Home / Animais / Esquilo de Estimação é Permitido? Como Ter um Legalmente?

Esquilo de Estimação é Permitido? Como Ter um Legalmente?

Quem não se encanta com um esquilo, este bichinho fofo de rabo peludo como o Tico e o Teco, que já nos trouxeram tantas alegrias com suas aventuras nos desenhos animados da televisão? Pois saiba que é possível ter um esquilo para chamar de seu! Mas para isso você tem que ter mesmo determinação e tomar alguns cuidados importantes, desde sua aquisição ao tratamento que dispensará a ele.

Tenha em mente que o esquilo é um animal silvestre, que vive nas florestas e matas, conde faz parte de uma cadeia natural, com seus ciclos de reprodução e costumes muito bem regulados. Por isso, não pode ser retirado de seu habitat sem autorização expressa. E quem obtém essa autorização são apenas alguns criadores, que garantem a preservação da espécie recolhida e uma criação em cativeiro que segue normas rígidas da Legislação Brasileira, visando a conservação da Biodiversidade Nacional.

Essa preocupação com a Biodiversidade deve ser responsabilidade de todos os brasileiros. As pessoas que não se preocupam com a extinção dos animais e retiram animais silvestres da natureza sem qualquer cuidado ou autorização, estão sujeitos às penalidades da Lei 9.605, que foi criada em 12 de fevereiro de 1998 com a finalidade conter crimes ambientais.

Quando alguém adquire qualquer espécie de animal silvestre sem documentação regularizada, despreza sua origem, contribui e incentiva para que outros animais, filhotes e adultos, sejam retirados da natureza de forma indiscriminada, o que pode leva-los à extinção. Esta atitude também é considerada crime ambiental, passiva de punição.

Como Ter um Esquilo Legalmente?

  • Comprar de um criadouro autorizado – Por ser um animal silvestre, o esquilo só pode ser comprado de um criadouro autorizado. Esse criadouro geralmente possui animais cadastrados junto ao IBAMA e todos os animais que vendem nunca são coletados na natureza, e sim nascidos e criados em cativeiros.  Além de ser um ato ilegal, ao tirar um animal da natureza você pode perdê-lo por estresse ou outra doença que traga com ele.

  • Esses animais devem vir com uma anilha de identificação onde existe um número de registro. Este número deve ser o mesmo que consta na Nota Fiscal de compra. Só assim terá certeza de que está adquirindo um animal silvestre com procedência legal. Por outro lado, essa identificação evita que vendedores ou criadores não credenciados vendam animais portadores de doenças, como a raiva, que poderão contaminar outros animais em sua nova casa.

Cuidados Necessários

  • Esquilos são dependentes da mãe até dois meses de idade. Por isso, não devem ser retirados dela antes desse período. Sem o calor e o carinho materno eles podem morrer rapidamente sem o calor e carinho materno.
  • Antes da chegada do seu esquilo, prepare um espaço específico para ele. Recomenda-se uma jaula bem espaçosa, no mínimo com 80 por 100 centímetros de dimensão, à meia sombra, sem luz direta ou corrente de ar. Deve deixar o local o mais semelhante possível ao seu habitat, colocando e conservando ali alguns ramos naturais onde ele possa roer a madeira e relaxar.
  • É importante que ele tenha o calor e o aconchego de um ninho. Você mesmo pode fazer um com uma caixa de papelão implementada por um pequeno saco de tecido, retalhos de tecido ou flocos de algodão. É no ninho que o esquilo gosta de se recolher quando escurece, para ter uma noite plena, sem ser incomodado.
  • Como o esquilo bebê ainda não tem domínio sobre sua temperatura corporal, é recomendável colocar uma almofada de aquecimento sob o seu ninho, com 37 graus centígrados, no máximo, o que suprirá a falta do calor da mãe.

  • A gaiola deve ficar em um local não muito distante do movimento da casa, pois é um animal curioso e sociável que gosta de atenção. É recomendável retirá-lo da gaiola por alguns minutos, diariamente, e deixa-lo reconhecer o ambiente e conviver com a família.
  • O esquilo tem certa tendência em marcar seu território e mordiscar madeira ou plantas. Embora não produza forte odor, não se recomenda deixar a gaiola próxima a móveis e tapetas. As plantas, além de correrem o risco de serem mordiscadas, podem ser tóxicas ao animal.
  • Quando liberar seu esquilo para correr pela casa, deve ser sempre sob observação de alguém, pois ele pode comer algo que não deve, tirar ou derrubar coisas dos lugares e ainda roer algo que não deve, como cabos de energia ou de aparelhos elétricos.

  • Lembre-se que você levou um bebê para casa e que tem que alimentá-lo pela mãe. Para isso, adquira junto ao criador, produtos lácteos que substituam o leite materno, e vá alimentando o pequeno esquilo com uma seringa.  O especialista deve passar a você as orientações necessárias, como quantidade e frequência com que o esquilo deve ser alimentado, para não causar estresse ao seu novo companheiro. De acordo com a idade, o pet deverá ser alimentado entre duas a cinco vezes ao dia.
  • O esquilo também aprecia e deve consumir diversas espécies de verduras, frutas, cogumelos, nozes, ovos e insetos. Paralelamente ofereça comida para esquilos ou cobaia, que pode ser adquirida em casas especializadas..
  • Não se esqueça de colocar na gaiola um bebedouro para cobaias ou coelhos, com água.  Se ele não souber beber dessa forma, coloque água em um pires dentro da gaiola para que ele aprenda a beber a água que necessita.

Possíveis Doenças

Mesmo com um espaço amplo e bem cuidado, seu esquilo é um animal selvagem, ativo e inquieto. Por isso pode vir a ter algumas doenças ligadas ao estresse ou não. Em qualquer caso, deve procurar ajuda de um médico veterinário.

  • Mal oclusão – Seus dentes podem crescer em excesso e requerer pequena intervenção cirúrgica.
  • Fraturas – O esquilo costuma cair em pé, mas caso caia de mau-jeito pode sofrer fraturas que tragam estresse.
  • Feridas – Caso surja alguma, em alguns casos há necessidade de trata-las com antibiótico.
  • Abcessos – Podem surgir em disputas, caso ele habite com outro esquilo.

  • Nódulos – É sinal de larva (Cuterebra) ou infecção viral e precisa ser tratada com ajuda de especialista.
  • Parasitas – Como o cachorro, seu esquilo pode vir a ter pulgas ou sarna.
  • Pneumonia – Ambiente úmido, más condições de higiene e estresse podem trazer pneumonia e sensibilidade a vírus.
  • Enfisema – Se o seu esquilo apresentar sangue ao redor das narinas ou ânsia, pode ser grave, e um veterinário deve ser consultado com urgência.
  • Enterite – É uma doença intestinal de origem bacteriana que pode atacar o seu pet, assim como a salmonela, que é ainda mais grave.
  • Cataratas – Se seu esquilo lhe der a alegria de envelhecer ao seu lado, verifique sempre se não está com cataratas.

Veja também

Asno Catalão: Características, Nome Científico e Fotos

O asno catalão (equus asinus) é considerado o símbolo nacional não oficial da Catalunha, que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *