Home / Animais / Espécies de Besouros: Lista Com Tipos, Nomes e Fotos

Espécies de Besouros: Lista Com Tipos, Nomes e Fotos


Uma lista com as principais espécies de besouros, com os seus respectivos tipos nomes científicos, fotos e imagens, irá contemplar um grupo de insetos que está entre os mais importantes para a preservação da flora do planeta, especialmente pelo fato de ser um dos principais agentes de polinização da flora terrestre.

Esse gênero ajuda a compor a ordem Coleoptera; e ela, curiosamente, ainda abriga outras variedades de insetos, como as joaninhas, gorgulhos, escaravelhos, entre outras espécies membros dessa que é a maior ordem de insetos da natureza, com cerca de 350 mil animais em sua comunidade.

São 40% de todos os insetos do planeta, e cerca de 1/3 dos animais, com as mais diversas características relacionadas aos seus aspectos físicos, biológicos e genéticos.

Mas o objetivo desse artigo é fazer uma lista com algumas das principais espécies de besouros existentes na natureza. Uma lista que irá contemplar os principais tipos, com os seus nomes científicos e populares, além de algumas fotos e imagens que melhor identifiquem cada espécie.

1.Cantárida

Essa é a Lytta vesicatoria, uma espécie conhecida popularmente como Cantárida, membro da família Meloidae, da mesma ordem Coleoptera, como uma típica espécie polífaga, que, nesse caso, significa dizer que alimenta-se de uma imensa variedade de plantas e restos vegetais.

Cantárida

Sem dúvida, a principal característica dessa espécie é o fato de ela ser a matéria-prima para a produção da cantárida, uma substância à base de cantaridina, que supostamente produz efeitos afrodisíacos, mas também capazes de estimular o funcionamento dos rins e demais órgãos do aparelho urinário.

No passado, os mais audaciosos costumavam simplesmente ressecar esse besouro, moê-lo e misturá-lo em outras bebidas, o que muitas vezes podia ser letal quando administrado em doses excessivas.

A Cantárida possui características físicas magníficas! O seu corpo, todo ele verde, é uma verdadeira extravagância que pode variar em tons metálicos e dourados; geralmente funcionando como uma excelente estratégia de camuflagem em ambiente selvagem.

 

Ainda com relação aos seus aspectos físicos, a ela chama a atenção pelo seu corpo alongado, em conjunto com um par de antenas afiladas, um comprimento entre 5 e 20mm, entre outras características bastante originais dentro dessa comunidade Meloidae.

A Lytta vesicatória é uma espécie típica dos territórios de Portugal e Espanha, onde ajuda a compor as florestas mediterrâneas, os bosques, florestas arbustivas, matagais, entre outros ecossistemas onde elas também contribuem, positivamente, para a manutenção do seu equilíbrio ecológico.

2.Lamprima Aurata

Esse é o “Besouro-de-natal”. Uma espécie típica do continente australiano, membro da família Lucanidae, e que geralmente mede entre 15 e 25 mm.

Lamprima Aurata

Essa variedade de besouro chama bastante a atenção pela diversidade da sua coloração, que pode variar entre extravagantes tons de azul, verde, amarelo, laranja, entre outras variações que o tornam um dos insetos mais originais da natureza.

O Besouro-de-natal também é bastante comum na região da Tasmânia, onde ajuda a constituir a fauna já suficientemente original da região.

E dentre as principais características desses animais, podemos destacar a sua preferência por uma alimentação exclusiva à base de madeira apodrecida (a característica dos animais saproxilófagos), em especial as variedades de eucaliptos e acácias que constituem-se como a base da alimentação da Lamprima arauta, bem como de inúmeras outras espécies australianas.

O gênero Lamprima também abriga outros tipos além desse. Com destaque para a L.imberbis, L.adolphinae, L.aenea e L.insularis. Todas elas essencialmente saproxilófagas e com um dimorfismo sexual em que as fêmeas costumam ser maiores que os machos e ainda  possuírem outras características que os diferenciam.

3.Besouro-Oleoso-Comum

Nessa lista com as espécies mais singulares de besouros, com os mais diversos tipos, nome e fotos, o Besouro-oleoso-comum entra como uma das espécies venenosas dentro dessa comunidade que abriga os insetos mais extravagantes de que se tem conhecimento.

Ele é o Berberomeloe majalis, outra espécie da qual também é possível extrair a cantaridina; e por isso mesmo, assim como a Lytta vesicatoria, é considerada tóxica e extremamente perigosa quando manipulada sem o pleno conhecimento dessa sua, digamos, peculiaridade.

Esse inseto possui um corpo todo ele preto, atravessado por listras vermelhas, um comprimento que varia entre 6 e 8 cm; e por isso

Besouro-Oleoso-Comum

mesmo é um dos maiores besouros do continente europeu e um dos mais robustos dentro dessa ordem Coleoptera, da qual eles também fazem parte.

Como um típico animal polifágico, o besouro alimenta-se de diversas espécies de plantas, restos vegetais, entre outras variedades que encontram nos ecossistemas de florestas arbustivas, mediterrâneas, abertas, além de bosques, matas, entre outras variedades semelhantes.

Uma curiosidade a respeito dessa espécie é o fato de ela utilizar essa substância, a cantaridina, como um outro mecanismo de defesa; e ela não terá a menor dificuldade em expeli-la quando de alguma forma for ameaçada.

Com ela, o Besouro-oleoso-comum poderá produzir danos bastante consideráveis no invasor, como irritação, vermelhidão, pequenas lesões, e, nos humanos, até mesmo vômitos, náuseas, diarreia, infecções urinárias, entre outras afecções.

O Berberomeloe majalis é outra espécie típica do Mediterrâneo, mais especificamente de Portugal e Espanha, apreciador do ambiente exuberante das florestas mais abertas e vegetações esparsas, como as que são típicas do Mediterrâneo Ibérico, na região da Serra Nevada.

4 .Besouro Rinoceronte (Megasoma Sp.)

Besouro Rinoceronte

O Besouro rinoceronte, ou Oryctes rhinoceros, é uma dessas extravagâncias da comunidade Coleoptera.

A espécie mede entre 30 e 57 mm de comprimento, uma largura entre 13 e 22 mm, um peso entre 68 e 102 gramas; e por isso mesmo é considerado o mais robusto ou mais pesado inseto do planeta.

Esse é uma animal típico da América do Sul e da Zona do Pacífico, cuja dieta consiste basicamente de restos orgânicos decompostos; o que o diferencia sobremaneira do Besouro-de-natal dentro dessa comunidade.

Uma das curiosidades do Besouro rinoceronte é o fato de ele ser, proporcionalmente, o animal mais forte da natureza; capaz de suportar até 850 vezes o seu próprio peso; o que seria algo como se um indivíduo com 80 kg conseguisse erguer até 70 toneladas!

O curioso é que o apelido, “rinoceronte”, não tem nada a ver com a sua força descomunal. Ele se deve ao fato de os machos possuírem um chifre que em muito se assemelha ao dos Rhinocerontideos; e com a ajuda do qual eles costumam combater os outros machos, em uma luta renhida, pela posse das fêmeas.

5.Besouro-Mayate

O Besouro-mayate pertence à comunidade dos escaravelhos, da subfamília Cetoniinae, e também é conhecido nos Estados Unidos como Besouro figeater em uma alusão ao seu costumeiro hábito de alimentar-se de figos, mas também de outras frutas preferencialmente imaturas.

o Figeater também chama a atenção pelo seu apreço por saborear néctar, pólen e as pétalas das flores, e por isso mesmo configura-se como uma das espécies mais importantes para a polinização da flora do continente americano, especialmente no Sudoeste dos Estados Unidos e México – que estabelecem-se como os seus principais habitats naturais.

Algo que ocorre com bastante frequência entre os poucos familiarizados com essa comunidade das formigas, é uma confusão que se faz entre o Besouro-mayate, o Popillia japonica e o Cotinis nitida, muito por conta dos seus aspectos físicos bastante semelhantes.

Porém, uma diferença marcante entre essas espécies são as regiões escolhidas por elas como habitats naturais, sendo essas últimas mais apreciadoras das constituições vegetais mais a Leste dos Estados Unidos, enquanto o mayate prefere mesmo são as exóticas paragens do oeste norte-americano.

Dentre as principais características dessa variedade, podemos chamar a atenção para a sua tonalidade, em um verde fosco no dorso e um verde mais reluzente na parte ventral e nos membros, além do seu curioso hábito de rastejar de costas e dar pequenos impulsos de ponta-cabeça, como uma das principais singularidades que podem ser observadas na rotina desse animal.

O tamanho de um Besouro figeater dificilmente ultrapassa os 3,2 cm. E quanto aos seus hábitos de vida, sabe-se que ele é um animal diurno, bastante afeito a passar os dias na base das árvores em busca de alimentos, parceiros sexuais, entre outras aventuras típicas dessa comunidade dos besouros.

As Características do Besouro Mayate

Esses insetos são apreciadores das planícies e planaltos desertos e úmidos do Sudoeste dos Estados Unidos, em estados como o Arizona, Carson City, Califórnia, Utah, Nevada, entre outras regiões onde eles possam encontrar saborosas espécies de frutas verdes, seiva de árvores, montes de compostagens, hortas, materiais orgânicos, entre outras iguarias saborosíssimas.

O Besouro Mayate desenvolve-se a partir de ovos, que logo dão origem a espécies de larvas que sobrevivem basicamente de restos vegetais, coberturas orgânicas, raízes de plantas, gramíneas, adubagens, e, quando adultos, frutas verdes dos mais diversos tipos encontrados nos ecossistemas onde habitam.

Ainda com relação ao seu desenvolvimento na forma de larvas, sabemos que, inicialmente, as fêmeas do Besouro mayate depositam os seus ovos em matéria orgânica em decomposição, para que estes deem origem a larvas que sobreviverão à base desses restos encontrados em montes de decompostos.

Mas os besouros ainda se desenvolverão na forma de pupas (no período da primavera), para tornarem-se indivíduos adultos no outono (entre os meses de julho e setembro), quando então deverão preparar-se para lutar por suas próprias contas pela preservação dessa espécie única na fauna da América do Norte.

Uma Espécie Repleta de Curiosidades

Nessa lista com os principais tipos de besouros, onde são elencadas as variedades mais extravagantes da natureza, e ainda com nomes, fotos e imagens, o Besouro figeater ocupa a posição de um dos mais originais dentre todos esses até aqui representados.

E uma das causas disso é o seu nível de exigência quando o assunto é matar a fome!

O que se diz é que para satisfazer o paladar de um Besouro-Mayate é preciso mais do que um bom banquete à base de frutas da estação. É necessário, também, que elas estejam maduras, bastante adocicadas, macias e suculentas; mas até mesmo as suas flores, folhas e a seiva das árvores onde elas germinam poderão servir como fontes de alimentação apreciadíssimas para esse inseto em caso de extrema necessidade.

Figos, uvas, pêssegos, peras, maçãs e tomates parecem agradar em especial o paladar do Besouro figeater; e se elas estiverem já quase “passadas”, em um crescente processo de fermentação, e já parcialmente consumidas por outras espécies, aí é que será um deleite para esse que é um dos membros mais originais dessa comunidade dos besouros.

Sabe-se, também, que o Besouro figeater não é considerado uma praga natural; poucos danos eles podem causar a um jardim ou horta; e por isso mesmo podem ser considerados alguns dos principais parceiros e benfeitores dos ecossistemas onde vivem.

6.Gorgulho-de-Videira

Diferentemente do Besouro Mayate, o Gorgulho-de-videira (ou Otiorhynchus sulcatus) é considerado uma praga natural das mais competentes na natureza selvagem e bastante apreciador de um bom jardim florido, uma horta suculenta, uma plantação de frutas, entre outros paraísos naturais que, tanto na forma de larvas como na de adultos, esses besouros têm como verdadeiros “parques de diversões” e espaços bastante convidativos e agradáveis.

O Gorgulho-de-videira, como o seu nome logo nos leva a supor, é um grande apreciador das plantações de uvas, que eles destroem implacavelmente caso não sejam combatidos a tempo.

E ao que parece, a sua preferência é por folhas bem verdes, de espécies como Euonymus, Camelias, Bergenias, entre outras que eles costumam devorar a partir das margens das suas folhas, deixando estas com uma característica bastante singular.

Com relação aos seus aspectos físicos, esses besouros apresentam-se com uma coloração negra bastante fosca, com asas soldadas (o que não lhes permite voar), cerca de 1 cm de comprimento na forma de larvas e não mais do que 3 ou 4 cm quando adultos.

O mais comum é que eles habitem as regiões subterrâneas do solo, geralmente na base de árvores, arbustos, no fundo dos vasos de plantas, consumindo-lhes as raízes e, em muitos casos, causando um verdadeiro estrago numa lavoura, jardim, horta, ou onde quer que eles encontrem alimento em abundância.

E, por fim, outra coisa interessante a saber nessa lista com os principais tipos e espécies de besouros, dos mais originais aos mais excêntricos da natureza, é que o Otiorhynchus sulcatus reproduz-se pelo singular método da partenogênese, que em poucas palavras pode ser resumido como a capacidade das fêmeas de darem à luz sem a necessidade da participação de um macho.

O Combate ao Gorgulho-de-Videira

Não é tarefa das mais fáceis eliminar esses Gorgulhos-de-videira quando desenvolvem-se em abundância num ambiente, especialmente pelo seu apreço por uma rotina no subsolo, onde simplesmente devoram as mais variadas espécies vegetais.

Inseticidas químicos não costumam exibir uma boa eficácia no combate a essas pragas, sendo necessário, muitas vezes, recorrer ao expediente de introduzir espécies de nematoides entomopatogênicos cruzadores para a caça, captura e degustação desses besouros no subsolo.

Espécies como o Steinernema kraussei, Galleria mellonella, Heterorhabditis bacteriophora, Rhabditis humbletoni, entre outras variedades que podem ser adquiridas em lojas de jardinagem, quando misturadas com água e aplicadas no solo, e de acordo com as indicações de um especialista, tornam-se predadores dos mais vorazes para as larvas desse tipo de besouro na natureza.

Mas também é possível retirá-los de forma manual, geralmente à noite, quando eles costumam dar o ar de suas graças em ambiente externo para alimentarem-se das margens das folhas.

7.Besouro-Glorioso

Nessa lista com os principais tipos de besouros, com fotos, imagens e descrições das espécies mai incomuns dentro dessa comunidade, devemos reservar um espaço especial para a Chrysina gloriosa.

Isso porque ela é uma variedade originalíssima, habitante das matas e florestas dos Estados Unidos e do México, e que chama a atenção pela sua coloração em um verde bastante reluzente, mas que é capaz de variar para tons mais escuros, a depender da maior ou menor incidência de luz sobre o animal.

O Besouro glorioso também pode ser encontrado em algumas regiões como Escaravelho glorioso; e dentre as suas principais características, podemos destacar um comprimento entre 2,5 e 3 cm e uma coloração verde-claro, repleta de faixas em tons de prata nas suas asas anteriores endurecidas (o élitro)

A dieta básica desses besouros são as folhas do Junipperus communis (o zimbro), que eles devoram avidamente, durante o dia inteiro, e ainda contando com a sua coloração que lhes proporciona uma excelente camuflagem contra alguns dos seus principais predadores.

O Besouro glorioso também pode ser reconhecido na natureza como Plusiotis gloriosa; e tal nome científico, assim como o Crhysina gloriosa, remete à sua aparência semelhante a uma pedra preciosa – daí, portanto, o “Chrysina” (ouro) e o “Plusiotis” (rico); e ainda em conjunto com o complemento “gloriosa”, que demonstra bem a impressão que esse animal deveria causar nos nativos em épocas remotíssimas.

E o habitat natural do Chrysina gloriosa, como dissemos, são as florestas de zimbro do Sudoeste dos Estados Unidos e norte do México, onde eles ajudam a compor, magnificamente, a fauna dos estados do Arizona, Nevada, Utah, Carson City (EUA), Coahulla, Tamaulipas, Nuevo Léon (México), entre outras regiões próximas a esses estados.

Uma Espécie com Características Únicas!

Para muitos, é uma experiência única cruzar com o exemplar de um Besouro glorioso com esse seu aspecto vigoroso e original, em que se destacam a sua coloração verde e toda frisada em tons prateados ou escuros, em composição com um porte robusto não comparado ao de nenhuma outra espécie dessa comunidade dos besouros.

Esses animais desenvolvem-se a partir de ovos que tornam-se larvas meio esbranquiçadas ou amareladas em questão de semanas; e elas sobrevivem no subsolo (nas raízes das plantas, ervas ou gramíneas) até atingirem a próxima etapa, a fase pulpar (entre larvas e animais adultos), que geralmente ocorre entre maio e junho.

Por fim, já entre os meses de junho e agosto, o Besouro glorioso já pode considerar-se adulto; sendo capaz de atingir entre 2,5 e 3 cm de comprimento e com um dimorfismo sexual em que as fêmeas apresentam-se um pouco maiores que os machos.

Besouro da Soja

Mas como uma curiosidade adicional, que só mesmo nessa comunidade Chrysina podemos observar, diz-se que esses besouros também atuam como excelentes polinizadores naturais; mas o curioso é a forma como tal polinização ocorre na natureza.

Diferentemente das demais espécies, que utilizam-se das flores como saborosas fontes de alimentação, e dessa forma acabam espalhando os seus pólens por longas distâncias, a Chrysina gloriosa realiza essa função quando utiliza as flores como ninho para acasalamento, estoque de comida, ou mesmo quando precisa, urgentemente, esconder-se de algum predador.

O que configura-se como uma das inúmeras singularidades que só podem ser observadas mesmo na natureza selvagem, que utiliza-se, sabiamente, de toda e qualquer oportunidade para garantir a perpetuação das suas espécies nas melhores condições possíveis para as gerações futuras.

8.Besouro-Titan

Aqui está uma espécie que não fica nem um pouco atrás do monumental Besouro-rinoceronte quando o assunto é tamanho. É o Titanus giganteus! Uma exuberância, considerado o maior besouro da natureza (em comprimento) e um dos maiores insetos do mundo, capaz de atingir os inacreditáveis 17 cm!

O Besouro-titan chama a atenção por uma curiosidade: a força descomunal da sua mandíbula, capaz de cortar (ou serrar) galhos de árvores de grande porte; e por isso mesmo é conhecido em algumas regiões como “serra-pau” – espécies da família Cerambycidae que aproveitam-se dessa habilidade para produzir ninhos mais protegidos e vigorosos.

Essa espécie também desenvolve-se na forma de ovos, larvas, pupas e animal adulto. E o curioso é que, ao que tudo indica, eles são capazes de viver por toda a vida sem qualquer tipo de alimentação, sustentando-se apenas com a reserva de nutrientes que acumularam na fase larval – quando então exibiam um apetite simplesmente incontrolável!

Outra curiosidade acerca dos Besouros-titans, nessa lista com as principais espécies e os tipos mais extravagantes da natureza, é o fato de que tamanha estrutura física os torna péssimos voadores.

Na verdade eles jamais conseguem voar a partir do solo; eles precisam posicionar-se no topo de alguma árvore, a fim de que, com essa ajudinha muito bem vinda, possam garantir as suas sobrevivências nesse duro sistema a cada dia mais surpreendente da natureza selvagem.

Já o habitat natural dessa espécie são as florestas tropicais da América do Sul, em especial a Amazônia Brasileira, mas também trechos das Guianas, Suriname, Colômbia e Venezuela; porém com inserções cada vez mais esparsas, muito por conta do devastador tráfico de animais silvestres, que tem nesses animais espécies valiosíssimas, e capazes de serem vendidas por até US$ 350 dólares no “Mercado Negro.

As Singularidades do Titanus Giganteus

Sem dúvida, estamos falando aqui de uma das maiores (se não a maior) exuberâncias dentro dessa imensa comunidade Coleoptera.

Ele é um “Besouro gigante”! Ilustre habitante da Floresta Amazônica! (como só poderia ser). Bastante afeito a uma convivência nas cascas de imensas árvores, onde também executa os seus processos reprodutivos.

itanus Giganteus

Esses animais costumam emitir um som bastante característico quando sentem a aproximação de alguma ameaça, mas também quando é hora de garantir a perpetuação da espécie – nesse último caso, em um ritmo tão frenético em relação a outras espécies, que chega até a chamar a atenção dos especialistas.

Mas isso até que tem uma boa explicação. Ao que tudo indica, o Titanus giganteus não vive muito tempo. Sua expectativa de vida não costuma ultrapassar algumas semanas. E essa é uma das principais singularidades dessa que é a maior espécie dentro da comunidade dos besouros.

9.Besouro-Goliat

O Besouro-Goliat é o Goliatus goliathus. E apesar de não comparar-se ao Besouro rinoceronte a ao Besouro titan quando o assunto é porte físico, há que se ter bastante respeito pelos exuberantes 12 cm de comprimento que ele é capaz de alcançar, e que o tornam uma das maiores espécies entre os besouros de que se tem registro na natureza.

Um Goliathus goliathus também chama a atenção pela sua coloração preta com algumas manchas meio esbranquiçadas no dorso; e pode ser mais facilmente encontrado nas florestas tropicais e subtropicais da África Equatorial, em países como Gabão, República do Congo, Chade, República Centro-Africana, entre outros países dessa região.

Os hábitos desse animal são diurnos. É durante o dia que ele prefere executar os seus processos reprodutivos e alimentar-se à base de pólen e néctar de flores; uma alimentação que deverá ser vigorosa o suficiente para sustentar um animal que é capaz de atingir os impressionantes 40 g de peso!

Mas também para que ele possa executar as suas atividades como um típico membro da família Scarabaeidae (a dos “Escaravelhos”), que caracteriza-se justamente pela variedade de hábitos alimentares e modos de vida dos seus membros, que podem servir-se de folhas, ervas, pólens e até mesmo de restos orgânicos como alimentação em caso de necessidade.

10.Besouro-Chinês

O Besouro-chinês, ou “Xuedytes bellus”, é uma dessas excentricidades da ordem Coleoptera.

Ele é um serzinho minúsculo, que dificilmente ultrapassa os 10 mm, e que vive no ambiente restrito das grutas, fendas e cavernas de florestas da China, como uma das espécies mais exótica desse tipo de ecossistema.

Esse animal possui antenas finas, pernas da mesma forma discretas, não possui asas, apresenta um corpo alongado e meio atarracado, os olhos são inexistentes, quase não possuem pigmentação, entre outras singularidades de uma espécie que habita quase que exclusivamente a região de Du’an, na localidade de Guangxi, na China.

Fisicamente, o Xuedytes bellus chama a atenção por apresentar uma estrutura mais alongada e afilada do que é comum encontrar entre os besouros; e ainda por possuir um élitro (as asas anteriores) mais curto, além de algumas singularidades na sua dentição mandibular e um protórax (o primeiro segmento do tórax) mais desenvolvido que o próprio crânio.

Besouro-Chinês

Sua coloração básica é em um tom amarelo amarronzado, com uma cabeça curiosamente reluzente e antenas com um aspecto descolorido e discreto – é, sem dúvida, uma espécie que chama mais a atenção pelos seus hábitos do que exatamente pelos seus aspectos físicos.

Isso porque eles possuem hábitos que poderíamos facilmente comparar com os de uma espécie de “besouro vampiro”; que prefere mesmo é, curiosamente, o ambiente silencioso, lúgubre e escuro das cavernas; onde, aparentemente, convive bem com toda sorte de morcegos e demais espécies apreciadoras da penumbra desse ambiente tão singular.

E é curioso, também, notar como o Besouro-chinês desenvolveu-se a partir do que se conhece em biologia como “evolução convergente”; em que espécies, sem nenhuma ligação biológica, acabam desenvolvendo características parecidas para fins de adaptação ao meio; como por exemplo esse curioso apreço dos Besouros-chineses pelo ambiente escuro e sombrio das cavernas.

As Singularidades Desse Animal

Um artigo que pretenda enumerar as espécies mais incomuns e extravagantes dentro dessa comunidade dos besouros, com os tipos mais característicos, com as suas respectivas fotos, nomes e imagens, obviamente que não poderia deixar de abrigar uma espécie com características genéticas e biológicas tão singulares.

O Xuedytes bellus foi descoberto recentemente, quase por acaso, a partir de investigações na fauna da região sul da China, o que resultou em pesquisas mais aprofundadas na fauna da província de Guangxi.

O curioso é que o sul do país é uma região que chama a atenção pela quantidade de cavernas e pela sua capacidade, bastante curiosa também, de abrigar diversas espécies de besouros da família Carabidae. Como o Besouro-chinês, por exemplo, que junta-se a mais de 130 espécies, de cerca de 50 gêneros diferentes, para formar a comunidade Coleoptera do país.

E como uma outra curiosidade acerca dessa espécie, sabemos que o Xuedytes bellus só foi descoberto no ano de 2017; e a partir de então tornou-se um dos alvos preferenciais dos cientistas interessados em estudar as características dos ecossistemas do sul da China, tal a exoticidade dos aspectos biológicos desses animais, que ajudam, e muito, a entender todo o processo de evolução de um dos trechos mais originais do país.

11.Gorgulho-de-Pinheiro

Se logo acima tratamos de uma espécie soturna, não voadora, afeita ao ambiente lúgubre e penumbroso das cavernas do sul da China, agora faremos um caminho totalmente oposto nessa lista com as espécies de besouros mais singulares do planeta.

Isso mostra bem a diversidade de uma comunidade com mais de 350 mil espécies; cada uma com as características físicas, biológicas e genéticas mais discrepantes.

Esse é o caso do Gorgulho-do-pinheiro, ou “Hylobius abietis”, um típico besouro voador, habitante das florestas de coníferas do continente europeu, e que aprecia voar a grandes distâncias em áreas abertas por cerca de até 70 km de distância.

O animal é a própria expressão da originalidade dessa ordem Coleoptera, e da família Curculionidae, que abriga membros como esse, considerado uma verdadeira praga natural das árvores de coníferas e de plantações das mais variadas espécies.

Com relação às principais características do Gorgulho-de-pinheiro, podemos ressaltar aqui os seus 12 ou 13mm de comprimento, uma coloração castanho-escuro (e com algumas penugens meio amareladas no dorso), pernas escuras ou ferruginosas, umas proeminências pontudas que destacam-se das suas tíbias e fêmures, além da característica de não possuírem bicos e nem bocas.

Esses besouros estão também entre aqueles exemplares que possuem hábitos diurnos, mas que, curiosamente, possuem também o hábito de hibernar durante cerca de 180 dias no período outono/inverno, para só saírem dessa condição quando é hora de repor as energias, geralmente em investidas vigorosas sobre diversas espécies vegetais de florestas, hortas, jardins, lavouras, entre outros ecossistemas que eles tanto apreciam.

E os habitats naturais do Gorgulho-de-pinheiro podem ser os mais variados possíveis, desde as raízes das plantas que consomem, passando pelos subterrâneos das árvores que mais apreciam, a até bases de troncos de árvores apodrecidas.

São locais onde eles podem reproduzir-se, mas também causar grandes transtornos, especialmente pelo hábito que possuem de alimentarem-se do tecido vascular do caule das plantas e da casca de árvores de coníferas ainda jovens.

E é justamente o que faz do Hylobius abietis outra dessas espécies de pragas naturais da comunidade dos besouros, que apesar de tamanha singularidade, pode tornar-se fatal para diversas culturas caso não seja descoberto a tempo em suas investidas danosas sobre as lavouras e demais coberturas vegetais.

As Características Reprodutivas do Gorgulho-de-Pinheiro

Todos os anos, sempre durante a primavera, as fêmeas do Gorgulho-de-pinheiro começam a encher o solo rico e nutritivo das florestas de coníferas com os seus ovos, geralmente na base de árvores que foram derrubadas, troncos apodrecidos, ou até mesmo nas raízes das plantas.

Não se sabe ao certo quantos ovos esses insetos são capazes de depositar em cada ninhada, mas calcula-se que durante toda a existência desse inseto eles ultrapassem pelo menos 1 centena.

Após cerca de 15 ou 20 dias esses ovos já estarão prontos para eclodir, o que costuma ocorrer nas cascas das árvores.

E ao descascá-las, é possível observar o festival de pequenas larvas de Gorgulhos-de-pinheiro praticamente imóveis, esperando que, após algumas semanas, possam atingir a fase de pulpas nas melhores condições possíveis.

Gorgulho-de-Pinheiro Características

Essas pulpas apresentam um singular aspecto entre o creme e o amarelado, com textura macia e estrutura física meio encurvada; e elas precisarão de pelo menos mais 15 dias para libertarem-se dessa condição e atingir a fase adulta, o que geralmente resulta numa fase reprodutiva total de cerca de 120 dias.

Calcula-se que a expectativa de vida desses besouros oscile entre 2 ou 3 anos.

Mas eles são um problema mesmo é durante a fase larval, quando então demonstram um apetite insaciável; e no interior das cascas das árvores fazem uma verdadeira festa ao consumir diariamente uma quantidade de comida várias vezes maior do que o peso dos seus próprios corpos.

O que faz com que a queima e retirada de troncos apodrecidos, galhos mortos, árvores doentes, entre outros materiais semelhantes, sejam algumas das principais medidas a serem tomadas pelos produtores, a fim de evitar a proliferação, praticamente certa, dessa espécie sobre as suas lavouras, hortas ou demais variedades de plantações.

12.Besouro-Hércules

Essa lista com algumas espécies de besouros, com os seus respectivos nomes científicos, fotos e imagens, mais uma vez abre um espaço para outra variedade típica dos ecossistemas das Américas Central e do Sul, como um membro da ordem Coleoptera e habitante das florestas, bosques e matas tropicais e equatoriais do continente.

Esse é outro dos mais exuberantes membros dentro dessa comunidade; capaz de atingir facilmente os 15 ou 16 cm (machos), e ainda com direito a um chifre toráxico que ajuda a erguê-lo à condição de um dos 3 maiores besouros da natureza.

O Besouro-hércules é o Dynastes hercules, um animal com características curiosíssimas, como esses seus exuberantes chifres que desenvolvem-se, curiosamente, no tórax e na cabeça, conferindo-lhe um aspecto bastante original.

E para se ter uma ideia da originalidade dessa característica do Besouro-hércules, o que se sabe é que esses chifres, em alguns indivíduos, podem tornar-se maiores do que o seu próprio corpo, o que acaba oferecendo-lhes uma vantagem a mais durante todo o período reprodutivo.

E quais as razões disso? É simples. Acontece que uma das funções desses chifres é justamente a de ajudá-los a combater com outros machos pela posse das fêmeas, em uma luta “sangrenta” que, obviamente, quase sempre termina com a vitória dos mais bem equipados; em uma das principais exoticidades que podemos acompanhar na rotina de uma espécie que já é a própria expressão da exoticidade da fauna do continente americano.

Com relação às demais características desses besouros, podemos destacar a coloração amarelada com marcas escuras do élitro dos machos e a tonalidade mais escura das fêmeas – que também são bem menores e mais discretas que os machos em seus aspectos físicos.

As Principais Características do Besouro-Hércules

O Besouro-hércules, como dissemos, é um dos maiores representantes dessa comunidade Coleoptera. E a sua saga começa ainda no período larvar – que, curiosamente, pode durar longos e quase intermináveis 2 anos!

Durante esse período, as larvas do Besouro hércules sobrevivem às custas das cascas das árvores em decomposição; iguarias que eles devoram avidamente, até atingirem os impressionantes 11 cm de comprimento e quase 120 gramas de peso (ainda no estágio larvar).

Quando atingem a fase adulta, esses besouros geralmente assumem as características de animais frugívoros, alimentando-se, basicamente, das frutas que caem no solo, como uma espécie de “inseto oportunista”, e por isso mesmo sem aquelas singulares características de polinizadores naturais que outras espécies possuem.

Besouro Hércules Características

Porém, apesar disso, os Besouros hércules também configuram-se como uma das espécies mais originais do planeta.

Especialmente pelo fato de apresentarem características poucas vezes encontradas na natureza, como a sua capacidade de sustentar centenas de vezes o peso do seu próprio corpo, desenvolver-se até atingir um tamanho quase improvável para um simples besouro, entre outras características que os tornam espécies únicas no seio dessa natureza selvagem.

Tem algo que queira acrescentar a esse artigo? Isso foi o que esperava encontrar? Tem alguma sugestão? Faça isso na forma de um comentário, logo abaixo. E continue compartilhando, discutindo, questionando, refletindo e aproveitando-se dos nossos conteúdos.

Fontes:

https://www.peritoanimal.com.br/tipos-de-besouros-caracteristicas-e-fotos-23081.html

http://www.scielo.br/pdf/bn/v10n2/15.pdf

http://www.scielo.br/pdf/aseb/v28n3/v28n3a04.pdf

https://pt.wikipedia.org/wiki/Besouro

https://en.wikipedia.org/wiki/Hylobius_abietis

https://www.nationalgeographicbrasil.com/video/tv/gigante-desde-larva-veja-o-desenvolvimento-do-besouro-hercules

Veja também

Espécies de Mariscos: Lista com Tipos- Nomes e Fotos

Os mariscos, também conhecidos como frutos do mar, são os queridinhos na culinária, principalmente nas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *