Home / Plantas / O Que é Encostia? Para que Serve a Encostia?

O Que é Encostia? Para que Serve a Encostia?

Para aqueles que são fãs do cultivo de plantas, são inúmeras as possibilidades de técnicas que podem ser utilizadas para melhorar a qualidade dos vegetais. No artigo de hoje vamos falar um pouco da encostia, um método que pode ser muito benéfico para o desenvolvimento da planta. Confira e aprenda em que ocasiões esse método pode ser utilizado.

Mas o Que é Encostia?

Consiste na técnica para que dois vegetais sejam unidos e ainda assim continuem sobrevivendo utilizando o sistema de raízes, até que seja possível que os ramos sejam separados pelas suas raízes.

O método é geralmente utilizado quando diversos processos já tenham sido feitos e, ainda assim, existe a dificuldade da obtenção das mudas. Esse tipo de enxerto é usado com mais frequência em árvores que dão frutas e que apresentam essa característica de propagação mais difícil. Assim, acontece a junção das duas árvores até que os tecidos se encontrem completamente unidos. Alguns tipos de encostia mais comuns são: subexertia, lateral simples e de topo.

Como Fazer Encostia

Logo após a união das plantas, uma delas será utilizada como copa e outra como uma espécie de receptor do enxerto. O porta enxerto deve ser colocado em um local que possa ser transportado para a outra planta que você deseja que se propague.

Com o auxílio de madeiras, você pode colocá-lo emparelhado com a copa de uma das árvores. Após esse procedimento, você deve cortar um ramo de cada um dos vegetais e realizar uma amarração para que os tecidos se unam. Para amarrar, utilize uma fita.

Por volta de dois meses, os tecidos estão juntos e você poderá fazer a desconexão das duas árvores, fazendo um corte no ponto de união e retirando a fita utilizada.

Encostia
Encostia

Assim, você terá uma muda com uma composição de porta enxerto e uma copa. Esse procedimento deve ser realizado na estação da primavera, sendo também possível ser feita no outono, embora com menores resultados positivos.

Propagação de Vegetais

As plantas se reproduzem de forma sexuada e assexuada. A reprodução assexuada também pode ser chamada de vegetativa e acontece quando uma parte da planta original acaba ocasionando o surgimento de outra.

Esse tipo de reprodução pode ser espontânea ou induzida. Quando a propagação acontece por meio de sementes, tubérculos, estolhos, bulbos e rizomas dizemos que ela é espontânea. Já a induzida é feita por meio de técnicas que originam um vegetal igual ao original. Essas técnicas são muito utilizadas para a realização do comércio de plantas.

Localizado nos caules, os brotos são formados de forma lateral dando origem à planta iguais à “planta mãe”. Eles devem ser destacados cuidadosamente para formar uma nova muda e continuar a perpetuação da espécie. Uma planta muito conhecida e que se propaga dessa forma é a cebolinha.

Outras Informações Sobre Enxertia

Durante o processo de enxertia as duas plantas que estão ligadas não podem sobreviver sem depender uma da outra. Aquela que ocupa a região mais baixa se chama cavalo (ou porta enxerto) e possui a função de fornecimento de nutrientes e hidratação. Já a planta que fica na parte de cima é chamada de enxerto (ou cavaleiro) e objetiva a produção do vegetal.  Os tipos de enxertia mais conhecidos são a borbulhia, garfagem  e a encostia.

A garfagem é feita inicialmente com o transporte de um fragmento da planta-mãe que também pode ser chamado de garfo. Assim, podemos obter em apenas uma árvore diversos tipos de frutos. Um exemplo muito comum é uma macieira que apresenta frutas de cores diferentes ou um pé de limão que produz também laranjas. Para esse compartilhamento funcionar é preciso que as duas espécies façam parte do mesmo gênero e apresentem compatibilidade.

Já a borbulhia é feita por meio do uso de uma gema em um porta enxerto que já se encontra enraizado. A justaposição deve ser realizada no verão ou na primavera quando os resultados acontecem de forma mais efetiva. Alguns dos tipos de borbulhia mais conhecidos são: T invertido, janela fechada, janela aberta e anelar.

Plantando Árvores Frutíferas

Agora que você já conhece as principais formas de propagação vegetal, conheça dicas para montar um lindo pomar. Confira:

  • Privilegie o plantio em locais onde os raios do sol conseguem atingir. A maior parte das plantas precisam de energia solar para produzir frutos. O ideal é que elas tenham no mínimo sete horas de exposição por dia.
  • Fique atento para a qualidade do solo e lembre que um pomar precisa de um local onde as raízes possam se expandir. Dessa forma, evite plantar as árvores nas proximidades de muros ou locais que possam impedir o desenvolvimento e crescimento das plantas.
  • O solo deve ser rico em material orgânico e nutrientes para que os vegetais cresçam de forma saudável. A umidade da terra também deve ser observada, de modo que exista nas proximidades fontes de água natural como lagos ou rios.
  • Invista na variedade de espécies e procure plantar árvores diversas. Isso fará com que o seu pomar fique lindo e também produza de forma independente, ou seja, quando uma praga atacar determinado tipo de planta, outras espécies continuarão rendendo bons frutos.

Encerramos nosso artigo aqui! Ficamos imensamente felizes em receber sua visita aqui no Mundo Ecologia. Reforçamos o convite para que você continue acompanhando nossos conteúdos sobre animais, plantas e natureza em geral. Caso tenha ficado alguma dúvida é só nos deixar um comentário, ok?

Veja também

Como Plantar Vinca em Vaso em Casa?

A vinca-de-madagascar ou simplesmente vinca (nome científico Caranthus roseus) é um vegetal de fácil propagação, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *