Home / Plantas / Tudo Sobre a Lanterna Chinesa: Características e Nome Científico

Tudo Sobre a Lanterna Chinesa: Características e Nome Científico

Cientificamente chamada de Abutilon striatum, a lanterna-chinesa faz parte da família botânica Malvaceae e atende por outros nomes como: sininho, lanterna-japonesa e até mesmo campainha. É muito comum as pessoas confundirem essa árvore com outro tipo de planta, a Abutilon megapotamicum.

Características Gerais

A lanterna-chinesa é rústica e sua estrutura é semilenhosa (seu aspecto lembra madeira, apesar de não ser 100% lenha). Além disso, os seus ramos costumam apresentar uma ligeira curvatura, como se eles estivessem puxando as flores da planta para baixo. Suas flores têm um tom mais puxado para a cor laranja e elas apresentam uma mistura de beleza e delicadeza que lhe tornam bem características.

Normalmente, é comum ver essas plantas em locais públicos como jardins e parques, pois exigem pouco no quesito manutenção. É uma planta que costuma aparecer na primavera e sempre chama a atenção dos beija-flores no verão.

A lanterna-chinesa tem que ser plantada em um local fértil e sempre banhado pela luz do sol; ela pode ficar isolada ou ser cultivada em pequenos agrupamentos. É capaz de suportar geadas e temperatura de até 5°C e suas podas tem que ser feitas anualmente.

Paisagismo

É na estação mais fria do ano que existe a necessidade de que as plantas e as flores tenham uma coloração tão variada quanto no verão e na primavera.

Quando uma pessoa resolve escolher plantas para a decoração anual de um jardim, ela tem que analisar qual é a melhor opção para deixar a paisagem chamativa e vistosa por um longo tempo, especialmente nos períodos mais frios, onde é necessário controlar as pragas, fertilizar, podar e limpar as plantas. Tudo isso sem esquecer-se de regar as plantas regularmente e sempre respeitando o seu tempo de dormência. É nesse momento que a lanterna-chinesa se torna uma excelente opção.

Lanterna Chinesa como Paisagismo
Lanterna Chinesa como Paisagismo

Essa planta costuma chegar aos três metros de altura e seus ramos sempre se espalham de forma vigorosa, o que torna essa planta um destaque ornamental para a paisagem. As folhas dessa planta apresentam um tom mais claro de verde e possuem um formato oblongo.

Por sua vez, as flores dessa planta têm cinco pétalas e todas ficam em pedúnculos independentes que as deixam penduradas e semicerradas. Ao ficarem suspensas, as flores da lanterna-chinesa apresentam um formato de lanterna que faz jus ao seu nome. No entanto, existem momentos em que essas flores se abrem e deixam seus estames à mostra.

Modo de Cuidar

O melhor período para florescimento da lanterna-chinesa é justamente no período mais quente do ano, que se passa entre a primavera e o verão. Apesar desse fato, existem exceções em alguns estados brasileiros, o que torna possível ver o nascimento dessa planta durante os doze meses do ano. Como produz muito néctar, as flores dessa planta costumam fazer os beija-flores se aproximarem, além de atraírem outros polinizadores como as borboletas. Por ter características rústicas, sua manutenção é simples e não exige tanta atenção.

Basicamente, o que essa planta precisa é de um solo que facilite a fertilização (esterco como adubo é uma boa opção), que seja de drenagem fácil e que esteja exposto a luz solar. Como é resistente às geadas menos intensas e a temperaturas de até 5°C, essa planta consegue ser útil em diversos contextos de paisagem, que vão desde cenários isolados até composições feitas com outras flores e plantas. A estação ideal para fazer a poda da lanterna-chinesa é o inverno.

Linhagem Familiar

A lanterna-chinesa pertence à família de angiospermas Malvaceae. Essa família botânica está ligada a mais de 765 tipos de plantas, podendo ser vista em todo o território brasileiro. Dentro dessa linhagem, existem plantas como os hibiscos e as paineiras, além de sementes populares como o cacau e algumas plantas que servem para produção de madeira, como o pau de balsa.

As folhas Malvaceae podem ter uma estrutura simples, serrilhadas em suas laterais e serem espiraladas e com dentes malvoides. Essas folhas podem ou não ter algum tipo de mucilagem (substância viscosa resultante da solução de determinadas matérias em água).

Flores Malvaceae

As flores desse grupo costumam ser solitárias, independentemente de serem grandes ou pequenas. Elas podem se unir e gerar uma inflorescência, além de existir a possibilidade dessas plantas serem tanto unissexuadas quanto bissexuadas dependendo da espécie. Geralmente, as Malvaceae possuem inflorescências que detêm flores de três brácteas.

O perianto dessas plantas possui diferenças entre o seu cálice e a sua corola. A corola dessas plantas pode ser uma pentâmera ou uma dialipétala, com um cálice cheio de brácteas que representa uma unidade que contém duas cores. Normalmente, as flores dessas plantas apresentam ciclos definidos de florescimento.

As flores das Malvaceae costumam ser hermafroditas, mas, em casos raros, também podem ser dioicas (possuem órgãos reprodutores de apenas um dos sexos). Os estames (folhas modificadas onde acontece a formação dos gametas masculinos de uma flor)  são abundantes na parte masculina da flor, chamada de androceu. Eles podem agir de forma livre ou se manterem unidos. No caso específico dos hibiscos, os estames formam uma coluna que envolve o gineceu, que é o conjunto de órgãos femininos de uma flor.

Subfamília Malvales

A ordem dos malvales abrangem um enorme grupos de plantas e flores, englobando mais de 6000 espécies divididas em nove famílias. As plantas que mais aparecem nessa ordem são os arbustos e as árvores, pois a grande maioria de suas famílias está distribuída de forma cosmopolita em locais de clima temperado. É muito comum ver as plantas malvales em Madagascar.

Muitas espécies dessa ordem são famosas por conta da qualidade e da leveza de sua madeira. Além disso, é dessa família que vem a semente do cacau, ingrediente essencial para a fabricação do chocolate.

Subfamília Malvales
Subfamília Malvales

Outro vegetal popular que está ligado a essa subfamília é a noz de cola, famosa por ter muita cafeína e por ser um ingrediente importante na produção de bebidas à base de cola. Algodões, quiabos e hibiscos também pertencem a família dos Malvales.

Com muita diversidade em sua morfologia, as plantas malvales possuem poucos aspectos em comum. As maiores semelhanças entre essas plantas estão em suas sépalas em forma de cone e na composição natural de suas sementes. Essas plantas normalmente têm um córtex fibroso.

Planta Semelhante

Abutilon megapotamicum é um tipo de planta que se parece com a lanterna-chinesa, porém seus arbustos são menores e seus galhos são delgados. Ela é perfeita para quem gosta de montar pequenas cestas de flores ou fazer pequenos buquês.

As folhas dessa planta têm um formato que lembra um coração, sempre com muitas manchas esverdeadas e amareladas. Tal qual a lanterna-chinesa, os cálices dessa planta também lembram muito o formato de uma lanterna.

Veja também

Frutas que Começam com a Letra H: Nome e Características

As frutas são alimentos extremamente populares. Variam entre os sabores adocicado, cítrico, travoso e amargo. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *