Home / Animais / Comportamento Do Tubarão, Hábitos E Modo De Vida Do Animal

Comportamento Do Tubarão, Hábitos E Modo De Vida Do Animal

Os tubarões são animais incríveis, e essenciais para o ecossistema marinho. Eles participam ativamente da manutenção da cadeia de sobrevivência, sendo predadores importantes e também servindo de alimentos para outros animais, principalmente quando morrem e viram carcaças.

Existem cerca de 400 espécies identificadas e documentadas, mas se sabe que esses animais podem ser muito mais! Afinal, não é raro que mergulhadores e cientistas avistem novas espécimes.

Eles são animais muito antigos, e habitam o planeta terra muito antes da existência humana. Estima-se que cerca de 400 milhões de anos atrás eles já estavam vagando pelas profundezas dos oceanos, na era conhecida como Paleozoica.

Como É O Corpo E A Estrutura Do Tubarão?

Esses animais são peixes cartilaginosos (Chondrichthyes). Isso significa que eles possuem o seu esqueleto formado por cartilagem, e não ossos. São como as arraias.

O motivo disso é que esses animais ficam mais leves, e conseguem nadar e flutuar na água. Por isso que grandes tubarões não afundam, mesmo que eles não possuam uma bexiga natatória, que é um órgão presente na maioria dos peixes que permite que eles controlem a densidade, e consigam se manter em determinada profundidade.

• Hábitos do tubarão:

Os tubarões são animais com sentidos extremamente aguçados. O olfato e a audição são de verdadeiro potencial, e permite que eles percebam a presença de suas presas mesmo quando são cegos – o que é muito comum, inclusive.

Eles estão presentes em todos os oceanos, e podem habitar águas muito profundas (cerca de 250 metros) ou regiões rasas, dando as caras em costas, praias e até mesmo aparecendo para banhistas.

São animais predadores natos. Praticamente todos eles são carnívoros, se alimentam de peixes, focas, aves, crustáceos, lulas, polvos, tartarugas, e outros animais. Alguns também filtram muitos litros de água para se alimentar dos plânctons.

Ameaça Para Os Seres Humanos: Tubarão Come Gente?

Como dissemos antes, existem mais de 400 espécies documentadas de tubarões. Mas, surpreendentemente apenas 33 delas já atacaram seres humanos – um número ínfimo diante de tamanha variedade.

O que os cientistas afirmam é que esses gigantes marinhos não apreciam carne humana em suas refeições. Mas então você deve se perguntar: como justificar os inúmeros ataques a seres humanos em locais como a Praia de Boa Viagem, no Recife?

O motivo é um só: eles se confundem! Os tubarões acreditam que um ser humano dentro da água é uma foca, ou uma tartaruga. O ataque ocorre por isso, e não porque eles querem realmente comer uma pessoa!

Muitas vezes esse animal entra no seu modo de ataque quando perceba movimentação de um peixe. Alguns tubarões conseguem até mesmo sentir a vibração cardíaca de outros animais a muitos metros de distância, e preparam o bote.

Tubarão Atacando Pessoas
Tubarão Atacando Pessoas

Quando um ser humano está na água ele promove essas mesmas vibrações, e o tubarão acredita se tratar de uma de suas presas. Por isso que geralmente, nos raros ataques registrados, eles abocanham a vítima e depois partem. Eles soltam por perceberem que não gostam daquele alimento.

Mas, com a potência de suas mandíbulas o estrago já está feito, e o animal provavelmente matará o ser humano no primeiro contato.

Motivos Territoriais Também Desencadeiam Os Ataques!

Outro motivo pelos quais os tubarões podem atacar seres humanos é por questão de território. Muitos desses animais são bem territorialistas, e consideram que qualquer criatura que invada o seu ambiente e uma ameaça, o que desencadeia o ataque.

Por isso, áreas onde existe aviso de incidência de ataque não devem ser utilizadas para banho. O tubarão não vai sair das profundezas para atacar um ser humano na areia, mas facilmente fará isso se você estiver na água dele.

• Animais solitários:

Na maioria das vezes esses animais são vistos solitários. Eles preferem nadar sozinhos, sendo que apenas algumas espécies formam grupos. Mas, mesmo os mais solitários se reúnem no período de reprodução e também em locais onde haja abundância de comida.

Aqueles que preferem viver em grupo geralmente montam comunidades com muitos exemplares, e podem ser bem sociáveis entre si.

• Namoro e reprodução:

A reprodução acontece através da inseminação, quando o macho introduz o clasper no orgão feminino da fêmea. Para isso, é comum que eles fiquem nadando juntos, e muitas vezes o macho morde a fêmea para manter a posição adequada!

Por isso, em algumas espécies, as fêmeas evoluíram e nascem com a pele mais grossa, para se proteger dessa dentada que pode ocorrer durante o acasalamento. Existem ainda poucos registros de fêmeas que geraram filhotes sem a presença de machos. Nesse caso, chamamos de reprodução assexuada.

Isso não é considerado positivo pelos cientistas, pois a ausência da genética do pai acaba comprometendo os filhotes e toda a espécie, fazendo com que haja uma redução na diversidade genética do animal.

Tubarão De Água Doce – Existem Animais Fora Do Oceano!

Tubarão De Água Doce
Tubarão De Água Doce

Quando falamos a respeito do comportamento dos tubarões, não podemos ignorar o curioso fato de que alguns deles acabam se adaptando para sobrevivência também em água doce.

É justamente o caso do tubarão-cabeça-chata, que pode viver tanto nos mares quanto nos rios. Esse animal atinge tamanho de até 3 metros de comprimento, e pode ser uma surpresa cruzar com ele durante uma expedição por rios.

Inclusive são conhecidos por subirem o rio amazonas, em Manaus.

É uma das espécies que ficou conhecida por realizar diversos ataques a banhistas nas praias do Recife, principalmente em Boa Viagem. É um animal reconhecido por sua grande agressividade, e pela quase incapacidade de soltar uma presa enquanto essa apresenta sinais de vida.

Apesar disso, existem locais onde é possível fazer mergulhos guiados para acompanhar esses animais em seu habitat. Isso acontece em Cuba, na praia de Santa Lúcia.

Isso nos prova que os tubarões são animais muito diversos, e que eles realmente possuem hábitos variados. São essenciais para o funcionamento do ecossistema marinho, e precisam ser preservados!

Acreditamos que os tubarões ainda nos resguardam muitas surpresas, principalmente porque os cientistas e especialistas em vida marinha entendem que ainda não foi possível explorar absolutamente tudo a respeito desses animais.

Veja também

Lagarto Chicote- de- Garganta- Alaranjada: Características e Fotos

O lagarto chicote de garganta alaranjada (nome científico Aspidoscelis hyperythrus) é uma espécie nativa do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *