Home / Animais / Como é Formado o Corpo da Mariposa?

Como é Formado o Corpo da Mariposa?

Nesse artigo iremos aprender como se forma o corpo da mariposa, e consequentemente será falado sobre o processo e o ciclo de vida da mesma; cada fase pela qual esse inseto passa para se tornar, por fim, uma bela mariposa.

Afinal, para entender como o corpo da mariposa é formado, é necessário saber por quais processos a mariposa passa para então atingir sua forma final. Está interessado em aprender tudo sobre esse processo de evolução?

A mariposa também é comumente chamada de traça e até mesmo de borboleta noturna em algumas regiões em que elas não são tão comuns. Isso ocorre pelo fato das mariposas serem muito semelhantes às borboletas, onde a coloração é o aspecto mais fácil de identificação.

Mais para frente nesse artigo, será possível analisar como as borboletas e as mariposas são iguais, dividindo, basicamente, as mesmas características, evolução, corpo e forma final, sendo praticamente os mesmos insetos.

Corpo de uma Mariposa
Corpo de uma Mariposa

No entanto, as mariposas são vistas com olhos diferentes das borboletas, já que elas tem cores mais escuras e hábitos noturnos, além de que inúmeras espécies de mariposas do gênero Hylesia podem ser perigosas e que podem causar ação urticante tanto na sua fase de lagarta quanto na sua fase de mariposa (borboleta).

Caso queira saber mais sobre as diferenças existentes entre as mariposas e as borboletas, não deixe de conferir o link:

Acompanhe esse artigo e ainda fique por dentro de vários outros artigos com inúmeras curiosidades sobre esse inseto.

Ciclo de Vida da Mariposa

Para a mariposa formar seu corpo final, ela passará por 4 estágios principais: Ovo, Larva, Pupa e Fase Adulta. Cada um desses estágios possui uma meta específica, onde, por exemplo, a lagarta precisa somente se alimentar e a mariposa precisa se reproduzir e polinizar.

O primeiro estágio é o estágio ovular, onde as mariposas depositam ínfimos ovos grudando-os nas folhas de plantas suculentas, pois assim que os ovos eclodirem, as pequenas larvas poderão se alimentar da mesma. Inclusive, muitos agricultores e cultivadores consideram os ovos de mariposas verdadeiras pragas, pois as larvas consomem muito da planta.

Após eclodirem, a mariposa entra em seu segundo estágio, que é o estágio de larva, onde a sua única função é se alimentar e crescer.

A mariposa-mãe sempre deposita seus ovos em árvores saudáveis com bastante folhas verdes, pois a mesma sabe que levará bastante tempo até as larvas virarem lagartas que poderão migrar para outras plantas no futuro e viverem por conta própria.

Mariposa nas flores
Mariposa nas flores

A lagarta precisa se alimentar rapidamente para poder crescer. O interessante é entender que a lagarta não expande, mas ela cresce através de várias trocas de pele, criando casulos em cada uma das vezes.

É nesse processo que entra a terceira fase da mariposa, onde ela começa a criar casulos para chegar a sua forma final no estágio de lagarta, assumindo suas cores e formas, processo esse em que se tornam verdadeiros inimigos de animais e humanos, pois a maioria delas, assim como as borboletas, se tornam venenosas para garantir proteção e um futuro promissor.

Após passar por esses processos chamado de metamorfose, a lagarta irá criar seu último casulo e se desenvolver completamente até imergir da crisálida (casulo) em seu formato final, com seu corpo completo, e dali a mesma irá bombear sangue nos filamentos de suas asas e assim alçar voo.

Partes do Corpo e Anatomia da Mariposa

O corpo de uma mariposa é composto por três partes principais: cabeça, tórax e abdômen.

As outras partes são compostas pelas asas, patas, antenas e outras peculiaridades que compõe o inseto por inteiro. Acompanhe algumas informações sobre o assunto.

Diferentemente das borboletas, as mariposas possuem o chamado frênulo, que é uma espécie de acoplamento das asas, dando o aspecto de que elas possuem, na verdade, 4 asas.

As mariposas compões quase que 90% da ordem dos Lepidópteros, que é a mesma ordem das borboletas, ou seja, existe um número muito maior de mariposas do que de borboletas no mundo.

O corpo de uma mariposa, como pode ser observado nas fotos, é mais robusto do que o de uma borboleta, por exemplo, porém, mais curto.

A mariposa possui asas dianteiras e asas traseiras, sendo as dianteiras maiores do que as traseiras, que ficam um pouco mais escondidas abaixo das dianteiras.

Mariposa e suas Asas
Mariposa e suas Asas

Raramente uma mariposa recolhe suas asas de forma vertical e ela sempre descansa com suas asas abertas e bem dispostas (principalmente da família Geometridae), uma características que as distingue bem das borboletas.

Algumas mariposas fêmeas não possuem asas, ou possuem a chamada estrutura vestigial, que é quando um órgão não mais exerce a função que fora designada originalmente, tornando-se incapazes de voar. Isso ocorre nas fêmeas da espécie Diurnea fagella, por exemplo.

As antenas das mariposas são antenas muito mais equipadas do que as antenas das borboletas, que são apenas dois filetes. Isso ocorre devido à adaptação noturna pela qual a mariposa passou ao decorrer dos milênios, e dessa forma as antenas são excelentes receptores para esses insetos que caçam e são caçados durante a noite.

As mariposas possuem línguas, pois é dessa forma que as mesmas alcançam o néctar das flores e ajudam a natureza em seu ciclo de vida. A mariposa-esfinge-colibri (Macroglossum stellatarum), por exemplo, é uma espécie que desenvolveu uma língua bastante comprida para alcançar flores específicas.

Curiosidades e Informações Adicionais Sobre as Mariposas

Segundo Matthew Shepherd, diretor de comunicação e chefe da associação de conservação da Sociedade Xerces, existe mais de 10 espécies de mariposas para cada 1 espécie de borboleta, somente nos Estados Unidos.

Uma das maiores espécies de mariposas existente é a Mariposa Real, Citheronia regalis, podendo medir 11 centímetros de uma asa até a outra.

As mariposas são umas das principais fontes de polinização que existe no mundo, e algumas espécies se desenvolvem simplesmente com esse intuito, como se nascessem apenas para fazer esse favor à natureza, assim como a Mariposa Luna (Actias luna), por exemplo, que nem possui boca e tampouco se alimenta. Sua única função é nascer, se reproduzir e morrer dentro de uma semana de vida como mariposa.

Mariposa Vampiro da Rússia
Mariposa Vampiro da Rússia

Outro ponto que torna as mariposas extremamente importantes na natureza, é o fato delas existirem em abundância, e isso faz com que a cadeia alimentar seja muito bem equilibrada.

Confira outros links em nosso site Mundo Ecologia, em que falamos a respeito das mariposas:

Veja também

Lagarto Chicote- de- Garganta- Alaranjada: Características e Fotos

O lagarto chicote de garganta alaranjada (nome científico Aspidoscelis hyperythrus) é uma espécie nativa do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *