Home / Animais / Ficha Técnica do Tigre e Nome Científico

Ficha Técnica do Tigre e Nome Científico

O tigre no topo da pirâmide ecológica atua como um regulador de populações de carnívoros e mamíferos herbívoros que caça. Sem sua presença, essas espécies se multiplicariam e esgotariam a cobertura vegetal, favorecendo a instalação de desertos.

Ficha Técnica do Tigre

Anteriormente classificada com felinos no gênero felis, o tigre foi transferido para o gênero panthera no século 20, depois de estudos comparativos do naturalista britânico Richard Owen. De fato, em membros do gênero felis, o osso hioide é apoiado na base do esqueleto por uma série de ossos curtos unidos de ponta a ponta.

Por outro lado, em animais do gênero panthera, esta série é imperfeitamente ossificada e substituído por um ligamento elástico longo, que permite movimentos mais amplos da laringe e um volume vocal muito mais poderoso. Ao contrário dos gatos, que podem ronronar em inspiração e expiração, os membros do gênero panthera não ronronam até a expiração.

O gênero panthera inclui o leão (panthera leo), o tigre (panthera tigris), a pantera ou leopardo (panthera pardus) e a onça-pintada (panthera onca). Segundo os autores, o leopardo da neve (panthera uncia ou uncia uncia) ou é colocado no gênero panthera ao lado destes mencionados, ou em um gênero separado, uncia.

O casaco do tigre, riscado com listras verticais nas costas e nos lados, varia de fulvo a vermelho. Sua pele tem áreas de marfim: a barriga, o interior das pernas, a garganta, as bochechas e o pavilhão das orelhas. O contraste de listras escuras em pele de âmbar lustrada é uma camuflagem eficaz; espreitando sob as árvores ou entre a grama seca, o tigre é quase invisível.

Excelente andador, o tigre é admirado mais pelo salto do que pela corrida. Pode saltar um espaço de 4 metros de largura, ou até mesmo 10 metros se o terreno estiver inclinado, ou um alto obstáculo de 1,80 m. Além disso, é um excelente nadador: o tigre de Sumatra atravessa de uma ilhas a outra por vários quilômetros de distância e enfrenta facilmente as correntes de 6 a 8 km de largura.

Os Tigres e Seus Nomes Científicos

A espécie Panthera tigris é classicamente dividida em 8 subespécies (raças geográficas):

Panthera Tigris Tigris (o tigre de Bengala. Considerada a raça de referência);

Panthera Tigris Tigris
Panthera Tigris Tigris

Panthera Tigris Corbetti (o tigre da Indochina);

Panthera Tigris Corbetti
Panthera Tigris Corbetti

Panthera Tigris Jacksoni (o tigre da Malásia);

Panthera Tigris Jacksoni
Panthera Tigris Jacksoni

Panthera Tigris Sumatrae (o tigre de Sumatra);

Panthera Tigris Sumatrae
Panthera Tigris Sumatrae

Panthera Tigris Altaica (o tigre da Sibéria);

Panthera Tigris Altaica
Panthera Tigris Altaica

Panthera Tigris Amoyensis (o tigre da China);

Panthera Tigris Amoyensis
Panthera Tigris Amoyensis

Panthera Tigris Virgata (o tigre de Cáspia);

Panthera Tigris Virgata
Panthera Tigris Virgata

Panthera Tigris Balica (o tigre de Bali);

Panthera Tigris Balica
Panthera Tigris Balica

Panthera Tigris Sondaica (o tigre de Java).

Panthera Tigris Sondaica
Panthera Tigris Sondaica

Os três últimos (panthera tigris virgata, panthera tigris balica e panthera tigris sondaica) já são considerados extintos. Parece que o panthera tigris amoyensis ainda existe somente algumas dezenas de indivíduos em cativeiro. Panthera tigris altaica e panthera tigris sumatrae são duas espécies que possuem populações inferiores a 500 indivíduos atualmente.

Panthera tigris jacksoni e panthera tigris corbetti talvez ainda possuam populações de tigres da espécie oscilando entre 500 a 1500 indivíduos na natureza. E panthera tigris tigris talvez seja a única dentre as espécies que ainda pode ter uma população superior a 2000 indivíduos na natureza. Todos precisam de programas de preservação e medidas urgentes de conservação.

A Evolução da Espécie

O tigre é o maior dos felinos carnívoros que se alimentam quase exclusivamente dos animais que matam. Seus ancestrais mais distantes, tigres-dentes-de-sabre (como smilodon no continente americano e machaerodus na Europa), tinha caninos impressionantes com dezenas de centímetros de comprimento! Cerca de um milhão de anos atrás, no Pleistoceno, esses mamíferos carnívoros habitavam o norte da Ásia, que goza de um clima temperado.

Existiam todos os tipos de herbívoros, incluindo renas, alces ou búfalos. Quando as sucessivas glaciações do Quaternário inicial levaram muitas espécies de animais a se mudarem para terras mais acolhedoras, a maioria dos tigres seguiram as migrações de suas presas. Aqueles que permaneceram no local e sobreviveram ao frio são os ancestrais dos atuais tigres siberianos. Os outros, avançando para o sul e para o oeste, colonizaram as estepes, florestas, planaltos e montanhas ao redor do mundo, com exceção de Madagascar e Oceania.

Animal da floresta por excelência, o tigre pode viver em qualquer lugar onde as presas são abundantes e onde ele encontra matas adequadas para emboscadas. Como todos os felidae, é particularmente adequado para a caça. Seu casaco de listras escuras faz com que ele camufle perfeitamente quando se agacha sob a sombra das árvores ou no meio das ervas; sua marcha de feltro é tão flexível que dificilmente parece tocar o chão; sua vivacidade e sua capacidade de relaxar permitem que ele pule de cinco a seis metros para se jogar em sua vítima.

Mas o tigre não é esta fera cruel e invencível que há muito tem sido retratada, nem este animal que “tem por instinto apenas uma raiva constante, uma fúria cega que não sabe distinguir nada …” como tem sido descrito desde o século 18. Os tigres “comedores de homens” na verdade são os animais mais frequentemente feridos, incapazes de caçar normalmente, ou aqueles cujo espaço vital é tão pequeno que já não é suficiente para eles se sustentarem. O tigre também pode atacar, simplesmente para defender a si mesmo ou a seus pequenos.

Os Tigres e o Homem

Durante o século 20, o número de diferentes subespécies de tigre foram reduzidos drasticamente, até três deles desaparecer completamente. Seus habitats já não satisfazem as condições satisfatórias de sobrevivência: os espaços são estreitados e fragmentados por terras desmatadas, estradas e a crescente presença de grupos humanos. As populações residuais de tigres são muito poucas para garantir sua reprodução e suas possibilidades de troca genética são mínimas.

Embora o tigre geralmente evite o homem, ele também é, às vezes (embora raramente), responsável por ataques diretos mortais. Na Índia, há o relato de uma única fêmea que matou 430 pessoas. Os registros de mortes por tigres no século 19 são impressionantes, ultrapassando mais de 1000 mortes em determinados períodos. No entanto, este estado de coisas é frequentemente atribuível às atividades humanas.

A deterioração de seu habitat, constantemente violada pela passagem de homens, força o tigre a confrontar-se mais freqüentemente com os humanos e faz com que ele se comporte de maneira anormal. Na Índia superpovoada, o tigre tem um território 6 a 20 vezes menor que seu espaço ideal. Outros males dos “devoradores de homens” se devem a imprudências indescritíveis. Um último fator, e não menos importante, empurra o tigre para matar o homem: são as feridas que o fazem incapaz de caçar da maneira normal.

A propagação de armas de fogo soa a sentença de morte da espécie; de fato, cada aldeia adquire seu rifle para lutar contra veados e javalis que deterioram as colheitas. Os camponeses, atiradores inexperientes, também os usam contra tigres, ferindo-os mais do que os matam. Esses animais, enfraquecidos, atacam as presas fáceis que são o homem ou seus rebanhos.

Veja também

Cachorro Sofrendo Com Intoxicação

Meu Cachorro Tomou Bicarbonato. E Agora?

Limpeza, higiene, culinária … Bicarbonato de sódio torna-se uma obrigação na vida cotidiana. Você sabia …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *