Home / Plantas / O Que é Capuchinha e Para Que Serve?

O Que é Capuchinha e Para Que Serve?

Tropaeolum, vulgarmente conhecida como capuchinha ou chagas, é um gênero de aproximadamente 80 espécies de plantas herbáceas anuais e perenes. Foi nomeado por Carl Linnaeus em seu livro Species Plantarum e é o único gênero da família Tropaeolaceae. As chagas receberam esse nome porque produzem um óleo semelhante ao agrião (Nasturtium officinale).

O gênero Tropaeolum, nativo da América do Sul e Central, inclui várias plantas de jardim muito populares, sendo as mais comuns T. majus, T. peregrinum e T. speciosum. Uma das espécies mais raras é T. polyphyllum, do Chile, cujas raízes perenes podem sobreviver ao inverno subterrâneo e a altitudes de 3.300 metros.

As plantas deste gênero têm flores vistosas, possuem brilho intenso e as folhas peltadas (em forma de escudo) arredondadas com o pecíolo no centro. As flores são bissexuais e zigomórficas, com cinco pétalas, um ovário superior com três carpetes e um esporão de néctar em forma de funil na parte traseira.

História da Planta

A capuchinha foi importada pela primeira vez para a Espanha pelo botânico espanhol Nicolás Monardes, que publicou no ano de 1569 um artigo para o jornal Newe Founde Worlde, no qual descreveu, entre outras coisas, as plantas e animais descobertos na América do Sul. O herbalista inglês John Gerard relata ter recebido sementes da planta da Europa em seu livro de 1597, Generall Historie of Plantes.

O nome científico da capuchinha foi dado pelo botânico sueco Carl Linnaeus, que escolheu esse nome porque a planta o lembrava de um costume antigo: após vencer uma batalha, os romanos normalmente erguiam um troféu (tropaeum, em grego) no qual estavam penduradas as armaduras e armas do inimigo vencido. Segundo Linnaeus, as folhas redondas da planta o lembraram de escudos e de capacetes manchados de sangue.

As chagas já foram conhecidas como “agriões indianos” porque quando foram introduzidas nas Américas, conhecidas popularmente como Índias, eram usadas como agrião para consumo de salada.

Descrição Física

Tropaeolum é um gênero de plantas dicotiledôneas anuais ou perenes, geralmente com caules um tanto suculentos e às vezes raízes tuberosas. As folhas alternativas são sem pelos, peltadas e possuem lóbulos inteiros ou palmatosos. Os pecíolos ou caules das folhas são longos e, em muitas espécies, são capazes de enrolar outros caules para fornecer apoio.

As flores são bissexuais e vistosas, dispostas isoladamente em longos caules nas axilas das folhas. Eles têm cinco sépalas, a parte superior da qual é alongada em um esporão de néctar. As cinco pétalas são arranhadas, com as três inferiores, ao contrário das duas superiores. Os oito estames estão em duas espirais de comprimento desigual e o ovário superior tem três segmentos e três estigmas em um único estilo. O fruto é nu e parecido com nozes, com três segmentos de sementes individuais.

Cultivação da Espécie

Capuchinha Anã
Capuchinha Anã

A flor mais comum no cultivo é um híbrido de T. majus, T. minus e T. peltophorum, e é comumente conhecida como capuchinha (e ocasionalmente nomeada como chagas). É cultivado principalmente a partir de sementes como um meio-resistente anual e estão disponíveis variedades simples e duplas. Ele vem em uma variedade de formas e cores, incluindo creme, amarelo, laranja e vermelho, de cor sólida ou listrada e geralmente com uma mancha escura na base das pétalas.

É vigoroso e facilmente cultivado e se dá bem ao sol. Prospera em solo pobre e em condições secas, enquanto em solo rico tende a produzir muito crescimento frondoso e poucas flores. Algumas variedades adotam uma forma de arbusto, enquanto outras se arrastam por outras plantas e são úteis para plantar em locais difíceis ou para cobrir cercas e treliças.

A chagas azul (Tropaeolum azureum) é uma espécie tenra do Chile, que possui flores azul-violeta com olhos brancos que podem ter até 4 cm de diâmetro. As braquíceras de Tropaeolum têm flores amarelas de 2,5 cm com marcações arroxeadas em hastes trepantes e em corda. É uma planta perene do Chile e pode permanecer inativa por vários anos antes de ser desencadeada por um fator desencadeante desconhecido.

Tropaeolum hookerianum é uma espécie de raiz tuberosa do Chile. Existem duas subespécies, T. h. austropurpureum que possui flores violeta e T. h. pilosum com flores amarelas.

A trepadeira das Canárias (Tropaeolum peregrinum) é uma espécie anual e rasteira, com caules finos e folhas bem características. As flores amarelas pálidas e com franjas são sustentadas por longos caules. Originou-se no Peru, mas pode ter sido cultivado nas Ilhas Canárias antes de ser introduzido na Europa Ocidental.

Tropaeolum Peregrinum
Tropaeolum Peregrinum

Chagas capuchinha (Tropaeolum polyphyllum) é uma planta prostrada originária da Argentina e Chile. Possui folhas prateadas e uma profusão de pequenas flores amarelas brilhantes em longos caules. Após a floração, a planta morre novamente. É uma planta perene com rizomas subterrâneos que enviam novos brotos em intervalos. Em um local ensolarado adequado com solo bem drenado, ele sobreviverá por vários anos. É uma espécie muito resistente; os tubérculos podem crescer a profundidades de 60 cm, permitindo que a planta sobreviva em altitudes de até 3.300 metros nos Andes.

A flor da chama (Tropaeolum speciosum) está bem adaptada a climas frios e úmidos e é famosa na Escócia. Envia brotos que atravessam sebes e arbustos e que, quando emergem na luz, trazem brilhantes flores vermelhas entre pequenas folhas de cinco ou seis lóbulos. É difícil de se estabelecer, mas é uma planta atraente quando cresce. Esta planta ganhou o Prêmio de Mérito da Royal Horticultural Society.

Mashua (Tropaeolum tuberosum) é uma planta perene de escalada dos Andes, cultivada por suas raízes tuberosas. É cultivada desde os tempos antigos e suas representações são encontradas em locais arqueológicos que vêm desde antes dos Incas. Possui folhas com cinco a sete lobos e flores pequenas, com espinhos longos, vermelhos e amarelos.

Os tubérculos têm um cheiro desagradável quando cru, que desaparece ao cozinhar. É resistente ao gelo e produz colheitas de 30 toneladas por hectare a uma altura de 3.000 metros acima do nível do mar.

Tropaeolum Tuberosum
Tropaeolum Tuberosum

Modos de Uso

Culinária

Todas as partes de Tropaeolum majus são comestíveis. A flor é consumida com muita frequência, criando um ingrediente de salada especialmente ornamental; tem um sabor levemente picante que lembra o agrião e também é usado em salteados. As flores contêm cerca de 130 mg de vitamina C (porção de 100 gramas), algo próximo da mesma quantidade contida na salsa.

Além disso, eles contêm até 45 mg de luteína por 100 g, que é a maior quantidade encontrada em qualquer planta comestível. As vagens verdes podem ser colhidas e colocadas em vinagre temperado para produzir um condimento e enfeite, às vezes usado no lugar das alcaparras. Mashua (T. tuberosum) produz um tubérculo subterrâneo comestível, que é uma importante fonte de alimento em partes dos Andes.

Uso Medicinal

T. majus tem sido utilizado em fitoterapia para infecções respiratórias e do trato urinário. Na Alemanha, os médicos licenciados podem prescrever um antibiótico à base dessas plantas, feito apenas de chagas e raiz de rábano.

Veja também

Tudo Sobre Jasmim do Imperador: Características e Nome Cientifico

O jasmim do Imperador, de nome científico Osmanthus Fragrans, é uma espécie nativa da Ásia. Compreende sua …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *