Home / Animais / Como se Forma o Casco da Tartaruga? Por que é Rachado?

Como se Forma o Casco da Tartaruga? Por que é Rachado?

As tartarugas são répteis pertencentes à ordem taxonômica Testudines. Correspondem a uma grande variedade de espécies, com igual variação de comprimento- desde menos de 10 centímetros até mais de 2 metros.

Em todas as espécies de tartarugas (e até mesmo nas espécies de cágados e jabutis), a presença do casco é uma característica marcante. Na verdade, é a primeira característica utilizada para descrever o animal.

Agora, você já se perguntou como se forma o casco da tartaruga? Ou por que ele é rachado?

Neste artigo, esta dúvida será respondida.

Então venha conosco e boa leitura.

Características Gerais Sobre as Tartarugas

Além da presença de cascos, um fator bem característico destes animais é a grande expectativa de vida (a qual está compreendida entre 60 a 90 anos). Existem espécies em particular, como é o caso da tartaruga gigante Galápagos, que atingem 100 anos de vida.

As tartarugas possuem o mesmo formato genérico de cágados e jabutis, no entanto, também apresenta importantes diferenças anatômicas e até mesmo comportamentais. Todas essas espécies são pertencentes à ordem Testudinae. A presença do casco é um fator em  comum, todavia, os cascos dos jabutis são mais pesados; ao passo que, os cascos das tartarugas e cágados são mais hidrodinâmicos. Dentre os 3, o cágado possui o casco mais achatado.

Convém lembrar que tartarugas são animais aquáticos, cágados são semi-aquáticos e jabutis são terrestres.

Em contraposição aos jabutis e cágados, as tartarugas possuem as patas em formato de remo. Como são repteis pulmonados, são capazes de permanecer um bom tempo de baixo d’água (tanto em repouso, quanto em busca de alimento)- uma vez que possuem um conjunto de mecanismo fisiológicos favoráveis, tais como boa distribuição de oxigênio pelo corpo, pouco uso da respiração acessória e pequeno nível metabólico.

As tartarugas são essencialmente aquáticas (abrangendo espécies marinhas e espécies de água doce), mas movem-se em direção à terra durante o período da desova, ou simplesmente para pegar sol. Durante este período, ficam muito vulneráveis à ação de caçadores.

Em relação à desova, a fêmea cava um buraco na terra, no qual deposita os ovos. É curioso entender que a temperatura do ninho influencia o sexo dos filhotes. Neste caso, os machos nascem em temperaturas mais frias; ao passo que, as fêmeas nascem em temperaturas mais elevadas. Em terra, estes ovos não estão completamente seguros, uma vez que podem ser vulneráveis à ação de predadores.

Tartarugas possuem alimentação onívora, sendo que em sua dieta estão inclusas algas, moluscos, peixes, crustáceos, celenterados e zooplâncton.

Espécies de Tartarugas Presentes no Brasil / Projeto Tamar

No Brasil, estão presentes 5 espécies de tartarugas de água salgada. São elas a tartaruga-verde, também chamada de tartaruga aruanã (nome científico Chelonia midas); a tartaruga cabeçuda, também chamada de tartaruga mestiça (nome científico Caretta caretta); a tartaruga de couro, também chamada de tartaruga gigante (nome científico Dermochelys coriacea); a tartaruga de pente, também chamada de tartaruga legítima (nome científico Eretmochelys imbricata); e a tartaruga oliva (nome científico Lepidochelys olivaceae).

Lepidochelys Olivaceae
Lepidochelys Olivaceae

Todas as espécies de tartarugas brasileiras são consideradas ameaçadas de extinção. Fatores que contribuem para essa ameaça são caça predatória para o consumo de carne; as mudanças no clima; a poluição dos mares; e o rápido e desenfreado crescimento costeiro.

Neste contexto, foi criado na década de 80 o Projeto Tamar (ou Projeto Tartaruga Marinha). Neste projeto, está inclusa a proteção a 1.100 Km de praias e 9 estados brasileiros. Outras ações do projeto incluem a educação ambiental para turistas, pescadores, moradores e empresários.

Como se Forma o Casco da Tartaruga? Por que é Rachado?

O casco da tartaruga é formado a partir da fusão dos elementos ósseos tanto das costelas, quanto da coluna. Além da fusão de elementos ósseos, a estrutura conta com ossos dérmicos que a recobrem. Acima desses ossos dérmicos, há uma cobertura final de epiderme altamente queratinizada.

As prováveis rachaduras ou ranhuras no desenho do casco possuem correlação à fusão de costelas e vértebras.

A porção superior do casco recebe o nome de carapaça, ao passo que a porção inferior é chamada de plastrão.

Esse casco nada mais é do que uma armadura contra a ameaça de predadores, no entanto, é uma estrutura que atrapalha a locomoção, tornando esses animais menos ágeis.

A Tartaruga na Pré-História

Enquanto que os ancestrais do homem só apresentaram postura bipedal a 1,9 milhões de anos atrás; as tartarugas ancestrais já apresentavam morfologia semelhante a de hoje desde 210 milhões de anos atrás.

No entanto, neste período também havia certas diferenças. Por exemplo, uma das espécies que habitava águas marinhas costeiras (no caso, a Odontochelys semitestacea) não apresentava a carapaça (ou porção superior do casco) ossificada totalmente. Outra diferença significativa é que todas as espécies de tartarugas deste período apresentavam dentes. Atualmente, esses animais não possuem dentes obviamente, mas apresentam um bico córneo que reveste a maxila e mandíbula.

Fábula da Festa no Céu e Outros Contos/Lendas Envolvendo a Tartaruga

Falando em casco de tartaruga, há uma fábula infantil muito famosa que explica de uma forma mítica porque este animal possui o casco rachado. De acordo com a fábula, haveria uma festa no céu e apenas os animais que pudesse voar poderiam ir. A tartaruga queria muito ir a esta festa, então escondeu-se dentro do violão do urubu. Chegando no local, comeu, bebeu e dançou bastante. Na hora de ir embora, escondeu-se no violão novamente. Desta vez, estava muito pesada e o urubu acabou derrubando o violão. Assim, o casco da tartaruga se quebrou em mil pedaços. Os animais que moravam na terra, ajudaram a colar os cacos.

A fábula da lebre e da tartaruga também é bastante famosa. Em uma disputada corrida, a lebre era a mais ágil e favorita para ganhar, mas seu comodismo e arrogância a deixaram pra trás. A tartaruga acabou vencendo graças à sua constância e persistência.

Fábula - A Lebre e a Tartaruga
Fábula – A Lebre e a Tartaruga

Há também outros simbolismo e  histórias envolvendo o animal. De acordo com a cultura maia, por exemplo, a figura da tartaruga está relacionada à criação do mundo; sendo o seu casco uma representação da abóbada terrestre.

*

Depois de conhecer um pouco mais sobre as tartarugas e o seu peculiar casco, que tal continuar por aqui conosco para visitar também outros artigos do site ?

Aqui há muito material nos campos da zoologia, botânica e ecologia de um modo geral.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

Britannica Escola. Tartaruga. Disponível em: <https://escola.britannica.com.br/artigo/tartaruga/482727>;

CRUZ, C. O. Infoescola. Tartaruga marinha. Disponível em: <https://www.infoescola.com/repteis/tartaruga-marinha/>;

Green Me. Tartaruga: animal símbolo da longevidade. Lendas e significados. Disponível em: <https://www.greenme.com.br/significados/68262-tartaruga-animal-simbolo-da-longevidade-lendas-e-significados/>;

FERREIRA, R. Eco. Aprenda a diferença entre cágados, jabutis e tartarugas. Disponível em: <https://www.oeco.org.br/dicionario-ambiental/28110-aprenda-a-diferenca-entre-cagados-jabutis-e-tartarugas/>;

GOMIDES, S. C. Eureka Brasil. Quantos segredos as tartarugas escondem dentro do casco? Disponível em: <http://eurekabrasil.com/quantos-segredos-as-tartarugas-escondem-dentro-do-casco/>;

Projeto Tamar. Espécies encontradas no Brasil. Disponível em: <https://www.tamar.org.br/especies.php?cod=98>;

Veja também

História da Harpia e Origem do Animal

Você já ouviu falar da harpia ? Pois bem, essa ave é o mesmo conhecido …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *