Tudo Sobre O Camaleão: Características Nome Científico E Fotos

Dentro da ordem Squamata, na família Chamaelonidae, existe uma comunidade de répteis conhecida popularmente como a dos “camaleões”.

São cerca de 150 espécies, sendo que, destas, em torno de 70 ainda não foram adequadamente descritas; e o que se sabe é que essa é uma família que separou-se da comunidade Agamidae (aquela das iguanas) por volta de 100 milhões de anos para formar uma família à parte.

E o resultado foi que essa família estabeleceu-se no continente africano, sul da Europa (mais especificamente em Portugal e Espanha), na ilha de Madagascar, na Península Arábica, Sri-Lanka, Paquistão, Índia, entre outras regiões caracterizadas pela exoticidade das suas faunas.

Os camaleões são animais bastante versáteis quando o assunto são os seus habitats. É possível que você os encontre livres e soltos em meio ao ambiente hostil e desértico das savanas e áreas montanhosas, bem como em florestas tropicais e úmidas, ou até mesmo em regiões litorâneas.

O animal é repleto de excentricidades, como a sua capacidade de girar os olhos em 360°, mudar a sua coloração de acordo com o ambiente, além de sobreviver sob as mais variadas condições climáticas.

E sobre essa sua mudança de coloração, sabe-se que ela é realizada em alguns poucos segundos (entre 15 e 20 s), em situações especiais (medo, camuflagem, para a caça de presas, etc.), graças a um fenômeno produzido por um conjunto de células epiteliais compostas por cristais que refletem de diferentes formas a luminosidade.

Apesar do fato de nem todos os camaleões possuírem essa habilidade, ela tornou-se quase como sinônimo dessa família. Tanto é assim que alguém capaz de adaptar-se às mais diversas situações logo recebe o apelido de um verdadeiro “camaleão”.

O certo é que eles possuem um mecanismo de camuflagem invejado por todas as outras espécies.

Se precisar demonstrar que não estão para brincadeira, logo a sua coloração irá apresentar tonalidades sóbrias e escuras. Se quiser chamar a atenção do sexo oposto, uma belíssima combinação colorida logo entrará em ação para chamar-lhe a atenção.

Mas se o objetivo for fugir dos seus temíveis predadores, basta assumir a coloração do ambiente onde estiver inserido – a cor de uma folha, de uma rocha, do solo, etc – ; como um dos fenômenos mais curiosos e repletos de mitos e lendas da natureza selvagem.

Uma Espécie Singularíssima!

Essa é, sem dúvida, uma família à parte no seio da natureza! O exemplar de um camaleão pode atingir entre 40 e 60 cm de comprimento; mas eles chamam a atenção mesmo é pelo comprimento da sua língua, uma exuberância capaz de atingir entre 0,60 e 1m de distância, e com a qual eles fazem um verdadeiro extermínio dos mais diversos tipos de insetos e pragas naturais.

Mariposas, borboletas, joaninhas, louva-a-deus, besouros…nenhuma dessas espécies são capazes de opor a menor resistência a esse instrumento poderosíssimo quando chega a hora de os camaleões matarem a fome.

Eles simplesmente irão aproximar-se calma e silenciosamente – ainda favorecidos por uma cauda preênsil e patas vigorosas – , e como bons oportunistas irão lançá-la em direção ao infeliz, que receberá uma laçada vigorosa e grudenta da qual não poderão opor a menor resistência.

Isso sem contar a sua habilidade – que seria como um sonho para nós, os humanos – de obter duas imagens diferentes no seu campo de visão, graças a um par de olhos que se movem de forma independente.

E que, por isso, é capaz de enviar duas informações diferentes ao cérebro, fazendo com que os camaleões consigam identificar uma boa presa enquanto observam, cautelosamente, a presença sempre ameaçadora dos seus principais predadores.

E tudo o mais que se sabe sobre esses camaleões, à parte as suas características biológicas, nomes científicos, entre outras especificidades como essas que podemos perceber por essas fotos, é que eles são, verdadeiramente, repletos de singularidades!

Camaleão Fotografado de Frente
Camaleão Fotografado de Frente

Basta saber, por exemplo, que eles possuem toda a órbita ocular recoberta por uma membrana que apenas deixa descoberta uma pequena parte suficiente para permitir que íris e pupila recebam, adequadamente, a luminosidade que lhes faça enxergar corretamente.

E, por fim, é curioso também notar como a sua pele é quase toda ela composta por queratina; um material que lhe confere resistência suficiente para encarar os maiores desafios, ao passo que também lhe exige a troca periódica dessa singular cobertura.

Tudo Sobre a Distribuição E Habitat Dos Camaleões

Os camaleões, como dissemos, são animais oriundos das savanas, áreas montanhosas, florestas, estepes, prados, entre outras vegetações como essas do continente africano, asiático e, curiosamente, do sul do continente europeu.

Nesse último caso, o lar dos camaleões desde eras remotíssimas é a região do Mediterrâneo, de onde eles espalharam-se por toda a Europa e, mais tarde, por inúmeros países ao redor do mundo.

Ainda mais curioso é saber que, apesar de famosos por aqui, não há registros de camaleões verdadeiros nos ecossistemas brasileiros.

Na verdade as espécies que nos acostumamos a chamar de camaleões nada mais são que iguanas e outros lagartos; espécies que já fazem parte do imaginário popular brasileiro como sinônimo de adaptação às mais hostis condições climáticas.

E para que se tenha uma ideia da versatilidade desse animal, saiba que você poderá encontrá-los nos ambientes mais improváveis, pois eles não terão a menor dificuldade em adaptar-se aos ecossistemas áridos e desérticos das áreas rochosas, fendas, escarpas e regiões montanhosas, por exemplo.

Mas se o que lhes restarem forem as florestas arbustivas, planícies, vegetações arbóreas, entre outros ecossistemas como esses, não tem problema! Eles irão adaptar-se facilmente! E ainda beneficiados por uma cauda prênsil que lhes permite saltar de uma constituição vegetal a outra sem a menor dificuldade.

Isso sem contar um conjunto de patas munidas de pinças que lhes ajudam a atravessar os solos mais variados; desde o arenoso, passando pelas superfícies rochosas, o ambiente rico e exuberante do solo de florestas tropicais, entre outros ambientes que eles poderão, com facilidade, transformar em suas moradas.

A Versatilidade Dos Camaleões

Suspeita-se que alguns camaleões possam ser encontrados na nossa exuberante Floresta Amazônica. Acredita-se que no distante período da colonização brasileira algumas espécies tenham sido introduzidas pelos exploradores portugueses. Mas nada disso é confirmado.

Porém, um fato que pode ser um indicativo de que eles também estão entre nós é essa verdadeira “febre” dos últimos tempos da criação de camaleões como animais de estimação.

Ninguém sabe de onde eles surgem; só o que se sabe é que acabaram caindo nas graças de homens, mulheres, crianças e idosos interessados em uma companhia que quase não dê trabalho – uma característica praticamente imbatível na comparação entre os lagartos e os cães, gatos e outros animais domésticos.

Características, Nome Científico, Fotos E Tudo O Mais Sobre O Comportamento Dos Camaleões

Os camaleões são espécies únicas na natureza! Basta ter em mente que eles podem contar muito pouco com a sua audição, restando apenas a sua capacidade de enxergar tudo o que os cerca por meio da luz ultravioleta.

Eles também chamam a atenção por possuírem cauda preênsil (que lhes permite agarrar os ramos e galhos das árvores por onde transitam), uma língua que é um dos seus cartões de visita, além do fato de poderem apresentar-se como uma singela espécies com não mais do que 16 mm ou até exuberantes 69 cm! entre outras características não menos marcantes.

Eles são animais diurnos. É durante o dia que esses camaleões passam o tempo num doce forragear dos mais diversos tipos de insetos, e até mesmo folhas ressequidas, que eles devoram avidamente como um dos principais exterminadores de pragas naturais da natureza.

Os camaleões apresentam um dimorfismo sexual em que os machos são ligeiramente maiores do que as fêmeas.

Mas terminam aí a suas diferenças, já que ambos compartilham das mesmas características de mimetismo, habilidade incomparável em utilizar a língua para a captura das suas principais presas, além de patas estrategicamente munidas de um conjunto de pinças que lhes permite fixar-se nos locais mais improváveis.

Eles também possuem (machos e fêmeas) um par de membranas nos olhos (como uma reminiscência do seu passado ancestral aquático) e outras singularidades que fazem desses animais uma das comunidades mais envoltas em mitos, lendas, crendices e invencionices dentre todas as que são conhecidas no planeta.

Uma Espécie Solitária

E como não é nenhuma surpresa entre os lagartos, estamos também falando de um animal tipicamente solitário.

E eles preservam essa solidão com “unhas e dentes” – literalmente! Pois são capazes de investidas vigorosas contra os membros da própria espécie, como se até fossem espécies diferentes, caso tenham o seu território invadido.

Cada palmo do solo, árvore ou folhagem será protegida com afinco! E eles só farão concessões durante o período de acasalamento; pois é quando então é possível observar, aqui e ali, um casal em suas singulares danças do acasalamento para a garantia da perpetuação de uma das espécies consideradas mais nobres dentro dessa comunidade Squamata.

Porém, da mesma forma, essa concessão será apenas para essa fase reprodutiva, pois, fora dela, chega ser curioso observar a agressividade com que machos e fêmeas se relacionam; em nada lembrando aqueles casais tão ansiosos pela presença um do outro; como um dos fenômenos mais curiosos a serem observados no seio dessa comunidade.

Tudo Sobre a Mudança De Cor Nos Camaleões

Aqui estamos falando do seu principal cartão de visita. A mudança de coloração nos camaleões é um evento dos mais singulares que podem ser observados no seio da natureza selvagem.

A depender da situação em que se encontrem, essa ferramenta estará sempre pronta para ser ativada, em uma exótica combinação de verde, azul, vermelho, preto, laranja, púrpura, amarelo, turquesa, rosa, entre outras que fazem com que os camaleões, pelo menos até onde se sabe, possam assumir o aspecto de qualquer tipo de ambiente.

E são várias as motivações necessárias para que essa alteração de cor aconteça.

Um camaleão que porventura esteja fugindo do assédio de um predador, por exemplo, poderá simplesmente assumir a coloração de uma folhagem, e dessa forma garantir a sua sobrevivência por pelo menos até a próxima investida.

Mas é possível, também, que o período de acasalamento esteja por trás de tal mudança.

Machos e fêmeas quando pretendem chamar a atenção mutuamente podem utilizar o expediente de assumir uma tonalidade multicolorida, em que os tons de verde, azul, amarelo, púrpura, roxo, entre outros, surgem como que magicamente, tornando-os quase como entes fantásticos em meio ao ambiente natural.

Um camaleão assustado ou que não esteja para brincadeira certamente irá alterar o tom da sua pelagem para uma combinação de preto, castanho e cinza.

Enquanto outros podem assumir o verde, azul, amarelo, preto, entre outras tonalidades como padrões diários – a depender do clima no qual estiverem inseridos.

O Mecanismo Por Trás Dessa Alteração

Até recentemente acreditava-se que o mimetismo entre os camaleões ocorria semelhantemente ao que acontece com com alguns tipos de lagartos e iguanas – como o Anolis carolinensis, por exemplo.

Estes, como se sabe, possuem em sua pele um conjunto de células repletas de pigmentos que se combinam e se procuram para que o animal assuma a coloração do ambiente onde esteja inserido por conta de alguma situação que exija deles uma reação fisiológica.

Porém, com o camaleão a coisa não funciona exatamente assim!

O que acontece com esse animal é que ele possui duas camadas de pele, sendo que a externa contém grupos de pequenos cristais formados por um composto químico conhecido como “guanina”.

E a curiosidade é que esses cristais movimentam-se na pele desses camaleões fazendo com que os raios de luz incidam de forma diferente em cada situação; e esse fenômeno altera o comprimento de cada onda de luz que essas células absorvem ou refletem.

Mudança de Cor do Camaleão
Mudança de Cor do Camaleão

Os pequenos cristais, ao serem espaçados, acabam fazendo com que os comprimentos de luz sejam maiores, e quando reunidos, os comprimentos tornam-se menores.

E é justamente essa “dança” de comprimentos de ondas que produzem colorações diferentes; das mais belas, exóticas e variadas possíveis; como um dos fenômenos mais inusitados da natureza.

O Espetáculo Das Cores!

Mas não são todas as espécies dessa família Chamaelonidae que possuem essa habilidade sui generis de mudar de cor de acordo com o ambiente e com as condições fisiológicas do animal.

O Camaleão do iêmen, por exemplo, é um dos que conseguem; e apresentam a sua exuberância de cores (e também de formas) que o faz uma das espécies mais exóticas dentro dessa comunidade.

O animal é originário das planícies e desertos da Península Arábica, desde a Província de Asir (Arábia Saudita) até os ecossistemas do Iêmen (em Aden).

E ele chama a atenção por conseguir adaptar-se bem ao clima tipicamente temperado de algumas regiões asiáticas, mas sem deixar de apresentar as mesmas características dos demais membros dessa família.

E entre essas características, podemos destacar a sua cauda preênsil, patas com espécies de aguilhões para a fixação em praticamente toda o tipo de superfície, um par de olhos que se movem de forma independente um do outro, além de um dimorfismo sexual em que as fêmeas são ligeiramente menores que os machos.

O Camaleão-de-três-chifres ou “Chamaeleo jacksonii” é outra dessas espécies de camaleões estrategicamente dotadas da capacidade de mudar de cor.

O animal habita as densas e enigmáticas florestas do leste africano, em países como Quênia, Etiópia, Somália, Moçambique, Tanzânia, entre outras regiões exóticas do continente, onde ele exibe o seu curioso conjunto composto por três chifres que projetam-se do seu focinho e por sobre os olhos de forma singularíssima.

O Camaleão-de-jackson, como ele também é conhecido, possui não mais do que 30 cm, é bastante territorialista, solitário e mantém hábitos diurnos.

E uma curiosidade acerca dessa espécie é o fato de que a fêmea, curiosamente, não põe ovos; em vez disso, ela gera um filhote como é comum entre os mamíferos.

Uma Estratégia Fascinante

E tudo o mais que se sabe sobre essa estratégia da mudança de cor dos camaleões é que ela é algo fascinante! Na verdade é uma estratégia que se presta aos mais diversos e inusitados fins, geralmente relacionados com a sua sobrevivência.

Se precisarem manter-se aquecidos, por exemplo, eles simplesmente assumirão uma coloração mais escura, entre o castanho e o negro, já que esta retém melhor o calor. Mas se o ambiente onde estiverem habitando for mais quente, aí são as tonalidades de azul, verde e prata que entrarão em ação para garantir que suportem bem tais temperaturas.

Não há situações com as quais eles se deparem que não tenha a sua estratégia de mudança de cor.

Se precisarem comunicar-se entre eles, por exemplo, mais uma vez elas entrarão em ação. Se uma mãe quiser alertar o filho sobre algum perigo, ela poderá assumir cores mais vibrantes. Mas também poderá desejar, com essa alteração, mostrar que não há perigo e que podem permanecer ali à caça de alimentos.

Mas o momento em que essa estratégia de mimetização mostra realmente a sua importância é na hora de ocultar-se dos seus principais predadores. Nesse momento é que se percebe o quão importante e indispensável é, para eles, tal recurso!

Se um assustador Cão selvagem, uma astuta Águia-imperial-oriental, ou mesmo uma Piton-africana, um gato-do-mato, entre outras espécies não menos assustadoras surgem à espreita, nada melhor para um Camaleão do que essa providencial capacidade de, por exemplo, assumir a coloração esverdeada de uma palmeira ou da superfície de um imponente Baobá.

Eles poderão, se precisar, assumir a coloração de uma exótica e singular orquídea, o aspecto duro e impenetrável de uma rocha, metamorfosear-se na delicadeza de um conjunto de azaleias, ou assumir o vigor e a personalidade forte de um jardim de Brassicaceaes.

E, dessa forma, tornarem-se, para o invasor, literalmente invisíveis; deixando-os atônitos sem saber onde afinal foi parar aquela refeição que parecia praticamente garantida!

Em um dos eventos mais curiosos da natureza selvagem, e que, obviamente, só poderia fazer parte do cabedal de maravilhas dessa original e quase fantástica biosfera terrestre.

A Tecnologia Por Trás Da Mudança De Cor

A subordem dos sáurios abriga cerca de 4.000 espécies. São animais repletos de adaptações para sobreviverem com igual desenvoltura no ambiente terrestre e arborícola.

As suas origens podem ser apontadas nos distantes ecossistemas do continente africano, na região do Mediterrâneo, na Ilha de Madagascar, Sri-Lanka, Índia, Península Arábica, além de outros trechos do continente asiático.

E dentro dessa comunidade está a família Chamaelonidae, composta por cerca de 150 espécies, entre descritas e ainda não descritas; e quase todas elas dotadas da estratégia da mudança de cor de acordo com determinadas condições fisiológicas e ambientais estimulantes.

Juntamente com essa tecnologia, os camaleões ainda são munidos de quatro dedos em cada pata; dois voltados para trás e dois para frente; e ainda compostos por espécies de aguilhões que lhes permitem agarrar com segurança os galhos e ramos de imensas espécies arbóreas.

Os imensos e imponentes baobás servem como verdadeiros parques de diversões para esses camaleões; assim como também os flamboyants e tamarindeiros, sobre os quais eles fazem uma verdadeira festa como típicas espécies arborícolas.

Baobás
Baobás

Também algumas variedades de Arecaceaes podem servir de moradas para esses animais – apesar de discretas, elas também oferecem tudo de que eles precisam para desenvolver-se com todas as suas caraterísticas.

Mas, independentemente de onde eles estiverem, uma coisa é certa: o mecanismo de alteração da cor das suas peles deverá ser acionado durante praticamente todo o dia, e sempre que se fizer necessário.

Em uma rotina frenética! Saltando de um castanho discreto para o aspecto de um arco-íris! Ou deste para aquele! Durante todo o tempo!

Como a principal característica desses membros da comunidade dos Escamados, representantes dos mais originais da classe dos Répteis, e pertencentes a uma das famílias mais extravagantes da natureza selvagem.

A Homocromia

A Homocromia pode ser definida como um mecanismo natural que permite a alteração da cor da pele de um animal em situações específicas ou simplesmente a habilidade em confundir-se com um determinado ambiente graças à semelhança entre a sua coloração e à do meio.

Ela é simplesmente a semelhança entre a coloração de uma espécie e do ambiente à sua volta; uma habilidade responsável por permitir que milhares de espécies tenham conseguido chegar até os nossos dias após atravessar essa famigerada “Seleção Natural”.

Essa estratégia poderá ajudar uma espécie a atacar, se defender, comunicar-se e adaptar-se a um determinado meio.

Na presença de predadores, por exemplo, a coloração de uma espécie animal poderá iludir o intruso sobre uma possível toxidade que ela possua, ou apenas e tão somente servir como uma camuflagem até que o perigo passe.

Essa é uma habilidade que possui uma imensa comunidade de insetos, anfíbios, répteis, aves, entre outras ordens de animais que em muito beneficiam-se dessa capacidade de assumir o mesmo aspecto do ambiente à sua volta, seja por meio da alteração da coloração da sua pele ou apenas por a possuir naturalmente semelhante à do meio onde vivem.

Um Camaleão Como Animal De Estimação

À parte os seus nomes científicos, aspectos exóticos, características genéticas, entre outras singularidades que podemos observar nessas fotos, ultimamente o que tem chamado bastante a atenção nesse universo dos camaleões é uma verdadeira “febre” da sua adoção como animais de estimação.

Ao que tudo indica, cães e gatos estão com os dias contados como animais domésticos, especialmente para determinados grupos de indivíduos que o que menos apreciam é o trabalho exigido por essas espécies.

Os camaleões são silenciosos, pouco agitados, exigem poucos cuidados, são bastante modestos quando o assunto é alimentação, não necessitam de idas constantes ao veterinário, são limpos, exóticos, chamativos…

Enfim, na opinião dos seus admiradores, eles são praticamente perfeitos – mesmo apesar de não poderem oferecer aquele tão apreciado “calor canino” ou “felino” com os quais já nos acostumamos.

Os camaleões são considerados animais silvestres, mas que podem ser adotados como animais domésticos. Mas é necessário atentar para o fato de que estamos falando de animais com milhões de anos de uma existência exclusiva em ambiente selvagem, e que só recentemente passaram a ser criados como animais de estimação.

Por isso é necessário saber que eles possuem necessidades bastante diferentes das de cães e gatos, por exemplo; especialmente no que diz respeito à alimentação, que em nada deve assemelhar-se à que é fornecida a esses animais.

Outra coisa importante a sabe é que, antes de adotar um animal como esse, é necessário obter uma autorização do IBAMA, que é o órgão responsável por essas e outras atribuições relacionadas ao universo da fauna silvestre e exótica do país.

Por meio do órgão você obterá uma lista com os locais ou criadouros autorizados a comercializar esse tipo de animal, além de uma série de recomendações que dizem respeito à qualidade do cativeiro, tipo de alimentação, possíveis doenças, quantidade de animais permitidos, entre outras recomendações que devem ser seguidas sob penas de você acabar incorrendo em crime sujeito a multa e a prisão.

O Papel Do Ibama Como Guardião Da Fauna Silvestre

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), como dissemos, é o órgão ao qual devemos nos reportar para a obtenção de informações sobre tudo o que diz respeito à caça, comercialização, adoção e tudo mais que esteja relacionado com os animais silvestres da fauna brasileira.

A importância do órgão está no fato de que é por meio dele que o Estado brasileiro consegue ao menos minimizar o flagelo do tráfico ilegal de animais silvestres; uma verdadeira catástrofe que movimenta entre US$ 10 e 20 bilhões de dólares no mundo; e que só no Brasil elimina cerca de 38 milhões de animais silvestres da sua fauna.

Ibama
Ibama

Logo, é importante ter em mente que a adoção de um camaleão como animal de estimação sem a devida autorização do IBAMA é crime.

E, de acordo com o Art. 29 da Lei 9605/98 (Lei dos Crimes Ambientais), “quem mata, persegue, caça, apanha ou utiliza de espécies da fauna silvestre, nativa ou em rota migratória, sem a devida permissão, autorização ou licença da autoridade competente, ou em desacordo com o documento obtido, incorre em crime ambiental, cuja pena pode variar em detenção de seis meses a um ano e multa”.

Tudo Sobre as Principais Curiosidades Dos Camaleões

Não são poucas as curiosidades referentes às características biológicas, nomes científicos, aspectos genéticos, entre outras singularidades como essas que podemos observar nessas fotos acerca dos camaleões.

Mas eles possuem outras! E da mesma forma interessantíssimas! Como, por exemplo, as alusões que são feitas aos camaleões no universo das artes e dos costumes.

Um sujeito “camaleônico”, por exemplo, é aquele ou aquela capaz de adaptar-se às situações mais inusitadas. Um bom ator, nesse caso, pode ser considerado um “camaleão”; assim como também indivíduos aos quais seja possível influenciar e fazer com que mudem de ideia, especialmente quando cobertos por lisonjas e recompensas.

Para diversas tribos africanas, como as da Costa do Marfim, Tanzânia, Quênia, Etiópia, entre outras comunidades, um camaleão foi quem criou os primeiros humanos na terra – algo como um Prometeu ou Epimeteu da Mitologia Grega –; por isso, até hoje, esses animais são alvos do mais dedicado apreço; sendo, inclusive, punida exemplarmente a matança desse animal.

Na simbologia esotérica, sonhar com uma camaleão cruzando o seu caminho pode significar o surgimento de novas e mais variadas habilidades psíquicas; novas aberturas de consciência; e por isso mesmo é necessário manter-se atento a essas novas mudanças.

Tais sonhos devem estar querendo chamar a sua atenção para a necessidade de realizar mudanças naquilo que você acredita e se apega visceralmente; uma atitude que acaba por fazer com que você ultrapasse certas barreiras e limites autoimpostos.

Uma Espécie Cheia De Simbolismos

Mas também pode ser que o camaleão seja o seu “animal totêmico”. Isso significa dizer que, especialmente no mundo dos negócios, você é daqueles indivíduos capazes de enxergar uma boa oportunidade.

É alguém capaz de descobrir um blefe por trás de uma investida, sabe atacar e recuar nos momentos certos e sente, de longe, as energias de cada colaborador seu.

Por isso, o recomendado é não vacilar! Preste mais atenção a essas peculiaridades da sua personalidade (que você talvez nem saiba que as tenha) e tire proveito delas.

Utilize o seu poder de intuição e adaptação para sempre buscar novos desafios.

Mas sem fixar-se em demasia no passado ou no futuro (o principal defeito dos indivíduos “camaleônicos”); reservando sempre uma boa dose de energia para viver o presente nas melhores condições possíveis.

Mas cuidado! Sonhar com camaleões que mudam constantemente de cor durante um único sonho pode significar a necessidade de tomar uma decisão que há muito vem sendo postergada.

Em todo o caso, o que esses sonhos com camaleões certamente devem estar querendo é alertar-lhe sobre a necessidade de reinventar-se constantemente.

Portanto, aceite essa condição. Observe essa sua característica e perceba que você pode estar sendo subestimado na vida, no amor e nos assuntos profissionais.

Camaleão Fotografado de Lado
Camaleão Fotografado de Lado

Mas saiba que existem também algumas curiosidades que saem bastante do campo, digamos, esotérico e tratam de algumas características físicas e biológicas desse animal.

Elas dizem respeito, por exemplo, a esse potencial devastador da língua dos camaleões.

Um instrumento aparentemente simples, mas que, nos ecossistemas onde vivem, configura-se como um dos principais flagelos na vida de uma imensa comunidade de insetos, artrópodes, moluscos e outras comunidades que não conseguem opor a menor resistência quando ela entra em ação.

Calcula-se que a língua dos camaleões consiga estender-se até 2 vezes o seu comprimento. E quando se leva em consideração o fato de que algumas espécies conseguem atingir os vertiginosos 65 cm de comprimento, aí é que podemos entender do que verdadeiramente estamos falando.

Mas a coisa não fica só nisso! Além de grande, essa língua dos camaleões consegue realizar entre 20 e 25 movimentos por segundo! Isso significa dizer que um inseto, por mais ágil e arisco que seja, torna-se uma vítima totalmente indefesa quando essa sua “arma de combate” decide entrar em ação.

Uma Biologia Das Mais Singulares

Outras singularidades dos camaleões dizem respeito aos seus aspectos físicos. Hoje já se sabe que os machos parecem demonstrar uma maior variação das suas cores durante o mimetismo, além de possuírem mais protuberâncias faciais, cristas, chifres, entre outros ornamentos que logo diferenciam ambos os gêneros.

Outra coisa que chama bastante a atenção nos camaleões é a sua deficiência auditiva.

Apesar de não serem surdos, esse sentido em muito pouca coisa pode ajudá-los em suas rotinas. Basta saber, por exemplo, que a faixa de frequência na qual eles podem ouvir geralmente oscila entre 200 e 600 Hz.

E isso é baixíssimo! Principalmente quando se leva em consideração os quase 20.000 Hz no qual os seres humanos podem ouvir. Assim como também é baixa em relação aos mais de 60.000 Hz que podem ouvir algumas espécies de onças; entre outras espécies que têm na audição um dos seus grandes parceiros.

Olho de um Camaleão
Olho de um Camaleão

Já com relação à visão dos camaleões, tudo o que podemos dizer sobre ela é que esses animais também chamam a atenção por conseguirem enxergar a luz ultravioleta.

Na verdade é sob essa incidência que eles sentem-se mais à vontade; inclusive melhoram a sua disposição, ficam mais animados para o acasalamento, redobram o apetite, mantêm-se mais aquecidos, entre outras consequências da ação desse tipo de luminosidade sobre algumas das suas glândulas; especialmente sobre a glândula pineal.

O Habitat E Reprodução Dos Camaleões

À parte as singularidades em torno dos seus nomes científicos, as características do seu mimetismo e tudo o mais que trata dos simbolismos em torno dos camaleões, também devemos chamar a atenção para o fato de que estamos falando de uma família que habita quase que exclusivamente o continente africano e a Ilha de Madagascar.

São cerca de 150 a 160 espécies, sendo que desse total cerca de 60 vivem exclusivamente na ilha; e o restante distribui-se por boa parte do continente africano; enquanto um outro contingente (bem menor) pode ser encontrado no Sri-Lanka, Índia, Paquistão, sul da Europa – e de forma esparsa em outras regiões que os importaram.

Introduções dessa família Chamaelonidae também ocorreram nos Estados Unidos, mais especificamente nos estados da Flórida e Califórnia – e também no Havaí.

Deduz-se, portanto, que as espécies que conhecemos aqui no Brasil não são verdadeiros camaleões – como é comum pensarmos.

Na verdade o que temos cá por essas bandas são diversidades de lagartos; com destaque especial para as iguanas e calangos, que compõem a fauna “camaleônica” do Brasil.

Nos seus habitats de origem, tudo o que se sabe sobre as rotinas dos camaleões é que eles passam os seus dias perambulando à caça de alimentos em meio às savanas africanas, às florestas arbustivas da região do Mediterrâneo, em meio ao vigor e exuberância das florestas úmidas da Índia, entre outras regiões não menos extravagantes e exóticas.

Nesses locais, os processos reprodutivos dos camaleões são bastante variados. Mas o que se pode definir como um padrão é que, após a cópula, a fêmea costuma pôr entre 25 e 40 ovos, que ainda precisarão ser incubados por cerca de 9 meses.

Esses ovos devem ser estrategicamente escondidos em escavações em solos mais arenosos. E essa estratégia de reprodução pode envolver até mesmo uma série de recursos para apagar os seus rastros em direção aos ninhos, a fim de mantê-los bem longe do raio de ação dos seus principais predadores.

E, por fim, sabemos que, logo após o nascimento, os filhotes já estão praticamente independentes das suas mães e prontos para desenvolverem-se por conta própria; para uma expectativa de vida que geralmente varia entre 4 e 6 anos em ambiente selvagem, e o dobro disso em cativeiro.

Uma Espécie E Os Seus Hábitos De Vida

Após crescidos, esses camaleões adotarão os típicos hábitos de uma família insetívora, que passa os seus dias à caça de mariposas, moscas, mosquitos, besouros, cigarras, louva-a-deus, borboletas, gafanhotos, e o que quer que se mova e pertença a essas suculentas comunidades dos insetos e artrópodes.

Há também espécies mais democráticas quando o assunto é matar a fome. Estas não farão a menor cerimônia em introduzir folhas, brotos, frutos, ovos, ou mesmo filhotes de pássaros às suas dietas; o que mostra que quando o assunto é singularidade estamos tratando com a família certa!

Os camaleões são animais diurnos. É durante o dia que eles sentem-se à vontade para executar os seus papéis ecológicos nos ecossistemas onde vivem como excelentes controladores de pragas naturais, e ainda com características interessantíssimas.

Como por exemplo o seu andar, em um gingado singularíssimo, para frente e para trás, como uma das inúmeras características desse animal.

Os camaleões ainda chamam a atenção por serem bastante agressivos; até mesmo com as fêmeas; sendo capazes, inclusive, de entrarem numa terrível refrega contra os seus próprios reflexos no espelho; uma característica de uma animal territorialista como poucos, e que prefere mesmo é manter uma rotina afastada e solitária.

E, por fim, apesar de não possuir veneno, a mordida de um camaleão pode, sim, causar algum estrago. Mas nada que se compare ao que pode provocar algumas espécies venenosas dentro dessa comunidade Squamata.

Uma comunidade tipicamente exótica. Membro ilustre da fauna do continente africano e que percorreu o mundo conquistando admiradores de animais de estimação justamente por essas características de exoticidade.

Isso sem falar do seu mimetismo. Um dos fenômenos mais curiosos da natureza selvagem. Tema de inúmeras lendas e mitos acerca da existência desses animais. Animais que estão entre os mais incomuns, controversas e extravagantes da fauna do planeta.

Fontes:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Camale%C3%A3o

https://www.megacurioso.com.br/animais/40118-8-curiosidades-sobre-os-camaleoes.htm

https://www.infoescola.com/repteis/camaleao/

http://www.ninha.bio.br/biologia/camaleao.html

https://vidanimal.com.br/camaleao/

http://www.portalpets.com.br/como-comprar-camaleao-legalizado/

https://www.peritoanimal.com.br/curiosidades-sobre-os-camaleoes-21329.html

https://educacao.uol.com.br/disciplinas/biologia/camaleoes-saurios-que-mudam-de-cor.htm

Veja também

Alimentação dos Patos: O que Eles Comem?

Os patos são aves aquáticas que podem ser encontradas tanto em água doce, quanto em …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *