Home / Plantas / Frutas da Família da Pitanga: Quais São as Espécies?

Frutas da Família da Pitanga: Quais São as Espécies?

Entre as principais espécies de frutas da família da pitanga (a família Mytaceae), estão a jabuticaba, goiaba, araçá, jambo, entre outras espécies dessa imensa comunidade que abriga variedades com características arbustivas ou arbóreas.

São as árvores as principais estrelas dessa comunidade, com destaque para a comunidade dos eucalipto, com as suas quase 2 mil espécies, entre as mais altas do mundo, e que costumam ser aproveitadas em praticamente todos os segmentos da atividade humana.

Outras espécies que se destacam nessa comunidade são o cravo-da-índia, o guamirim, a pimenta-cravo, a cerejinha, o cambuci, entre outras variedades típicas do continente americano – aliás, o continente que abriga a quase totalidade das espécies dessa família, juntamente com a Oceania, de onde essas variedades partem para o mundo.

Sobre a importância do eucalipto como a principal estrela dessa família Myrtaceae, seria interessante discorrer um pouco sobre o vertiginoso Eucalyptus globulus (o Eucalipto-comum), uma exuberância!, que pode atingir os incríveis 55m de altura, que é originário das florestas temperadas da Austrália.

O Eucalyptus globulus é hoje uma das principais variedades desse gênero, responsável por boa parte do papel que é produzido no mundo, além de fornecer matéria-prima para a produção de carvão, móveis, celulose, biomassa, madeira serrada, entre outras utilidades de uma das espécies vegetais arbóreas mais importantes da natureza.

Mas o objetivo desse artigo é fazer uma lista apenas com as espécies de frutas mais importantes dessa imensa família das pitangas a (Myrtaceae) . Espécies que caracterizam-se por serem colhidas em algumas das variedades arbóreas mais belas, resistentes e importantes comercialmente da natureza.

1.Goiaba

A goiaba costuma ser bastante conhecida pelas suas quantidades generosas de vitamina C. São cerca de 228,3mg da vitamina para cada 100g da fruta. Uma enormidade! Principalmente quando comparadas com as 53mg do limão, ou com as 40mg da laranja.

Mas a goiaba não é só isso!

Ela também produz um fruto saborosíssimo que, na forma de sorvetes, doces, sucos, entre outras apresentações, costuma surpreender os que ainda estão pouco familiarizados com ela.

Ela é a Psidium guajava! Capaz também de produzir, a partir das suas sementes, um óleo extremamente nutritivo, com altos níveis de antioxidantes, beta-caroteno, vitaminas A e C, selênio, fósforo, zinco, entre outras inúmeras propriedades.

2.Jabuticaba ou jaboticaba

Essa é outra espécie de fruta da família das pitangas (as Myrtaceae). O fruto da jabuticabeira! A já quase folclórica jabuticaba, que, pelo menos até onde se sabe, só existe no Brasil , como uma espécie nativa da Mata Atlântica Brasileira, um dos biomas símbolos desse imenso país.

Mas não são apenas as origens da jabuticaba que são dignas de tamanha atenção. As suas propriedades também são magníficas! Níveis consideráveis de vitamina C, ferro, fósforo, vitaminas do complexo B, niacina, entre outras substâncias indispensáveis para a nossa saúde, completam as suas qualidades – bem à nossa disposição, em grandes quantidades nessa digna representante da flora brasileira.

3.Araçá-Rosa

A araçá-rosa, ou Psidium cattleianum, também pode ser encontrada com os apelidos de araçá-do-campo, araçá-de comer, araçá-amarelo, araçá-coroa, entre outras inúmeras denominações que ela recebe por esse Brasil afora – especialmente na região sudeste, onde ela pode ser encontrada no que ainda resta de Mata Atlântica, especificamente em florestas tropicais fluviais, com características de vegetação de restinga.

O araçá é uma espécie do araçazeiro. Uma árvore não nativa do Brasil, com cerca de 10m de altura, copa bastante discreta, com características perenifólias, típica de regiões com bastante umidade, mas também suficientemente agraciadas com dias ensolarados.

Os frutos são do tipo baga, redondos, amarelos (verdes ou vermelhos), encimados por um cálice que persiste na fruta e com características bastante semelhantes às da goiaba.

4.Cambuí

O cambuí é a Myrciaria tenella. Essa é outra bela representante das espécies nativas do Brasil, bastante conhecida, não só por nos oferecer os seus frutos saborosos, mas também por conter diversas propriedades medicinais.

Suas propriedades possuem efeito antidiabético, antisséptico, adstringente, antioxidante; além de ser um substituto a altura de uma boa refeição, devido aos seus altos níveis de proteínas, carboidratos e gorduras – uma grata surpresa, em se tratando de uma fruta.

As folhas do cambuí também costumam ser utilizadas na forma de infusões, para o alívio de inflamações, diarreias, hemorroidas, cólicas estomacais, aftas, entre outros transtornos de origem infecciosa.

Mas se não bastassem tantas propriedades, o cambuí também oferece-nos a sua madeira, bastante resistente e vigorosa, geralmente aproveitada para a construção de obras em marcenaria.

5.Jambo

O Jambo, ou jambo-rosa, ou Syzygium jambos, é outra espécie de fruta que compartilha com as pitangueiras a honra de figurar nessa exuberante família das Myrtaceaes.

Esse é um tipo com um formato semelhante ao de uma pêra, com exterior vermelho, liso, bastante uniforme; e uma polpa branca, doce, macia, que lembra bem a textura de uma pêra ou maçã, porém com um sabor que lhe é bastante característico, e dificilmente comparável ao de outra variedade.

Como não poderia ser diferente, o jambo também possui a sua riqueza nutricional. Apenas 100g da fruta é capaz de nos oferecer boas quantidades de minerais, vitaminas e até mesmo proteínas.

Ele é uma fonte de vitamina A, complexo B (B1 e B2), fósforo, cálcio, ferro, carboidratos, potássio, selênio, cobre, entre outras vitaminas e minerais.

6.Guamirim

Por fim, o guamirim, ou Calyptranthes concinna, também conhecido como guamirim-facho, e bastante comum em Florestas Ombrófilas do Brasil, Paraguai, Bolívia, Uruguai, Argentina, entre outras regiões da América do Sul.

Esse fruto lembra bastante a jabuticaba, até mesmo na árvore em que estão dispostos. É uma pequena variedade arbustiva, com tronco ereto, repleto de sulcos, que descasca facilmente; e ainda com folhas opostas e simples, de onde surgem os pequeninos guamirins do tipo baga, em um vermelho-arroxeado, bastante adocicados – e da mesma forma refrescantes.

O arbusto que dá origem ao guamirim prefere um clima úmido, em grandes altitudes, onde haja um solo bastante fértil e úmido.

Eles geralmente são consumidos diretamente do pé ou na forma de sucos. No entanto, devido ao fato de ser uma espécie pouco conhecida, tornou-se popular apenas para os nativos de regiões interioranas do Brasil.

A pitanga, como uma bela representante da família das Myrtaceaes, possui companhias ilustres por esses inúmeros rincões Brasil afora. Mas, afinal, quais são elas; as outras companheiras dessa comunidade? Deixe a resposta na forma de um comentário. E não deixe de compartilhar os nossos conteúdos.

Veja também

Farinha de Trigo de Boa Qualidade

Qualidade Da Farinha De Trigo: Como Identificar E Saber Qual E?

No mundo existem milhares de alimentos, que servem como fornecedores de proteínas, carboidratos, como acompanhante …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *