Home / Animais / Lula é Peixe ou Molusco?

Lula é Peixe ou Molusco?

Se eu apenas me lembrasse de um personagem de desenho animado eu já teria a resposta para essa pergunta, não é mesmo? Mas como nem tudo na vida é um desenho animado, então vamos trabalhar com mais seriedade e abrangência essa questão levantada pelo nosso artigo…

Teuthida

O termo “lula” refere-se a espécies de cefalópodes pertencentes a diferentes gêneros: loligo, architeuthis, alloteuthis, histioteuthis, etc. Eles são todos dibranquiais decapodiais (um par de brânquias e 5 pares de braços).

Lula do gênero loligo tem um tom rosado ou avermelhado, muitas vezes mudando. O corpo, alongado, termina com aletas triangulares de borda posterior côncava, inseridas nos últimos dois terços do manto.

Os dois longos tentáculos carregam 4 filas de ventosas no final. A casca, frágil e transparente, é chamada de “pena” devido à sua forma característica. Este gênero não excede 45 a 50 cm de comprimento.

Existe no Mediterrâneo e no Atlântico Nordeste (do Mar do Norte até a costa do Marrocos) até 80 metros de profundidade. Os ovos são colocados em tubos gelatinosos. Eles comem peixe e marisco.

Algumas espécies de lulas, por exemplo taningi danae, podem crescer até um tamanho grande (um metro ou mais). As lulas gigantes architeuthis dux ou mesonychoteuthis hamiltoni vivem no fundo do mar e podem competir com certos cetáceos (cachalote).

Nós não sabemos muito sobre a sua distribuição e suas maneiras, porque eles só foram encontrados na maior parte fragmentos e só temos informações esporádicas sobre essas espécies.

Eles parecem estar ausentes de toda a zona equatorial e são especialmente abundantes nas águas do Oceano Antártico. Um dos maiores espécimes encontrados foi de quase 12 metros de comprimento (mais de 22 metros se contarmos os tentáculos).

O histioteuthis bonnellii tem corpo semitransparente e a pele que conecta seus 3 pares de braços forma uma espécie de guarda-chuva (ou véu) usado para capturar a presa. Os braços carregam duas fileiras de ventosas.

A espécie mais conhecida, histioteuthis bonelliana, que é luminescente, pode atingir até 60 cm de comprimento e vive em grande profundidade. Os órgãos luminescentes são distribuídos uniformemente sobre a região ventral e em 3 fileiras nos braços ventrais.

É acidentalmente apanhado nas redes. O gênero calliteuthis, menor, é muito próximo e está na mesma região (Mediterrâneo e Atlântico Oriental).

Doryteuthis plei tem corpo semitransparente, muito alongado, e pode atingir 1 metro. As espécies mais conhecidas são sagittatus ommatostrephes, o qual pode ter um diâmetro de 10 cm e vive no Atlântico e no Mediterrâneo, nas camadas superiores.

Mas, por vezes, pode ser vistos em profundidade, em grandes bandos se alimentando de peixe, junto com ommatostrephes sloani pacificus, do Mar do Japão. Todas as espécies deste gênero são capazes de fazer grandes saltos fora da água. Eles são de grande importância ecológica, porque eles são a comida favorita dos golfinhos e cachalotes.

Anatomia

As lulas possuem duas brânquias , um sistema circulatório fechado associado, formado por um coração sistêmico e dois corações branquiais. É característico em sua anatomia ter 8 braços e 2 tentáculos.

Seus tentáculos fortemente musculosos são equipados com ventosas e, se forem puxados, não voltam a crescer. As lulas podem camuflar-se no meio com grande facilidade para evitar serem comidas pelos seus predadores.

Eles também têm células chamadas cromatóforos em sua pele, que dão à lula a qualidade de mudar de cor se se sentirem ameaçadas, uma estratégia que combina com a expulsão da tinta que produzem. Seu casco é interno, ao contrário de outros animais semelhantes, como o polvo, que não o possui; e é formado por uma peça fina e plana ligada ao seu corpo. Eles têm um órgão chamado hiponomia, que permite que eles se movam quando expelem a água sob pressão.

A boca da lula é equipada com um bico afiado, que é usado para matar e rasgar sua presa em pedaços gerenciáveis. Nos estômagos de muitas baleias capturadas há bicos de lula, já que são a única parte desse animal que não pode ser digerida. A boca da lula hospeda a rádula, uma espécie da língua.

A lula é exclusivamente carnívora , alimentando-se de peixes e invertebrados, que eles capturam com dois tentáculos diferenciados de maior comprimento. São vorazes, de movimentos muito rápidos e com um crescimento muito acelerado.

Lulas podem se tornar muito abundantes em alguns mares. A maioria vive um ano e morre após a desova, embora algumas espécies gigantes possam viver dois ou mais anos.

Lula é Peixe ou Molusco?

E enfim, vamos a resposta para a pergunta de nosso artigo: O que são as lulas? Lula não é um peixe. Lula é um molusco cefalópode comestível, alongado, caracterizado por sua carapaça dorsal reduzida a uma pena córnea.

Quais são as principais diferenças entre um molusco e um peixe? O peixe tem: uma notocorda mais ou menos bem desenvolvida (base primitiva da coluna vertebral), um esqueleto ósseo ou cartilaginoso, uma espinha dorsal envolvendo uma medula espinhal, um crânio envolvendo o cérebro.

Moluscos como a lula, por sua vez, não têm nenhum dos acima. O que eles têm é: um corpo mole e uma cápsula de carbonato de cálcio secretada por um manto mole que cobre o corpo. As lulas são moluscos de corpo mole cujas formas foram modificadas para adotar um estilo de vida predatório ativo.

Inspirando Imaginação

Na cultura ocidental, grandes lulas alimentaram muito a imaginação de marinheiros e escritores inspirados de literatura fantástica, como evidenciam os escritos em torno da lenda escandinava de Kraken, monstro marinho parecendo uma lula gigante. Jules Verne descrito em particular em Vinte Mil Léguas Submarinas 1869 “um monstro horrível, digno de inclusão em lendas teratológicos […] uma lula colossal, com oito metros de comprimento”, que culpa o tripulação do Nautilus.

Cefalópodes Gigantes
Cefalópodes Gigantes

Encontramos o traço dos primeiros cefalópodes gigantes na História Natural de Plínio, o Velho . Este romano, naturalista da primeira hora, descreve um pólipo , que significa “muitos pés” e traduzido por “polvo” em algumas versões, mas com “dois braços principais”, cujos tentáculos esperavam 30 metros de comprimento, mais de nove metros. para um peso de 700 libras, mais de 300 kg.

Veja também

Ficha Técnica dos Elefantes e Taxonomia

Elefante, do latim elephantus. Grande mamífero herbívoro com pele espessa, membros em pilares, trato respiratório …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *