Home / Animais / Comportamento da Girafa, Hábitos e Modo de Vida

Comportamento da Girafa, Hábitos e Modo de Vida

Até o século 19, quando as girafas eram expulsos apenas por povos indígenas, formavam grandes rebanhos na África. Em 1868, cem animais foram vistos juntos. Então vieram os brancos que os perseguiram pelos troféus e dizimaram os rebanhos. Hoje, pequenas populações de girafas estão protegidas em quase todos os países onde ainda vivem.

Introdução Evolutiva

A família dos girafas era diferenciada de outros ruminantes há apenas 25 milhões de anos no Mioceno. Seus numerosos e variados representantes povoaram o Velho Mundo até o final da era terciária. Cerca de 20 milhões de anos atrás, viveu uma girafa primitiva, paleotragus. Sobre o tamanho de um antílope, encorpado, com um pescoço bastante curto e chifres cobertos de pele, era mais parecido com o ocapi atual. Um contemporâneo do paleotragus, giraffokeryx se parecia com ele, mas possuía dois pares de chifres.

Em seguida, no Mioceno, há cerca de 10 milhões anos, várias subfamílias, tudo a partir de girafas primitivos são diferenciados, as sivathérinés, que entra na África em seu desenvolvimento antes de desaparecer no Pleistoceno, 2 milhões de anos atrás. Um dos representantes dos sifaterinídeos viveu no sul da Ásia durante a era glacial.

Era uma gigantesca girafa que se assemelhava a um enorme boi, que teria em sua enorme cabeça grandes e achatados chifres, sem dúvida adornados com pele. Mas o pescoço dele estava subdesenvolvido. Os girafinos, ou as verdadeiras girafas das estepes, e os ocapiinae aparecem quase ao mesmo tempo que os sivatherines. Desta vasta família de tempos antigos, apenas girafas e ocapis são os sobreviventes.

As girafas são mamíferos herbívoros ruminantes que se distinguem pelo impressionante alongamento de seus membros e pescoços. Estes são também os mais altos e mais curto, proporcionalmente, de todos os mamíferos: desde o solo até seus chifres, a altura total pode atingir 5,80 m, enquanto que a sua altura na cernelha não é superior a 3,30 m, para um peso de 450 a 1.200 kg para uma fêmea e 1.800 a 2.000 kg para um macho.

Hábitos Alimentares da Girafa

A girafa passa mais de doze horas por dia pastando, de preferência ao anoitecer ou ao amanhecer, quando o calor é mais baixo e as folhas de arbusto dobradas são mais fáceis de alcançar.

O seu pescoço comprido não permite a girafa roçar a grama facilmente, por isso seu cardápio herbívoro consiste de brotos jovens, folhas tenras, galhos ou espinhos recém-abertos, cascas, frutos de árvores e plantas trepadeiras ou rastejantes.

A girafa consome mais de 100 espécies de plantas, mas é particularmente preferida para as acácias e, mais geralmente, para as mimosáceas.

Ele explora a faixa de vegetação mais produtiva na savana, entre 2 e 6 m de altura. Na estação seca, quando as pastagens são queimadas pelo sol, a folhagem das acácias ainda resistem, e os galhos mais altos são mais ricos em proteínas do que as gramíneas que crescem no chão.

A girafa tem um porta-voz único no mundo animal. Ela viu sua comida pela vista e o cheiro, mas também por causa dos longos cabelos em seus lábios. Estes pêlos protegem as membranas mucosas das espinhas e transmitem ao cérebro, através do sistema nervoso, informações sobre o grau de maturação da folhagem.

Sua língua, preta e grudenta, de 50 cm de comprimento, desliza entre as espinhas afiadas das acácias para alcançar os brotos mais nutritivos. Muito móvel, ele escava em uma calha, depois envolve os galhos, trazendo-os de volta ao nível do lábio superior.

A borda interna de seus lábios é forrada com papilas gustativas que lhe permitem segurar plantas interessantes em sua boca. Estes são imediatamente cortados pelos incisivos e caninos da mandíbula inferior.

Quando o galho está cheio de folhas largas e sem espinhos, a girafa leva-a de volta à boca, depois a penteia com os dentes, rasgando folhas e gravetos. Sua boca, coberta por uma membrana mucosa resistente, é adaptada à sua dieta; seu palato tem sulcos transversais que promovem a mastigação.

Apesar de seu tamanho, a girafa é um ruminante que come pouco. Os machos adultos absorvem diariamente cerca de 66 kg de material vegetal fresco e as fêmeas 58 kg. O bolus é mastigado e pré-digerido no rúmen, antes de retornar à boca para ser mastigado e impregnado com saliva. A digestão dos alimentos continua nos intestinos muito longos e a assimilação da água ocorre no intestino grosso.

Comportamento e Modo de Vida da Girafa

Na sociedade das girafas, o indivíduo é a unidade básica. No entanto, esses animais geralmente se reúnem em pequenos grupos (cinco ou seis girafas, em média), cuja estrutura está em constante mudança e cuja proporção de machos e fêmeas pode variar muito ou ser revertida.

Os solitários vivem nas partes mais arborizadas, ao contrário dos grupos, que ocupam os espaços abertos. Grupos de dois animais são mais comuns. Eles são muitas vezes um macho e uma fêmea, mas também podem ser duas fêmeas ou dois machos adultos.

Grupos de três indivíduos, por vezes, consistem em três fêmeas ou duas fêmeas e um macho ou três machos ou três fêmeas. A composição de grupos de quatro indivíduos é mais variada.

O tamanho dos grupos também varia com as estações do ano. Na estação seca, quando a comida é escassa, as girafas se dispersam na savana em pequenos grupos de quatro ou cinco indivíduos, no máximo. Por outro lado, encontros de dez a quinze girafas são comuns na estação chuvosa, quando a alimentação é fácil.

Indivíduos em um grupo se movem juntos por um tempo determinado, e depois ou passam a viver sozinhos ou se juntam a outro grupo. Estudos mostraram que a composição dos grupos pode mudar de um dia para o próximo ou de uma semana para outra, sem que haja uma regra óbvia.

A estrutura do grupo também é muito solta: seguindo uma girafa todos os dias durante 26 meses, os observadores notaram que a estrutura de seu grupo permaneceu a mesma durante vinte e quatro horas apenas duas vezes.

Hierarquia é Dispensável

É óbvio que em uma espécie com relações tão distantes quanto a girafa, o líder do grupo é muitas vezes arbitrário e provisório. No entanto, não passa um dia sem que os machos lutem entre si para consertar sua posição hierárquica. Mesmo que as girafas não sejam territoriais e coabitam pacificamente, elas devem afirmar sua superioridade.

Quando o grupo é composto apenas por fêmeas, com ou sem filhotes, é a maior girafa que protege os outros. Se o grupo é misto, ou composto apenas por machos, o maior macho desempenha o papel de protetor. Como regra geral, é muito difícil saber qual girafa é a líder; muitas vezes, um ou outro lidera o grupo alternadamente, sem razão óbvia.

Família Girafa
Família Girafa

Quando todas as girafas do grupo estão pastando, nenhuma parece desempenhar o papel especial de sentinela. No entanto, eles se organizam de tal maneira que cada um deles examina um canto do horizonte diferente do seu vizinho e pode, assim, detectar um perigo.

Forragear e viajar em grupos restritos permite que eles monitorem melhor a área e melhor se protejam dos predadores. Cada pequeno grupo permanece em contato visual permanente com vários outros, separados por poucos quilômetros.

Dos vários estudos, parece que a distância máxima entre membros do mesmo grupo que se movem juntos é de 200 m, e que dois pequenos grupos separados por uma distância de cerca de 200 m movem-se juntos, como se fossem um e o mesmo grupo.

Esses movimentos geralmente são feitos em curtas distâncias quando a água e os alimentos são suficientes na área de vida habitual do animal. Se as girafas tiverem que se deslocar para a periferia dessa área, elas se tornarão mais vigilantes e menos móveis.

Já Ouviu Girafa Fazer Barulho?

Há muito se acreditava que as girafas eram mudas. Mas eles têm órgãos fonográficos normais e podem emitir toda uma gama de sons diferentes. Em caso de perigo, eles roncam puxando o ar de suas narinas. Machos animados ou lutando contra um rival emitem uma tosse rouca ou grunhidos. Acontece também que uma girafa adulta grita, o paroxismo de excitação. As girafas preocupadas soltam gritos estridentes e melancólicos, lábios fechados.

Mas as girafas expressam seus sentimentos acima de tudo com a ajuda de suas atitudes e posturas. Um macho dominante que encontra um congênere leva a cabeça muito alto e levanta o queixo para impressionar o outro. Se ele quer expulsar o importuno, ele segue em frente, o pescoço arqueado para frente, a cabeça para baixo e a ameaça de seus chifres.

Nas mulheres, onde a hierarquia é mais sutil, o subordinado desaparece diante do dominante e o abandona, por exemplo, a rica folhagem de uma árvore de acácia. Quando uma girafa chicoteia nervosamente seus flancos com a ajuda de sua cauda, ??ou se se move rapidamente, com o pescoço para cima, é sinal de perigo.

Veja também

Reprodução da Chinchila, Filhotes e Tempo de Gestação

As chinchilas constituem várias espécies de roedores comuns à mesma família taxonômica, a qual é …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *