Home / Animais / Alimentação dos Crustáceos: o Que Eles Comem na Natureza?

Alimentação dos Crustáceos: o Que Eles Comem na Natureza?

Estamos acostumados com a presença de diversos animais na nossa alimentação. No Brasil, ainda a maioria das pessoas se alimentam de carne e apesar de os mais comuns serem vaca, boi, porco e galinha, existem outras espécies que são muito usadas na culinária do Nordeste e que vem se expandindo cada vez mais.

Esses animais são os crustáceos. É uma família muito grande e que pertence de maioria animais marinhos, mas também é possível encontra-los em mangues, água doce e no ambiente terrestre. Os mais conhecidos dessa classificação são: caranguejos, lagostas, siris e outros. Nós o usamos como nossa fonte de alimentação, mas você sabe qual é a dieta desses animais? O que eles comem o deixando desenvolvidos para que sejam nossa comida?

No post de hoje iremos falar um pouco mais sobre os crustáceos e a alimentação deles de forma geral, o que comem, como comem e muito mais.

Os Crustáceos

Pode surpreender muitas pessoas, mas os crustáceos são um subfilo que fazem parte do enorme filo dos artrópodes. Os animais que fazem parte do filo dos artrópodes estão ali por ter a seguinte característica em comum: um exoesqueleto rígido que o protege. Esses animais também não são somente marinhos, pois é possível encontrar crustáceos de água doce (como a pulga d’água) e também alguns terrestres (e o bicho de conta). São mais de 35 mil espécies classificadas como crustáceos, o que é uma boa biodiversidade.

Porém, ainda assim a maioria deles é marinho. E praticamente todos podem ser encontrados em território brasileiro, graças ao nosso clima propicio para isso. Eles são animais que conseguem se adaptar a praticamente qualquer clima, e por isso são encontrados em todos os continentes.

A reprodução é sexuada, logo os crustáceos são dioicos, ou seja, com sexos separados. Onde ocorre a reprodução varia muito da espécie e suas características. Após a fecundação, o filhote pode nascer de forma direta, que é quando saem iguais aos adultos, mas em tamanho menor. Ou de forma indireta, no qual passam por diversos estágios de larvas e ovos.

Outro fato interessante, é que não necessariamente esses animais caminham e nadam por aí. Sim, existem algumas espécies que são sésseis, ou seja, vivem presa a algum outro substrato. E tem também os bentônicos, que conseguem caminhar no fundo do mar. Os marinhos, realizam suas trocas gasosas pelas brânquias na maioria dos casos. Em outros, acontecem em estruturas modificadas de seu exoesqueleto. Os de rios e mangues também costumam realizar a respiração branquial. As brânquias são capazes de absorver o oxigênio presente na água, e depois leva-lo até as células sendo transportado pelo sangue.

A importância dos crustáceos vai além da econômica. Eles são importantes para a nossa Biosfera, pois fazem parte de diversos níveis tróficos, tanto do ambiente terrestre quanto do ambiente aquático. Mais que isso, também são considerados ótimos bioindicadores. Que são basicamente animais que permitem que nós saibamos se aquele local está com águas contaminadas ou não.

Alimentação dos Crustáceos: O Que Eles Comem na Natureza?

Crustáceo - Caranguejo
Crustáceo – Caranguejo

Como deixamos claro, os crustáceos são uma quantidade bem grande de animais. Logo, a alimentação dos crustáceos é bem variada, de acordo com as espécies e os ambientes que eles vivem. Alguns são completamente carnívoros, outros omnívoros e temos também os saprófagos, que se alimentam de carne e outras coisas que já está em processo de decomposição.

O camarão, por exemplo, é considerado o gari dos mares. Porque se alimenta de qualquer coisa que esteja apodrecendo. Já encontraram-no até mesmo dentro de corpos de pessoas afogadas. Ele é chamado de detritívoro. Normalmente os crustáceos que se alimentam de carne, não representam muito perigo para os peixes. Somente atacam peixes que já estão doentes e enfraquecidos ou os mais novos.

Camarão
Camarão

O caranguejo, diferente do que muitos imaginam, é considerado um dos mais limpos dos crustáceos. Raramente se alimentam de restos de animais ou algum animal que esteja já em processo de decomposição. Sua refeição preferida são ovos de peixes que estão desprotegidos. Vale lembrar que cada animal vai ter uma forma de se alimentar diferente. E isso inclui características físicas e morfológicas diferentes para cada um deles.

Ainda com o caso dos caranguejos, mas adicionando junto os siris, eles possuem o primeiro par de patas com mudanças significativas. Elas são em formato de pinça, e servem como dois propósitos: defesa e pegar alimentos. É com elas que conseguem agarrar o alimento e leva-lo até sua boca.

Uma outra forma de alimentação é a chamada filtração. Conhecemos esse nome como uma forma de separação de misturas, e no caso dos crustáceos, trabalha de uma forma bem semelhante. Nesses casos, os animais possuem cerdas específicas que trabalham com o objeto de tirar da água de todo o local, as partículas que ali estão em suspensão. É um processo bem mais devagar e dá menos comida para os crustáceos, mas é algo bem interessante e que muitas espécies realizam.

Quando criados em aquários junto com outras espécies de peixes e outros animais aquáticos, são uma ótima ajuda na hora de manter em equilíbrio o local. Mesmo sem representar quase nenhum perigo para outros peixes, independente do tamanho deles, eles vão se alimentar dos restos que estão ali no fundo do aquário.

Esperamos que o post tenha te ajudado a entender um pouco mais sobre toda a alimentação dos crustáceos. Não esqueça de deixar seu comentário nos contando o que achou e também deixar suas dúvidas. Ficaremos felizes em ajuda-los. Leia mais sobre crustáceos e outros assuntos de biologia aqui no site!

Veja também

Diferenças Entre Raposa Do Ártico E Lobo Do Ártico

Raposas e lobos são canídeos fascinantes, mas possuem diferenças fundamentais um do outro. Duas espécies …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *